Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe
 

 Paixões Cruéis

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

Paixões Cruéis Empty
MensagemAssunto: Paixões Cruéis   Paixões Cruéis EmptySab Jun 07, 2014 9:37 am

Título: Paixões Cruéis
Autor: bajumoon
Gênero: romance/drama
Censura/Classificação: M
Capítulos: 11 mais epilogo
Advertências: Partes impróprias para menores
Resumo ou uma promo: Jeannie é raptada por Blue Djinn e somente Jeannie Segunda pode salvá-la. Mas ela vai cobrar caro de Tony por isso.




I


“Tenha um bom dia, querido!” Jeannie se despedia do marido com um beijo.
“Até mais tarde, Jeannie!” O Major Nelson saiu para trabalhar.
A gênia estava casada com seu amo há um pouco mais de um ano, e era muito feliz ao seu lado, seu marido era maravilhoso!
Mas apesar de toda essa felicidade, nas últimas semanas ela sentia-se angustiada, como se algo muito ruim fosse acontecer, mas ela não fazia ideia do que poderia ser.
Ela resolveu esquecer isso e começar a limpar a casa.
A gênia estava distraída com os afazeres domésticos, quando uma fumaça azul formou-se em sua frente, se materializando no Blue Djinn.
“Ahhh!” Jeannie gritou, assustada.
***
Tony estacionou seu carro na frente de sua casa. Ele correu até a sua residência para pegar uns documentos que tinha esquecido.
Ao entrar na sala, se horrorizou ao ver sua esposa se debatendo nos braços do gênio azul.
“Anthony!” Ela gritou, mas Blue Djinn fez com que ela desmaiasse.
“O que você fez com ela?” Gritou o Major Nelson se aproximando.
“Fique onde está!” Gritou também Blue Djinn, apontando seu dedo para Tony e o empurrando para a porta com sua magia.
“Ela me pertence!” Disse o gênio. “Vocês me enganaram uma vez, mas agora finalmente a terei pra mim. Ela vai se arrepender por ter me recusado e por ter se casado com um simples humano como você!”
“Solte-a agora!” Exigiu o Major Nelson, com o corpo encostado à porta, sem poder se mexer.
“Já disse que ela agora me pertence! Adeus, humano tolo!”
Blue Djinn desapareceu, levando Jeannie ainda desacordada consigo.
Tony, finalmente livre do encantamento, correu até onde há pouco eles estavam, mas foi inútil.
“Jeannie! Jeannieeee!” Gritava ele, desesperado.
***
Já havia passado alguns dias desde o rapto de Jeannie e o Major Nelson estava desolado.
Ele pensou em todas as formas possíveis para resgatar a esposa, mas ele percebeu que nada podia fazer.
Não fazia a menor ideia para onde Blue Djinn a levara. Talvez para algum lugar do oriente médio, mas onde? Não sabia onde procurar.
Ele tentou entrar em contato com Haji, com a mãe dela, com qualquer outro parente que pudesse ajudá-lo, mas não havia como.
Tentou até mesmo se concentrar na esposa, como sempre fazia quando estava em apuros, esperando que ela lhe desse alguma pista sobre o seu paradeiro. Entretanto, foi em vão.
Ele não podia aceitar que a perdera para sempre! Muito menos que sua esposa estava sofrendo nas mãos daquele gênio mau e ele não podia evitar.
Nunca em sua vida, o Major Nelson sentiu-se tão impotente.
Se houvesse alguma saída, ele faria de tudo para ter sua Jeannie de volta.
***
No fim de mais um dia de trabalho, Tony entrou em sua casa.
Estava tão cansado! Ao redor de seus olhos as marcas escuras de noites insones que passou sem Jeannie.
Tinha dito a todos que sua esposa tinha viajado para cuidar da mãe, que estava doente.
Somente seu amigo Roger sabia a verdade.
Naquele dia, ele se ofereceu para fazer companhia ao amigo e tentar buscar uma solução para o caso, mas o Major Nelson recusou, dizendo que queria ficar sozinho.
O Major Healey estava preocupado com ele, mas decidiu deixá-lo em paz.
Ao entrar em sua sala e acender a luz, Tony se assustou ao ver quem estava no sofá, sentada:
“Olá, queridoo! Não imagina o prazer que tenho em vê-lo de novo!”
“A irmã de Jeannie?! A irmã de Jeannie está aqui!” Ele mal podia acreditar!
Jeannie Segunda correu até o Major Nelson, o abraçando.
“Vim aqui visitar minha irmãzinha. Mas pelo visto ela não está! De qualquer forma, foi muito mais agradável te encontrar, majorzinho!”
Tony tirou os braços dela do pescoço dele e os segurou firme, dizendo:
"Ah, que bom que você está aqui! Somente você pode me ajudar! Jeannie foi raptada pelo Blue Djinn. Temos que encontra-los!"
Jeannie Segunda virou-se de costas pra Tony e disse:
"Ora querido! Por que eu deveria ajuda-lo? Se ela está com aquele estúpido gênio, melhor pra mim, pois você será só meu!" Ela virou novamente de frente pra ele, com um sorriso maldoso.
"Mas ela é sua irmã! Ela está sofrendo! Como pode se recusar a ajuda-la?"
"Eu não tenho culpa se minha irmã é uma tonta que se deixou capturar pelo Blue Djinn. Eu não tenho nada a ver com isso!"
O Major Nelson a encarou profundamente, os olhos suplicantes:
"Por favor, me ajude a trazê-la de volta! Você é minha última saída! Eu faço o que você quiser, mas ajude-me!"
"Você fará o que eu quiser? Qualquer coisa?" Perguntou Jeannie Segunda, começando a gostar da ideia.
"Qualquer coisa!" Disse Tony, decidido.
"Hum, nesse caso... Eu quero um pouco de diversão com você, Major baby! Aí, eu o ajudarei! Você concorda?"
Ele a olhou com a expressão, séria:
"Concordo!"
“Ah, mas que ótimo, querido!” Jeannie II pôs os braços novamente ao redor do pescoço dele e ia beijá-lo, quando ele a conteve:
“Espere!”
“Esperar o quê?! Você disse que concordava!”
“Mas como vou ter certeza que depois de cumprir minha parte no acordo você não vai me enganar e não cumprir a sua?”
“O que pretende que eu faça para provar então?”
“Deixe que eu cumpra minha promessa depois de você cumprir a sua!”
“E como saberei se não é você que vai me enganar?”
“Tem minha palavra de honra!”
“É pouco! Quero ao menos uma prova!”
“Qual?”
“Um beijo!”
O Major Nelson hesitou um pouco, mas concordou:
“Está bem!”
A gênia estão uniu seus lábios ao dele, num beijo intenso.


Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

Paixões Cruéis Empty
MensagemAssunto: Re: Paixões Cruéis   Paixões Cruéis EmptySab Jun 07, 2014 9:39 am

II

Tony foi obrigado a corresponder, para agradar a gênia.
Enquanto sua língua se cruzava com a dela, em beijo quente e ousado, o Major Nelson sentia seu coração doer pela culpa.
Sentia-se horrível por fazer isso, mas não havia outro jeito! Tinha que salvar Jeannie!
Jeannie Segunda continuava a beijá-lo, colando seu corpo ao dele.
As mãos de Tony estavam na cintura da gênia, enquanto ela fazia com que o beijo ficasse cada vez mais agressivo.
Tony começou a sentir-se estranho e tentou se afastar dela, mas ela o mantinha cativo em sua boca.
Ele precisava se afastar da gênia o quanto antes, pois o seu corpo começava a reagir aos avanços dela, enquanto ela pressionava seu corpo sensualmente no dele.
Com grande esforço, Tony se concentrou em sua esposa, tentando manter o controle, até que enfim, a gênia afastou sua boca da dele.
Os dois respiravam apressadamente, buscando por ar.
“Uhh, isso foi muito bom, Major baby! Se foi apenas uma amostra, mal posso esperar para que você cumpra toda a sua parte no nosso acordo!”!
“Eu cumprirei, mas agora é a sua vez!” Tony não pensava realmente em cumprir a parte dele, mas cuidaria disso depois.
“Ah, está bem!” Disse Jeannie Segunda. “Mas teremos que fazer uma viagem.”
“Uma viagem?”
“Sim. O palácio de Blue Djinn fica a leste de Bagdá. Provavelmente ele levou Jeannie para lá! Mas não podemos enfrentá-lo diretamente. Teremos que ir escondidos!”
“Está certo! Mas espere um momento!”
Tony ligou rapidamente para o Major Healey, dizendo que iria atrás de Jeannie com sua irmã e pediu ao amigo que se ele demorasse a voltar, inventasse uma desculpa para o Dr. Bellows. Roger concordou e recomendou que Tony tomasse cuidado e não confiasse muito em Jeannie Segunda. O Major Nelson agradeceu e desligou o telefone.
“Pronto! Podemos ir!”
“Segure a minha mão, queridoo!”
Ele fez o que ela pediu e os dois desapareceram da sala.
Jeannie Segunda e o Major Nelson apareceram em um povoado árabe.
“Onde estamos?” Perguntou Tony.
“Onde mais? No oriente médio, próximos do palácio de Blue Djinn.”
“Vamos logo até lá, então!”
“Calma majorzinho! Não seja tão apressado! Já disse que Blue Djinn não deve saber que estamos aqui! Temos que tirar minha irmãzinha daqui, sem quem ele perceba. E temos que mudar de roupa também!”
A gênia piscou e uma túnica apareceu nele e piscando outra vez, fez aparecer outra túnica para si mesma!”
“Escute bem, Major Nelson: Faça apenas o que eu disser, certo? Não se precipite! Você promete?”
“Tudo bem!” Disse ele.
“Ah, querido, então vamos até lá!” A gênia apontou o dedo para um suntuoso palácio, que se destacava no lugar. “Mas para não despertar suspeitas, vamos andando. Mesmo que eu tenha que cansar meus lindos pés!” Disse ela, suspirando.
***
  
Jeannie andava de um lado para o outro, dentro de um enorme quarto.
Ao acordar e perceber que tinha sido sequestrada, ela entrou em desespero e tentou piscar-se de volta para a Praia dos Cocos, mas nada aconteceu.
Provavelmente a magia de Blue Djinn a tinha aprisionado naquele lugar e ela não conseguia sair.
Depois de um tempo angustiante, a porta do quarto se abriu, entrando por ela Blue Djinn.
Esperando agradar a gênia, ele tomou uma forma mais humana, transformando-se, com os cabelos negros, pele em um tom levemente bronzeado, e o rosto com traços perfeitos.
Porém sua forma de andar, seu olhar e sua voz continuavam as mesmas, fazendo com todos o reconhecessem somente ao vê-lo.
“Ora, já acordada?” Disse ele para Jeannie.
“O que você pretende? Tire-me daqui!” A gênia sentia um misto de medo e raiva.
“Do que está falando? A partir de agora este será o seu lar! E logo você será minha esposa!”
“Você está louco?! Eu já sou casada e muito feliz!”
“Esse seu casamento não válido entre os gênios! Você sabe disso!”
“Pra mim, ele é válido, sim! Eu amo Anthony e sei que ele virá me buscar!”
“Hahaha, não tenha tanta certeza disso! Nunca se sabe o que pode acontecer!”
“O que você está querendo dizer?”
“Não importa. De qualquer forma esqueça-o! Para o seu bem! Afinal, logo você será minha!”
“Nunca! E você não poderá me forçar! Isso vai contra a lei dos gênios! Se Haji souber, você será severamente punido!”
“Não se preocupe com isso! No momento certo, você mesma vai querer casar-se comigo!”
“Eu já disse! Jamais me casarei com você!” Insistia a gênia, irritada.
“Por enquanto você ficará aqui!” Disse Blue Djinn, ignorando as palavras dela. “Será tratada como uma rainha. E eu saberei esperar até que você me aceite como sei marido!”
O gênio saiu, fechando a porta.
Lágrimas escorriam pelo rosto de Jeannie, enquanto ela suplicava em pensamento:
“Anthony, por favor, venha me tirar daqui!”

Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

Paixões Cruéis Empty
MensagemAssunto: Re: Paixões Cruéis   Paixões Cruéis EmptySab Jun 07, 2014 9:40 am

III

O Major Nelson e Jeannie II andavam pelo povoado, se aproximando cada vez mais do palácio.
“Pronto, já chegamos!” Falou a gênia.
“Será que Jeannie está mesmo lá dentro?”
“Sem dúvida, queridoo! Ela só pode estar aí!”
Eles se aproximaram mais, escondendo-se atrás de uma tenda de um mercador de tecidos.
“Como vamos entrar?” Perguntou Tony. “Será que você não poderia nos piscar diretamente pra dentro?”
“Sinto muito, Major baby, mas meus poderes não funcionam lá dentro. Somente os de Blue Djinn. Teremos entrar do modo humano.”
“Mas como passaremos por aqueles guardas que lá estão?”
“Coloque o capuz para esconder seu rosto. Vamos fingir que somos empregados dele.”
Tony fez o que ela pediu e os dois se aproximaram da entrada.
“Quem são vocês?” Perguntou um dos guardas.
“Somos novos por aqui!” Disse o Major Nelson. “Viemos trabalhar no palácio!”
“Está bem, entrem logo! Mas da próxima vez, entrem pelos fundos. E vão cuidar dos seus afazeres!”
Assim que entraram, Jeannie Segunda o cumprimentou:
“Ah, você foi ótimo! Eles nem desconfiaram de nada!”
O Major Nelson sorriu, o primeiro sorriso genuíno que dava pra ela.
“Obrigado! Tive que improvisar! Mas agora precisamos descobrir onde está Jeannie!”
“Acho que ela deve estar no andar de cima, em um dos quartos!”
“Tem razão, vamos até lá!”
Os dois andavam cautelosamente pelo luxuoso lugar, tentando não chamar a atenção dos empregados que por eles passavam.
Os dois subiram as escadas, e lá em cima havia um belo salão, com várias cortinas, tapetes persas e almofadas de seda. Nas laterais havia algumas portas.
“Ela está por aqui, eu posso sentir!” Disse o Major Nelson.
“Então vamos procurar, querido!”
Jeannie Segunda pegou na mão de Tony e o conduziu até um dos quartos.
“Vamos olhar esse primeiro!” Disse ela.
Eles entraram e não havia ninguém ali. Eles foram para outro quarto e encontraram Blue Djinn, com alguns dos seus guardas.
“Você?” Disse Jeannie Segunda.
“Eu sabia que estavam vindo! Estava esperando por vocês! Guardas, prenda-os no porão, até que eu decida o que farei com eles!”
Jeannie II e Tony foram levados ao porão do palácio. Um lugar escuro e cheio de grades e foram presos em uma cela.
A gênia abraçou Tony, aparentemente assustada:
“O que faremos agora? Ele deve estar furioso por virmos aqui! Pode até nos matar!”
O Major Nelson pôs as mãos nas costas dela, envolvendo-a e dando leves tapinhas para acalmá-la.
“Não se preocupe! Vou pensar em forma de sairmos daqui!”
“Mas eu... eu estou com medo, majorzinho!” Falou ela abraçando-o ainda mais apertado.
Tony sentiu pena dela. Ela parecia tão diferente da gênia segura e convencida que ele conhecia bem.
Jeannie Segunda já tinha aprontado muito contra ele e sua irmã, mas naquele momento e sem conseguir usar seus poderes, ela não passava de uma simples, indefesa e assustada mulher.
Além disso, ela era sua cunhada! Fazia parte de sua família agora.
“Tudo bem, se acalme!” Ele afagava a parte de trás da cabeça dela, esperando que ela se tranquilizasse. “Não vou permitir que ele faça algo contra você, nem contra Jeannie! Nós vamos sair desse lugar sãos e salvos!”
“Ah, obrigada, queridoo!”
Jeannie Segunda olhou profundamente para ele e beijou-lhe a boca, antes que o Major Nelson pudesse se esquivar.
Ele se afastou depressa dela, ficando de costas, no outro canto da cela.
“Por favor, não faça mais isso!” Ele pediu.
“Sinto muito majorzinho, mas não pude evitar! Você é tão bom!” Ela se aproximou dele. “E nós temos trato, lembra-se?”
“É... bem... sim!”
Ele imaginava que depois dos últimos acontecimentos ela fosse se esquecer disso.
E ele não achava conveniente naquele momento, dizer que ele não pensava em cumprir sua parte do acordo. Mas logo ele teria que pensar em uma desculpa para despistá-la.
“Eu pensei que você pudesse começar a cumprir um pouco mais!” Falou a gênia, fazendo com que ele virasse de frente pra ela. “Preciso de você nesse momento!”
“Sinto muito, mas acho que não é hora pra isso! Tenho que me concentrar para criar um plano, para sairmos daqui!” Disse ele, se afastando dela novamente.
“Ah, está bem!” Ela suspirou, sentando-se em canto, com a cabeça apoiada nos joelhos.
O Major virou-se mais uma vez de costas pra ela, levando a mão aos lábios dele.
“Jeannie me perdoe...”

***
Passaram-se algumas horas. Jeannie Segunda e o Major Nelson continuavam presos, sem que ninguém aparecesse para vê-los.
“Até quando pretendem nos manter aqui?” Gritou Tony, sacudindo as fortes grades da prisão, com força.
Ele estava inquieto e angustiado, andando de um lado para o outro do lugar, pensando em uma maneira de sair dali, mas nada lhe ocorria.
Talvez eles tivessem alguma chance se algum guarda aparecesse e Tony conseguisse roubar a chave.
Mas tinham sido abandonados ali e ninguém parecia se importar.
Tony olhou para um canto e notou que Jeannie Segunda continuava no mesmo lugar, sentada e muito quieta. Bem diferente da gênia agitada e ativa, que ela costumava ser.
Ele foi até onde ela estava, se agachou de frente pra ela e perguntou:
“Você está bem?”
Antes que a gênia pudesse responder, eles ouviram o barulho de passos e logo dois guardas apareceram.
O Major Nelson ficou em alerta, levantando-se e oferecendo a mão para que Jeannie Segunda também levantasse.
“Vão nos tirar daqui?” Perguntou O Major Nelson a eles.
Os guardas somente riram e depois que um deles abriu a cela, o outro jogou no chão uma espécie de cuia, que continha algo tipo de cereal, que Tony não conseguiu identificar.
Os guardas voltaram a fechar a cela, enquanto o Major Nelson reclamava:
“Só isso que nos dão pra comer? Como podem nos tratar assim?”
Um dos guardas se virou pra ele e falou bravo:
“Espero que aproveitem bem a comida, pois essa será a última refeição de vocês! Assim que amanhecer vocês serão mortos!”
Os dois guardas foram embora e Jeannie Segunda abraçou Tony.
“Agora não temos mais saída! Seremos mortos por Blue Djinn!”
O Major Nelson a apertou em seus braços. Era visível sua preocupação.

Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

Paixões Cruéis Empty
MensagemAssunto: Re: Paixões Cruéis   Paixões Cruéis EmptySab Jun 07, 2014 9:42 am

IV

Jeannie Segunda o abraçava cada vez mais forte.
Tony imaginou que ela estaria apavorada.
Mesmo que ela tivesse aceitado a levá-lo por interesse, o Major Nelson não pôde deixar de se sentir culpado por tê-la envolvido nisso, arriscando a vida dela.
A gênia se afastou apenas um pouco dele, para olhar-lhe nos olhos:
“Vamos morrer, majorzinho! Está tudo acabado agora!”
“Não diga isso! Eu prometi que vou protegê-la, não prometi?”
“Mas e se as coisas saírem errado? Eu não quero morrer assim!”
“E se você chamar por Haji? Talvez ele venha nos ajudar!”
“Não se lembra que eu estou sem meus poderes de gênio, pela força da magia de Blue Djinn? Haji não me ouvirá!”
“Deve existir uma maneira...”
“Não há nenhuma. Esse é o nosso fim!”
Ela o abraçou apertado novamente.
O Major Nelson não aceitava a ideia que as coisas acabariam assim. Até o fim ele lutaria para sair dali, com Jeannie e sua irmã.
Ele era responsável por elas e faria o que fosse necessário.
“Major baby?”
Mesmo tenso, ele riu por ela continuar a chamá-lo assim.
“O quê?”
“Antes de morrermos faça-me um último favor!”
“Já disse que não vamos morrer!” Disse Tony, teimoso.
“Mas pode acontecer!” Ela insistiu. “Então faça o que vou pedir, por favor?!”
“Está bem! O que é?”
Ela pôs as mãos no rosto dele e pediu.
“Fique comigo essa noite!”
“E-eu não posso fazer isso!”
“Mas você prometeu, querido! Eu cumpri praticamente toda a minha parte no trato, infelizmente você ainda não encontrou minha irmã, mas não tive culpa! Eu o trouxe aqui, arriscando a minha vida!” Disse ela.
“Eu não entendo como você pode pensar nisso agora, quando estamos nessa situação.” Falou Tony, se afastando dela.
“Mas eu o quero tanto, queridoo! Quando aceitei vir para cá, eu sabia que era perigoso. Mas aceitei porque eu o quero demais!” Falou a gênia, voltando a se aproximar dele.
“Entenda, por favor, Jeannie! Eu sou o marido da sua irmã! Eu a amo muito! Não posso fazer isso com ela, nem comigo mesmo! Não me peça isso!”
Jeannie Segunda respirou fundo e falou:
“Sim eu sei que você a ama! Isso é muito difícil pra mim! Mas pelo menos agora vamos esquecer tudo. Será nossa última noite, vivos. Não quero ficar sozinha!”
A expressão triste de Jeannie Segunda comoveu Tony e ele a abraçou.
“Mas você não está sozinha, eu estou aqui com você! Não tenha medo!”
Ele sentou-se no chão, fazendo com ela fizesse o mesmo. O Major Nelson manteve seus braços ao redor da gênia, tentando consolá-la.
“Por que você não dorme um pouco? Encoste a cabeço no meu ombro. Eu ficarei acordado vigiando!”
Jeannie Segunda voltou sua cabeça para ele, os rostos muito próximos.
“Pelo menos mais beijo, Major! Apenas isso!”
“Mas...” Ela não o deixou falar, tomou a iniciativa e o beijou.
Tony não a impediu. Como poderia? Ele mesmo precisava disso!
Ele já estava tão cansado, abalado, sem saber o que ia fazer.
Desde que sua esposa foi raptada ele não teve sequer um momento de paz. Tony também se sentia carente e seu desespero chegara ao limite.
Mesmo que tentasse ser forte para consolar Jeannie Segunda, era ele que precisava de consolo.
Seu coração implorava para que ele parasse, que se afastasse de sua cunhada, mas a necessidade que sentia o dominava.
O beijo de Jeannie Segunda era cheio de malícia e sensualidade, não havia nenhuma entrega e amor como o de sua esposa.
Mas havia algo nele que o fazia querer mais.
A gênia começou com beijo lento e preguiçoso e foi aprofundando aos poucos.
O Major Nelson correspondia agora, abraçando-a com força.
Ele ergueu-se um pouco, fazendo ambos ficarem de joelhos, separou-se da boca dela, ofegante, e arrancando seu véu, começou a beijar-lhe no pescoço.
Jeannie o abraçou com força, enquanto dava um sorriso maldoso.
O Major Nelson continuou no pescoço da gênia, enquanto murmurava palavras de culpa:
“Eu não devia estar fazendo isso, eu amo Jeannie, ela é tudo pra mim...”
“Esqueça-se de tudo majorzinho! Somos só nós dois agora!”
“Mas e Jeannie? Eu preciso salvá-la e...”
“Shhh!” Ela o silenciou com um beijo.
Desta vez o beijo foi ainda mais abrasador do que os outros. Ela mordeu seu lábio inferior e buscou a língua dele com a sua.
O Major Nelson, mesmo sendo um homem experiente, nunca tinha sido beijado daquela forma, era como se ela quisesse devorá-lo.
Sua mente ficou em branco. Ele já não conseguia mais pensar. Tudo o que queria era aproveitar o momento.
Ele também passou a beijá-la com urgência, de forma exigente e voraz.
Mas já não lhe bastava sua boca, ele também queria sentir seu corpo unido ao dele.
Foi com esse pensamento, que ele foi com as mãos até a túnica que ela usava e começou a puxá-la pra cima, passando-a por sua cabeça, até tirá-la por completo.
Ela fez o mesmo com a dele e também tirou seu paletó, voltando a abraçá-lo forte.
A gênia começou a beijar o pescoço dele, enquanto afrouxava sua gravata e a retirava também. As mãos de Tony corriam por todas as costas dela e desceram mais, acariciando seu traseiro.
Jeannie Segunda gemeu de prazer, sentindo-se maravilhosa por estar nos braços daquele Major hot.
Ele subiu suas mãos e foi lentamente retirando o colete dela, enquanto mordiscava sua orelha.
A gênia o ajudou a tirar seu colete e foi rapidamente para a camisa dele, desabotoando-a.
Ela olhou pra ele e sorriu, ao ver o grande volume em suas calças.
Tony desceu sua boca para o pescoço dela, enquanto abria seu top.
Ele retirou a peça e excitou-se ainda mais ao ver os seus grandes e perfeitos seios que ela possuía.
O Major Nelson os tocou com volúpia, fazendo a gênia arfar.
Ela deslizou suas mãos pelo peito dele, indo até suas calças. Ela o acariciou por cima do tecido e começou a abrir a peça.
O Major Nelson gemia, mas por um instante algo veio à sua mente. Uma voz, aquela voz...
Sim! Era Jeannie! Sua esposa o estava chamando. Ele podia ouvi-la. Ela precisa dele.
“Jeannie...”
Tony ergueu-se bruscamente, se afastando de Jeannie Segunda.
“Eu não posso fazer isso! Eu sinto muito!”
“Mas o que aconteceu?!” Disse a gênia confusa e com raiva.
“Espero que entenda, por favor! Isso é um erro! Mas pude parar antes que fôssemos longe demais!”
“Como um erro? Você não pode fazer isso comigo!” Disse a gênia, furiosa.
Ela se aproximou dele e Tony pediu:
“Por favor, vista as suas roupas!” Ela voltou-se indignada, para pegar seu véu, top e colete no chão e os vestiu. Porém, não voltou a colocar a túnica.
O Major Nelson também, somente abotoou a camisa, deixando-a pra fora da calça. Ele tentava a todo custo se recompor, depois desses momentos que passou com Jeannie Segunda.
Mesmo muito brava, a gênia engoliu seu orgulho e voltou a pedir:
“Esqueça o remorso, majorzinho. Não há mais nada a fazer! Vamos aproveitar o momento. É tudo o que nos resta!”
“Eu não desistir, Jeannie! E mesmo que não tivesse jeito, mesmo que eu morra, não vou fazer isso com minha esposa!”
A gênia não insistiu, voltou a sentar-se em um canto, esperando o amanhecer.
***
Algumas horas depois, os guardas voltaram a vê-los.
Eles abriram a cela e por um momento Tony pensou em lutar com eles, mas eles estavam armados, ele não teria chances.
“O que vão fazer conosco?” Perguntou o Major Nelson, mesmo sabendo a resposta.
Eles ignoraram Tony e um deles pegou Jeannie Segunda pelo braço, tirando-a da cela, enquanto o outro voltava a fechar o lugar.
“Ei esperem! O que vão fazer com ela? Deixem-na em paz!” Tony gritava, mas eles não lhe davam ouvidos.
A gênia permanecia calada e enquanto ela se afastava, o Major Nelson gritou.
“Jeannie!”
***
 
A gênia foi levada até uma sala, onde estava Blue Djinn sentado. Ele dispensou os guardas, ficando a sós com ela.
O gênio se levantou, aproximando-se dela.
“Está na hora de acertarmos nossas contas, Jeannie!”

Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

Paixões Cruéis Empty
MensagemAssunto: Re: Paixões Cruéis   Paixões Cruéis EmptySab Jun 07, 2014 9:43 am

V

Jeannie Segunda deu um grande suspiro entediado, sentando-se em uma das almofadas espalhadas pelo grande tapete persa, que adornava o lugar.
“As coisas estão saindo um pouco mais difíceis do que eu esperava!”
“Ainda não conseguiu conquistar o humano desprezível?” Falou Blue Djinn, zombeteiro. “Você disse que seria fácil!”
“Aquele estúpido não consegue tirar a tonta da minha irmã da cabeça! Eu sabia que ele era teimoso e que eu teria que ter um pouco de paciência, mas não achei que seria tanta! Até tive que fazer-me de indefesa e frágil, para fazê-lo se aproximar! Mas ainda não consegui tê-lo!”
“Mas você prometeu que ia conquistá-lo! Jeannie precisa ver vocês juntos, para se decepcionar. E esquecê-lo de vez!” Ele fez aparecer em sua mão um anel, de grande beleza. “Veja! Esse anel é uma joia raríssima, não há outro igual! Estou esperando para dar a sua irmã, como presente de casamento!”
A gênia olhou atentamente, admirando a relíquia.
“Uau, ele é lindo! Realmente nunca vi outro assim. É uma pena que ele seja desperdiçado sendo usado no dedo da tonta da minha irmã! Mas estou impressionada! Não sabia que você era romântico!” Disse ela, em tom de deboche.
“Eu a quero demais! Sempre a quis! E assim que for minha esposa, será tratada como uma rainha! Mas você precisa fazer sua parte!”
“Eu sei disso queridinho! Afinal, quem teve essa maravilhosa e perfeita ideia? Eu pensei em todos os detalhes! Você jamais seria inteligente o bastante pra planejar em algo assim!” Blue Djinn fez uma cara de desagrado, pelas palavras dela e Jeannie Segunda prosseguiu: “Tive que passar a noite inteira naquela cela imunda, estava quase conseguindo, quando aquele estúpido teve uma crise de consciência de última hora! Mas ele vai me pagar!”
“O que faremos agora, então!”
Jeannie Segunda riu cinicamente e disse:
“Continuar com o plano querido! Talvez devamos fazer algumas alterações, mas o plano continua!”

***
O Major Nelson continuava gritando, desesperado.
Um guarda foi ao seu encontro, trazendo mais comida.
“Eu não quero isso! Tire-me daqui agora!”
Assim que o guarda ia saindo, Tony o atacou, tirando-lhe a chave e o trancado na cela.
O Major Nelson estranhou o fato do guarda não ter apresentado resistência, mas o importante naquele momento era sair dali.
Talvez ainda desse tempo de salvar Jeannie Segunda e também descobrir onde estava sua esposa.
Tony subiu rapidamente as escadas. Na entrada da prisão, ele achou um pedaço de madeira e a pegou, para usá-la como arma. Mas uma vez ele achou estranho não haver mais guardas por ali.
Entretanto seu desespero era tão grande, que não havia tempo a perder pensando nisso, tinha que aproveitar a sorte.
O Major Nelson andava cautelosamente, se escondendo o máximo que podia.
Andou a esmo pelo palácio, quando começou a ouvir vozes femininas. Ele correu até o lugar e puxando lentamente uma cortina que cobria a entrada e se deparou com várias odaliscas, conversando e rindo.
Ele entrou devagar, chamando atenção das mulheres. Elas o olharam, no mais absoluto silêncio.
“Hehe, desculpe incomodá-las, senhoras, mas por acaso não viram uma gênia loira, vestida de rosa por aqui? E também outra, morena, de verde?”
As moças olharam umas para as outras dando uma risadinha.
Antes que o Major Nelson pudesse perceber, elas o puxaram para o chão atacando-o.
“Calma, meninas! O que estão fazendo?”
Elas passavam a mão por todo o corpo dele e algumas tentavam beijá-lo.
“Parem com isso! Controlem-se, por favor!” Ele olhou para uma delas. “Oh, ei você! Tire a mão daí!”
O Major Nelson usou todas as forças que tinha e agilmente se esquivou, fugindo o mais rápido que podia delas.
Ele correu para fora daquele lugar, dando um grande suspiro de alívio.
“Ah, essa foi por pouco!”
***
Jeannie Segunda viu Tony andando por uma das grandes salas do enorme palácio e sorriu:
“Agora é a hora do show!”
A gênia piscou em si mesma, alguns hematomas, tirou seu chapéu e véu, soltou e despenteou seus cabelos. Deixou suas roupas de odalisca um pouco sujas e rasgadas e resolveu ficar descalça.
“Pronto! Acho que isso será o suficiente!” Ela piscou um espelho para olhar-se melhor. “Ah, que horror! Mas valerá a pena!”
Ela aproximou-se de Tony, andando meio cambaleante e se ajoelhou no chão, como se estivesse exausta.
O Major Nelson a viu e correu até onde ela estava, apoiando-a em seus braços.
“Jeannie, o que houve? O que fizeram com você?”
“Eles me torturaram querido! Iam me matar, mas consegui fugir! Agora eles estão atrás de mim!”
“Oh, eu sinto tanto!” Falou Tony, sentindo-se culpado. “Eu prometi que iria protegê-la!” Ele a abraçou.
“Isso não importa! O importante é que você está ao meu lado agora!”
Jeannie Segunda, ao sentir a presença de alguém se aproximando, uniu seus lábios aos do Major Nelson, que consternado pelo que tinha acontecido com ela, não demonstrou resistência, deixando que ela o beijasse.
Jeannie aparecia nesse instante, no outro lado da sala, vendo seu marido e sua irmã abraçados, se beijando. Lágrimas começaram a cair dos olhos dela.
”Anthony, por quê? Por que fez isso comigo?” Pensava Jeannie.
Atrás dela, Blue Djinn ria silenciosamente.

Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

Paixões Cruéis Empty
MensagemAssunto: Re: Paixões Cruéis   Paixões Cruéis EmptySab Jun 07, 2014 9:45 am

VI

Tony se afastou de Jeannie Segunda, interrompendo finalmente o beijo, sem se dar conta que sua esposa estivera ali, apenas um instante atrás.
“Venha, temos que nos esconder! Ainda bem que esse lugar é muito grande, senão já teriam nos descoberto.”
Mas antes que pudessem se levantarem, guardas os cercaram.
Alguns deles levaram Tony com eles e assim que o Major Nelson desapareceu de sua vista, Jeannie Segunda sorriu:
“Está tudo saindo perfeitamente! Mas agora majorzinho, você vai receber seu castigo por ter me rejeitado! E ainda vai implorar pra ficar comigo!”
***
“Não pode ser verdade! Ele me ama!” Repetia Jeannie para si mesma.
Mas ela sabia que não fora uma ilusão, nem uma armadilha de Blue Djinn. Eles estavam mesmo se beijando.
E de acordo com o gênio, eles já tinham feito muito mais do isso.
Quando soube que seu amo estava ali, sentiu-se tão feliz, mesmo temendo por sua segurança.
Porém Blue Djinn disse que ele já não se importava com ela. Tinha vindo atrás dela, é verdade, mas nesse meio tempo se apaixonou por sua irmã. Jeannie não acreditou, dizendo que isso era impossível.
“Ele veio com sua irmã, para tentar resgatar você!” Tinha dito Blue Djinn. “Assim que eu soube, os prendi aqui no palácio. Mas pelo que eu descobri, seu marido acabou se apaixonando por sua irmã nesse meio período e tudo o quer agora é ir embora com ela!”
Jeannie tinha se indignado com as palavras, dizendo que não iria conseguir envenená-la contra seu marido. Anthony nunca a abandonaria assim! Além disso, aquela história parecia tão absurda!
Mas depois de ver os dois tão carinhosos um com outro, não havia mais dúvidas. Jeannie sempre soube que a irmã era apaixonada por seu marido e sempre tentou roubá-lo, mas Tony nunca tinha se interessado. Até agora!
Ele não estava sendo forçado. Ela viu muito bem os braços dele abraçando-a com força. Não havia dúvidas: Estavam mesmo apaixonados.
“Eu não queria que você tivesse que ver isso, mas não tive escolha! Precisava lhe mostrar que aquele humano, nunca serviu pra você! Na primeira oportunidade que teve a trocou por outra. E não outra qualquer! Sua própria irmã!”
“Por quê? Por que ele fez isso comigo?” Perguntou Jeannie ao gênio, os olhos cheios de lágrimas.
“Esqueça-se dele! Ele jamais a amou como eu a amo!”
“Blue Djinn, por favor, mande-o de volta pra casa! E liberte também minha irmã!”
“Quer que eu os liberte?”
“Sim! Se meu marido não quer mais saber de mim, então que ele viva sua vida em paz, com quem quer que seja!” Ela voltou a chorar. “Mesmo que seja com minha irmã! Mas não os deixe presos mais!”
“Você ainda se preocupa com ele, apesar de tudo o que ele te fez?!”
A gênia não respondeu e Blue Djinn disse:
“Está bem, farei o que você me pede! Só quero que seja feliz!”
Ele a abraçou e Jeannie buscou conforto nos braços dele.
“Obrigada, Blue Djinn.”
Ele sorriu e pensou ironicamente.
“Acho que vale mesmo a pena ser tão generoso!”
***
Tony foi levado para uma ala do porão, recebeu alguns golpes de chicote nas costas e foi amarrado com os dois braços juntos, pra cima, em uma coluna.
Sua camisa foi rasgada e ele recebeu mais alguns golpes.
Jeannie Segunda observava-o apanhar, escondida, com um sorriso cruel no rosto.
Era bem excitante vê-lo assim! As caras de dor que ele fazia, a camisa rasgada, o suor escorrendo por seu corpo, a respiração ofegante.
Ela mesma tinha vontade de estar com o chicote, mas infelizmente isso ia contra seus planos.
“Talvez um dia...” Sonhava ela.
Tony já estava cansado e abatido e logo seria solto, para receber o golpe de misericórdia.
Quando nada mais restasse a ele, o seu lindo e hot Major correria para os seus braços. Agora faltava muito pouco.
O Major Nelson ficou um pouco mais ali, até que o levaram de volta à cela. Jeannie Segunda já estava lá, o esperando.
Tony foi ao seu encontro, preocupado com ela.
“Você está bem? Eles não a machucaram, machucaram?”
“Estou bem!” Disse ela teatralmente.
“Mas e você? Ah, eles te machucaram muito?” Ela passou suavemente as mãos por sua camisa rasgada, que revelava boa parte de sua pele.
“Não se preocupe comigo! Eles me bateram um pouco, mas estou bem! Temos que encontrar Jeannie! Não saberemos o que aquele gênio ruim está fazendo com ela. Temo só de pensar!”
Jeannie Segunda deu-lhe as costas e se preparou para o seu próximo ato, estava na hora de executar mais uma parte de seu plano.
“Se eu fosse você não se preocuparia tanto com ela! Eu sei que minha irmã está bem!”
Tony a virou bruscamente de frente pra ele, ansioso.
“Como sabe? Você a viu? Falou com ela?”
“Bem... eu não cheguei a falar, mas... eu a vi! Enquanto eles me traziam de volta pra cá, eu a vi pela janela e ela estava... bem não importa!”
“Estava o quê? Diga!”
“Eu não quero chateá-lo, querido...”
“Por favor, fale, eu preciso saber dela!”
“Ela estava abraçada com Blue Djinn, eles riam muito e pareciam muito carinhosos um com o outro!”
“Isso é mentira!” Falou o Major Nelson, bravo. “Ele a levou da nossa casa à força, contra vontade dela. Ela jamais me enganaria, muito menos com ele. Você está dizendo isso porque quer nos ver separados!”
O Major Nelson não conseguia acreditar que Jeannie Segunda estava usando dessas artimanhas para tentar separá-lo de sua esposa. E ele pensando que ela havia mudado, depois de tudo o que eles passaram juntos.
“Eu não queria dizer isso pra você, porque sabia que você ficaria chateado!” Falou a gênia, fingindo-se de triste. “Não imagina o quanto fiquei chocada na hora! Eu até perguntei aos guardas sobre ela!”
“Cale-se! Eu não acredito no que você diz!” Falou Tony, irritado.
“Mas é verdade. E foi por essa razão que ainda não fomos mortos. Os guardas me disseram que o casamento ocorrerá amanhã. Com uma grande festa!”
Tony olhou para sua cunhada. Os olhos verdes faiscando.
“Você está louca! Jeannie é casada comigo! Já chega de mentiras!”
“Você não acredita em mim, não é? Eu entendo depois de tudo o que já fiz pra você! Mas se não pode acreditar em mim, então pergunte para os guardas, eles confirmarão!”
O Major Nelson não respondeu e Jeannie Segunda o deixou quieto em seu canto.
A semente da dúvida já tinha sido plantada. Só faltavam mais dois passos, para um desiludido Major cair em seus braços.
Assim que a tonta da sua irmã se casasse com Blue Djinn, ela levaria seu novo brinquedo embora, se divertiria com ele até se cansar e depois se livraria dele, pensava, empolgada.
***
Algum tempo se passou, com Tony ainda perdido em seus pensamentos. A irmã de sua esposa só poderia estar mentindo. Jeannie jamais o trocaria por aquele gênio. Ela o detestava, mais do que isso, tinha pavor dele. Não! Isso só poderia ser mentira!
Porém, ao chegar um guarda trazendo água, o Major Nelson não pôde deixar de exigir:
“Que quero ver Jeannie! Você deve saber quem é! Uma gênia loira, que também foi trazida para esse lugar. Eu preciso vê-la. Leve-me até ela agora!”
O guarda riu e disse:
“Quem você pensa que é para querer falar com a futura dona desse palácio?”
“Futura dona?” O Major Nelson estava estupefato.
“Isso mesmo! Amanhã ela se casará com o grande Blue Djinn e será a nova senhora daqui!”
“Isso não é verdade!” Gritou Tony, enquanto o guarda ia embora. “Se for verdade, ela só pode estar sendo obrigada! Ela é minha esposa! Eu exijo falar com ela! Está me ouvindo?” O Major Nelson batia nas grades desesperado. “Isso não pode estar acontecendo...” Falou ele, agora com a cabeça e voz baixas, se ajoelhando no chão, com as mãos ainda nas grades.
Jeannie Segunda sorria discretamente.
“Pronto! Agora o golpe final! Está na hora de ver sua amada esposa, majorzinho! Nos braços de outro!”

Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

Paixões Cruéis Empty
MensagemAssunto: Re: Paixões Cruéis   Paixões Cruéis EmptySab Jun 07, 2014 9:46 am

VII

Jeannie Segunda já não suportava mais aquele lugar, mas tinha que aguentar somente mais um pouco.
Seu magnífico plano estava na reta final.
O Major Nelson continuava quieto, sem nada dizer, quando algum tempo mais tarde, apareceram outra vez dois guardas.
Um deles abriu a cela e puxou Tony pra fora:
“Venha! O senhor Blue Djinn deseja vê-lo!”
O Major Nelson saiu da cela, lançando um rápido olhar para Jeannie segunda, que se fingia de abatida.
Ele foi levado a uma enorme sala, andando com a cabeça baixa.
Ao erguer o rosto, não pôde acreditar no que seus olhos viam: Blue Djinn beijava calmamente sua esposa e ela parecia estar gostando.
“Jeannie... por quê?”
***
Jeannie havia passado momentos terríveis, lembrando-se da traição do seu marido.
Blue Djinn a consolava, dizendo que faria tudo para que ela se sentisse bem.
Ela nunca imaginou que o gênio poderia ser tão carinhoso e compreensivo!
Ele voltou a pedi-la em casamento e mesmo hesitante, a gênia decidiu aceitar.
Já que ele tinha sido tão generoso e prometera mandar Anthony de volta à Praia dos Cocos, ela achava que ele tinha mudado.
Além disso, sua vida não teria sentido sem Anthony, então não importava se ela ia se casar ou não.
O gênio a abraçou, declarando ter sempre a amado e que sofreu com sua rejeição no passado.
Mesmo que ele tivesse feito mal a ela, Jeannie sentiu pena dele. Foi nesse momento que Blue Djinn a beijou.
Ela pensou por um instante em se afastar, mas estava tão entorpecida pelos últimos acontecimentos que o deixou beijá-la.
Porém seu coração parou, quando naquele momento ouviu aquela voz tão conhecida:
“Jeannie... Por quê?”
Ela separou sua boca rapidamente da de Blue Djinn e olhou nos olhos de Tony.
Eles ficaram algum tempo se olhando, sem nada dizer, a expressão de desgosto estampada nas duas faces.
A gênia por fim balançou a cabeça e fugiu dali, chorando.
O Major Nelson estava desolado.
“Está satisfeito, humano? Sei que você exigiu dos guardas vê-la!”
“Seu... seu cretino!” Tony o olhava com raiva.
“Eu deveria matá-lo, insolente! Mas não o farei, por respeito a minha noiva!”
“Sua noiva?! Ela ainda é minha mulher!”
“Pode ser no seu mundo! Mas não entre os gênios! Você achou que ela ficaria com você por muito tempo, levando aquela vida medíocre? Bastou que ela se lembrasse de como é a vida no nosso mundo outra vez, para querer deixá-lo e casar-se comigo!”
“Isso só pode ser uma farsa! Você deve tê-la obrigado!”
“Hahaha, você viu que não! Estávamos muito felizes, até você aparecer e estragar tudo!”
“Ora, seu...”
“Já chega! Não se atreva a me desrespeitar de novo! À pedido de minha noiva, eu o libertarei. Ela quer você o mais longe possível daqui! Mas só irá depois do meu casamento. Como estou feliz, serei generoso! Deixarei você e aquela gênia atrevida em um lugar mais confortável. Mas ficarão trancados, por segurança. Guardas!”
Blue Djinn fez um final para que os guardas levassem Tony.
Ele foi levado para um dos quartos de outra ala do palácio. E assim que Tony entrou, os guardas fecharam as portas, trancando-as.
Lá dentro, o Major Nelson encontrou Jeannie Segunda, sentada em uma das almofadas.
Ao vê-lo, ela correu em sua direção, o abraçando.
“Você está bem? Estava tão preocupada com você, majorzinho!” Disse ela, falsamente.
Ele se afastou dela e virando-se para a ampla janela do quarto e comentou:
“Você tinha razão, eles vão mesmo se casar!”
A gênia o abraçou por trás e disse:
“Não sabe como lamento! Eu sei o quanto você está sofrendo!”
 “Eu... eu lamento que tenha feito você arriscar sua vida à toa! Mas logo ele vai nos libertar!”
“Isso não me importa, queridoo! O único que me preocupa é você! Olhe só como está machucado!” Disse ela, tocando delicadamente em suas costas.
“Não precisa se preocupar comigo!” Ele pensou que mais do que esses machucados, era o seu coração que doía. “Eu vou ficar bem! Mas e você? Não está ferida?” Perguntou ele virando-se de frente pra ela.
“Estou bem! Principalmente porque você está comigo agora!”
Ela o abraçou e ergueu seu rosto pra ele.
Os lábios dela pareciam muito convidativos agora. Ele a olhou profundamente e com um meio sorriso, disse à gênia:
“Acho que está na hora de pagar a minha parte no nosso acordo!”
Ela assentiu e ele a beijou.
A gênia sorriu entre beijo. Agora finalmente ele seria dela!
O beijo seguia intenso, abrasador.
O Major Nelson tomava a boca da gênia com vontade, cheio de desejo.
Ele não queria mais pensar, já não se importava mais! Pelo menos naquele momento, ele queria se esquecer do seu cansaço, desilusão, sofrimento.
Seu coração aniquilado pela dor buscava o mínimo de consolo, nos braços daquela fogosa gênia.
A língua dele estava profundamente em sua boca, buscando o seu gosto e chocando-se contra a dela.
Tony interrompeu o beijo, para beijar o pescoço da gênia, enquanto ela inclinava a cabeça pra trás, por puro prazer.
“Ohh, queridoo!” Ela ofegava sentindo-o lamber seu pescoço.
Enquanto continuava com a boca no pescoço dela, ele retirou seu colete e passou a beijar seus ombros.
Ele a virou e afastando seus longos e soltos cabelos negros, passou a beijar-lhe as costas.
Isso fez com Jeannie Segunda começasse a se arrepiar amando essa sensação.
O Major Nelson levou suas mãos até o fecho do top dela e o abriu, retirando-o.
Ele a virou de novo, de frente pra ele, com brusquidão e capturou a boca da gênia, num beijo quente e possessivo.
Jeannie Segunda pôs os braços ao redor do pescoço dele, enquanto as mãos de Tony estavam nas costas nuas dela, pressionando-a com toda a força contra seu corpo.
Ele levou uma das suas mãos para frente, apertando um dos seios dela. A gênia gemeu alto de prazer.
Tony sorriu, ainda beijando-a, olhou pra baixo, continuando o toque no seio dela, agora brincando com o mamilo e o beliscando levemente.
Ela afastou sua boca da dele para gemer, totalmente excitada, enquanto Tony aproveitou para levar sua boca aos seios dela. Enquanto suas mãos pressionavam-os, ele beijava, sugava e mordiscava os mamilos intumescidos.
“Você é muito linda, muito sensual e está me enlouquecendo!” Confessou ele, enquanto continuava com as carícias.
“Ohh, Major baby! E você é bom demais!” Disse ela, arfando.
Ela se afastou um pouco dele, somente pra rasgar-lhe o resto de sua camisa, tirando-a de seu corpo.
Ela começou a acariciar e beijar o peito dele, enquanto o Major Nelson ia com as mãos até o fecho da saia dela, abrindo-a habilmente e deixando a só de calcinha.
Ela também não perdeu tempo e desabotoou e abaixou suas calças, que ele terminou de tirar de si mesmo, junto com os sapatos.
Ela riu ao perceber o quanto ele já estava excitado e passou a tocá-lo, por cima da cueca.
“Ahhh...” Ele gemeu jogando a cabeça pra trás.
A gênia se abaixou e puxou a cueca dele pra baixo, retirando-a do seu corpo. Ficou impressionada ao ver como ele era “grande”. Ela passou a segurar firme o membro dele com suas mãos, fazendo rápidos movimentos de baixo pra cima.
“Ohhh...” Ele gritou, com o coração acelerado, os pulmões buscando por ar. “Ahh, Jeannie, o que... o que você estava fazendo comigo?” Falou ele, com dificuldade.
O Major Nelson já estava completamente insano. Não podia suportar mais!

Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

Paixões Cruéis Empty
MensagemAssunto: Re: Paixões Cruéis   Paixões Cruéis EmptySab Jun 07, 2014 9:48 am

VIII

Ele tirou as mãos dela de seu membro e a ergueu, beijando-a com força e retirando a calcinha da gênia.
Tony jogou Jeannie II no chão, que caiu em cima do grosso tapete persa e das almofadas e deitou-se por cima dela, penetrando-a profundamente e fazendo a gênia gritar de prazer.
Os movimentos dele eram rápidos e urgentes, o desejo estava consumindo-o por completo.
Jeannie Segunda ria, ofegava, gemia, sentindo-se no paraíso.
“Ohh, queridoo, mais rápido, mais fundo!” Gritava ela.
Tony continuava a adentrar no corpo dela, em ritmo insano, enquanto a segurava, mordia, beijava-a.
Ele sentia-se em êxtase, querendo ir cada vez mais fundo nela, possuí-la por completo.
Ele nunca tinha feito amor de forma tão selvagem! Nem mesmo com suas antigas namoradas na juventude. E com sua esposa havia muita paixão, mas era algo mais terno, carinhoso, puro.
Bem diferente do que ele estava experimentando agora, algo totalmente animal, se deixando guiar somente pelos seus instintos mais primitivos.
Tony mesmo não se reconhecia. Ele sempre manteve o controle e agia com paciência, sem brutalidade.
Mas naquele momento, tudo o ele queria era descarregar toda a sua dor, raiva, tristeza que o estavam matando, enquanto desejava cada vez mais sentir o cheiro dela, seus gemidos, os arranhões que ela fazia na pele dele.
O Major Nelson ficou ainda mais agressivo, puxando o cabelo da gênia, pressionando seu corpo, mordendo seus lábios.
Não demorou muito para que ela chegasse ao máximo do prazer, sendo seguida por ele.
“Urrhh!” O Major Nelson rugiu de prazer e desabou por cima dela.
Jeannie Segunda sentia o corpo pesado, suado e quente sobre o seu e o abraçou com força.
Alguns instantes depois, ele saiu de cima dela, deitando ao seu lado.
Jeannie II sorria, satisfeita e cansada, respirando com dificuldade.
Tinha sido muito melhor do que ela esperava. O homem era um furacão e a tinha levado à loucura.
Ela agora se sentia mais poderosa do que nunca. O amo de sua irmã finalmente era seu! Ela havia conseguido tirar dela!
Enfim ela venceu a tonta de sua irmã e conseguiu o Major hot como prêmio. Jeannie Segunda estava nas nuvens.
“Você foi maravilhoso, queridoo!” Ela admitiu pra ele. De agora em diante eles teriam muitos momentos assim!
“Obrigado!” Disse ele, com voz rouca.
E virando-se para o outro lado, Tony apoiou sua cabeça em uma almofada, enquanto usava um dos tecidos que adornava o lugar como lençol, para cobrir sua nudez.
Sem que Jeannie Segunda percebesse, ele deixou algumas lágrimas caírem. A dor, a tristeza, voltando rapidamente.
“Jeannie, querida! Por que as coisas tinham que ser assim?”
***
O Major Nelson acordou de madrugada, próximo do amanhecer.
Sentia um pouco de dor de cabeça e começou a pensar nos últimos acontecimentos.
A dor que sentia em seu peito era insuportável e ele não fazia ideia do que aconteceria daquele momento em diante.
Jeannie se casaria com Blue Djinn e ele voltaria para sua casa vazia. Continuaria sua vida, seu trabalho, vivendo sem rumo, sem sentido.
Agora não havia nada que pudesse fazer. Ele já a tinha perdido para sempre!
Ainda não entendia direito o porquê, se ela sempre o amou tanto, como poderia esquecê-lo tão rápido? Era tão surreal, inacreditável!
Até o último instante ele acreditou nela, pensava que estavam tramando para separá-los, mas ao vê-la abraçada e beijando Blue Djinn, não havia mais dúvidas.
Provavelmente aquele gênio tinha razão, aquele era o mundo dela, o mundo ao qual pertencia.
Jeannie deve ter se dado conta o quanto era tedioso ser uma simples dona-de-casa, escondendo sua verdadeira natureza de todos.
Sim! Não havia dúvida, essa era a vida certa pra ela.
E mesmo que jamais esquecesse e deixasse de amá-la, iria deixá-la em paz, para seguir seu caminho.
Além disso, ele também já tinha ido longe demais e dormido e com sua cunhada.
Ele virou-se lentamente e viu Jeannie Segunda dormindo, deitada ao seu lado.
Estava coberta apenas por um véu e ele podia ver bem todo o seu corpo.
Tony apoiou sua cabeça em seu braço, para observá-la melhor.
Os longos cabelos negros estavam espalhados pela almofada, que servia de apoio para a cabeça dela.
No rosto delicado uma expressão tranquila, quase angelical, que não combinava muito com a personalidade fogosa e libidinosa que ela possuía.
Seu olhar desceu e focou os seios da bela morena. Os mamilos eram bem visíveis sob o fino tecido, fazendo o Major Nelson excitar-se.
Tony ainda não sabia ao certo o que sentia por ela. Foram tantos acontecimentos em tão pouco tempo que sua mente estava confusa.
Tudo o que ele sabia era que precisava dela naquele momento, ela era tudo o que lhe restara, em meio a tanto sofrimento.
Ainda assim, mesmo depois de ter visto Jeannie com Blue Djinn, sentia-se traindo sua esposa e se detestava por isso!
Mas Jeannie Segunda se demonstrou tão preocupada, carinhosa e apaixonada, que ele não pôde resistir.
Algo ali era certo: O desejo que sentia por ela, crescia rapidamente.
Tony deixou seus pensamentos de lado e sem poder resistir mais, se inclinou, beijando a gênia lentamente, enquanto tirava os tecidos que os cobriam.
Jeannie Segunda acordou com os lábios do Major Nelson nos seus.
Ah, com o beijo dele era gostoso! Assim como ele todo!
Durante todos os anos que viveu, Jeannie Segunda adquirira muita experiência com os homens, tanto gênios, como humanos.
Já fora casada diversas vezes e tivera muitas aventuras também.
Mas o Major Nelson era diferente de todos os homens que já conhecera.
Havia algo único, singular, que jamais encontrara em alguém.
Além de ele ser um amante maravilhoso e incansável, claro!
A gênia estava contente pensando em todas as diversões, festas, que iria com ele. Isso se eles conseguissem saírem do quarto! Pensava ela, maliciosa.
Tony desceu sua boca até o queixo dela, passando a lambê-lo e fazendo Jeannie II dar um sorriso enorme!
Ele desceu mais e atacou seu pescoço, beijando, lambendo, mordiscando.
A gênia pôs uma das mãos no cabelo dele e acariciava, enquanto ele continuava o que estava fazendo.
O cheiro dela estava deixando-o insano novamente. Era tão exótico e atrativo!
A mão dele foi seguiu para um dos seios dela, massageando. Jeannie II gemeu.
“Ohhh, majorzinho!” Arfava ela e Tony deu uma risadinha. Ele passou a amar, quando ela o chamava assim.
Mesmo em tão pouco tempo, ele já se sentia cada vez mais envolvido por ela, a querendo, a desejando.
Tony foi descendo seus beijos para os seios dela, ficou por ali algum tempo e desceu mais, beijando e lambendo sua barriga, seu baixo ventre e foi descendo mais...
“Ahhh, Major baby, ohhh, sim!” A gênia estava louca de desejo!
A boca dele em contato com seu centro mais íntimo a deixava enlouquecida!
Ela começou a segurar com força a cabeça dele, estava chegando ao clímax rapidamente.
Depois de pouco tempo, ela alcançou o máximo do deleite, sentindo seu corpo derreter, sob as carícias dele!
Tony ergueu-se um pouco, virou-se e a puxou para cima, fazendo com que ela montasse nele.
Mesmo com seu corpo mole, por todo o prazer que ele a fez sentir, ela se posicionou, começando a se movimentar lentamente, ao encontro do corpo dele.
O Major Nelson gemia, sem tirar os olhos dela. Mesmo com o clima mais ameno da madrugada, o corpo dela suava. Além disso, a gênia estava com o rosto corado, ofegante e descabelada.
Essa imagem era muito excitante e Major Nelson segurou no quadril dela, obrigando-a a ir mais rápido, mesmo com ela já cansada.
Não demorou muito para que os dois chegassem ao orgasmo juntos, gemendo alto. Ele pegou firme nos braços dela e puxou para um beijo.
Jeannie Segunda ficou um bom tempo em cima dele, sendo beijada.
Mesmo quase sem forças, era tão bom ficar com ele assim!
 O Major Nelson a virou, ficando outra vez em cima dela.
Continuou beijando-a, agora sem tanta pressa, aproveitando bem o momento.
As mãos dele deslizavam por todo o corpo dela, ela tinha se tornado um vício, que ele queria e precisava cada vez mais.
Jeannie Segunda já estava mais uma vez excitada, era inevitável! Aquele homem delicioso sabia bem onde tocá-la, como acariciá-la, com nenhum outro jamais soube!
Ela que sempre esteve no controle tudo, agora sentia se como uma boneca nas mãos dele! Ele a dominava, fazendo o que quisesse com ela! E a gênia estava gostando disso!
Ele se preparou para tê-la outra vez e Jeannie II o recebeu com ansiedade.
Os movimentos dele eram lentos, mas profundos e tudo o que a gênia desejava naquele momento era poder ficar assim pra sempre com ele.
O Major Nelson continuou por bom tempo fazendo amor com ela, amando vê-la gemer seu nome e o agarrar com força.
Enfim, eles chegaram ao pico do prazer. E Jeannie Segunda nunca se sentira tão realizada na vida!

Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

Paixões Cruéis Empty
MensagemAssunto: Re: Paixões Cruéis   Paixões Cruéis EmptySab Jun 07, 2014 9:49 am

IX

Desta vez Tony a puxou pra ele, acolhendo-a em seus braços, enquanto os dois tentavam recuperar o fôlego.
Ele a mantinha firme em seus braços e ela encostou a cabeça no peito dele.
“Obrigado, Jeannie!” Disse o Major Nelson.
A gênia se surpreendeu por ele ter dito isso e perguntou:
“Mas por porque você está me agradecendo?”
“Por você estar comigo nesse momento! Não sei o que faria se você não estivesse aqui!” Ele se inclinou e deu-lhe um beijo na testa.
Por um instante a gênia ficou tocada. E mais do que isso! Sentiu algo que jamais tinha sentido na vida: remorso, culpa!
Chegou até a sentir medo que ele descobrisse o que ela fez e passasse a odiá-la.
“Mas o que eu estou pensando?” Repreendeu-se ela. “Pouco me importa o que ele sinta! Tudo que fiz foi para me divertir e me vingar de minha irmã!”
Ela tentava se convencer, mas aquele sentimento incômodo não a deixava em paz, assim como a estranha felicidade que sentia por estar nos braços do Major.
Ele adormeceu. Ela podia sentir sua respiração regular, seu coração batendo mais calmamente.
Os braços fortes de Tony ainda estavam ao redor dela e Jeannie II sentia-se amparada, protegida.
Ela ergueu-se um pouco, irritada com mais esse pensamento. Ela era uma gênia poderosa, não precisava da proteção de ninguém, muito menos de um humano!
Porém, ela voltou a encostar a cabeça no peito nu dele e adormeceu também.
***
Jeannie Segunda acordou com um raio de sol batendo em seu rosto.
Ela imaginou que já deveriam ser umas oito horas da manhã.
Já estava ficando tarde e ela aproveitaria que Tony estava dormindo, para se encontrar com Blue Djinn. Ela iria falar com ele, para garantir que ela e o Major Nelson saíssem bem do palácio e que o seu Major hot não descobrisse o que ela fez.
Muitas vezes a gênia quis obrigá-lo a ficar com ela e até mesmo desta vez, o plano inicial era somente forçá-lo a dormir com ela, para salvar a amada esposa dele.
Mas agora ela percebia que tinha sido muito melhor tê-lo, por livre e espontânea vontade, mesmo que ela tivesse criado “algumas situações” que o levasse a isso.
Assim que saíssem daquele lugar, ela não o forçaria a nada, simplesmente tentaria convencê-lo a viajar pelo mundo com ela.
Talvez tivesse um pouco de trabalho para fazê-lo largar seu tão amado emprego e talvez ela tivesse que ficar na casa dele por um tempo, levando aquela vida chata.
Mas logo, ela tinha certeza que o deixaria completamente apaixonado e insano, e Tony abandonaria tudo, para fazer o que ela quisesse.
Ela esperaria e sua própria paciência a surpreendeu.
Mas era algo que valeria a pena, sem dúvida!
***
Jeannie segunda ficou mais algum tempo abraçada ao Major Nelson, que ainda dormia profundamente.
Ele deveria estar exausto depois de tudo o que houve com ele e depois daquela noite com ela! Pensava Jeannie II, com um sorrisinho.
A gênia tirou delicadamente os braços de Tony do seu redor e se levantou com cuidado para não acordá-lo.
Aproveitando que ele ainda dormia, piscou em si mesma uma túnica, mas manteve seus cabelos soltos.
Ela voltou seu olhar para o Major Nelson. Ela não poderia estar mais sexy do que naquele momento! O peito descoberto, um tecido de seda cobrindo parcialmente seu corpo, a boca semiaberta.
Ela não resistiu e se abaixou, beijando aqueles lábios carnudos.
“Hum...” Ele correspondeu, mesmo ainda adormecido.
Ela sorriu e se afastou, aproximando-se da porta. Ela piscou para destrancá-la e a abriu saindo por ela e esquecendo-se de trancá-la de novo.
***
O Major Nelson acordou de repente. Esperava acordar em sua cama, na sua casa, na Praia dos Cocos.
Ele olhou ao seu redor estranhando o lugar, mas as lembranças vieram rapidamente na sua cabeça.
“Então não foi um pesadelo?!”
A dor voltou a assolá-lo, seu coração em pedaços pensando em sua esposa. Sua esposa! Que iria se casar com outro naquele dia.
Ele sentou-se no enorme tapete persa, que lhe serviu como cama e lembrou-se de Jeannie Segunda.
“Onde está ela?”
Ele levantou-se rapidamente, muito preocupado.
E se Blue Djinn não fosse cumprir sua promessa e estivesse nesse momento fazendo mal a ela? Não! Tony não permitiria isso!
Enquanto vestia sua roupa em frangalhos, ele lembrava-se dos íntimos momentos que compartilhou com Jeannie II, na noite anterior.
Ela o fez sentir-se tão bem, que ele pôde suportar a dor que sentia.
O Major Nelson, mesmo sofrendo estava conformado em perder sua esposa. Mas não a irmã dela!

Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

Paixões Cruéis Empty
MensagemAssunto: Re: Paixões Cruéis   Paixões Cruéis EmptySab Jun 07, 2014 9:51 am

X
Jeannie Segunda havia encontrado Blue Djinn em uma das salas do palácio. O gênio estava sentado, segurando o anel que daria pra Jeannie, com um sorriso bobo no rosto.
“Ora, ora! Vejo que está ansioso com o casamento!” Disse a gênia, entrando na sala.
“Sim. Finalmente! Depois de centenas de anos, ela será minha!”
***
Assim que terminou de se vestir, Tony correu até a porta e a encontrou aberta. Ele saiu do quarto e passou a caminhar pelo palácio.
Ele ouvia vozes vindas do andar de baixo e parecia haver muito movimento também, provavelmente por causa do casamento.
Mas naquela ala, não havia ninguém. Ele foi andando lentamente por ali, até ouviu vozes conhecidas, vindas de um dos cômodos. Ele parou na entrada e ficou chocado com a conversa que ouvia.
“Por que não nos deixa ir embora logo, Blue Djinn? Não há necessidade de ficarmos aqui até depois do casamento de vocês!”
“Eu não confio naquele humano, muito menos em você! Só os mandarei embora quando já estiver casado com Jeannie!”
“Como não confia em mim? Foi graças ao meu plano, que conseguimos separar os dois!” Disse Jeannie Segunda.
O Major Nelson ficou petrificado.
“Está bem! Talvez seja melhor que vão embora mesmo!”
“Ah, que maravilha! Temos que comemorar o sucesso do nosso plano!”
A gênia piscou uma garrafa de champanhe e ofereceu uma taça a Blue Djinn.
“Eu não gosto dessas coisas!” Ele recusou.
A gênia deu de ombros e abriu a garrafa, servindo-se da bebida.
“Então eu brindarei sozinha!”
Ela bebia sorrindo, quando algo a paralisou, fazendo com ela derrubasse a taça no chão, que se espatifou em mil pedaços.
Tony entrara na sala, o olhar colérico.
“Então isso tudo foi um jogo de vocês?” Ele falou, nervoso.
“Ma-majorzinho, e-eu não queria...” Gaguejava Jeannie Segunda, assustada.
“Cale-se! Tudo o que diz e faz não passa de mentiras! Como pude achar que poderia confiar em você?”
“M-mas...”
“Você sempre foi malvada, perversa, mas jamais pensei que chegaria a esse ponto! Você me dá nojo!”
Jeannie Segunda sentiu como se tivesse levado um tapa na cara, tamanha foi a dor que as palavras dele lhe causaram.
Ela não tentou mais se defender, apenas abaixou a cabeça, sentindo vergonha e humilhação, por ter o desprezo desse homem.
O Major Nelson virou-se para Blue Djinn, sua raiva transformando-se em fúria.
“E quanto a você, jamais vai conseguir o que quer, miserável! Eu posso ter perdido Jeannie para sempre, mas não vou permitir que ela se una a você!”
“Hahaha, e como pretendo me impedir? Posso matá-lo agora mesmo, se quiser!”
***
Jeannie andava triste pelos corredores do palácio, quando ouviu vozes alteradas, vindo de uma das salas. Parecia a voz de Anthony e de Blue Djinn.
Pressentindo que algo ruim estava acontecendo, ela correu até o lugar de onde vinham as vozes, quando ouviu Blue Djinn falar:
“Você não vai impedir meu casamento, antes você morrerá!”
Blue Djinn apontou seu dedo, pronto para atingir Tony, quando Jeannie gritou, entrando na sala.
“Não! Não faça isso!” Falou ela e o gênio hesitou.
O Major Nelson se aproximou da esposa e disse:
“Jeannie, foi tudo uma armadilha! Os dois nos enganaram, para nos separar! Você não pode se casar com ele!”
“Uma armadilha?”
“Sim!”
A gênia não podia acreditar! Anthony e ela tinham sido enganados!
“Então você não está apaixonado pela minha irmã? Não houve nada sério entre vocês?” A gênia perguntou ao marido.
Tony não respondeu. Ele simplesmente abaixou a cabeça, consternado.
“Hahaha, responda a pergunta dela, humano! Quero ver se será capaz de mentir!”
Jeannie ficou calada, esperando uma resposta de Tony, enquanto Jeannie Segunda observava o Major Nelson. Mesmo com a cabeça baixa, ela podia ver toda a tristeza de seus olhos. Algo se quebrou no coração dela e a gênia, pela primeira vez na vida, teve compaixão e disse:
“Ele não se apaixonou por mim, Jeannie! Desde o começo eu o forcei a fazê-lo tudo o que eu queria. Tudo que o ele fez foi para salvá-la, por amor a você!”
Tony voltou seu olhar para Jeannie Segunda, impressionado. Ela foi capaz de assumir toda a culpa? Ele não podia acreditar! Talvez no fundo, tivesse um pouco de bondade naquele coração.
Mas ele não poderia deixá-la assumir tudo sozinha. Não era certo! Mesmo com as armadilhas dela, ele esteve com ela porque quis. E o pior de tudo: Ele gostara! Agora ele tinha que ser homem e assumir o que fez, apesar das consequências.
“A culpa não é só dela! Eu também errei, Jeannie! Também fui o responsável!”
“Não é verdade!” Jeannie Segunda rebateu. “Eu o manipulei!”
“Mas...” Tony começou a dizer, mas Jeannie Segunda não permitiu.
“Eu fiz tudo isso para me vingar de você, irmãzinha! Para tê-lo pra mim! Ele não teve outra escolha a não ser me obedecer!”
Jeannie se voltou para irmã, os olhos marejados de lágrimas:
“Por quê? Como você sendo minha própria irmã fez isso comigo?”
Jeannie Segunda não respondeu e Blue falou:
“Já chega! Os dois tiveram culpa! Eles a traíram, Jeannie! Esqueça-se deles e vamos nos casar!”
A gênia voltou-se para Blue Djinn e disse:
“Nunca me casaria com uma pessoa como você! Você não mudou! Continua sendo o mesmo gênio cruel de sempre!”
Blue Djinn ficou furioso.
“Ora, sua... Como se atreve a me dizer não?” Ele se voltou para Tony.  “Mas se você pensa que eu a deixarei ficar com esse humano, está enganada!”
Ele apontou seu dedo para atingir Tony, mas Jeannie foi mais rápida e antes que o Major Nelson pudesse impedir, ela se pôs na frente dele, protegendo-o com seus poderes.
Ela ficou sem forças e caiu no chão, desmaiada.
“Jeannie!”
O Major Nelson se ajoelhou no chão, pegando a gênia nos braços.
Ele se tranquilizou um pouco ao ver que ela ainda estava viva.
“Vai pagar por isso, Blue Djinn!” Falou Tony.
“Olha o que você me fez fazer, humano! Nada mais vai me impedir de matá-lo! Mas antes vou acabar com a principal responsável por tudo isso! Fui um tolo por aceitar esse estúpido plano! Mas você vai me pagar!“
O gênio se voltou para Jeannie Segunda, pronto para matá-la.
Tony se ergueu rapidamente e correu até onde estava Jeannie Segunda e a puxou para longe da mira de Blue Djinn, protegendo-a com seu corpo.
Tony foi parcialmente atingido, caindo desacordado.
“Não!” Jeannie segunda gritou.
A gênia ficou chocada. Mas não havia tempo a perder. Ela tinha que pensar rápido em um plano, para derrotar Blue Djinn. Antes que todos morressem.

Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

Paixões Cruéis Empty
MensagemAssunto: Re: Paixões Cruéis   Paixões Cruéis EmptySab Jun 07, 2014 9:52 am

XI


A gênia olhou rapidamente para a garrafa de champanhe, que ela havia deixado no chão e para o anel que Blue Djinn daria pra Jeannie, que estava sobre um móvel. E ela teve uma ideia.
Antes que o gênio agisse contra ela, a gênia correu, pegou o anel e o colocou dentro de garrafa de champanhe.
“O que pensa que está fazendo?” Disse Blue Djinn.
“Haha, querido! O seu anel precioso e exclusivo está perdido! Mesmo que ainda exista alguma chance de Jeannie se casar com você, você não poderá mais dar o anel pra ela! Que pena, não acha?”
“Ora, posso recuperar isso em um segundo!”
Ele se transformou em fumaça, entrando na garrafa, para pegar o anel.
Assim que ele entrou, Jeannie Segunda piscou arrolhando a garrafa.
“Uma vez estúpido, sempre estúpido!”
Ela piscou novamente, jogando a garrafa no fundo do mar.
Jeannie Segunda se aproximou do Major Nelson e acariciou seu rosto.
“Por que, Major baby?”
Mesmo depois de tudo o que ela tinha feito ele a protegeu. Nunca em sua vida, ela imaginou encontrar um homem assim!
Ela se inclinou e beijou-lhe os lábios.
Virando a cabeça, ela viu sua irmã, também caída, e tomou uma decisão.
Mesmo que não gostasse muito da ideia, ela faria a coisa certa! Por ele!
***
“Tenha um bom dia, amo!”
“Até mais tarde, querida!” Disse o Major Nelson, se despedindo da esposa.
Estava tudo bem entre ele e Jeannie, mas nos últimos dias, Tony sentia-se estranho.
Era como se tivesse acontecido alguma coisa importante e ele não conseguisse lembrar.
“Deve ser coisa da minha cabeça! É melhor me concentrar no meu trabalho!” Pensava ele, indo em direção à base.
Ao longe, Jeannie Segunda o observava:
“Por enquanto vou deixar minha irmãzinha ficar com você, Major baby! Mas um dia eu voltarei, para tê-lo outra vez!”


Fim
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

Paixões Cruéis Empty
MensagemAssunto: Re: Paixões Cruéis   Paixões Cruéis EmptySab Jun 07, 2014 10:03 am

Epílogo

Tony estava em lugar estranho, parecia um quarto, decorado em estilo árabe.
Sentado em um grande tapete persa, ele assistia uma mulher dançar pra ele.
A dama misteriosa, vestida de odalisca, tinha seu rosto coberto por um véu e Tony não podia ver quem ela era. Mas ela dançava sensualmente e ele a olhava hipnotizado.
Ela tirou um dos véus que cobria sua barriga e Tony olhou para aquela região, maravilhado com os movimentos dela.
Sem poder mais se conter, ele levantou-se e puxou o véu que cobria o rosto da mulher.
Era Jeannie Segunda!
Ela sorriu para ele e o Major Nelson a beijou apaixonadamente, enquanto a deitava sobre o tapete, ficando por cima dela...

***
O Major Nelson acordou assustado. Outra vez o mesmo sonho!
Aquilo era absurdo! Sonhar desse jeito com sua própria cunhada!
“Não é possível!” Pensava ele, sentando-se na cama e apoiando a cabeça com as duas mãos.
Ele olhou para trás e viu sua esposa dormindo pacificamente na cama deles.
Tony voltou a pensar no sonho.
Agora que estava acordado, sentia um vazio em seu peito, que ele não sabia bem o que era!
Parecia saudade...


Fim
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Paixões Cruéis Empty
MensagemAssunto: Re: Paixões Cruéis   Paixões Cruéis Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Paixões Cruéis
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Drama-
Ir para: