Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Champanhe

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Champanhe   Qua Jun 04, 2014 9:17 am

Título: Champanhe
Autor: bajumoon
Gênero: romance
Censura/Classificação: M
Capítulos: 2
Advertências: Partes impróprias para menores
Resumo ou uma promo: Major Nelson e champanhe. Combinação perfeita para a Jeannie.

I
Estava definitivamente me sentindo solta naquela noite.
Talvez porque eu estava me divertindo muito na companhia de meu amo, ou talvez fosse o champanhe que estivesse me deixando assim.
Mesmo tendo vivido por tantos anos, jamais tinha provado essa bebida, até o dia que saí pela primeira vez com o meu amo.
Naquela ocasião, eu estava testando as lições de uma revista para ser uma típica mulher moderna americana.
Fiz com que meu amo me levasse pra jantar e não pensei duas vezes: pedi champanhe!
Aquela bebida sofisticada parecia ser ideal para o momento.
Era a primeira vez que eu experimentava e ela me fez sentir cócegas no nariz e no céu da boca. Era uma sensação um pouco estranha, porém agradável e bem diferente.
Mesmo me sentindo um pouco zonza, não perdi a pose. Queria que meu amo achasse que eu era uma mulher bem experiente, acostumada com essas coisas.
Agora, depois de já ter bebido tantas vezes, eu estava familiarizada com o sabor e gostava muito!
Aquela noite estava sendo perfeita, pois tinha meu amo só pra mim, em um jantar maravilhoso, regado a muito champanhe!
Eu sorria sem parar e de vez em quando roubava um beijo dele.
“Jeannie! Pare com isso! As pessoas do restaurante estão olhando pra nós!” Ele me repreendeu, começando a ficar vermelho.
A preocupação dele me divertia! Ele era sempre tão certinho, tão correto! Seria interessante vê-lo se soltar mais, pra variar.
Foi então que eu tive uma ideia e sugeri a meu amo:
“Amo, porque não vamos dar uma volta na praia agora?”
Ele fez algum comentário sobre já estar ficando tarde e que deveríamos ir pra casa, mas eu insisti e ele acabou concordando.
Nós saímos do restaurante e fomos para a praia. A noite não poderia estar mais linda!
Começamos a caminhar por ali e eu tirei os meus sapatos, para sentir a fina areia sob meus pés.
Uma suave brisa agitava meus cabelos e eu fechei os olhos aproveitando sensação.
Eu sentia como se estivesse flutuando ali, ao lado do meu querido amo!
Nós ficamos algum tempo conversando, enquanto caminhávamos. Eu pedi para sentássemos um pouco, para observar as estrelas.
Mesmo relutante ele aceitou e eu pisquei uma toalha e sentamos ali.
Ficamos algum tempo conversando sobre trivialidades, quando eu resolvi piscar e trazer uma garrafa de champanhe, com duas taças.
“Jeannie, não acha que já bebemos demais?” Falou ele.
“Ah, amo! Só mais um pouco! Vamos brindar a esse momento tão especial! Sempre que estou com você, é como um sonho!” Disse a ele.
Ele sorriu diante de minhas palavras e concordou. Seu olhar me dizia que ele também estava feliz por estar ali comigo.
Ofereci uma taça cheia a meu amo e ele começou a beber.
Resolvi beijá-lo e ele retribuiu. Era maravilhoso sentir o gosto dele, misturado com champanhe.
Ficamos algum tempo assim, até que nos afastamos. Fizemos um brinde, e mais outro, e outro...
Nós dois agora ríamos sem parar. Eu me sentia tão alegre, não só por causa da bebida, mas por ver meu amo tão à vontade, finalmente.
Era fascinante ouvir seu riso rouco, sentir seus beijos, que ficaram mais constantes.
Eu me levantei meio cambaleante e o puxei pela mão, para fazer o mesmo.
“Venha amo!” Eu disse, com um largo sorriso.
“Aonde você vai me levar, Jeannie?”
“Para a água!” Falei rindo e o levando até o mar.
Meu vestido de noite ficou encharcado, assim como o terno do meu amo.
Nós brincamos na água um pouco, como duas crianças e voltamos para a areia.
Sentamos de novo e meu amo começou a beijar meu pescoço, enquanto eu ria de puro prazer!
Ele deslizou a mão pelo meu braço e ou vê-lo arrepiado me perguntou:
“Está com frio?”
“Não.” Disse simplesmente.
Será que ele não tinha percebido que foi ele que me deixou assim?
Sua mão agora deslizava pela minha cintura e desceu mais, passando por minha coxa. Uau! Nunca tinha visto ele tão ousado!
Sem dúvida, o álcool fazia com que as pessoas perdessem suas inibições e eu estava gostando muito disso!

Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: Champanhe   Qua Jun 04, 2014 9:18 am

II

“Ah, Jeannie, como eu quero você!” Ele murmurou junto ao meu ouvido.
Sua voz estava rouca e um arrastada pela bebida e não poderia estar mais sensual.
Eu também o queria, mais do que isso, precisava dele.
Ele mordiscou o lóbulo da minha orelha, fazendo com que eu me arrepiasse dos pés a cabeça.
“Ahh, amoo!” Gemi e ele deu uma risadinha, meio divertida, meio presunçosa.
Deitamos-nos e os carinhos se tornaram mais ousados e constantes.
Eu deveria estar no céu, porque nunca me senti tão bem na vida!
Eu o beijei na boca com paixão, esperando com ansiedade o que viria a seguir.
Meu amo se ergueu um pouco e disse, olhando em meus olhos:
“Jeannie, pisque-nos pra casa!”
“Mas amo...” Eu estava confusa, porque ele queria ir embora? Estava tão bom ali!
“Por favor!” Falou ele.
Fiz o que o que ele pediu e nós aparecemos na sala de estar. Antes que eu pudesse dizer alguma coisa, ele voltou a me beijar, me levando delicadamente para o seu quarto. Entramos ali e ele se afastou um pouco, para fechar a porta. Enquanto eu recuperava o fôlego, notei que ele tirava rapidamente os sapatos, o paletó e a gravata. Ele voltou-se para mim e abaixou uma das alças do meu vestido, enquanto beijava meu pescoço.
Não satisfeito, ele abaixou a outra alça e puxou pra baixo meu vestido molhado, que aderira a minha pela.
Meu amo expôs meus seios e passou a toca-los e beijá-los. Eu gemia alto de prazer.
Meu amo puxou mais meu vestido, até que caísse no chão, deixando-me apenas com minha peça íntima.
Voltou a beijar-me na boca e eu, sem perder tempo comecei abrir os botões de sua camisa.
Ao terminar minha tarefa, tirei a peça dele, com um pouco de dificuldade, pois ela estava muito molhada.
Ele me levou até a cama e fez com que eu me deitasse, deitando-se também ao meu lado, logo em seguida.
Meu amo olhou pra mim, por um instante e disse:
“Não imagina quantas vezes eu sonhei em tê-la aqui comigo, na minha cama!”
Eu estava completamente surpreendida com declaração dele.
Ele sempre estava me evitando e dizendo que eu causava problemas que era difícil acreditar que ele sonhava em estar comigo. Como isso era maravilhoso!
Ele me beijou outra vez e disse, com um sorriso malicioso:
“Jeannie, você pode piscar mais champanhe?”
Fiz que sim com a cabeça e pisquei um balde de gelo, com uma garrafa já aberta dentro e duas taças ao lado.
Meu amo pôs o champanhe em uma das taças, bebeu um gole e despejou o que havia sobrado da taça em meu corpo.
A bebida gelada fez com que eu sentisse uma sensação gostosa, mas ficou ainda melhor quando ele se inclinou e passou a lamber o líquido que estava em minha pele.
“Ahh, isso é tão bom!” Disse a ele.
Ele apenas sorriu e continuou tomando o champanhe do meu corpo.
A língua dele por todo o meu corpo, estava me deixando louca e eu comecei a respirar pesadamente.
Eu já estava excitada demais e pelo visto ele também, pois retirou rapidamente o resto de suas roupas.
Vi que ele já estava totalmente pronto pra mim e eu mal podia esperar para tê-lo por completo.
Sorrindo e observando minha reação, ele tirou a minha última peça de roupa e me perguntou com o olhar se eu o queria.
Eu sorri e o trouxe pra mim, fazendo com que ele adentrasse em meu corpo.
Seus movimentos eram lentos e profundos e eu desejei que o tempo parasse, para tê-lo sempre junto a mim.
Nós alcançamos juntos o prazer máximo e ele, como o cavalheiro que era, me aconchegou nos seus braços.
Completamente satisfeita, meus olhos pesaram de sono, quando eu ouvi a frase mais linda que alguém poderia ouvir antes de dormir.
“Jeannie querida, eu amo você!”
Eu dei um amplo sorriso, encostei minha cabeça no peito dele e adormeci.
***
Eu acordei primeiro no dia seguinte. Estava com uma dor de cabeça horrível, mas extremamente feliz, por ter passado a noite toda nos braços de meu amo.
Pisquei em mim roupas limpas e um pijama em meu amo. Arrumei toda a bagunça que estava no quarto e fui para a cozinha fazer o café.
Assim que terminei, resolvi sentar um pouco no sofá, com uma bolsa de gelo, para aliviar minha ressaca.
Logo meu amo apareceu e parecia tão mal quanto eu estava, mas não pude deixar de sorrir ao me lembrar da noite passada.
***
 O dia transcorreu em paz e nós dois já tínhamos melhorado da dor de cabeça.
Porém, algo me preocupava. Meu amo voltou a me tratar como antes e parecia não se lembrar do que aconteceu entre nós.
Estávamos assistindo TV, à noite, quando finalmente criei coragem para perguntar:
“Amo?”
“Sim, Jeannie?”
“Você se lembra do que aconteceu ontem à noite?” Eu disse meio hesitante.
“Nós fomos jantar, bebemos demais e voltamos pra casa.”
“Só isso?”
“Sim. Por quê? Aconteceu algo mais?” Perguntou ele, olhando fundo nos meus olhos.
“Você não se lembra?”
“Do que eu deveria me lembrar, Jeannie?” Ele perguntou.
Dei um suspiro frustrado e falei:
“Nada! Esqueça o que eu disse!”
Eu levantei chateada e ia pra cozinha, quando ele me alcançou e me abraçou por trás.
“Talvez você pudesse me recordar o que aconteceu!” Meu amo disse, com uma voz sensual e maliciosa.
Eu sorri contente e respondi:
“Com muito prazer, amo!” Pisquei e uma garrafa de champanhe apareceu na minha mão.
Ele virou-se de frente pra mim, sorriu e retirou a garrafa de minha mão, colocando-a em cima de um móvel.
“Talvez outro dia, Jeannie. Agora eu quero estar totalmente sóbrio.” Disse ele, rindo.
Eu ri também, enquanto ele me levava para seu quarto.

Fim
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Champanhe
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Romance - M-
Ir para: