Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Economia americana - final estendido

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 463
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Economia americana - final estendido   Sab Mar 01, 2014 1:41 pm

Título: Economia Americana – final estendido
Autor: strawberriesapples
Shipper: Jeannie/Major Nelson
Gênero: Romance
Censura/Classificação: R
Capítulos: One-shot
Completa: Sim
Resumo ou uma promo: Quando seu amo lhe chamar para conversar sobre orçamento no colo dele... vá.


A festa para o Major Gregorian tinha sido um sucesso. Apesar do fato de Jeannie ter exagerado com o orçamento, deu certo, com todas as velas e a comida e bebida baratas. Os amigos de seus pensionistas trouxeram a música (graças aos céus música russa estava em seu repertório) e todo o entretenimento. Foi contra tudo o que ele tinha planejado, mas o Major Nelson ficou aliviado no final.
- Não foi ótimo? Eles todos se divertiram tanto!
- O que havia na carta?
Jeannie tinha entregado ao Dr. Bellows um envelope suspeito. Ele não ousava pensar o que estava nela, mas ele perguntou-lhe, de qualquer maneira.
- Ah, é a conta da festa! Eu só cobrei da NASA a comida, o resto eu não cobrei nada, eu cobrei...
Ele prometeu a si mesmo que iria parar de reclamar das idéias louquinhas de Jeannie. E ela sempre acabava estando certa no final de alguma forma. Mas isso era demais. Eles não eram realmente pobres, pelo amor de Deus!
- Jeannie! Jeannie.
- ... e as contas de luz e... sim, Anthony?
- Querida, temos que conversar.
- Claro!
- Vem cá.
Ele sentou no sofá e puxou-a para sentar em seu colo. Não era a melhor maneira de falar sobre suas finanças, mas ele não planejava gastar muito tempo sobre o assunto, mesmo.
- Quando eu te disse que iríamos viver com o meu salário, eu não quis dizer que tínhamos que poupar dinheiro com tudo!
- Mas Amo, eu só...
- Eu sei, eu sei. O que eu quis dizer era... bem, eu não posso me dar ao luxo de comprar coisas extravagantes!
- Coisas extravagantes?
- Sim! Como ... ahn... ternos de 200 dólares e Rolls Royces, só isso.
- Oh, Amo! Por que você não me disse isso antes?
- Hein?...
- Vamos viver do seu salário e não vamos poupar dinheiro.
- Não, bem, podemos economizar um pouco de dinheiro aqui e ali...
- E se você quiser caviar no café da manhã?
- Jeannie, acredite em mim, eu não quero caviar... no café da manhã.
- Você tem certeza?
- Sim, querida, eu tenho certeza.
- Oh, bem...
- Você entende o que estou tentando dizer?
- Sim, Amo.
- Que bom...
- Vamos viver do seu salário, guardar um pouco de dinheiro, mas não muito, caso você queira caviar para o caf...
- Não! Jeannie!
- Haha! Eu estava brincando, Amo!
- Oh! Haha!
- Agora, eu tenho que fazer o nosso...
Ela tentou se levantar, mas ele não a deixou. Ele gostava de ter sua esposa em seu colo. Muito.
- Amo! Eu tenho que levantar!
- Não tem não.
- Não?
- Não.
Ela estava começando a entender o que estava acontecendo e não se atreveria a levantar...
- Eu não posso?
- Você não pode...
- Oh... Ok, então!
Ela colocou os braços em volta dele e beijou sua bochecha. Ele sorriu e fez o mesmo com ela.
- Querida! Querida...
- Sim?
- Você poderia me fazer um favor?
- Claro!
- Lembra daquele seu vestido...?
- Hum... qual, Amo?
- Aquele estampado...
Ela piscou e um vestido marrom, rosa e laranja apareceu nela.
- Este aqui?
- Uh, não... o colorido, você sabe... azul, laranja, rosa, roxo...
- O colorido?
- Com os botões!
- Botões?
- Aquele que você tava vestindo quando você me deu uma camisa engomada pra usar outro dia.
Ela lembrou-se de qual vestido ele estava falando. Era um de seda com cores brilhantes.
- Oh! Ahn... sinto muito por isso, Amo.
- Tudo bem. Você se lembra do vestido?
- Sim. É esse aqui?
Ela piscou o vestido que ele tinha acabado de descrever em si mesma. O olhar em seu rosto quando ele a viu nele só podia significar uma coisa ...
- Ohhh...
- Amo?
- Você tá tão ...
Sim, era isso mesmo. Sua voz baixou uma oitava e soava muito macia ... Ele começou a beijar seu pescoço; ela adorava quando ele fazia isso!
- Ohhh... bem... estou?
- Sim...
- Oh! Tudo bem, então! Mmm...
Ele continuou beijando seu pescoço e ela esperava que isso os levasse para um lugar mais confortável.
- Mmm... é o de seda, Amo...
- É... seda... mmm...
Ele passou as mãos nas costas dela e ela suspirou.
- Eu amo como ele fica... em você...
Ele continuou a beijá-la: bochechas, pescoço, lábios... Ela estava adorando, ela amava sentir os lábios dele em sua pele... E isso iria definitivamente levá-los a um lugar mais confortável! Ele apertou-lhe a coxa através do vestido e ela sorriu.
- Hum, eu estou começando a gostar também!
- Bom...
- Ahhh... Amo...?
- Sim?...
- É por isso que... você estava tão quieto... na festa?
Ele de fato tinha estado muito quieto na festa; sempre que ela olhava para ele, ele estava ouvindo o Dr. Bellows ou ouvindo o Major Healey ou o major russo... nunca falando. E ele tinha um brilho diferente em seus olhos sempre que ele a notava olhando para ele.
- Jeannie, você me conhece melhor do que eu!
- Hm-hm-hm!
- Eu mal podia esperar para que ela acabasse...
- Sério?
- Oh, sim...
- Estou feliz por isso...
- Está...?
- Isso... foi uma surpresa tão *boa*!
- Heh, heh. Eu achei que seria.
Ele começou a beijá-la novamente, mais do que antes. Ele apertou-lhe a cintura e começou a subir...
- Mmm!
- Mmm...
Ele tocou seu seio através do vestido e ela gemeu; ela mal podia esperar para ir a um lugar mais confortável!
- Ohhhhh...
- Você é tão linda...
- Aah... obrigada, querido!
Ela gemeu essas últimas palavras; ela estava muito excitada!
As pessoas que conheciam os Nelson os achavam um casal doce, perfeitos um para o outro. Pensavam neles como um casal adorável que estavam sempre fazendo pequenas coisas um para o outro. Um casal caseiro que não gostava de festas e provavelmente passava suas noites assistindo TV ou jogando xadrez. Essa era a imagem que eles projetavam. Sim, eles eram mesmo um par doce, adorável e caseiro. Mas eles também eram amorosos, apaixonados, ardentes e... enérgicos. Quando não estavam fora da casa ou recebendo visitas, eles passavam a maior parte de seu tempo no quarto. Ou na garrafa.
Ele finalmente sussurrou em seu ouvido as palavras que ela queria ouvir:
- Jeannie, vamos pra algum lugar mais confortável.
- Oh, sim!
Ela não pensou duas vezes e piscou-os para a sua cama, na exata posição em que estavam.
- A nossa cama? Eu pensei que você fosse levar a gente pra sua garrafa!
Ele não conseguia manter suas mãos (ou os lábios) fora dela. Cada centímetro dela era tão atraente para ele...
- Amo... se eu... mmm... te disser uma coisa... você promete não rir?
- Claro, querida... mmm...
- Ohh... nossa cama... me excita.
- O que...?
Ela acariciou o rosto dele e explicou seu ponto de vista.
- Bem, eu fico pensando nela como a sua cama e todas as vezes que eu dormi aqui antes... eles eram... seus travesseiros... seus lençóis ...
- Meus... travesseiros?
- Seu... perfume.
- Meu... perfume.
- Sim, Amo... você não vai rir, não é?
- Jeannie...
- Sim?
- Essa foi uma das coisas mais sensuais que eu já ouvi...
Ele realmente ficou excitado com o que ela disse, e de repente a imagem dela em sua cama vestindo só uma de suas camisas veio à sua mente. Ele tinha acabado de conhecê-la quando isso aconteceu. Ele muitas vezes se pegava pensando nisso no meio da noite.
- Ohh! Sério?
- Deixa eu te mostrar o quanto eu acho sexy...
- Ohhhh...
Ele agarrou-a e beijou – com força; ele pretendia mostrar a ela o que ele pensava da sua pequena confissão...
Ela interrompeu o beijo por um momento e piscou. Ele de repente se viu vestindo apenas sua camisa - aberta - e sua cueca.
- Ahn... Jeannie!...
- Para poupar tempo, Amo!
Ela virou-se para se sentar em suas coxas, de frente para ele: seus dois joelhos estavam em cada lado dele e ela tinha os braços em volta do seu pescoço; Ele instintivamente pôs os dele ao redor da cintura dela. Ela mordeu o lábio inferior. Ele era tão bonito... tão delicioso! Aqueles olhos verdes e lábios carnudos a deixavam insana! Sem mencionar o fato de que ele era um... homem bem-dotado...
- Mmm...
Ele ficou ainda mais excitado.
- Ohhhhhh...
E ela podia *sentir*! Ela ronronou em seu ouvido.
- Ohhh! Alguém está... ansioso!
Ele a agarrou e a beijou ferozmente novamente, gemendo; ela começou a arranhar suavemente a parte de trás de sua cabeça e pescoço.
- Mmm...
Ele arrepiou-se! Todos os cabelos na nuca se levantaram. Ele começou a desabotoar o vestido dela... Ela interrompeu o beijo e gemeu.
- Ohhh...
Ele começou a beijar seu pescoço novamente, ainda desfazendo os botões de seu vestido. Ele tirou o vestido de um ombro e beijou-o; desta vez, ela ficou arrepiada ...
- Oh, Anthony!
Ela começou a *mover-se* casualmente em seu colo; seus movimentos e gemidos o fizeram enlouquecer!
- Ohhhhh, meu Deus...
Ela o beijou mais uma vez e começou a arranhar suavemente a parte de trás da cabeça e pescoço de novo; ele tinha seus braços em volta dela; ela interrompeu o beijo, mordendo o lábio inferior dele um segundo; ela foi para seu rosto, subindo e sugou seu lóbulo.
- Ohh...
Ele a beijou de novo e jogou ela na cama. Chega de ser o Sr. Astronauta Bonzinho! Isso a fez dar um gritinho e rir.
- Aaah! Hm-hm-hm!
Ele ficou em cima dela, beijando os ombros e indo mais para baixo... Ela tirou os braços das mangas do vestido; ele puxou-o para baixo e tirou-o dela. Ela estava de roupas de baixo; ele se ajoelhou entre as pernas dela.
- Meu Deus, você é linda demais!
Ela olhou para ele, sorrindo. Ele pegou seus pés e começou a beijá-los, fazendo o mesmo com as pernas: panturrilhas, joelhos, coxas... ela gemeu, jogando sua cabeça para trás.
- Aaahhhh...
Ele se aproximou do corpo dela e olhou para a área abaixo do umbigo e acima do cós de sua roupa de baixo por um segundo; ele olhou para ela com um sorriso travesso. Ela apoiava-se nos cotovelos, ofegante, apertando os dentes e olhando para ele com pálpebras semicerradas. Ele começou a beijar aquela área e ela gemeu, jogando a cabeça para trás novamente e agarrando o lençol.
- Ohhh!
Ele começou a subir, beijando sua barriga e seu decote. Ela puxou a cabeça dele mais para perto e beijou-o avidamente, tirando sua camisa de seus ombros; ele terminou de tirá-la. Ela começou a fazer nas costas dele o que tinha feito na parte de trás de sua cabeça, enquanto ele ia levantando-a um pouco, para desenganchar o sutiã. De repente, ele interrompeu o beijo e gemeu por causa de um arranhão não tão suave!
- Aaai...
- Ohh... Desculpe, Anthony!...
- Está tudo bem, querida... não machucou... de verdade...
Ele puxou o sutiã pela frente e tirou-o, beijando seu pescoço e ombros de novo; ele foi descendo...
- Mmm... mmm...
- Ohhh...
Ele chegou em seus seios e ela soltou um gemido alto.
- Aaaaah!
Ele passou algum tempo ali, tocando, beijando... Isso a deixou louca e ela gemeu alto novamente.
- Ohhhhhh!
Ele lentamente parou de fazer o que estava fazendo para olhar para ela; ela tinha um olhar sedutor e estava mordendo o lábio inferior. Apesar de ele estar obviamente muito excitado, ele ficou romântico, de repente.
- Você é perfeita, Jeannie.
- Ohhh, Amo!
Ela o puxou para outro beijo, deslizou as mãos pelas costas e parou em seu traseiro; ela apertou-o, fazendo com que ambos rissem. Ele desceu pelo corpo dela com os lábios de novo - fazendo-a gemer mais - e puxou sua calcinha devagar; ele a tirou, ajoelhando-se entre seus pés. Ela percebeu que a cueca dele parecia *muito apertada* para ele e soltou uma risada maliciosa.
- Hm-hm-hm!
Ele sorriu de orelha a orelha e foi subindo pelo corpo dela novamente; ela o puxou para perto e beijou-o vigorosamente mais uma vez; ela foi descendo com as mãos pelas costas dele e apertou seu traseiro novamente, por dentro de sua cueca; ela então começou a empurrá-la para baixo com as mãos e, em seguida, com os pés, fazendo-o gemer.
- Ohhh!
Ele olhou para ela como se perguntasse "você está pronta?"; ela sorriu docemente para ele, significando "sim". Ela era perfeita para ele e ele não podia deixar de ser romântico.
- Eu te amo.
Ela se derreteu quando ele disse essas palavras para ela. Demorou tanto tempo para ela ouvi-las que todas as vezes que ele as dizia tão docemente não pareciam suficientes. Ainda assim, ela sempre se sentia quente por dentro quando ela o ouvia dizer essas palavras. E ela realmente via esse amor e carinho em seus olhos.
- Eu também te amo, querido.
Ele sorriu e beijou-a suavemente, penetrando-a; ela gemeu.
- Aaah...
Ele continuou penetrando-a em um ritmo lento e constante, deixando-a louca; ela gemeu mais e arranhou as costas dele com mais força.
- Ohhhhh...
Ele gemeu também, a adrenalina subiu e ele pegou velocidade, fazendo-a gritar de prazer a cada penetração.
- Aaaaah!!! Anthony!!!!
Ela levantou as pernas, cruzou-as em suas costas e contraiu-se em torno dele. Ele foi à loucura, extasiado.
- Ohhhhhh, Jeannie!!!
Quando ela não aguentou mais, soltou um último grito orgástico. Ele também, caindo em cima dela, respirando pesadamente. Ela colocou os braços em torno dele.
- Ohhh, Amo...
Ele levantou a cabeça um pouco e olhou para ela. Ele não conseguia se imaginar estando com ninguém mais no mundo. E ele de fato nunca o fez, desde que a conheceu.
- Você é fantástica, querida.
- Você é maravilhoso também.
Ele beijou-a suavemente e saiu de cima dela, deitando-se ao lado dela. Ela deu uma olhada nele: a mão na testa, olhos fechados e apertados e boca semi-aberta... ela o achou irresistível (mais do que o normal) e chegou mais perto dele.
- Amo?...
Ela começou a beijar seu peito, esperando obter uma reação. Ele notou o que ela estava tentando fazer.
- Sim, querida? J-Jeannie! O que...
Ela deu uma risadinha. Ele era tão fofo, às vezes!
- Ahhh, um beijinho? Só mais um?
Ele estava aliviado. Ele a amava e adorava fazer amor com ela, mas... ele estava cansado!
- Oh... claro, querida. Quantos você quiser.
Ela tinha um olhar travesso nos olhos. Quantos ela quisesse? Humm! Ela ficou em cima dele e beijou-o intensamente. Várias vezes. Ele começou a ficar excitado novamente e colocou os braços em volta dela. Ele era um homem saudável, era inevitável. Mas ela parou de beijá-lo, de repente.
- Mmm... Boa noite, Amo.
E virou-se para o seu lado da cama. O quê?
- Mas...
Ele soltou-a, sentindo-se um pouco frustrado. Safada! Ele sorriu, no entanto, e beijou seu ombro, por trás.
- Boa noite, Jeannie.

FIM
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
 
Economia americana - final estendido
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Kathryn Joanna Kuhlman foi uma pregadora e evangelista norte-americana
» Massa de Pizza Americana
» Economia de Mussarela
» Um feliz final de semana a todos na Paz de Deus.
» Day after

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Romance - M-
Ir para: