Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 O banho

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: O banho   Sab Maio 31, 2014 11:36 am

Título: O banho
Autor: bajumoon
Gênero: romance
Censura/Classificação: M
Capítulos: 4
Advertências: Partes impróprias para menores.
Resumo ou uma promo: Tony vê Jeannie tomando banho e tenta controlar o desejo que ela lhe despertou.

I

“Como está quente hoje! Acho que vou tomar um banho!” Exclamou Jeannie em uma tarde quente de primavera.
A gênia foi até o quarto de seu amo, passando rapidamente e entrou no banheiro.
Pensava em tomar um rápido banho frio e depois correr para a cozinha, para preparar o jantar do Major Nelson.
Ela entrou no box e ligou o chuveiro. A água estava tão boa, que ela decidiu ficar um pouco mais ali. O seu amo só ia chegar ao fim da tarde mesmo!

***

Tony havia saído mais cedo do escritório aquele dia. Teria que passar uma boa parte da noite terminando alguns relatórios importantes.
Ele entrou em sua casa e olhou para a garrafa de Jeannie, mas ela não estava ali.
O Major Nelson já não deixava a garrafa arrolhada sempre, como nos primeiros dias. Mas não podia evitar certo receio, quando não encontrava a gênia nela. Nunca se podia prever o que ela ia aprontar.
“Jeannie?” Chamou ele, mas não obteve resposta.
De repente, ele se deu conta do barulho do chuveiro e foi até seu quarto.
Só podia ser Jeannie que estava no banho. Ele ia saindo do quarto, quando começou a ouvir Jeannie cantar. Ele sorriu e por reflexo voltou o seu rosto para o banheiro. Ele percebeu que a porta estava entreaberta.
Nesse instante a curiosidade começou a incomodá-lo e ele sentiu uma vontade incontrolável de dar uma espiada.
“Não! Não posso fazer isso!” Pensou ele. Tony virou-se para ir embora, mas não conseguiu se mover.
O barulho da água, a voz que cantava alegre, era tão atrativo, que ele não conseguia se afastar.
“Só uma rápida olhada, que mal há?” Tentava se convencer.
Por fim, ele voltou-se para a porta e lentamente a abriu, inclinando a cabeça pra dentro.
O box estava fechado, mas ele podia ver muito bem as curvas femininas, através do vidro fosco.
Ele entrou completamente no banheiro e a olhava hipnotizado, sem conseguir se mover.
Tony viu as mãos dela deslizando pela cabeça, descendo pelo corpo, pelos quadris e quando ela se inclinou para tocar as pernas, ele arfou.
O desejo o assaltou de forma tão ardente, que tudo o que ele queria era tirar suas roupas e entrar ali.
Seu corpo estava trêmulo de desejo, sua respiração acelerada e ele sentia muito calor.
Não! Ele tinha que sair dali! Com muito esforço, ele conseguiu sair, encostando cuidadosamente a porta. Puxou sua gravata e sentou-se na cama, pois suas pernas estavam bambas.
Depois de algum tempo, quando tinha conseguido se acalmar um pouco, a porta do banheiro se abre e Jeannie sai de lá, vestida apenas com uma toalha. Seu cabelo e corpo estavam molhados ainda.
Major Nelson arregalou os olhos e Jeannie se assustou.
“Oh, não!” Ela piscou rapidamente, aparecendo com suas roupas de harém habituais. Ela apressou-se em desculpar-se.
“Sinto muito amo! Eu sei que você não gosta de ver aqui. Desculpe-me! É que eu... Eu estava com muito calor e resolvi tomar um banho. Não imaginei que você fosse chegar mais cedo, me perdoe!”
“Está tudo bem, Jeannie. Se não se importa eu preciso usar o banheiro agora!” A gênia saiu da frente da porta e Tony apressadamente entrou ali.

***


Passaram-se alguns dias, desde o incidente do chuveiro. Porém, o Major Nelson não conseguia esquecer-se daquilo.
Não havia uma noite que ele não sonhasse com Jeannie e seus sonhos não eram nada inocentes.
Sempre que se aproximava da gênia, sentia-se como um adolescente e sua primeira paixão.
Ele procurou afastar-se, pra evitar vontades impróprias.
Mas mesmo que tentasse ficar longe dela, ignorá-la, algo mais forte o atraia, o impulsionava até a gênia.
Além disso, eles viviam na mesma casa, portanto era praticamente impossível não vê-la.
Jeannie começou a notar a mudança no comportamento de seu amo. Ele estava sempre sério e evitava olhá-la.
A gênia se deu conta que ele estava assim desde o dia que a encontrou no seu quarto.
Pela manhã, durante o café, sem poder mais controlar sua agonia, ela perguntou:
“Amo, você está bravo comigo?”
A pergunta surpreendeu Tony.
“Claro que não, Jeannie! Por que acha isso?”
“Você está sempre calado, sério, fechado.”
Ele desviou os olhos.
“Bobagem. É apenas impressão sua!”
“Não, não é! Você está assim desde aquela tarde, que me encontrou em seu quarto!” O Major Nelson ficou espantado e ela prosseguiu: “Por favor, me perdoe amo. Eu não vou mais entrar lá. Eu sei que você não gosta. Mas, por favor, não fique chateado comigo, por favor!”
Ela o olhava com os olhos tristes e Tony se sentiu mal. Ela não tinha culpa se ele estava enlouquecendo por ela. Mas como poderia explicar que tentava evitá-la, para resistir a tentação de se jogar nos braços dela?”
Respirando fundo, ele falou:
“Não é culpa sua Jeannie! Eu somente... eu estou com alguns problemas no escritório. Só estou um pouco preocupado, só isso!” Mentiu.
Ela levantou-se de sua cadeira e pôs os braços ao redor do pescoço dele.
“Oh amo! Por que não disse antes? Posso ajudá-lo no que precisar. Só me diga qual é exatamente o problema.” Jeannie inclinou o rosto e deu-lhe um beijo na bochecha.
O Major Nelson imediatamente sentiu seu corpo esquentar. Sua mente voltou a provocá-lo, com pensamentos libidinosos. Meio bruscamente ele tirou os braços dela do seu pescoço e levantou-se, afastando-se da gênia.
“Não! Não há nada que você possa fazer. Esqueça isso! Logo tudo vai se resolver!” Ele pegou sua pasta e se despediu: “Até logo, Jeannie. Vejo-te mais tarde!”
Tony já estava na porta, quando ela falou:
“Amo espere! Será que eu posso te dar um beijo de despedida?”
“Jeannie, já estou atrasado, tenho que ir!”
Ela se virou e chateada disse:
“Então você está mesmo bravo comigo!”
“Não estou!”
“Está sim!”
Ele se aproximou dela e suspirando concordou:
“Está bem, Jeannie!”
Ela virou-se rapidamente e o beijou com carinho. O Major Nelson sabia que era um erro ter essa proximidade dela.
Ele a abraçou e começou a beijá-la com fúria.

Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: O banho   Sab Maio 31, 2014 11:37 am

II


A gênia ficou ao mesmo tempo surpreendida e satisfeita, pela intensidade do beijo.
Ele nunca havia beijado-a dessa forma. Eles se afastaram para respirar e a gênia disse:
“Fico tão contente por você não estar irritado comigo! Esses dias você está tão distante, que eu tive medo de tê-lo desagradado.”
Ele balançou a cabeça e achou melhor dizer a verdade, mesmo que isso causasse problemas:
“Eu já disse que você não tem culpa! A verdade é que... naquele dia, que encontrei você no meu quarto, eu... eu vi você tomando banho. Eu sinto muito, mas não pude evitar! Perdoe-me.”
A confissão dele a surpreendeu. Ela sorriu e deu lhe um beijo:
“Tudo bem amo, eu não me importo que você tenha me visto!” Disse ela sinceramente.
Ele ficou embaraçado com a fraqueza dela.
“Jeannie...”
“Mas por que estava me evitando? Você... não gostou do que viu?” Ela perguntou, preocupada.
A pergunta da gênia o fez sorrir. Jeannie era mesmo surpreendente. Há um instante atrás ela se mostrava uma mulher experiente, segura e sedutora, dizendo não se importar em ser olhada por ele e agora ela fazia uma pergunta como essa!
“Lógico que gostei Jeannie! Será que você não percebe? Você é a mulher mais linda do mundo! Sempre que a vejo, não consigo me controlar, eu...”
Ele não resistiu e a beijou de novo. Jeannie, feliz, correspondia o afeto, com igual paixão.
Ela passou a dar-lhe beijos demorados no pescoço, fazendo ele se arrepiar.
O Major Nelson sabia que aquilo não podia continuar, caso contrário ele não resistiria e ira até o fim. Com dificuldade, ele disse:
“Jeannie, Jeannie pare!”
“Mas amo, você mesmo disse que...”
“Já chega!” Cortou-lhe ele. Ele a afastou de si e prosseguiu. “Esqueça tudo isso! Não podemos continuar, está errado!”
“Por que é errado? Nós dois queremos estar juntos!” Falou ela, confusa.
“Nós já conversamos sobre isso antes Jeannie. Não podemos ter mais do uma amizade, eu já expliquei para você! Eu te peço que se esqueça de tudo o que houve e vamos voltar a viver como antes!”
“Mas amo...”
“Por favor, Jeannie! Bom, agora tenho que ir trabalhar! Até mais!”
Ele saiu e Jeannie ficou pensativa.

***

Passaram-se alguns dias e eles não voltaram a falar sobre o assunto.
O Major Nelson acreditava que sua gênia havia se esquecido do que tinha acontecido e isso o deixava mais tranquilo. Porém, ele não parecia ter a mesma sorte.
Ainda que se distraísse durante o dia, sonhos ousados o perseguiam à noite, deixando-o atordoado.
No fim da tarde, Jeannie estava sentada na poltrona, pensando. Ela não mais comentava sobre aquele dia, para não aborrecer seu amo. Mas ela não conseguia deixar de pensar que ele a viu no chuveiro. Ela gostaria de saber naquela hora que ele estava lá.
Saber que ele a queria, a deixava muito satisfeita. Era uma pena que ele tivesse tantos princípios assim.
“Teria sido ótimo dividir o chuveiro com ele!” Pensou, maliciosamente.
“Jeannie, cheguei!” Disse o Major Nelson, entrando em casa e tirando Jeannie do seu devaneio.
Ela se levantou e foi rapidamente ao seu encontro.
“Boa noite, amo querido! Como foi o seu dia?” Disse ela, pegando o quepe e a pasta dele e colocando em cima de um móvel.
“Muito bom Jeannie, consegui finalmente terminar o projeto que estava desenvolvendo!” Disse satisfeito.
“Que bom amo! Fico contente! O jantar já está pronto! Vai comer agora?”
“Daqui a pouco Jeannie. Vou tomar um banho primeiro, estou exausto!”
Ele se dirigiu a seu quarto e entrou, fechando a porta.
A gênia ficou alguns instantes olhando para o quarto e sorriu, quando um pensamento passou por sua cabeça.
Ela foi até a porta da suíte e tentou abri-la. Estava fechada. Ela piscou, transformando-se em fumaça e passou por debaixo da porta.
Voltando a se materializar, ela ouviu o barulho do chuveiro ligado, pegou na maçaneta da porta do banheiro e percebeu que ela estava aberta.
Jeannie entrou ali, caminhando lentamente, enquanto tirava suas roupas.

Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: O banho   Sab Maio 31, 2014 11:38 am

III

O Major Nelson sentia a água quente cair nele, relaxando seus músculos.
Ele distraidamente passava o sabonete pelo seu corpo, enquanto pensava no projeto que tinha concluído.
Ele fechou os olhos e mergulhou o rosto embaixo do chuveiro, sem se dar conta que alguém havia aberto a porta do box e adentrado ali.
Tamanho foi o seu susto quando uma voz felina sussurrou:
“Pode deixar, eu passarei o sabonete em você, amo!”
O Major Nelson abriu os olhos e viu Jeannie, completamente nua, muito próxima dele.
“Jeannie! O que está fazendo aqui? Saia agora mesmo!” Falou ele, assustado e nervoso ao mesmo tempo.
“Ah, mas eu não quero sair. E você também não quer que saia!”
Ele ia puxá-la pra fora, mas a gênia foi mais rápida e o beijou. Jeannie uniu seu corpo nu e agora molhado ao do Major Nelson e ele instintivamente, largou o sabonete e pôs o braço direito ao redor da cintura dela.
O beijo profundo, o toque da pele dela na sua, o deixaram insano.
Ela parou de beijá-lo e se agachou para pegar o sabonete que ele tinha deixado cair.
Ele observava seus movimentos, completamente fraco pelo desejo e sem conseguir dizer uma só palavra.
Com um sorriso malicioso ela se levantou e começou a passar o sabonete no peito dele, enquanto lhe dava beijinhos.
“Jeannie...” Ele gemeu seu nome.
Ela se pôs atrás dele e começou a ensaboar suas costas, enquanto o arranhava-o levemente com suas unhas, causando arrepios nele.
O Major Nelson não conseguia mais pensar. Algo bem no fundo de sua mente o incomodava, pois ele sabia que não devia se deixar levar pelo desejo, mas como escapar das garras de sua gênia? Não era possível. Já era tarde demais!
Jeannie não resistiu e desceu, passando o sabonete nos glúteos dele.
Tony arfou e ficou de frente para ela, puxando-a para um beijo alucinado. Ele levou sua mão até a coxa dela, levantando um pouco perna da gênia para cima, enquanto deslizava a mão dele por aquela região.
Ele interrompeu o beijo e começou a mordiscar o pescoço dela. Ela gemeu de puro prazer.
As mãos dele, que estavam agora nas costas dela, desceram para a cintura, enquanto ele se inclinava para beijar-lhe os seios.
“Céus como ela é perfeita!” Pensava ele, totalmente encantado.
Ele já não conseguia mais se segurar, precisava sentir-se nela, precisava tê-la.
O Major Nelson desligou o chuveiro e a pegou no colo, levando-a até sua cama.
Eles estavam ensopados, mas ele não se importava.
Tony estava por cima dela, beijando-a, como um louco. A boca dele foi até sua orelha e deu uma leve mordida. Jeannie ofegava.
Ele não podia mais perder tempo, sem mais se conter a penetrou.
Seus movimentos eram rápidos e urgentes, levando Jeannie a um prazer arrebatador. Alguns minutos depois, ele também chegou ao êxtase e deitou ao lado da gênia, cansado e ofegante.
Jeannie se aproximou e aninhou-se nele. Ela lhe dava beijinhos no rosto.
“Ah, amo querido...” Ela sorria, mas logo percebeu que ele estava sério e com uma expressão preocupada. O sorriso da gênia desvaneceu.
“O que foi amo?” Ele não respondeu e ela hesitantemente perguntou: “Você... você não gostou?”
Ele a olhou com carinho, deu-lhe um beijo e disse:
“Claro que eu gostei. Você é maravilhosa, perfeita!”
“Então porque está tão sério?”
“Jeannie, nós não devíamos ter feito isso. Eu sinto muito, você... você entrou no chuveiro e eu... não pude me conter!”
“Está arrependido, amo?” Ela perguntou.
Ele a trouxe ainda mais próxima de seu corpo e deu-lhe um beijo na testa.
“Não querida, foi ótimo. Mas não posso deixar de me sentir culpado por isso!” Tony balançou a cabeça e sorrindo, prosseguiu. “Esqueça o que eu disse, Jeannie! Estou feliz por estar aqui com você, isso é o que importa!”
Ele a beijou ternamente e ela correspondeu. A gênia também estava feliz por estar com seu amo, mas sabia que no fundo a consciência dele o incomodava muito.
Seu amo tinha muitos princípios e ela sabia que isso acabaria se tornando um problema.
Ao vê-lo dormir com uma expressão angustiada, ela tomou uma decisão.

Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: O banho   Sab Maio 31, 2014 11:40 am

IV

O Major Nelson acordou lentamente. Sorrindo, ele esperava encontrar sua gênia ao seu lado, mas ela não estava lá. Ele estranhou.
Olhando para si, viu que estava usando seu pijama azul. Mas quando ele havia vestido? Não se lembrava.
De repente algo passou por sua cabeça: “Será que foi tudo um sonho? Não é possível!”
Tony passou a procurar algum vestígio no quarto que comprovasse o que houve na noite passada, mas nada encontrou.
“Talvez ela tenha arrumado tudo e colocado o pijama em mim!” Cogitava ele, sentindo-se confuso.
Ele vestiu seu roupão e decidiu que seria melhor falar com Jeannie, para ter certeza.
Jeannie estava arrumando a mesa para servir o café para Tony, quando ele apareceu.
“Ah, bom dia amo!”
“Bom dia, Jeannie!” Ele a olhava intrigado.
“Dormiu bem?” Perguntou ela.
“Sim, muito bem. E você?”
“Eu também! Mas fiquei preocupada com você!”
“Po-por quê?” Gaguejou ele.
“Por que você foi dormir sem jantar.” Disse ela calmamente.
“Dormi?”
“Sim, você disse que ia tomar um banho e não apareceu mais. Eu fui até seu quarto e o chamei, mas percebi que já estava dormindo, então eu o deixei descansar.” Disse ela.
“Então foi tudo um sonho mesmo?” Pensava o Major Nelson, sentindo-se muito frustrado.
“Amo? Algum problema?” Perguntou a gênia, vendo que ele estava muito distraído.
“Não Jeannie!” Falou ele depressa. “Você pode me servir meu café agora, por favor? Eu estou morrendo de fome!”
“Agora mesmo amo!”
Ela foi até a cozinha pegar o café, enquanto pensava sobre a noite passada.
“Foi melhor assim! Meu amo ainda não está pronto para me aceitar. Um dia ele irá me querer sem se sentir culpado, tenho esperança nisso! E eu poderei dividir o chuveiro com ele muito mais vezes.” Pensava ela maliciosamente.
“Por enquanto, tudo será apenas um sonho!”

Fim
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: O banho   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O banho
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Banho de brilho
» Máscara Anti-resíduos Banho de Gelo - Haskell
» Banho de Gelo Haskel ou Pré Shampoo esfoliante Èh
» Descoloração e banho de brilho
» Higiene Corporal Banho:alimentar e coletiva

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Romance - M-
Ir para: