Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Aquele tal je ne sais quoi

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Aquele tal je ne sais quoi    Sab Mar 01, 2014 12:26 am

Título: Aquele tal je ne sais quoi (Originalmente postada em 23/12/2012)
Autor: strawberriesapples
Shipper: Nenhum
Gênero: Humor/Geral
Advertências: Nenhuma
Censura/Classificação: PG
Capítulos: One-shot
Completa: Sim
Resumo ou uma promo: O que havia no Major Nelson que fez todas as mulheres na NASA terem uma certa reação a ele?


Era um dia comum e um dos melhores astronautas que a NASA já teve (segundo seus superiores) tinha acabado de chegar ao trabalho. O Major Nelson ia em direção à sua sala quando ele se deparou com Evelyn, uma das funcionárias civis da força aérea.
"Bom dia, Evelyn."
"Bom dia, Major Nelson." disse ela, com uma expressão triste no rosto.
"O que houve? Você parece triste."
"Ah, só tive um dia meio ruim ontem." Ela o encarou por alguns segundos. "Ao contrário do seu... deve ter sido muito bom!"
"Sim, mas como..."
Ela o interrompeu.
"Você está boni- hã... feliz!"
O Major Nelson achou melhor parar aquela conversa por ali mesmo. "Hã... tenha um bom dia, Evelyn."
Ela sorriu para ele. "Obrigada!..."
Ele entrou em seu escritório, preencheu alguns relatórios e estava estudando alguns projetos quando ouviu uma batida na porta.
"Entre!"
"Bom dia, Major Nelson."
"Oh, olá, Dr. Bellows."
"Vamos ter que adiantar o seu exame."
"Por que? Alguma coisa errada?"
"Não, nada. Mas Amanda vem aqui mais tarde em caráter urgente."
"Aconteceu alguma coisa, senhor?"
"Sim. Ela disse que precisamos de uma mesa nova. A que tínhamos se partiu ao meio."
"Nossa!"
"E eu tenho razões para acreditar que a mesa não se partiu ao meio. Alguém fez isso."
"Dr. Bellows... o senhor acha que foram ladrões?"
"Não, acho que foi Amanda. Podemos ir, Major Nelson?"
"Hã... sim, senhor."
Eles andaram até a sala do Dr. Bellows. À mesa do lado da porta da sala do médico estava sua secretária, Beverly.
"Bom dia, coronel."
"Bom dia, Srta. Gordon."
"Olá, Major Nelson..."
"Beverly."
Poucos minutos se passaram depois dos dois oficiais terem entrado. Eles ouviram alguém bater na porta.
"Entre."
"Com licença, Dr Bellows. Precisa de alguma coisa?"
"Não Srta. Gordon, obrigada."
"E você, Major Nelson? Precisa de ajuda?"
"Srta. Gordon, o Major Nelson é capaz de tirar a sua camisa sozinho!"
"Sim, hehe, claro!" disse ela, dando uma risada nervosa.
O Dr. Bellows estava pegando seu estetoscópio quando ele e o Major Nelson decidiram casualmente olhar para a porta. A Srta. Gordon estava lá, parada, com uma expressão sonhadora em seu rosto.
"Srta. Gordon, você deseja alguma coisa?"
"Sim..." disse ela sem tirar os olhos do paciente do Dr. Bellows.
"O que?!"
"Hã... não, doutor, me desculpe!" e bateu a porta.
"Sinto muito, Major Nelson."
"Sem problemas, doutor."
O Major Nelson saiu do consultório e voltou para a sua sala; pelo caminho, sorriu para uma meia dúzia de mulheres, as quais estavam sorrindo radiantes para ele. Ele achou aquilo muito estranho.
Ele terminou o seu serviço e foi para o refeitório, onde encontrou seu melhor amigo; conversaram bastante - o Major Healey como sempre, falava de sua última conquista amorosa: Martha era a mulher da vida dele, iam se casar e seriam muito felizes.
Depois de tentar convencer seu amigo de que ele estava sendo precipitado de novo e de dar risada da velha mania do Major Healey de não deixar de olhar para moças bonitas, ele voltou para seu escritório. Dolores, sua secretária (ele não sabia para que precisava de uma secretária; ele não tinha tanto serviço assim), tinha chegado há alguns minutos.
"Oi, Dolores."
"Olá, Major Nelson... como vai?"
"Estou bem, e você?"
"Estou ótima. Melhor agora..." disse ela, sorrindo um sorriso enorme para ele. Talvez Jeannie tivesse razão em ter ciúme dela...
"Que bom..."
"É sim, não é?
"Hã... eu tenho que testar o novo simulador hoje, você pode organizar meus últimos relatórios e levar para a sala do General Schaeffer?" ele olhou para a pasta que tinha nas mãos, se referindo ao conteúdo dela.
"Claro, Major Nelson..." ela falava com uma voz muito suave. "Posso te fazer uma pergunta?"
"Claro."
"O que exatamente você faz num simulador?"
"Uma das coisas é observar e estudar a mudança de massa após a propulsão."
"Propulsão?"
"Sim, é quando o foguete sobe, sabe?"
Ela soltou um gemido. Ele olhou para ela meio assustado.
"Dolores. Os relatórios."
"O que tem eles?"
"Você tem que levá-los para o General Schaeffer."
"Oh, sim! Claro!" Ela pegou a pasta das mãos do Major Nelson e saiu com pressa para a sala do general.
O Major Nelson se sentia meio perdido. Sua secretária tinha mesmo gemido ou ele estava ouvindo coisas? A do Dr. Bellows ficou mesmo olhando para ele ou ele estava *vendo* coisas?
As várias mulheres que ele viu hoje tinham mesmo sorrido demais para ele ou ele estava ficando maluco? Ah, como ele queria que Jeannie estivesse com ele...
Meia hora mais tarde, ele foi para o simulador. A nova cápsula estava funcionando muito bem. Ele, o Major Healey e o Dr. Bellows saíram dali conversando animadamente. Eles estavam satisfeitíssimos com o andamento do novo projeto. Do lado de fora da sala estava a Sra. Bellows, esperando por seu marido.
"Oh, boa tarde, querida", disse o Dr. Bellows, dando um beijo no rosto de sua esposa.
"Olá, Alfred."
"Olá, Sra. Bellows."
"Major Healey."
"Boa tarde, Sra. Bellows." O Major Nelson saiu de trás de seu amigo.
"Major Nelson!" Ela colocou seus braços em volta dele, dando-lhe um abraço apertado. "Estou tão feliz em vê-lo!" Ela largou dele e olhou-o de cima em baixo. "Você está tão bonito! A viagem fez muito bem a você..." ela tinha dito essas últimas palavras num tom sedutor, fazendo uma espécie de carinho em seu peito. Ele olhava para ela atônito, assim como seu amigo.
"Vamos, Amanda!" disse o Dr. Bellows, num tom meio zangado, pegando sua esposa pelo braço.
"Adeus, Major Nelson!" ela deu-lhe um beijinho rápido no rosto e acenou para o Major Healey sem dizer uma palavra, mas com um sorriso enorme no rosto, enquanto seu marido a arrastava pelos corredores da NASA.
Os dois amigos se encararam por alguns segundos e foram cada um para um lado.
O Major Nelson passou o resto do dia pensando no que poderia ter acontecido. Ele não era de se gabar, mas... ele não conseguia chegar a outra conclusão: ele estava irresistível. Era isso.
Seria mais um dos truques de Jeannie? Não, por que ela faria isso? Não fazia sentido nenhum.
A partir dali, ele não parou de pensar em sua esposa. Tão doce, carinhosa e amável. Tão linda. Tão sexy. Tão... flexível. Sim. Ele mal podia esperar para chegar em casa!
Duas horas mais tarde, ele finalmente chegou em casa.
"JEANNIE!!! JEANNIE!!!"
"AMO!" ela correu para abraçá-lo e ele retribuiu o abraço, apertadamente. Beijou-a intensamente e vigorosamente, sugando-lhe o lábio inferior. Quando ele interrompeu o beijo para poder respirar, ela gemeu (ah, música para seus ouvidos!) e olhou para ele, extasiada.
"Ah, que saudade de você, querida!" e abraçou-a apertado novamente.
"Amo... o... o que foi isso?"
"Eu estava doido pra te ver!"
"Eu também, mas..." ela deu uma risadinha. "Acabamos de voltar de lua de mel! Anthony..." ela baixou o tom de voz, e disse, com um tom maroto, "Nós mal saímos do quarto..."
Ele também deu um risinho, mas ficou meio sério de repente.
"Jeannie, eu tive um dia muito esquisito hoje." disse ele, caminhando até o sofá e sentando-se nele. Ela sentou ao lado dele.
"Esquisito? Como assim?"
Ele explicou o que tinha acontecido, como todas as mulheres da NASA estavam reagindo a ele, culminando na Sra. Bellows e sua demonstração de carinho... pública demais.
Jeannie ouviu com muita atenção ao que ele tinha a dizer, mas assim que ele terminou sua narração, ela soltou uma gargalhada.
"Ei! O que foi?"
"Oh, Amo!" exclamou, entre risadas.
"O que???"
"Eu sei exatamente o que aconteceu!"
"Sabe?! Então, por favor, me explique!!!"
Ela tentou parar de rir para explicar a seu marido o que havia acontecido.
"Nesses últimos dias ocorreu uma mudança significativa com você que te deixou mais charmoso, mais bonito, extremamente atraente e definitivamente mais delicioso..." ela disse isso com uma voz muito sensual. Ele estava certo de que eles fariam muito mais do que apenas dormir no quarto aquela noite...
"O que?" disse ele, tentando imitar o jeito que ela falou. Quando ela respondeu, mudou completamente o tom de voz, passando para um muito alegre.
"Você se casou."

FIM
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
 
Aquele tal je ne sais quoi
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» ***AQUELE ABRAÇO***
» Eu quero esse cabelo!
» Crono-óleos: cronograma com óleos
» Frases bíblicas inventadas ou verdadeiras veja o que é ,verdade ou mentira !!
» O EVANGELHO E O SERVO INÚTIL!...

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Humor-
Ir para: