Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Se fosse você

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Se fosse você   Dom Set 16, 2018 12:46 pm

Título: Se fosse você
Autor(a): Jussara/bajumoon
Shipper:  Egon/Dana/Peter
Gênero:  Romance/leve drama
Censura/Classificação:  M
Capítulos:  One-shot
Completa: Sim
Resumo ou uma promo: Dana está com Peter, mas só quer Egon

- Vamos ao meu restaurante preferido essa noite! - disse Peter para mim.
Eu apenas concordei com a cabeça, entediada.
Ah, se fosse você...
Eu observava Peter falar de coisas, "fúteis e inúteis", enquanto eu apenas concordava com a cabeça.
O que eu estava fazendo com ele mesmo? Por que tinha concordado em retomar um relacionamento, que nunca daria certo?
Eu sabia a resposta, apesar de não querer admitir.
Sabia que era a forma de ficar próxima de você novamente, nem que fosse dessa maneira.
Porém, eu percebi meu erro, assim que o reencontrei, depois de todo aquele tempo.
Você estava mais lindo, do que eu me lembrava!
Meu coração acelerou e senti-me quente, assim que olhei para você.
Você estava distraído analisando algum aparelho desconhecido e não notara minha presença.
Eu fiquei estática, as lembranças vinho como uma avalanche, deixando-me tonta.
- Dana, algo errado? - disse Peter, olhando fixamente para mim.
- Eu... Eu estou bem!
- Você está pálida! - ele me olhou com preocupação genuína e eu me senti mal.
- Só estou um pouco cansada dos ensaios! - Eu menti, sentindo-me ainda mais culpada.
O sentimento de culpa, à partir de então, iria me perseguir sempre, eu não poderia evitar.
Não poderia contar a verdade a Peter, muito menos deixar de me sentir atraída e saudosa de você.
Enquanto Peter me falava algo sobre eu não dever trabalhar tanto, você finalmente percebeu a minha presença e olhou para mim.
Por um instante, notei um brilho diferente, mas logo este se apagou e você me cumprimentou, quase apático, mas cortês:
- Como vai, Dana?
- B-bem! - respondi trêmula, depois de ouvir sua voz.
Essa sua voz que tantas vezes me excitou, quando falava enrouquecida que queria fazer amor comigo.
Depois que respondi seu cumprimento, você olhou profundamente em meus olhos, como se quisesse ler meus pensamentos e deu um meio sorriso, antes de voltar a me ignorar e concentrar-se na tarefa que fazia antes.
Eu tentei manter minha compostura, mas já estava abalada demais!
Pedi a Peter que me levasse para casa, mas como ele insistia para que eu ficasse, saí sozinha, sem me importar com o que ele iria pensar.
Eu precisava ficar sozinha, eu precisava ficar longe de você!
*
Os dias foram passando e minha angústia só aumentava.
Eu evitava ir a Firehouse, ou na loja de Ray, para evitar meu encontro com você.
No entanto, os encontros eram inevitáveis.
Peter parecia sempre dar um jeito, para que nos víssemos.
Eu até chegava a pensar (e temia), que ele desconfiava de algo e queria nos testar.
Nesses encontros, eu tinha que usar toda a minha força de vontade, para manter a calma, enquanto você, não parecia se importar.
Eu vivi nessa angústia por alguns meses, ate Peter casualmente me dizer:
- Parece que o Spengs, finalmente resolveu dar uma chance, para nossa secretária.
- Como?! - falei surpresa.
- Ele anda saindo com ela. - disse ele simplesmente, enquanto tomava um gole de sua cerveja.
Eu não sabia se isso era uma provocação de Peter, mas não me importei.
Inventei uma desculpa qualquer e saí do apartamento de Peter. Eu precisava ir à Firehouse. Precisava falar com você!
**
Eu estava um tanto transtornada, não conseguia me controlar!
Não sei explicar ao certo, se eu estava com ciúmes de você com Janine,  com inveja, ou qualquer coisa do gênero.
Era irracional, eu sabia. Eu já estava com Peter. Você tinha o direito de estar com quem quisesse.
Mas ao pensar que você estava tranquilo, enquanto eu não parava de pensar em você, de desejá-lo, fez-me perder toda a razão.
Já era um pouco tarde, mas consegui entrar na Firehouse, com uma chave que Peter me dera, há algumas semanas (talvez com a vã esperança que eu fizesse alguma visita para ele, quando você e Ray não estivessem.)
Entrei rapidamente passando pela recepção.
Agradeci por Janine não estar mais por ali. Eu não tinha realmente nada contra ela, mas preferia não vê-la no momento!
Subi as escadas rapidamente, imaginando onde você estaria.
Como eu imaginava, encontrei-o no laboratório, compenetrado nos seus experimentos.
Entrei sem cerimônia e fechei a porta.
- Boa noite, Egon!
Você se virou bruscamente, sem ter tempo para mascarar sua surpresa.
- Dana?!
- Egon, eu não posso mais aguentar! Eu preciso falar com você!
- Qual o assunto?
- Você sabe bem! Sobre nós! Eu... Eu não posso mais suportar essa situação!
- Eu realmente não entendo o que você está querendo dizer-me! Qual situação?
- Já chega, Egon! Não finja ser tolo! Você sabe a que me refiro! Depois de tudo o que houve entre nós... Depois de tudo o que sentimos... Você não pode simplesmente fingir que nada está errado.
- Tudo está, como tem que estar, Dana!
Eu me aproximei de você, para olhar fundo em seus olhos:
- Não, tudo está errado! Eu sinto falta de você, Egon!
- Dana, nós decidimos que seria melhor assim, acabarmos amigavelmente com nossos encontros.
- Eu sei, mas...
- Você mesma se afastou por uns tempos e eu respeitei a sua vontade.
- Sim, mas eu...
- Além disso, você decidiu retomar seu relacionamento com o Peter. Eu julguei que estivesse bem, com ele!
- Mas eu não estou! Achei que estaria, mas estava errada! Foi um erro voltar para o Peter. Se não deu certo antes, não daria agora.
- Eu sinto muito, Dana! Não posso fazer nada à respeito!
- Sim, você pode!
Eu agarrei você, dando-lhe um beijo desesperado.
Você ficou imóvel, deixando que eu o beijasse, por alguns momentos. Porém, quando tentei aprofundar o gesto, você colocou as suas mãos em meus ombros, afastando-me de você.
- O que pensa que está fazendo, Dana?
- Beijando você! - eu disse, desesperada, abraçando-o antes que você pudesse impedir.
- Você está com Peter!
- Eu sei! - eu o beijei novamente, sentindo sua receptividade aumentar.
Você interrompeu o beijo e disse:
- Peter é um cretino... - você fez uma pausa, arfando, enquanto eu beijava seu pescoço. - Mas ele ainda é meu amigo!
- Eu sei disso, mas... - minhas mãos começaram a abrir os botões de sua camisa. - Eu não posso mais aguentar...
- Isso não correto! - você insistiu. - Além disso, eu estou saindo com...
- Chega! Esqueça tudo isso! - eu passei a distribuir beijos por todo o seu peito e deslizar a língua por toda aquela região.
Eu ouvi satisfeita, você gemer.
- Dana...
- Por favor... - eu disse, enquanto eu baixava e abria suas calças. - Só por esse momento... - ajoelhei-me no chão, quando suas calças caíram e puxei sua cueca para baixo. - Esqueça Peter ou Janine! Esqueça tudo, além de nós! Por favor! - eu coloquei seu membro em minha boca, da maneira com a qual eu sabia, que você gostava.
**
- Ohh... - você gemeu alto e eu sorri, voltando a sugar meu membro.
Eu fiquei fazendo isso, até perceber você totalmente entregue ao prazer que eu lhe proporcionava.
Olhei para cima e o vi encarando-me, com os olhos escuros de desejo.
Você me levantou bruscamente e me beijou com selvageria.
Sua língua e a minha (assim como nossos corpos), esfregavam-se, de forma agressiva e ousada.
Seus lábios desceram para meu pescoço e o mordeu, fazendo-me gemer.
- Ah, Egon... - gemi, quando você arrancou minha blusa, puxou meu sutiã e abocanhou meus seios.
Você repentina e bruscamente, ergueu minha saia, rasgou minha roupa de baixo e colocou-me sentada sobre o balcão.
Você abriu minhas pernas e penetrou-me profundamente, em um único movimento.
Eu gritei alto e você colocou a mão em minha boca:
- Quieta! Para seu próprio bem!
Eu assenti e você tirou a mão de minha boca (colocando-a em minha cintura) e passou a se movimentar rapidamente.
Em meio ao louco prazer, que eu sentia, eu também olhava para você, completamente fascinada.
Sem dúvida, sempre fora algo incrível, ver a transformação do homem sério e frio, para o amante enérgico e compenetrado.
Você continuava se movimentando em um ritmo insano, deixando-me louca!
Eu queria que esse momento durasse para sempre, mas não podíamos resistir por muito tempo.
Logo eu alcancei meu clímax e você também, logo em seguida a mim, com um urro de prazer.
- Oh, Egon... - arfei, sem fôlego.
- Dana... - você se sentou por um momento, até normalizar sua respiração.
Eu fiquei ali, parada, sem nada dizer, até que o vi se erguendo e ajeitando suas roupas.
- Dana... É melhor que se vista! Alguém pode nos surpreender aqui.
Nesse momento, eu dei um pulo, do balcão em que estava sentada e o abracei.
- Egon! Eu não estou preparada, para deixar você novamente.
- Eu sinto muito, Dana, mas é o melhor para nós.
Eu sabia que você tinha razão, mas aquilo era muito difícil.
Eu sabia que nosso relacionamento não era algo de teor romântico.
Desde o começo, tinha sido apenas físico.
Eu sabia que você não me amava, embora gostasse de mim.
Eu também não nutria amor por você, embora tivesse desenvolvido um carinho imenso e uma necessidade constante de estar com você.
O desejo entre nós, já não era o bastante, para mantermos nosso caso.
Sim, você estava realmente certo! Eu tinha que me conformar e seguir com a minha vida!
*
- Você está certo... - disse finalmente, abraçada a você. - Ah, eu vou sentir sua falta! - eu o beijei e você correspondeu.
- Eu também sentirei, Dana! - você confessou, deixando-me surpresa.
- Tentarei evitar ver você! Adeus, Egon!
- Adeus, Dana!
Eu saí do laboratório rapidamente, com medo de fraquejar e implorar para que continuássemos juntos.
Decidida, voltei para o apartamento de Peter, disposta a falar com ele.
Eu sabia que o meu relacionamento com ele, também precisavam de um ponto final. E eu o dei.
Peter não reagiu bem ao término, mas eu não me importei.
Eu finalmente me senti livre e pronta para começar uma nova vida.
Eu sei que não vou me esquecer do que os Caça-fantasmas representaram na minha vida.
Vocês salvaram minha vida e toda a cidade, por mais de uma vez.
Não deixarei de recordar da gentileza de Winston, a doçura de Ray, que foram muito especiais.
Peter, apesar dos erros, também foi uma parte importante da minha vida e eu não irei me esquecer.
Mas acima de todos eles, está você! Você que foi o homem mais inteligente, o cavalheiro educado e amante mais fantástico que eu já tive.
Sem dúvida, eu sentirei muitas saudades dos nossos momentos juntos!

Fim
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Se fosse você
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Mitologia Grega- Qual Deusa você é? Descubra!
» ONDE VOCÊ PASSARÁ A ETERNIDADE
» Quem é Deus pra você?
» Qual anime/manga você prefere?
» Suane - Antes, durante e depois (coming soon)

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Os Caça-fantasmas :: Ghostbusters / Ghostbusters 2-
Ir para: