Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 É para isso que servem os amigos... - parte 1

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: É para isso que servem os amigos... - parte 1   Sex Ago 24, 2018 7:56 pm

Título: É para isso que servem os amigos...
Autor: strawberriesapples
Shipper: Peter/Janine
Gênero: Humor/Romance
Censura/Classificação: PG
Resumo ou uma promo: Peter estava para baixo. Ele só precisava de uma pequena ajuda de uma certa amiga...





- Winston!
- Fala, Janine!
- O que há de errado com o Peter?
- Com o Peter?
- Sim, ele tem estado... estranho ultimamente. Ele tá quieto e ele não está o habitual convencido. Caramba, ele nem tem implicado comigo ultimamente!
- Ahh, eu acho que sei o que aconteceu.
- Então me diga!
- Sim, acho que ele levou um fora.
- O que?!
Janine não podia acreditar. Não o fato de Peter ter levado um fora, mas o fato de que ele estava tão melancólico sobre isso. Normalmente, ele ficava insuportável no dia seguinte por algumas horas, mas o trabalho o distraía. Geralmente funcionava.
Mas nesses últimos dias, ele estava meio afastado, parecendo triste e vendo a caça aos fantasmas como o pior trabalho do mundo. Foi-se o entusiasmo que ele tinha por isso.
- Sim, lembra da policial de algumas semanas atrás?
- Qual policial?
- A do caso no esgoto...
- Não tou te seguindo, Winston...
Winston revirou os olhos. Janine estava fazendo papel de boba ou ela realmente não se lembrava?
- A loira gostosa que você achou que estava de olho no Egon!
- Aquela puta vagabunda? - ela disse indignada.
- Janine...
- Tá! O que tem ela?
- Ela e Pete tiveram alguns encontros... mas... ela terminou com ele porque na verdade, ela gostava do Ray!
- Meu Deus!
- Sim…
- Vocês falaram com ele?
- Nós tentamos... ele não ouvia. Apenas murmurava algo como “foda-se” e virava para o outro lado na cama dele.
- Aww… Será que eu devo falar com ele?
- Sim, acho que ele vai realmente te ouvir!
- Por quê?
- Você tem peitos...
- WINSTON!
- Haha... tou brincando! Mas sim, ele pode realmente ouvir você... porque você é doce e amiga.
- Awww, obrigada…
Janine deu um tapa na cabeça de Winston. Ele merecia isso pela observação dos “peitos”.
- Aaai! Tudo bem! Eu mereci!
Ela deu a ele um olhar condescendente e subiu as escadas, diretamente em direção ao quarto dos rapazes.
- Janine? - ela ouviu.
- Oh, olá, Egon! - ela deu-lhe um grande sorriso.
- Por que você está indo em direção ao nosso quarto?
- Bem, o Winston me contou sobre o Peter, eu pensei que poderia... ter uma palavrinha com ele...
- Oh! Bem, boa sorte!
- Obrigada.
- Acho que você pode realmente conseguir falar com ele porque você tem...
Janine olhou para Egon. "Não ouse dizer qualquer palavra sobre minha anatomia, Dr. Spengler! Mesmo você!", Pensou ela.
- Eu tenho…? - seu tom era quase ameaçador.
- …um bom jeito com palavras!
- Humm. - boa saída, Dr. Spengler! - Obrigada.
Eles ouviram o telefone tocando no laboratório. Egon atendeu.
- Caça-fantasmas. Sim. Sim. Certo. Sim, não vamos demorar muito, obrigado.
- Problemão?
- Pelo contrário. Um fantasma em um hotel. No Queens! Pela descrição deles, parece ser um poltergeist classe 2.
- Oh! Vocês vão conseguir dar conta?
- Vamos sim. WINSTONN!
Egon desceu as escadas, contou a seu amigo sobre a caçada e eles saíram, a sirene do Ecto 1 à toda.
Janine bateu na porta do quarto dos rapazes.
- Peter? - ela chamou.
Ele estava deitado de bruços, vestindo uma regata apertada e um par de boxers. Janine inclinou a cabeça e mordeu ligeiramente o lábio inferior. Ele estava tão gostoso!
"Oh, Deus, eu não posso resistir..."
PAFT!
- AAAAAAAAHHH!!
Peter rapidamente se virou, esfregando suas nádegas.
- Janine! Por que raios você fez isso?
- Você sabe que eu não consigo resistir... - ela disse, rindo.
- O que você quer? - ele perguntou a ela, um tom triste em sua voz.
- Winston me contou...
Peter revirou os olhos. Mais cedo ou mais tarde, ela saberia do que tinha acontecido.
- Anime-se, Peter. Não é como se ela fosse o amor da sua vida.
- Ela poderia ser...
- HA! Mentira!!
Ele riu. Não, ela não era o amor da vida dele. Mas ele estava começando a gostar dela, de se interessar pelo que ela fazia, em vez de apenas estar interessado em seus longos cabelos loiros, seus olhos azuis, seu sutiã número 44 e seu traseiro tonificado...
- Ok, tá, ela não era... mas nós estávamos começando a ter um negocinho legal...
- Peter... você está chateado porque ela terminou com você ou porque ela estava interessada no... Ray?
- Por causa do término... o Ray é um ótimo cara...
- Awww, não fique chateado... - ela disse com um sorriso, acariciando sua bochecha. Peter deu a ela um olhar suspeito.
- Janine, você tá rindo da minha cara? Porque se você tá, pode ir embora!
- Rindo?! Mas eu…
- Não pensa que eu não eu sei que você está rindo por dentro, pensando: "Ha! Bem feito!"!
- Quer saber, Peter? Eu vou embora mesmo! Pode ficar aí sozinho na firehouse! - ela colocou ênfase na palavra "sozinho".
- Sozinho?
- Sim, Egon e Winston estão em uma caçada e Ray está em seu encontro - ela voltou a colocar ênfase em “em seu encontro”. Peter estava sendo irracional!
Ela estava se preparando para sair quando ele a chamou.
- Janine!
- O que?!
- Eu sinto muito. - ele disse, fazendo beicinho - Foi idiota da minha parte.
Janine suspirou. Se ele fosse só o Caça-fantasmas metido e arrogante... mas nãoooo, ele tinha que ser charmoso também! Droga!
- Peter… Você… precisa descer do palco de vez em quando… Você não pode ganhar todas! - ela sentou ao lado dele na cama.
Ele apenas olhou para ela com um olhar triste no rosto.
- Você consegue ser bem doce e fofo quando quer... Você só... precisa ser... assim! Não como se o mundo girasse em torno de você!
Ele sorriu.
- Você merece um prêmio por tirar uma folga do seu tempo extra para vir até aqui e conversar comigo, Janine... Você é sempre fofa e doce... Eu é que não te aprecio o suficiente. - ele sorriu mais.
- Ah, viu?! E obrigada! - ela sorriu um sorriso sincero.
- Não, obrigado você, Janine.
Peter segurou o rosto dela e deu-lhe um beijo suave. Era algo que ele queria fazer por um tempo, mas ele não conseguia. Foi honesto, significativo e espontâneo. Todos os seus sentimentos por ela, desde que ele a contratou, estavam naquele beijo.
Mas ele não estava preparado para admitir isso para si mesmo, para ela ou para qualquer outra pessoa. Especialmente porque o coração dela batia por outro alguém. E esse outro alguém era seu melhor amigo.
- Oh!... - Janine suspirou, um pouco assustada. Mas ela logo sorriu, vendo um no rosto dele - É para isso que servem os amigos!
- E tem mais uma razão pela qual eu sou grato por você ter vindo aqui... - a voz dele tinha seus habituais tons sarcásticos novamente. Janine estava começando a se sentir desconfiada...
- Qual?
- Você tem lindos peitos. - Ele saiu correndo.
- PETER VENKMANNN!! - Ela correu atrás dele.
Sim, Peter Venkman estava de volta.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
 
É para isso que servem os amigos... - parte 1
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» LORNE PARA OS AMIGOS (PARTE 2)
» A consagração dos sacerdotes
» CCB - RECADO PARA A TURMA DA CARA ESCONDIDA PARTE 2
» Panelas, qual usá-las e para que elas servem de forma adequada!
» Amigos evangélicos e irmãos da CCB , como faço para Deus me curar ?

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Os Caça-fantasmas :: The real Ghostbusters-
Ir para: