Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 CMYK!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: CMYK!   Sab Dez 23, 2017 10:17 pm

Título: CMYK
Shipper: Egon/Janine
Gênero: Humor/Romance/CRACK =P
Censura/Classificação: R
Capítulos:
Resumo ou uma promo: O lodo do humor tinha adquirido um tom dourado e teve um efeito sobre Egon Spengler que ele nunca esperaria...




Peter Venkman acordou de madrugada pingando suor. O sonho tinha sido vívido demais. Primeiro uma loira, depois uma morena, depois uma ruiva (que era bem familiar para ele), e depois as três juntas, e... caramba. Ele olhou casualmente para seu calção. Encharcado. E, no entanto, ele ainda sentia uma certa... necessidade. 
Peter levantou-se, abriu sua gaveta de cuecas, tirou de lá do fundo uma revista e saiu do quarto de fininho.
“Porra, no banheiro não dá... eles podem levantar e querer ir.” Peter olhou para certas portas ali perto. “Humm...” pensou ele.
Ele entrou, sentou-se numa cadeira bem confortável e tirou a camisa. Abriu a revista e começou a folhear. Ele abriu uma página onde havia uma loira voluptuosa com lábios carnudos, seios grandes e a mão esquerda acariciando suas partes mais “ao sul”, o dedo indicador da direita na boca.
- Ohhh, uau... – Peter imaginou os lábios carnudos nos dele, enquanto sentia as delicadas mãos da moça por todo o seu corpo: tórax, abdome, seu ereto membro...
- Ahhh... oh... – as mãos da moça deviam ser bem mais suaves que as calejadas mãos dele...
Logo ela desceria com os lábios também, passando a língua pelo intumescido membro, começando a sugar com afinco...
- Ahhhh!
Ela colocaria mais energia em seu ato, sua respiração pesada, até não aguentar mais e...
- Ohhh! Porra! Ah!
Ele havia encharcado aquela área. Precisaria limpar, e muito bem limpado. Egon mantinha aquele lugar impecável. Era seu local de trabalho (e o lugar preferido dele na casa, Peter pensou). Ele tinha que deixar como encontrou. Sem nenhum rastro de... ahem! Nenhuma atividade.
Mal sabia ele que o jarro com uma certa gosma amarela estava ali perto, e borbulhava furiosamente enquanto Peter se divertia...
*****
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: CMYK!   Sab Dez 23, 2017 10:18 pm

2



- Peter!!! – Egon chamou no dia seguinte, e não parecia ser um chamado normal. Ops...
- Você chamou, amigão? – Peter respondeu, tentativamente.
- Sim. Você por acaso viu o protótipo do novo medidor? Eu deixei aqui nessa prateleira atrás da mesa e não está aí...
Medidor? Medidor? Ah! Seria o objeto que foi parar debaixo de algum lugar ontem? Na empolgação, ele empurrou-se para trás com a cadeira, derrubou alguma coisa que estava na prateleira e chutou-a para longe...
Peter foi até o outro lado do laboratório e viu o medidor debaixo de uma estante.
- Esse? – perguntou ele.
- Ah! Isso! Obrigado.
- Mais alguma coisa, senhor? – Peter perguntou, em um tom jocoso.
- Não, obrigado, Pete. – disse Egon, observando o jarro com a gosma amarela. Parecia estranha...
*****
Egon terminou de mexer no medidor e foi observar novamente a gosma amarela. Estava mais para dourada, e mais viscosa. Ele deu batidinhas no jarro e a substância borbulhou.
- Hum. Interessante. Ela não fazia isso quando eu chegava perto.
Ele deu mais duas batidinhas. Mais bolhas.
- Fascinante mesmo. Eu não tenho tido tempo de mexer com você. – disse ele à gosma – Chateou-se comigo? – mais bolhas ainda.
- Hum, parece reagir mais às minhas palavras! Não fique chateada – ele dirigiu-se à gosma dourada novamente – prometo prestar mais atenção a você!
A gosma borbulhou ainda mais e espirrou-se no sisudo cientista.
- Argh! Não era para...
Egon começou a respirar com dificuldade, uma energia estranha passando por ele. Seu coração acelerou, ele suava muito, sua respiração estava ofegante e ele sentiu um certo incômodo abaixo de seu abdômen. Aliás, um incômodo enorme. Um incômodo... longo, mas não muito espesso.
Ele procurou acalmar-se, respirar fundo, mas não conseguiu. A sensação era esmagadora.
Não era de seu feitio, ele raramente fazia isso. Ele não era propenso a ações tão mundanas. Mas só havia um jeito de fazer essa sensação ir embora. Bom, havia dois jeitos, mas por ora, um era mais prático do que o outro.
Ele correu para o banheiro e trancou a porta. “Egon, você está bem?” ouviu Ray perguntar. “SIM!!!”, respondeu, ofegante.
Ele rapidamente livrou-se de seu macacão azul, ficando apenas de camiseta branca e uma cueca também azul, que estava absurdamente apertada. “Isso não acontecia comigo desde a adolescência”, pensou ele. Ele livrou-se de sua cueca e sentou-se na tampa do vaso sanitário, encostando a cabeça na parede. Tocou-se e sentiu um arrepio pelo corpo todo, inalando pelos dentes. Ele agarrou seu membro com as duas mãos, sentindo o arrepio novamente.
Movendo as mãos para baixo e para cima, ele deu um leve gemido. Logo, a imagem de uma curvilínea ruiva de olhos azuis e óculos redondos veio à sua mente...
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: CMYK!   Sab Dez 23, 2017 10:21 pm

3



As mãos dela eram quentes e macias e ela consolava-o com palavras tranquilizantes: “Não se preocupe, Egon, acontece com todo homem.” Ou “Claro, eu posso te ajudar.” Ou então “Vamos, Egon, acabe logo com isso!”, mas essa voz não era a dela. Era a dele, num misto de ansiedade e embaraço.
Mas a voz dele logo foi substituída pela dela de novo. “Oh, Egon!” exclamava ela enquanto beijava logo abaixo de sua orelha, a respiração quente dela em seu ouvido, a língua dela em seu pescoço.
- Aagh! – grunhiu ele, finalmente tendo seu alívio. O banheiro precisava de uma limpeza profunda.
O que raios aconteceu? Por que ele ficou tão excitado de repente? Ele não tinha feito nada para... Oh. A substância. A gosma amarela. Foi só ela entrar em contato com ele que...
Mas não fazia sentido. Aquela gosma não tinha esse poder. Ela deixava as pessoas com raiva. Não com essa sensação priapesca. Ele iria precisar averiguar.
Após limpar cuidadosamente o banheiro (sob os olhares inquisidores de seus amigos) e tomar um bom banho, Egon voltou para o laboratório. Resolveu deixar a gosma dourada onde estava e voltar para seu medidor. Mas não conseguia tirar os olhos do jarro.
*****
No dia seguinte, as coisas aconteceram como de normal. Graças aos céus pelas segundas feiras! Mas por alguma razão, Egon esqueceu-se de um pequeno detalhe:
- Bom dia, Egon! Linda manhã, não?
A camiseta vermelha e justa, em contraste com sua pele muito alva e os cabelos cor de cobre e a minissaia preta riam da cara dele.
A cena no banheiro veio à mente dele como um flash, com todos os detalhes.
Tentando manter a compostura, ele respondeu, sua voz uma oitava mais grossa que o normal:
- Bom dia, Janine.
- Egon? Algum problema? Você está vermelho!
- Hã... Não, não... deve ser do calor. Com licença.
“Calor?” pensou ela “Mas nem está tão quente assim!”
Ele subiu as escadas correndo, enquanto Janine o observava, estranhando ainda mais a atitude de seu chefe.
Egon trancou-se no laboratório e respirou fundo. Trabalhar o faria esquecer-se daquele episódio e da secretária lá embaixo. Ele casualmente olhou para uma prateleira. Lá estava o jarro com a substância dourada. Parecia fazer questão de lembrá-lo do que tinha acontecido.
Tentando esquecer também do jarro, ele começou a trabalhar em seu medidor novo. Mas ele sempre se pegava olhando distraidamente para o tal jarro. Decidido a isolá-lo, ele se aproximou da prateleira, a cor dourada cada vez mais instigante... ele pegou o jarro na mão e começou, com um tom de voz doce:
- Olá... – a substância borbulhou e ele abriu um sorriso.
De repente, ele ouviu um barulho. AH! Salvo pelo gongo! Ou melhor, pelo alarme!
Ele rapidamente colocou o jarro de volta na prateleira e desceu as escadas. Seus amigos já estavam lá.
- O piquenique das bandeirantes está sendo perturbado por fantasmas implicantes – começou Janine.
- Poltergeists! – disseram os Caça-fantasmas em uníssono.
- Sim! Central Park West!
Eles entraram depressa no Ecto 1 e foram para o parque. Ah, trabalho. Um salva-vidas. 
Os Caça-fantasmas logo encontraram os espectros e, com muito custo, os prenderam.
- Nossa, vocês foram tão corajosos! O que eu posso fazer para agradecer?... – a guia das meninas jogava seu charme para Peter.
- A gente pode conversar sobre isso durante um jantar. O que você acha?  - respondeu ele, igualmente charmoso.
Ela fez que sim com a cabeça e sorriu para ele. Enquanto isso, Ray e Winston davam risada de Egon, que estava alheio aos olhares apaixonados das meninas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: CMYK!   Sab Dez 23, 2017 10:22 pm

4



Minutos mais tarde, eles chegaram de volta à firehouse e Egon logo alertou-se:
- Como foi a caçada, rapazes? – era a voz de Janine.
- Bem interessante... – Peter respondeu.
- Hilária!! – Ray e Winston ainda riam de seu amigo.
- N-Normal...
Janine sorriu. Alguma coisa tinha acontecido com Egon. Ele estava completamente envergonhado!
- Egon tem um fã-clube, Janine...
- Oh, verdade?
Winston e Ray davam gargalhadas.
- Verdade! Abre o porta-malas e olha o que ele ganhou de presente...
Janine abriu o porta-malas. Estava cheio de caixas de biscoitos das bandeirantes! Ela deu uma risadinha e pediu a ele uma caixa dos de menta com chocolate, seus preferidos!
*****
Recuperado do incidente absurdo de mais cedo, Egon deixou de lado o medidor e voltou sua atenção para o jarro com a substância dourada. Era muito intrigante; aquele tom de dourado parecia chamá-lo a ficar perto, observando.
- O que aconteceu com você? – começou ele; logo ouviu a substância borbulhar – Por que você ficou assim? – ele conversava com a substância enquanto preparava uma espécie de lâmina para seu ectoplascópio.
Quando ele pôs as mãos no jarro, a substância espirrou-se nele novamente.
- Ah, não...
Egon correu para pegar alguma toalha para limpar-se, mas era tarde demais...
Ele começou a se sentir quente, o suor escorrendo pelo rosto, o coração acelerado e... aquele incômodo entre suas pernas. Aquele incômodo que tinha criado uma protuberância desproporcional na frente de seu uniforme.
O calor estava insuportável. Ele precisava tirar aquele uniforme, e rápido.
Puxando o zíper para baixo, ele tirou os braços das mangas e empurrou o macacão para baixo. Ele não ouviu batidas na porta e nem viu quem entrou; sua cabeça estava para trás e ele soltava um leve gemido de alívio.
- Ahh! Oh, meu Deus...
Janine estava estupefata. Egon estava encostado numa mesa, seu macacão arriado; aquele lindo rosto nórdico numa expressão de extrema satisfação e... a cueca azul acinzentada com uma enorme protuberância na frente.
Era uma cena, no mínimo, estranha... se ela não tivesse ficado tão excitada.
- Eg-Egon, você...
Ele a puxou pelo braço e bateu a porta.
- Janine... – ele tinha um olhar diferente. Parecia ainda mais intenso do que o olhar dele para seus projetos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: CMYK!   Sab Dez 23, 2017 10:23 pm

5



- Tem um homem da prefeitura lá embaixo querendo falar com você! – Janine disse, rápido.
- Abra a porta. – disse ele.
Ela abriu e ele gritou:
- PETER!!!
Dirigindo-se a Janine, ele disse:
- Peça a ele que atenda o homem, por favor.
- Sim...
Janine observou Egon mais uma vez. Ele tirava de vez o uniforme. Céus! O que tinha acontecido a esse homem?!
- Janine? Dá licença, ouvi o Egon me chamar e...
- Tem um homem lá embaixo querendo falar com vocês. Ele pediu que você o atendesse.  – disse ela do lado de fora, segurando a porta.
- Ok...

Peter desceu as escadas e Janine sentiu-se sendo puxada para dentro do laboratório.

Egon segurou-a pelos braços, olhando profundamente em seus olhos.
- Janine, eu...
Ele não conseguiu terminar de falar. Beijou-a profundamente. Ela devolveu o beijo.
O homem a beijava de maneira exigente, severamente, enquanto tentava tirar dela a camiseta. Ela tirou-a por ele. Beijando-a mais uma vez, ele tirou seu sutiã. Olhando para ela famintamente, ele logo levou a boca aos seios dela, beijando, sugando.
- Ahh! – gemeu Janine, exultante.
Enquanto isso, ele levantava a saia dela e notava com os dedos que ela estava excitada. Isto o excitou ainda mais.
- Oh! – soltou ela.
Ela ouviu uma risada rouca e baixa, vinda dele, os olhos vidrados de desejo, enquanto ele puxava sua calcinha para baixo. Quem era esse homem e o que ele tinha feito a Egon Spengler?!
Ele pegou-a no colo, colocou-a em cima da mesa e abaixou sua própria roupa de baixo.
Janine instintivamente olhou para baixo e ergueu a sobrancelha esquerda. Ele parecia ainda mais dotado do que em seus loucos devaneios...
Ele a penetrou, com força, soltando um grunhido de alívio. Ela gemeu junto com ele. O homem era realmente enorme e ela ficava cada vez mais inflamada.
Egon possuía uma energia animalesca, primal. Muito diferente do reservado e controlado cientista para o qual ela trabalhava.
Ele penetrava-a quase brutalmente, olhando profundamente nos olhos azul piscina dela, a respiração ofegante e quente, a pele alva...
Ela parecia desafiá-lo a ter o seu alívio.
Sem aguentar-se mais, ele finalmente o teve, dentro dela, gemendo alto:
- Ahhh!
- Egon!
Ele largou-a e encostou-se à mesa, sua respiração voltando ao normal.
E enquanto sua respiração voltava ao normal e ele se vestia, ele ia se dando conta do que tinha feito, o arrependimento caindo sobre ele como uma tonelada.
- Ohh, céus, Egon... – Janine comentou. Ele se sentiu ainda pior.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: CMYK!   Sab Dez 23, 2017 10:25 pm

6

- Janine, hã... pre-precisamos conversar.
- Sim... – ela assentiu, vestindo suas roupas.
- Mas não agora.
- Hã?
- Por favor.
- O que?
- Eu... preciso ficar sozinho.
- Sozinho?!
- Sim... eu não posso me arriscar de novo. É perigoso você ficar aqui, Janine.
- Mas...
- Por favor.
Ele foi andando com ela em direção à porta. Sentia-se um canalha, mas era preciso.
Ele fechou a porta e ouviu-a do lado de fora:
- Você é um estúpido, imprestável e insensível, Egon Spengler!!!
Janine desceu as escadas da firehouse com lágrimas amargas escorrendo pelos olhos. Pegou sua bolsa no cabide e foi embora, batendo uma das portas da frente.
Peter, Ray e Winston só a observaram, aturdidos.
- Ok, o que o cabeça de pudim do Egon fez dessa vez, hein? – Ray perguntou.
- Vou lá verificar.
Peter subiu e bateu na porta do laboratório.
- Egon!
- Peter, se você tem amor à sua vida, suma! – Egon respondeu.
Peter arregalou os olhos e desceu novamente.
- Ele não tá muito bem, pessoal...
- O que houve, afinal?!
- Ele me mandou sumir, se eu tenho amor à minha vida...
- Ihhh!...
- Tá em crise mesmo!
Egon sentava-se a uma de suas mesas no laboratório, pensando no que tinha feito. Ele não poderia ter feito aquilo com Janine. E ele a tinha decepcionado profundamente. Ele não tinha certeza se ela o perdoaria um dia. Mas ela tinha que perdoar! A culpa não foi totalmente dele!
Ele olhou para o jarro. A gosma dourada parecia ainda mais magnífica. Ele tinha vontade de tacá-la na parede.
*****
No dia seguinte, Egon foi cautelosamente conversar com Janine. Ele precisava esclarecer as coisas. A culpa não tinha sido totalmente dele. Ele estava em uma espécie de possessão. Ele não fez o que fez porque quis.
Bom, ele não podia negar que sempre teve vontade de fazer aquilo com ela. Não daquela maneira, foi bruta demais. Mas ele sempre foi atraído por ela. E admitir isso para si mesmo o fez ficar acordado a noite toda.
- Janine? – começou ele, chegando perto da mesa da secretária.
Ela fingiu que não ouviu.
- Janine?
Ela virou-se de costas para ele.
- Janine, por favor, vamos conversar.
- Para você me desprezar como um pano velho de novo? Não, obrigada.
- Eu não te desp-
- Egon. Você foi um crápula comigo. Achei que você tinha um pouco de decência, mas não. Você é como todos os outros.
Ele sabia que ela estava falando de sexo e do masculino. E do sexo masculino. Mas assim mesmo, ele se sentiu um pouco ofendido. Ele precisava provar para ela que ele não era como os outros. Não mesmo.
- Janine, por favor. Eu preciso que você me ouça.
- Fale. Posso até ouvir. Mas não garanto que vou me importar.
- Vem – disse ele, puxando-a pela mão.
- Me larga!
Ela estava mesmo muito magoada. Em outros tempos, ela adoraria que ele a puxasse pela mão.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: CMYK!   Sab Dez 23, 2017 10:27 pm

7



Eles foram até o laboratório e Egon pegou o jarro com a substância dourada. Colocando-o em cima de uma mesa, ele olhou para ela. Ela deu-lhe um olhar de desprezo.
- Foi isso.
- Isso o que?
- Que me fez... Hã... atacar você.
- Ha... Um vidro com um monte de cola colorida?
- Janine! Isto é uma substância psicomagnetérica perigosa!
Assim que Egon disse isso, a gosma dourada borbulhou. Janine deu um sobressalto.
- Ela reage às emoções humanas.
- Ah, é? Não diga!
- Janine, eu falo sério. O Ray, o Winston e eu quase nos matamos quando entramos em contato com ela!
- Espera aí... é aquela substância que vocês encontraram há algumas semanas?
- Sim! Essa mesma!
- Mas... ela não era amarelo claro?
- Sim... Não sei como ela ficou dourada. E... muito menos o porquê dela ter me deixado... daquele jeito.
- Ah, Egon, pare com isso.
- Parar...?
- Você queria uma transa, pegou a primeira que viu e arrumou essa desculpa da gosma com glitter!
Ela estava quase acreditando nele. Até porque era o Egon, não o Peter. Peter arrumaria uma desculpa esfarrapada como essa, não ele. Mas ela ainda estava muito magoada.
- Janine!!!
- Egon, trabalho. Mansão assombrada em Long Island, pra variar. Janine? O que você tá fazendo aqui? Não era pra você estar lá embaixo? – Era Peter. Eles mal tinham ouvido o telefone.
- O Egon me chamou pra ver a cola com glitter que ele arrumou. Mas já tou descendo, Peter. – disse Janine, olhando para Egon com um olhar de menosprezo. Ele devolveu um olhar irritado.
- Cola com glitter? Que porr- er... o que é isso, Egon?
- A Janine não entende, Peter. Ela não entende de nada. – ele disse, alto o suficiente para que ela ouvisse, descendo as escadas com Peter.
Eles saíram, deixando Janine no andar de cima. Ela entrou no laboratório de volta, determinada a quebrar alguma coisa lá dentro, como vingança. Mas ela olhou para o jarro de vidro em cima da mesa. O raio do troço era realmente bonito. Tinha um tom de dourado incrível!
- Perigosa... Humpf! Onde essa cola com glitter é perigosa? – ela pensou, em voz alta.
A gosma borbulhou um pouco e espirrou-se nela.
- Argh! – exclamou Janine. O troço era meio pegajoso e...
Oh, céus. O que estava acontecendo com ela? Ela sentia seu corpo em chamas, seu coração batendo rápido, a respiração ofegante e... ops...
Ela estava extremamente excitada.
Então era verdade o que Egon disse e... Ahhh, Egon...
Aquela voz grave e sensual, aquele rosto nórdico lindo, aqueles olhos azuis penetrantes, os lábios carnudos e...
Aquele membro enorme que a fez chegar ao clímax em minutos!
Oh, não! Ele estava certo! O negócio era perigoso mesmo. E ela estava úmida só de pensar em Egon.
Ela precisava dar um jeito nisso. Estava sozinha, mesmo.
*****
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: CMYK!   Sab Dez 23, 2017 10:29 pm

8



Os Caça-fantasmas voltaram da caçada em Long Island exaustos. A mansão era enorme e bastante assombrada. Vários fantasmas classe 5, que deram bastante trabalho.
- Estou pregado!
- Quero dormir por três dias! Só me acordem no sábado!
- Olá, rapazes!
- Janineeee! Você é um colírio para os olhos!
- Está passando mal, é, doutor Venkman?
- Os fantasmas cismaram com a cara dele, pra variar.
- Tou vendo! Ele tá todo melecado!
- Vou para o laboratório. Por favor, só entrem se for a caráter urgente. – Era Egon, sua voz séria e cansada.
Enquanto ele subia e seus companheiros se distraíam, Janine o alcançou.
- Egon!
- Que é? – ele devolveu-lhe um olhar cansado.
- Precisamos conversar.
- Hã...
- Não agora. – Janine sorriu, colocando um pedacinho de papel em uma das mãos dele.
Ela sorriu um sorriso maroto e desceu as escadas. Ele foi lendo enquanto subia as escadas.
“Me encontre no meu apartamento às oito pra gente conversar...
Beijo
Janine”

Egon também sorriu um sorrisinho maroto.
*****
Ele chegou ao apartamento dela na hora combinada e tocou a campainha. Ficou surpreso assim que a porta foi aberta.
- Egon! Você veio!
Janine usava um vestidinho trapézio vermelho e chinelos. Estava bem à vontade.
- Vim. Você chamou...
Ela deu uma risadinha. Ele tinha um brilho muito diferente no olhar... será que...
- Sim. Hã... eu te devo desculpas.
- Desculpas?... – ele pegou na mão dela.
- Sim... – disse ela, olhando para a mão enorme dele engolfando a mão minúscula (era o que parecia) dela – Você tem razão... quanto à substância dourada...
Ele apenas continuou olhando para ela com aquele olhar enigmático.
- Hã... eu fiquei no laboratório depois que vocês saíram e... bem...
- O que aconteceu? – ele sabia muito bem o que tinha acontecido, mas por alguma razão, ele queria ouvir dela...
- A gosma se espirrou em mim e... ahn...
- Você sentiu um arrepio pelo corpo, o sentiu arder como se estivesse em chamas, seu coração acelerou, você começou a ofegar...
Ela estava começando a se sentir assim, sem influência externa alguma! Não, mentira. A influência era alta, loira, linda e sedutora e se chamava Egon Spengler.
- ... e sentiu um ligeiro incômodo na sua... entrada.
Ele mal terminou de falar e ela imediatamente o beijou. Ele devolveu o beijo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: CMYK!   Sab Dez 23, 2017 10:31 pm

9



Janine ficou alguns minutos saboreando os lábios carnudos de seu Caça-fantasmas preferido antes de puxá-lo pela mão até seu quarto. Ele não iria dizer não. Pelo comportamento dele, ele estava sob a influência do raio da gosma dourada. Ela tinha que aproveitar!
Ela o beijou novamente e foi tirando dele os suspensórios e a camisa, para olhar direito para seu peitoral. Egon não tinha o peitoral de um halterofilista, mas todos os músculos estavam na medida certa, na opinião dela.
Ela acariciou o tórax dele e recebeu um sorriso maroto de volta. E um beijo, também.
Janine levou suas mãos para as calças dele, puxando-as rapidamente para baixo. Abraçando-o mais forte, ela sentiu aquela protuberância enorme em sua barriga. Tomando uma dose de coragem, ela levou as mãos para aquela região.
- Oh... – ouviu ela. Ele gostou?
- Te incomoda?
- Muito pelo contrário...
Ele gostou! Ela continuou massageando-o e se deliciava com os sons que ouvia dele.
Ela virou a cabeça meio de lado para ver o que estava fazendo (ele usava uma cueca vermelha, com detalhes brancos... como raios uma peça tão ridícula ficava tão sexy nele? Ah, bom, era ele, oras!) e sentiu os lábios carnudos em seu pescoço.
- Mmm...
Ele a abraçou com vontade e levou-a para a beira da cama. Ele então olhou para ela e pôs as mãos na barra de seu vestido, puxando-o para cima.
- Ohh! – gemeu ela.
- Você é uma mulher linda, Janine...
- Oh, Egon... obrigada!
Ele a beijou ternamente e depositou-a em cima de sua cama, levando os lábios para a pele alva da secretária.
Janine estava nas nuvens. O frio, prático e inatingível cientista estava praticamente nu em cima dela, beijando-a pelo corpo todo. Era a coisa mais incrível.
- Me permite? – perguntou ele, com as mãos nas alças do sutiã.
- Claro!...
Ele puxou as alças para baixo e retirou dela a peça, levando os lábios e a língua para os seios dela, acariciando-os.
- Ohh...
Descendo pelo tronco dela, ele pegou nas laterais da roupa de baixo dela e olhou para ela, cheio de desejo.
Ela consentiu com a cabeça.
Ele então lhe arrancou a calcinha, levando a língua diretamente às suas pétalas.
- Ahhhh!
Ele a explorava freneticamente, sua língua movendo-se rapidamente naquela área.
- Ohhh!
Ele logo encontrou seu centro mais sensível e passou a sugar, violentamente.
- Nnngh! AH! OHH!
Ele continuava sugando, encarando-a profundamente.
- Ahhh, Egon!
Ela tinha chegado ao clímax, muito bem chegado. De novo, quem era esse homem e o que ele tinha feito ao Egon?! Não era possível!
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: CMYK!   Sab Dez 23, 2017 10:32 pm

10



Ele exalou alto, sorrindo para ela novamente. Ela o agarrou e o beijou com força. Quem manda o homem ser tão delicioso??
Ele voltou-se para o pescoço dela enquanto ela tentava tirar dele a cueca. Ele a ajudou e ela acabou de tirá-la dele com os pés, sentindo o membro rígido dele em suas partes formigantes.
- Oooh... me beija, Egon.
Ele prontamente a obedeceu, penetrando-a.
- Mmm! – gemeu Janine através do beijo.
Céus, sentir aquele membro enorme dentro dela de novo era sensacional. E o homem sabia muito bem como usá-lo.
- Ah... que delícia... – ela comentou.
- Sim... mmm...
Ele movia os quadris num ritmo perfeito, nem muito devagar, nem rápido.
Janine estava encantada. O homem de sua vida estava em seu quarto, em sua cama, levando-a gradualmente à loucura de tanto prazer. Ela olhava para ele: os olhos fechados, a respiração ofegante, a boca deliciosa meio aberta e o impecável cabelo loiro todo bagunçado. Ele estava maravilhoso!
Ele foi pegando mais velocidade, acariciando-a onde e como podia.
- Ahhh!
- Ohhh!
Egon estava começando a perder o controle. Janine tinha cruzado os pés em suas costas, dando-lhe mais acesso. Ele sentia as contrações musculares das partes íntimas dela, e isso o deixou insano.
- Oh, meu Deus!!!
- Nnngh...
Ele meteu nela mais algumas vezes antes de finalmente ser arrebatado por uma gigantesca onda de prazer. Ela o acompanhou.
- Aaah!
- EGON!
Janine nunca tinha tido um orgasmo tão fantástico na vida. Nem o do outro dia tinha sido assim. Uau!
- Ahhh... – exalou ele, desabando em cima dela.
- Heh. Nossa...
- O que foi? – perguntou ele.
- Essa substância dourada é poderosa mesmo, hein, doutor Spengler...
Ele olhou para ela com um sorriso travesso:
- Quem disse que eu estou sob o efeito da substância?
Janine fez uma cara divertidamente espantada.

FIM

**********
Epílogo


Egon estava etiquetando novamente as várias amostras de ectoplasma que vinha colecionando nesses últimos tempos. Era interessante ter uma nova coleção, junto com a de esporos, fungos e bolor.
Ele pegou um jarro com uma gosma amarelo-mostarda dentro. Sorrindo, ele colou a etiqueta no jarro: “LODO DO HUMOR – CORAGEM”.
- Obrigado – disse ele para a substância, que borbulhou um pouco.
***
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: CMYK!   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
CMYK!
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Os Caça-fantasmas :: The real Ghostbusters-
Ir para: