Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Acertando nossas pendências

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Acertando nossas pendências    Seg Out 09, 2017 8:51 pm

Título: Acertando nossas pendências 
Autor(a): Jussara/bajumoon
Shipper: Egon /Janine com um cado de Egon/Dana
Gênero: Romance/pervice 
Censura / Classificação: M
Capítulos: VII
Completa: Sim
Resumo:  Brava com seu chefe, Janine decide ter uma "conversinha" com Egon 

I

Janine o viu passar apressado, a expressão mais séria que o habitual.
 Mais do que isso, na verdade! Parecia muito nervoso! 
- O que houve com ele?-  Louis perguntou para a secretária.
- Não sei... - Janine sussurrou desanimada.
Ela já tinha feito de tudo para chamar a atenção de Egon. Puxado conversa, perguntado seus gostos, aproximação física, gentilezas.
Porém, nada que ela fizesse surtia efeito. Ao contrário, parecia que ele se afastava ainda mais dela.
Desanimada, ela tentou esquecê-lo, tento um breve relacionamento com o Louis.
Mas tão logo começou e ela se deu conta o quanto tinha sido sido uma tolice.
Louis podia ser gentil, mas jamais poderia fazê-la esquecer Egon Spengler. Sem contar que diferença entre eles era gritante! 
Pensando em suas frustrações, Janine apenas balançou a cabeça, quando Louis lhe dissera que ia investigar o que tinha acontecido com o cientista.
Ela viu o rapaz de retirar e se perdeu novamente em seus pensamentos. 
*
Alguns minutos depois, a secretária se sobressaltou, ao escutar gritos, vindo do laboratório.
Egon estava gritando? Ela não conseguia acreditar nisso! 
Ela se ergueu, quando Louis apareceu todo esbaforido.
- O que houve? - ela perguntou.
- Ele está descontrolado! E me bateu! 
A secretária se aproximou do rapaz e viu a marca da agressão no rosto dele. 
- Mas... O que houve? Por que ele está assim?
- Não sei e não me interessa! Vou embora daqui! 
Janine olhou Louis se retirar e estreitou os olhos irritada! 
O que havia de errado com o doutor Spengler afinal? 
Ela já estava cansada, frustrada e inocmodada demais! 
Ia agora mesmo acertar suas contas com ele! 
Ela foi até o laboratório e o encontrou andando de um lado para o outro.
- Dr. Spengler? 
Ele a olhou com uma indecifrável expressão no rosto.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: Acertando nossas pendências    Seg Out 09, 2017 8:52 pm

II

Vendo que ele nada dizia, ela perguntou: 
- O que está acontecendo? 
- Saia, Janine! Temo que não esteja bem o bastante para responder por minhas atitudes! - ele a alertou.
Se fosse em um outro dia, a secretária teria acatado a ordem de seu chefe e o deixaria em paz.
Mas ela já não aguentava!  Eram anos de frustração, de rejeição. Estava cheia de ser "a legal "com ele!
E cansada de ser ignorada! 
Como se não fosse o bastante, ele ainda tinha tratado mal um pobre rapaz, que só queria saber se ele estava bem! 
Não! Para ela tinha sido o suficiente! 
- Não vou sair, até saber o que está acontecendo e dizer o que penso, doutor Spengler!
- Janine...
- Ou será que pretende me bater também? - ela o olhou com firmeza.
Egon a olhou momentaneamente surpreso. Nunca a vira o enfrentar assim! 
Ele sabia que estava fora de si. Tudo por culpa daquele homem. Mais uma vez, aquele cretino do Peck ameaçava interditar a Central dos Ghostbusters.
Ele buscava vingança! 
Mesmo depois da conversa racional com Ray, percebendo que por hora, Peck nada poderia fazer, Egon ainda nutria a raiva dentro de si, mesmo que não a demostrasse.
Como se não fosse o bastante, o cientista tinha sido atingido no rosto, pela substância rosa, em um teste fora do laboratório.
A tal gosma havia captado sua raiva por Peck e a intensificado.
Ray, percebendo como o amigo estava,  aconselhou-o a voltar para a Firehouse e ficar sozinho, até que o efeito passasse.
Porém ele se deparou com um Louis enxerido e não pode controlar seus atos.
Mas o pior era ver Janine ali, os olhos brilhantes de raiva, parecendo querer pular em cima dele.
Ele se aproximou dela, seu coração pulsando rapidamente.
- Para o seu bem, Janine, é melhor que me escute! Saia! - ele a alertou mais uma vez.
- Não! Já chega de me ignorar, doutor Spengler! Chega de me fazer me sentir menos importante que uma coleção de fungos! Você me ignora o tempo todo, como se eu não existisse! Estou cansada disso! Quem você pensa que é? 
Ele a encarou, os olhos brilhantes, fanzendo a ruiva ofegar.
Ele segurou com firmeza os braços, fazendo com que os ombros dela se encolhessem.
Egon ainda sentia a raiva dentro de si, mas ao ter Janine ali, nas suas mãos o desafiando, fez com ele começasse a sentir outra espécie de sensação dominando seu corpo.
Os olhos do cientista pousaram sobre os lábios dela e ele sentiu uma vontade absurda de beijá-la.
- Eu disse a você que era melhor sair... - ele sussurrou.
- Você é tão cretino quanto o doutor Venkman! - ela disse para atingi-lo. - Solte-me! 
Ela tentou se soltar, mas ele a mantinha segurada com firmeza.
- Já basta, Janine! 
Ele a puxou para si a beijou agressivamente.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: Acertando nossas pendências    Seg Out 09, 2017 8:53 pm

III

Janine começou a se debater, tentando se afastar dele. Porém, Egon mantinha seu braço direito segurando firme o corpo dela, enquanto sua mão esquerda pousara na cabeça da secretária, tentando aprofundar ainda mais o beijo.
A súbita excitação que sentia estava deixando louco e ele precisava dela.
Aquele corpo delicado, os lábios macios e o perfume que ela usava, se tornaram absurdamente atraentes para ele.
- Me larga! - ela disse ofegante, quando ele passou a beijar seu pescoço.
Janine estava confusa. Não conseguia entender o que havia de errado com ele.
Ela tinha chegado ao laboratório disposta a tudo! Ia enfrentá-lo, confessar o que sentia, jogar em sua cara toda sua raiva, por Egon sempre a ignorar. E até brigar com ele, se fosse preciso.
E ela o fez, sem qualquer receio do que ele pudesse dizer ou fazer depois.
Quando ele se aproximou de Janine, os olhos escurecidos, ela chegou a pensar que ele seria mesmo capaz de bater nela.
E até para isso, Janine estava preparada. No fundo, ela tinha mesmo vontade de brigar com ele. Arranhar aquele lindo rosto com suas unhas, para ver se provocava alguma reação nele.
Ela estava mesmo preparada e disposta para qualquer coisa, exceto para o que ele estava fazendo.
A ruiva jamais poderia imaginar que Egon a agarraria dessa maneira tão impetuosa e atrevida.
O corpo da secretária ainda tremia de raiva e ela queria fazê-lo parar. Mas seu corpo traiçoeiro estava se deliciando com os toques e beijos do cientista.
- Oh, Janine! - ele sussurrou, enquanto chupava o lóbulo da orelha dela.
A voz profunda e ofegante dele, misturada com suas carícias, provocaram um choque elétrico por todo o corpo dela.
Ela até já tinha parado de se debater e permanecia imóvel nos braços dele, seu corpo esquentando ao poucos e sua respiração acelerada.
Egon olhou para o mesa, onde havia vários aparelhos e objetos com quais estava trabalhando. Sem pensar, ele jogou tudo no chão e erguendo Janine a sentou ali.
- Ahh... - ela ofegou, quando Egon abriu sua camisa, com um único puxão, arrancando alguns botões no processo. 
Ele atacou novamente o pescoço da secretária, lambendo e amando sentir seu gosto.
A mão direita do físico, deslizava agora pela coxa dela. 
- Egon... - ela deu leve gemido, quando ele passou a beijar seus ombros.
Aquilo era bom demais, pensava ela.
Janine já não se importava que bicho tinha mordido ele, para Egon estar assim.
Ela iria aproveitar aquela oportunidade!
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: Acertando nossas pendências    Seg Out 09, 2017 8:55 pm

IV

Decidida, ela abriu e tirou o paletó dele, assim como o seu colete.
Egon, mesmo impaciente para voltar a tocá-la, deixou que ela tirasse dele as peças de roupa, auxiliando-a.
Por fim, ele mesmo retirou sua gravata e abriu sua camisa.
O cientista então atacou a boca da moça, em mais um beijo foraz.
Janine correspondeu com paixão, sentindo a língua dele dominar a sua e explorar cada canto da boca dela 
Egon arrancou por interio a blusa dela e abriu seu sutiã, atacando a beijos, lambidas e chupões, os seios dela.
- Ahh... - ela gemeu alto, sentido-o sugar seus mamilos.
- Você é uma mulher altamente interessante... - ele ofegou, ainda nos seios dela. - Necessito tocar em toda a sua epiderme! 
- Ohh... - ela gemeu extasiada.
A ruiva queria lhe dizer o quanto o desejou desde de sempre e o quanto precisava dele.
Mas suas palavras se perderam em mais altos gemidos, quando ele deslizou a das mãos para dentro de sua saia, tocando nas partes íntimas dela, por cima de sua calcinha e meia-calça,
- Egon! - ela gritou seu nome, sentindo-se cada mais estimulada.
Ele então  ergueu sua saia  e com a ajuda de Janine, puxou a meia e calcinha para baixo, retirando-as dela.
Desejoso em dar mais prazer a ela, Egon deslizou dois de seus dedos dentro dela.
- Ahh... Egon! - ela deu gritinho provocando um sorriso nele.
Ele começou a acelerar os movimentos e Janine arqueou as costas, o prazer aumentando cada vez mais.
Ela gritou outra vez o nome do cientista, quando alcançou o orgasmo.
Ele a olhou profundamente e se afastou dela por alguns instantes.
Ele se sentia meio tonto, mas sua mente começava a agir com lógica.
Janine, voltando do paraíso que Egon a levou com seus dedos, franziu a testa, ao vê-lo se distanciar e começar a mexer em uma gaveta.
- Egon? - ela chamou fracamente. 
Ele, ao achar o que procurava, voltou até ela.
Ela ficou aliviada ao perceber que ele só se afastara, para pegar um preservativo.
Mesmo começando a tomar consciência da loucura que ele estava fazendo, já era tarde demais. Egon já estava doendo de excitação por ela!
Janine sorriu para ele e o puxou para mais perto de si, com as pernas, dando-lhe um beijo apaixonado.
Egon correspondeu com a mesma vontade, enquanto sentia a secretária abrir seu cinto e desabotar suas calças.
Ele gemeu gravemente, quando ela deslizou uma de suas mãos pela cueca.
- Ohh... Isso é... - Egon não conseguiu falar, tamanho o prazer ao sentir Janine com a mão fechada em seu membro, fazendo movimentos de cima pra baixo.
Os gemidos dele, provocavam um grande excitação nela. 
Ela se sentiu contente, em arrancar de Egon aquela expressão fria, para lhe dar uma de puro prazer.
Querendo deixá-lo ainda mais insano, ela desceu da mesa, na qual estava sentada, abaixou-se ao lado do físico.
Ela lhe deu um sorriso atrevido e baixando sua cueca, levou o membro dele a sua boca.
- Ohh.... - ele gemeu, colocando as mãos na cabeça dela.
A secretária  estava admirada com o "tamanho dele". Ele não era muito grosso, mas era longo. 
Ela mal podia esperar para senti-lo dentro dela.
A ruiva o colocou mais fundo em sua boca e Egon já não estava conseguindo se segurar mais.
- Oh, chega! - ele deu dois passos para trás, afastando-se dela.
Ela o olhou momentaneamente confusa.
- Eu pensei que você estava gostando...
- Janine, eu quero você! Agora! - ele grunhiu.
Sua declaração, mais o olhar possessivo e arrebatador, quase a fez ter um orgasmo.
Ela deu um leve gemido, enquanto Egon colocava a camisinha, pronto para entrar em Janine.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: Acertando nossas pendências    Seg Out 09, 2017 8:56 pm

V

Ele a ergueu, segurou-a pelas coxas, encostou-a na parede e a penetrou fundo. 
Janine deu um gritinho pelo movimento brusco.
Agora ela podia sentir em si, a "grandiosidade" do homem! 
Egon não era gentil e a penetrava de forma selvagem.
Ela gemeu em desconforto no início, mas logo sua excitação e prazer, tomaram conta dela.
Desejando por mais, ela colocou suas pernas na cintura dele, puxando-o ainda mais para si.
Egon entrava e saia dela, em um ritmo insano, enquanto segurava com as mãos, as nádegas da ruiva.
- Oh, Egon, isso é tão bom! - ela gemeu alto, chegando ao seu prazer máximo.
A moça tomou a boca do físico, em um beijo aluciando, enquanto Egon ainda empurrava dentro dela.
- Ohh... - ele gemeu por entre o beijo, alcançando seu clímax.
Ele mal teve tempo de se recuperar do prazer, quando uma voz debochada se fez ouvir: 
- Bela forma de usar o laboratório Egon! E você Janine, nem me venha cobrar horas extras por isso.
O casal congelou e olharam para onde vinha a voz de Peter.
Ambos ficaram ainda mais embaraçados, ao verem que ele não estava sozinho.
- Oh, nós sentimos muito por incomodar! - disse Dana, completamente embaraçada. - Vamos Peter! 
Egon olhou para a mulher ao lado de seu amigo cretino e corou, sentindo-se desconfortável.
Ele não sabia bem o que fazer, por isso mantinha-se naquela posição, segurando Janine em si.
- Ora Dana, você quer mesmo ir embora? Isso está muito interessante! Talvez eles possam nos ensinar algo novo! 
- Peter saia! - disse Egon com a voz implacável.
Ele sentia muito por Dana ter presenciado tudo, mas seu lado oculto cavalheiro, não queria expor mais Janine a tudo isso.
-  Você ouviu! Vamos Peter! - insistiu Dana, puxando-o para fora.
Eles saíram dali e Egon finalmente colocou Janine no chão e descartou seu preservativo.
- O Dr. Venkman tinha que aparecer  e estragar tudo! - resmungou Janine, pegando e ajeitando sua roupa.
Egon fez o mesmo com suas próprias roupas, permanecendo em silêncio e assim que terminou, voltou-se para ela.
- Eu sinto muito Janine! - disse, ajeitando os óculos em seu rosto.
- Não foi culpa sua! Não poderíamos imaginar que eles iriam aparecer! 
- Correto, mas eu me refiro ao que aconteceu entre nós! Eu não estava completamente em uso de todas as minhas faculdades mentais. Meu raciocínio foi substituído por meus instintos mais primitivos.
- Está querendo me dizer que se arrepende de ter transado comigo? - ela ergueu um sobrancelha, preparando-se para a resposta dele.
- Isso é irrelevante! Já aconteceu e com arrependimento ou não, não muda os fatos! Só espero que me perdoe pela forma como agi! Além de ter sido grosseiro com você, eu praticamente a ataquei!
- Você está arrependido! - ela se aproximou dele, os olhos irradiando raiva. - Isso me irrita, porque eu sim queria isso! Você não me atacou, eu o queria! E foi muito bom! 
Pegando um pouco da sua dignidade, ela ergueu a cabeça e estava pronta para sair daquela sala, sem olhar novamente para aquele cientista insensível.
Porém, Egon segurou em seu pulso e antes que ela pudesse perceber o que acontecia, ele a puxou para si, dando-lhe um beijo profundo.
- Obrigado, Janine! Erro ou não, foi extremamente prazeroso! 
O físico lhe deu um de seus sorrisos tímidos, mostrando suas covinhas.
Janine, completamente encantada, nem se lembrava mais que estava brava com ele.
Ela sorriu alegre, saindo com as pernas bambas do laboratório.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: Acertando nossas pendências    Seg Out 09, 2017 8:57 pm

VI

Algum tempo depois, Dana surgiu no laboratório.
- Atrapalho? - ela disse, assustando o cientista, que ananalisava em seu microscópio, os vestígios da substância rosa, coletada em suas roupas.
- Não! - ele disse depressa, dando atenção a ela. - Sinto muito pelo o que aconteceu.
- A culpa é nossa! Não deveríamos ter aparecido assim, de repente! Sinto muito por Janine, está sendo vítima de todas as piadas ruins de Peter.
- Depois eu resolverei a questão com ele! 
Ela sorriu.
- Tenho certeza que sim! Bem, antes do incidente, tinha vindo com Peter, a pretexto de uma simples visita, mas na verdade, queria saber como você estava, Egon. 
- Eu estou perfeitamente bem! Exceto por alguns contratempos em minhas pesquisas, como o que você presenciou.
- Você está querendo dizer, que o que estava fazendo com Janine era uma experiência? 
- Bem, na verdade foi a consequência de um descuido em uma experiência. 
- Então que houve entre nós antes, também poderia ser considerado asim, doutor Spengler? - Dana o encarou, aproximando-se.
Egon virou o rosto, tímido e falou: 
- Não sei definir ao certo, o que houve entre nós! 
Dana balançou a cabeça sorrindo e disse: 
- Eu defino como algo muito bom. Nem sei ao certo como isso tudo começou, mas foi ótimo, Egon! 
Ele engoliu em seco, sentindo seu corpo esquentar.
- Não há dúvidas quanto a isso! 
- É uma pena que tenha acabado!  - ela deu um suspiro. - Mas foi melhor assim. E pelo visto, nós dois já estamos com outros interesses...
- Oh, bem, o que houve entre mim e Janine, foi...
- Não precisa explicar, Egon! Você não tem nenhuma obrigação comigo! 
- De todo modo, eu...
- Eu espero que você fique bem! - ela o cortou. - Bem, eu já vou! 
Ela ia se retirando, mas Egon a puxou para si, beijando-a.
Dana tentou se afastar dele, com medo de Peter aparecer, mas por fim, não resistiu e correspondeu ao beijo.
A necessidade inesperada, fez com que ela começasse a abrir os botões da camisa dele, enquanto Egon mordiscava seu lábio inferior.
Porém, ambos pararam imediatamente o que estavam fazendo, ao escutarem uma voz, evidentemente enraivecida: 
- Não acredito nisso! 
Janine se aproximou deles, olhando-os estupefata.
- Parece que o senhor não perde tempo, não é mesmo Dr. Spengler? 
- Não é o que está pensando, Janine, nós... - Dana começou a se explicar.
- Realmente não é o que eu estou pensando, Dana, é o que eu estou vendo! 
- Há uma explicação lógica para isso, Janine...
- Claro que existe, doutor! E tem um nome também: safadeza! 
- Janine, por favor.... Será que podemos conversar? 
- Não Dana! Não há o que dizer! 
- Ei, o que está acontecendo aqui? - Peter se aproximou desconfiado.
Egon e Dana ficaram alarmados, mas Janine, disse depressa: 
- Nada, doutor Venkman! Eu eu vim aqui chamar a Dana, como o senhor pediu! 
- Parece que vocês estavam discutindo! 
Dana se aproximou de Peter, com um sorriso tranquilizador.
- Está imaginando coisas, Peter! Vamos embora! Até mais Egon! Obrigada pelas explicações! - ela disfarçou e sorrindo aliviada, saiu com Peter.
Janine olhou para Egon. Era hora de acertar as contas com ele! 
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 31
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: Acertando nossas pendências    Seg Out 09, 2017 8:58 pm

VII

- Janine eu agradeço por ter sido discreta e...
Janine o olhou irritada e lhe deu um tapa na cara.
Egon a olhou surpeendido, mas manteve a calma frieza, características de sua personalidade.
- Não esperava uma reação tão intempestiva de você! Interessante...
- Nem mesmo você, dr. Spengler, vai bancar o esperto para cima de mim. Ninguém folga comigo! - ela o encarou, ainda brava. - E quanto a Dana e você, eu não contei nada para o Dr. Venkman, porque ele merece isso! 
- Entendo...
Janine suspirou, sentindo raiva de si mesma, pela vontade absurda de bater mais e nele e ao mesmo tempo de beija-lo loucamente.
Ele a olhou de forma intensa, conseguindo ler perfeitamente seus pensamentos.
Sorrindo, ele segurou em sua mão.
- Eu sinto verdadeiramente se a ofendi, Janine! E quanto a Dana...
- Nem venha me dar explicações! Não perca seu tempo! 
- De todo modo, foi apenas uma despedida! Ela está com o Peter novamente! 
- Hum... 
Egon segurou o queixo da ruiva, obrigando-a olhar para ele.
- É verdade! 
- Para mim, tanto faz...
- E quanto a você e Louis?
- Como? - ela estava completamente surpreendida pela pergunta.
- Você e ele estão juntos, não? 
- Não! - ela se afastou dele, com raiva. - Onde quer chegar, Dr. Spengler? Por acaso quer insinuar que eu fiz com o Louis, o mesmo que você fez comigo? 
- De forma alguma! Digamos que eu... Fiquei interessado em saber.
- Por quê? 
- Eu perguntei primeiro e você não me respondeu! 
- Acho que isso não é da sua conta! Mas eu vou responder, porque há tempos eu queria dizer isso! 
- Hum...
- Não, eu não estou mais com ele! Se quer mesmo saber, nós tivemos alguma coisa sim! Eu cansei de tentar fazer com que você me notasse, então resolvi dar uma chance para ele. Não deu certo! E já terminamos. Ou seja, eu não o enganei! 
- Nunca daria certo! - ele murmurou mais para si mesmo, do que para ela. - Ele não é compatível com alguém como você! 
- O quê? 
- Você é um mulher muito receptiva e voluptuosa. Não creio que ele fosse realmente capaz de corresponder aos seus... Hum... instintos? 
Janine não conseguia acreditar no que estava ouvindo. Aquele era mesmo Egon Spengler? Seu chefe sério e aparentemente tímido? Ele estaria sobre o efeito de alguma coisa? 
Ele ficou a olhando com aquela expressão costumeira, deixando Janine ainda mais irritada.
Não importava se ele estava fora de si ou não. Ela não tinha que aguentar isso! 
- Se quer saber, ele soube ser bem melhor que você! - ela mentiu, para atingi-lo.
Deu certo. Porém, ela não esperava pelo o que Egon faria em seguida.
A expressão fria do cientista, tornou-se predatória em questão de instantes e ele avançou na direção dela, antes mesmo que Janine pudesse recuar.
Ela praguejou mentalmente, por falar demais, mas ela precisava de alguma maneira descarregar a raiva e ciúmes que sentia dele.
No entanto, ela percebera que tinha ido longe demais, no momento em que ele agarrou seus braços com firmeza, olhando-a de maneira implacável. 
- Egon... - ela começou, pensando em se desculpar.
Mas ele não permitiu que ela falasse. Deu lhe um beijo agressivo, enfiando sua língua na boca dela, enquanto a apertava com força em seus braços.
Janine não lutou contra isso. Ela sabia que mesmo que tentasse, não conseguiria.
Antes que ela pudesse perceber, já estava sem suas roupas, sentada no balcão, sentindo a boca dele, deslizar por todo o seu corpo.
Ele deu atenção aos seios dela, mordiscando e sugando seus mamilos.
Janine gemeu profundamente, ao senti-lo descer mais, até chegar a sua feminilidade.
- Ohh, Egon! - ela gritou extasiada, enquanto ele lambia toda aquela região.
Em pouco tempo, ela não resistiu mais e alcançou o clímax.
Quando a grande onde de prazer passou e a ruiva abriu os olhos, Egon já tinha aberto suas calças e colocado um preservativo.
Ele a olhou intensamente, acariciando suas coxas e a secretária sentiu seu corpo inteiro se arrepiar.
Ele deslizou seu membro pela feminilidade dela e a penetrou devagar, observando as reações dela.
Ele começou a se mover bem devagar, despertando o desejo e ansiedade dela.
- Oh, por favor, mais rápido! - ela pediu.
- Você acha mesmo o Louis melhor? - ele perguntou zombeteiro, sabendo que ela mentira e querendo vê-la implorar.
- Oh, não! Nenhum é melhor que você! - ela ofegou, empurrando os quadris para ele. - Oh, Egon, por favor, mais rápido! 
Ele sorriu e acelerou os movimentos, entrando mais profundamente nela.
Em pouco tempo, eles alcançaram o climax, com Janine fincando suas unhas nas costas dele.
Eles recuperaram o fôlego e ajeitaram suas roupas.
Egon a olhou um pouco tímido, pensando se seria possível ainda estar sob o efeito da substância rósea, ou agiu por puro instinto.
Ele não sabia o que dizer para a ruiva, mas ela foi a primeira a falar: 
- Você me fez confessar a verdade, mas agora eu que quero saber: Eu sou melhor que ela? 
- Perdão, não compreendo! 
- Quero saber se sou melhor que a Dana!
Egon ficou vermelho e desconversou.
- Creio que não é correto falar sobre isso! 
- Mas...
- Muito obrigado, Janine, por esses momentos tão agradáveis! - ele beijou a mão dela, no momento em que Ray entrava no lugar.
Ele os olhou de forma maliciosa e Egon supôs que Peter já havia contato tudo para ele.
- Olá Janine! - ele a cumprimentou com um sorriso.
- Oi, Ray, er... É melhor eu voltar para a minha mesa! - ela se retirou.
- Parece que as coisas aqui andaram animadas, não é? Procurou uma forma de relaxar mais? 
- Esqueça isso, Ray! É melhor voltarmo para nossas pesquisas! 
- Como quiser...
Egon fingiu voltar a analizar algo no microscópio, mas um pensamento irritante o atingiu: 
"Seria interessante, se Janine viesse mais vezes aqui, quando eu estivesse sozinho! "
Ele respirou fundo, tentando se concentrar em seu trabalho, para não pensar nisso.

Fim
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Acertando nossas pendências    

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Acertando nossas pendências
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Senhor olha para os seus e atende as nossas orações.
» Jesus levou nossas enfermidades na cruz?
» Um singelo resumo sobre nossas origens...ccb
» "Qual é o papel do Espírito Santo em nossas vidas hoje?"
» As feridas curadas pelo Pastor e Bispo de nossas almas

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Os Caça-fantasmas :: Ghostbusters / Ghostbusters 2-
Ir para: