Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 "Egoninter"

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 9:24 pm

Título: "Egoninter"
Autor(a): Jussara/bajumoon
Shipper: Egon /Janine/Peter 
Gênero: Romance/drama
Censura / Classificação: M
Capítulos: XXII
Completa: Sim
Resumo: Um belo triângulo amoroso entre Janine e seus belos chefes.

I

Janine andava pelas ruas de Nova York, olhando para as vitrines das lojas com um suspiro.
Por todos os cantos, já se via cartões  e presentes, que as lojas exibiam para o dia dos namorados.
- Ah, Egon...
Ela entrou na Firehouse e encontrou Peter sentado em sua cadeira.
- Bela hora de chegar, Janine! 
- Ah, não tive culpa! O despertador não tocou! 
- Hã, claro! 
- Por acaso alguém já ligou hoje? 
- Por acaso, não! Mas poderiam ter ligado.
Ela revirou os olhos, resolvendo ignorar a provocação e perguntou.
- Onde está o Egon? 
- No laboratório. - ele se ergueu da cadeira, deixando que ela se sentasse. -  Bem já que você resolveu trabalhar, posso ir fazer um lanchinho. Até mais!  - disse Peter e se retirou.
Janine respirou fundo, para não dar uma resposta para Peter.
Ele geralmente era tão irritante! Tão diferente de Egon! 
"Ah, Egon! " ela suspirou apaixonada, quando ouviu sua voz, em uma conversa com Ray.
- Acha que essa nova máquina funcionará Egon?
- Creio que sim, Ray! Ela vai facilitar muito nosso trabalho! 
Janine sorriu ao ouvi-lo. Não estava bem certa do que falavam, mas não parava de admirar Egon.
Ele era tão inteligente, tão brilhante! Amava seu jeito sério e focado. 
- Bom dia, Janine! - disse Egon ao se aproximar de sua secretária.
- Oi, Janine! - Ray também a cumprimentou.
- Olá garotos! Bom dia! 
- Alguma ligação? 
- Ainda não, Egon! Parece que as coisas estão bem tranquilas hoje! 
- Talvez os fantasmas resolveram tirar o dia de folga! Ou melhor, dar uma folga para nós! - brincou Ray.
Janine sorriu para Ray, mas aproveitou a deixa e disse para o Egon:
- Escute Egon, eu estava pensando: Talvez mais tarde pudéssemos sair para dar uma volta e...
- Sinto muito, Janine! Mas tenho que terminar uns ajustes nesse meu novo projeto! 
Ela se sentou, abaixando a cabeça.
- Oh, sim. Claro, eu entendo! 
- Er... eu sinto muito! - ele disse meio sem graça e saiu.
Ray teve pena dela. Sabia o quanto Janine gostava de seu amigo. Ele ia dizer algumas palavras de consolo para ela, mas nesse momento o telefone tocou. Era um chamado. E eles tinham que ir! 
***
Janine estava distraída com seu trabalho, quando notou que os rapazes chegavam no Ecto 1.
- Puxa! Esse fantasminha nos deu trabalho! - disse Winston.
- Ah, nem me fale! Estou morto! Mas nem ele se compara com o trabalho que Ann está me dando! 
- Ainda não desistiu dessa garota, Peter? 
- Não, Ray! Eu sei que ela não desmarcou o encontro de propósito! Afinal, quem recusaria sair com o doutor Venkman aqui!
Janine revirou os olhos. Essa tal de Ann já tinha recusado os convites dele três vezes! Será que ele não percebia que ela não estava interessada? 
"Ah, ele não tem jeito mesmo!" Pensou Janine.
- Mas eu fiquei com uma entrada a mais para o jogo de basquete. - continuou Peter. - Algum de vocês querer ir comigo? 
- Sinto muito, Peter, mas não tenho tempo! - Egon se desculpou e subiu as escadas.
- E eu tenho que consertar o Ecto 1. Parece que ele está com um problema no escapamento. - disse Winston. - Talvez numa próxima vez, Pete!
Ray também não podia ir e Peter deu um grande suspiro.
- Mas que droga! Quero ir à esse jogo. E não vou desperdiçar uma entrada! 
Ele olhou para Janine, que estava vendo uns papeis e se aproximou da mesa dela.
- Ei, Janine...
- Não! 
- Não o quê? 
- Não estou com vontade de ir ao jogo com você! 
Ele virou o rosto indignado.
- E quem disse que eu pensava em chamar você? Só queria saber se alguém havia ligado.
- Ah... Também não! 
- Então está certo! 
Ele começou a se afastar, mas voltou de novo: 
- Por que você não quer ir comigo, Janine? 
Ela não aguentou e sorriu.
- Sinto muito, mas não estou muito animada para ver um jogo, doutor Venkman!
- Por que não? Mesmo eu indo com você, vai ser divertido! 
- Ora...
- Vamos logo! Eu prometo te dar um dia de folga a mais, na semana que vem!
- Está falando sério? 
- Claro que sim! - ele cruzou os dedos e olhou de lado pela mentira.
Depois ele daria um jeito de enrolar Janine.
- Ah, está bem! Por um dia de folga, eu faço o sacrifício. Mas você terá que me buscar no meu apartamento. Tenho que tomar banho e trocar de roupa.
- Está bem madame! - ele a olhou com cara de deboche. Vou te buscar às seis.
- Nesse caso vou sair mais cedo hoje! - ela sorriu vitoriosa.
Ele não respondeu. Deixou-a sozinha enquanto resmungava baixinho: 
- Eu devia era ir sozinho mesmo...
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 9:41 pm

II
- Oh, droga! Preciso correr, ou vou me atrasar! - disse Janine para si mesma.
Ela tinha saído mais cedo do trabalho, mas se lembrou que precisava comprar comida para a semana. E para seu azar, tinha perdido muito tempo na fila do caixa e agora tinha que se apressar.
Assim que chegou em casa, Janine deixou as compras no balcão da cozinha e correu para o banheiro, para tomar um rápido banho.
Peter não demoraria a chegar!
Ela tirou a roupa e se preparava para entrar no chuveiro, quando de repente, o espelho se quebrou.
- Ahh!!!
- Você será a minha prisioneira agora! - disse uma voz distante, rouca e sinistra.
- Oh, droga! Tudo o que eu precisava agora era um fantasma pra me atrapalhar! - ironizou ela.
Tentando ignorar o ser sobrenatural, ela entrou no chuveiro e ligou água, mas o fantasma estourou o cano e uma enxurrada de água caiu sobre a ruiva.
- Ahh, mas que infeliz! - ela gritou e saiu correndo do banheiro inundado, sendo seguida pelo fantasma.
Peter se aproximava da porta dela, quando a escutou gritar.
- Janine? - ele começou a ouvir o som de coisas se quebrando e sem pensar arrombou a porta.
Mas ele não estava preparado para a cena que estava a sua frente! 
A sala do apartamento estava uma bagunça! Havia várias coisas espalhadas e quebradas no chão, um fantasma feioso circulando por todos os lados, mas isso não foi o que mais o impressionou.
Ele viu sua secretária completamente nua, molhada e gritando com raiva.
Ele nunca tinha reparado direito até agora. Que corpo ela tinha! 
Peter a contemplava como bobo, até que escutou a voz dela gritando seu nome.
- Ei, Peter! Quer parar de olhar pra mim, seu pervertido! Faça alguma coisa! 
Ele "acordou" e disse, enquanto ela rapidamente se cobria com uma manta que adornava seu sofá.
- Ah, depois daremos um jeito nele. Mas agora temos que ir ao jogo! E não sou um pervertido! Só não aprovei esse visual. É alguma tática para distrair o time adversário? Acho que não vai funcionar! - debochou ele.
- Cale a boca, doutor Venkman!
- Ande! Vista-se logo! Ou pretende ir enrolada nesse pano? 
- Claro que não! Mas e ele? Vai destruir tudo! 
- Não vai não. Já conheço esse tipo de fantasma!  Eles gostam de perturbar! Assim que você sair, ele se acalma.
- Não sei... E está jorrando água por todos os cantos.
- Vista-se logo e eu dou um jeito nisso! Vamos! 
Ainda relutante, ela obedeceu e Peter conseguiu fechar o registro da água, mesmo com o fantasma pentelho.
E ele quase teve que arrastar Janine para fora dali. Mas finalmente puderam ir ver o jogo.
**
- Que jogo incrível! 
- Achei que eles não fossem ganhar. Mas no último minuto viraram o jogo! 
- Mas também, com a sua animação, a torcida se contagiou e que deu aquela força ao time.
- Foi muito bom! Bem, mas agora você tem que comprir a promessa de se livrar do fantasma.
- Está bem! Vou chamar os rapazes. - disse ele, já na porta do prédio de Janine.
- Não demore! 
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 9:43 pm

III
Peter, Ray e Winston (Egon estava trancado no laboratório), conseguiram finalmente capturar o fantasma no apartamento de Janine.
- Bem, Janine está feito! - disse Ray.
- Obrigada rapazes, mas meu apartamento ficou uma bagunça! Ah, aquele fantasma cretino! 
- Mulheres, nunca ficam satisfeitas! - Peter resmungou sua frase clássica. - Bem, você vai conseguir ajeitar tudo, Janine! - ele piscou o olho para ela. - E obrigada por ter ido ao jogo! 
Ela se surpreendeu com o agradecimento.
- De nada! Foi mesmo divertido. - disse ela.
Eles foram embora e no carro Ray perguntou:
- Foi bom o jogo Peter? 
- Sim, Ray. Foi um ótimo jogo! 
Peter começou a pensar na sua noite e em como encontrou Janine em seu apartamento.
"Sem dúvida foi muito melhor do que sair com Ann!" Pensou ele.
**
Havia passado uma semana e tudo seguia sua rotina normal, na Firehouse. 
Mas para Peter, algo havia mudado. Ele já não coseguia olhar Janine da mesma forma.
Ela era só uma amiga e companheira de trabalho. Ele nunca a tinha visto como uma mulher desejável.
Mas agora era diferente. Depois de vê-la nua tudo mudou. Agora sabia que corpo voluptuoso que ela tinha. Além disso, ela era uma companhia agradável e divertida.
Pensando sobre isso, ele reuniu coragem e disse a Janine:
- Janine? 
- Sim? 
- Bem... Será que você não gostaria de ir ao cimena comigo? 
- Ao cinema? Por que não chama algum dos garotos, ou uma de suas amigas? 
Ele fechou cara e disse: 
- Porque achei que você gostaria de ter a chance de sair novamente com o grande doutor Venkman!
- Não, muito obrigada! - disse ela e ergueu os olhos para ele. 
Ela estava mesmo vendo certo? Ele parecia desapontado! 
Por um instante, ela  refletiu melhor sobre a proposta e pensou: "Por que não?" 
Dá última vez que eles tinham saído, ela tinha passado momentos agradáveis. Além disso, nesses últimos dias, Peter estava muito bonzinho com ela.
- Está bem, senhorita enjoada! - disse ele já se retirando, mas ela o chamou: 
- Doutor Venkman? 
- O que é? 
- Está bem! Eu irei com você! 
- Ótimo! - ele pensou em fazer alguma piada e provocá-la, mas se conteve.
Não queria que ela mudasse de ideia.
- Ok, então! 
 - Por que mudou de ideia? - ele quis saber.
- Talvez porque eu não queira perder a maravilhosa oportunidade de sair com o doutor Venkman! - disse, com sarcasmo.
Peter não respondeu. Achou melhor  sair logo dali, antes que denunciasse a sua empolgação para ela.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 9:48 pm

IV
- Ahhh... - Janine deu um grito se agarrando a Peter.
Eles estavam em dos cinemas mais conhecidos da cidade, vendo um filme de terror.
O Caça-fantasma engoliu em seco, sentindo-se desconfortável, com a súbita aproximação da ruiva.
Em um gesto natural, ele colocou o braço ao redor dos ombros dela.
Sentia uma vontade absurda de deslizar suas mãos por todo aquele corpo, mas tinha que se conter.
Ele então decidiu tentar prestar atenção no filme, apesar de ser uma difícil tarefa.
**
- Hahaha!
- Seu bobão, pare de rir de mim! 
- Você tem que admitir que é engraçado! Afinal, você se esqueceu que trabalha em uma empresa de Caça-fantasmas? Não devia se assustar com um filme de terror! 
- Ah, é mesmo? E o que é aquilo bem ali! - ela apontou para um beco escuro.
- O quê? - ele não via nada.
- Buuhh! - ela gritou alto. 
- Ahh... ! - Peter deu um pulo e Janine caiu na gargalhada.
- Hahahaha! O que você dizia mesmo, Peter? 
- Ora, sua! Não foi engraçado! 
- Ué, não é você o senhor valentão? 
- Humpf! - ele virou o rosto fazendo ela rir mais. 
Ele a acompanhou até a porta do apartamento dela e ela disse com sinceridade: 
- Eu me diverti Peter! Obrigada! - ela sorriu para ele e ele esqueceu sua "birrinha" com ela.
- Eu que agradeço por você ter aceitado ir comigo! 
- Eu desejava que o Egon gostasse de sair como você! Queria tanto sair com ele! 
Peter não entendeu porque as palavras de Janine o incomodaram tanto.
Porém, mesmo incomodado, disse: 
- Eu posso tentar falar com ele! Talvez ele resolva sair um pouco daquele laboratório.
- Você faria isso? 
- Claro, Janine, para que servem os amigos?
- Ah, obrigada Peter! - em um impulso, ela o abraçou e deu um beijo no rosto dele.
Peter sorriu, surpreendido pelo gesto.
- Boa noite, Pete! - ela se despediu. - E obrigada mais uma vez! 
- Boa noite, Janine! 
Ele esperou ela fechar a porta, para ir embora.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 9:52 pm

V

- Ah, finalmente chegou! Esqueceu que hoje é o seu dia de lavar os pratos? - disse Winston assim que Peter entrou em casa.
- Ih, é mesmo! 
- Onde você foi afinal, Pete? 
- Fui ver um filme com Janine. - ele disse displicente, mas no íntimo ainda agitado pelo simples beijo dela.
- Vocês saíram de novo? 
- Sim, por quê? 
- Bem, não pensei que você e Janine se davam tão bem! 
A malícia na voz de Ray, não passou despercebido por Peter.
- Não é para tanto! Ela nem é tão boa companhia assim! - ele disse, sabendo que não estavam acreditando nele. - Ela é uma irritante, na verdade! 
- Não fale assim da Janine! Tadinha! - reclamou Geleia.
- Quem deveria sair com ela é você, Egon! - disse Peter, para cumprir sua promessa. - Ela não parava de falar de você! 
Egon, que comia em silêncio sua refeição falou: 
- Eu já disse a ela que não tenho tempo. Você sabe como andamos atarefados! Talvez futuramente, quem sabe? 
- Oh, Egon! Você não muda mesmo! Precisa aprender a relaxar um pouco, de vez em quando! - Peter suspirou. - Bem, vou trocar de roupa e depois lavarei os pratos.
Ele subiu e Ray comentou: 
- Não acha estranho, Egon, essas saídas do Peter com a Janine? - perguntou Ray.
- De forma alguma. Por que acha estranho, Ray? 
- Não sei, eles parecem mais próximos agora. Nem vejo Peter implicando mais com ela.
- Isso é verdade! Será que eles... ?- começou Winston.
- Bem, acho melhor deixar as bobagens de lado. Temos que nos preocupar é com esse crescente  aumento de fantasmas.
- Não se preocupe, Egon! Tudo está sob controle.
- Não tenho tanta certeza disso, Winston! Preciso estudar alguns livros. Com licença! 
Egon se retirou rapidamente.
Depois que ele se foi e que Geleia estava distraído comendo tudo o que via pela mesa, Winston comentou com Ray: 
- Você acha que o Peter e Janine estão tendo alguma coisa? Ela sempre foi tão próxima do Egon! 
- Hum... Não sei, mas que algo está diferente, está! 
**
No dia seguinte, Peter desceu as escadas pela manhã, já encontrando sua secretária em seu posto.
Ele sorriu e a cumprimentou: 
- Bom dia, Janine! 
- Ah, oi Peter! Bom dia! Como estão as coisas por aqui?
-  Como sempre! - ele sabia que ela queria saber sobre o Egon e foi direto ao assunto:  - Eu falei com o Egon ontem Janine.
- Falou? 
- Sim. Mas acho que ele não pode sair com você  agora.
- Ah, eu já devia imaginar! 
- Sinto muito, Janine, mas você sabe como é o Egon! E ele anda muito preocupado com esse monte de fantasmas que apareceram do nada! 
- Oh, sim, é mesmo! - Janine recostou em sua cadeira. - Aiai, eu acho melhor esquecer isso, por uns tempos! - ela deu um suspiro. - De qualquer forma, obrigada por ter tentado, Peter! 
- Sem problemas! Mas não fique assim, garota! Se ele não pode ir, talvez devamos...
- Sair juntos de novo? 
- Sim. Algum problema? 
- Bem, não! Acho que não! Mas não sei se vai dar hoje! Tenho muito trabalho! 
- Que tal irmos à um restaurante, na sua hora de almoço? Estou meio farto de comer mal aqui! 
- Tudo bem, então! Mas não podemos demorar!
- Está certo! 
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 9:55 pm

VI

- Ai, você estava pior que o Geleia! - suspirou Janine, assim que eles deixaram o restaurante.
- Ah, não pode me culpar! Aquela comida estava deliciosa! 
- Oh, sim! Mas quase ficamos para lavar os pratos. Ainda bem que eu tinha dinheiro! Não se esqueça que você me deve sessenta dólares! 
- Ora, qualquer um pode esquecer o cartão de crédito! 
- Você não tem jeito mesmo! 
- Ah, não coloque a culpa só em mim! Você também comeu bastante! 
- Mas você me convidou, tinha que pagar. - ela apontou o dedo para ele, mas respirou fundo. - E sim, droga, eu realmente comi demais! Acho que irei até fazer uma dieta depois dessa! 
- Eu não faria, se fosse você! Você tem um corpo incrível! - ele deixou escapar.
- Hã? O-obrigada! - ela ficou vermelha, parando de andar.
Peter não resistiu, aproximou-se dela e lhe deu um beijo, ali mesmo, na calçada.
- Doutor Venkman! - ela se afastou dele, dando-lhe um tapa na cara.
- Sinto muito, Janine, não sei o que me deu, eu...
- Está bem, está bem! Esqueça! É melhor voltarmos!
Ela saiu andando na frente dele.
- Peter, que burrada, cara! - disse ele para si e correu para alcançar Janine.
**
Eles entraram praticamente juntos na Firehouse, poucos minutos depois dos rapazes no Ecto 1.
- Ei, cara, onde você estava? - reclamou Winston. - Tivemos sérios problemas com um fantasma no centro da cidade.
- Sinto muito! Janine e eu saímos para almoçar. Não sabia que teríamos problemas.
- Vocês saíram para almoçar? - Egon franziu a testa.
- Sim. Mas já estou aqui, caso precisem! Espero que ninguém tenha ligado e... - o telefone começou a tocar. - Oh, saco! - Janine se afastou deles, correndo para atender ao telefone.
- Vou levar esses fantasmas para a unidade de contenção. - disse Egon se retirando.
Peter notou algum brilho no olhar de seu amigo, antes que ele pudesse disfarçar. Ele já o conhecia bem demais e sabia que Egon não tinha gostado de sua saída com Janine.
Ray notou Peter quieto e comentou: 
- Está tudo bem Pete! Afinal você tem direito de almoçar! - ele deu um sorrisinho amável.
- E nós também! - disse Winston. - Vamos comer alguma coisa. Estou faminto! 
Winston e Ray foram para a cozinha e Peter decidiu falar com Janine.
- Não senhor! Não estamos interessados na assinatura da sua revista! Não insista! - a secretária bateu o telefone irritada.
- Ligação ruim? - Peter perguntou.
- Que cara chato! Humpf! Mal voltei do meu almoço e já tenho que aturar isso! - Janine suspirou, apoiando a cabeça nas mãos.
- Er... Janine eu queria me desculpar por... Hã... Você sabe! 
- Uau, é o fim do mundo! O doutor Venckman se desculpando por algo! 
- Ei, não precisa debochar! Sou um cara sensato, apesar de não parecer. Sei que não devia ter feito isso.
- E porque você fez? - Janine era toda curiosidade.
- Eu não sei! 
Ela torceu o nariz com a resposta.
- Está bem, doutor Venkman. Está perdoado! 
Ele sorriu.
- Então podemos sair de novo, qualquer dia desses? 
A pergunta saiu tão natural, que ele mesmo se assustou. O que estava acontecendo com ele? 
- Sair? - ela deu de ombros. - Pode ser. Depois vemos!
Ela fingiu se distrair com o trabalho, enquanto ele se retirava, mas estava agitada.
Janine não conseguia entender o que estava acontecendo entre Peter e ela. E isso a deixava meio assustada.
"E eu que achava que minha história com Egon era complicada! E agora isso! " Pensava ela.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 9:56 pm

VII

Egon tentava analisar em seu microscópio uma espécie rara de fungo, mas não conseguia se concentrar.
Ele amava fazer esse tipo de análise. Tinha até mesmo deixando um pouco de lado o projeto da máquina captadora de energia ectoplásmica, para tentar tirar certos pensamentos de sua mente.
Não adiantou. Algo o incomodava e ele não estava disposto a lidar com isso! 
Janine e Peter! O que estaria acontecendo entre eles? 
"Não Egon, você não tem que pensar em bobagens. Vamos cérebro se concentre nisso! É muito interessante! " Ele tentava se convencer.
**
- Obrigada por me trazer ao meu apartamento, Peter! 
- Não há de quê, senhorita! Não que você mereça muito, mas... Ai! - ele recuou um pouco, quando ela começou a bater nele.
- Peter Venkman, você não vale nada! 
- Ei, olha como fala comigo, ainda sou seu chefe.
- Não estamos no meu local, nem horário de trabalho! 
- Ok, está bem! Não vamos brigar mais! 
- Se você parar de me provocar, tudo bem! 
- Certo. Eu já vou! Até logo, Janine! 
- Tchau, garoto! 
Ele acenou e saiu. Ela ficou alguns instantes na porta pensativa.
Por alguma razão absurda, esperava que ele a beijasse de novo.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:00 pm

VIII

Peter saiu do banheiro, enxugando o cabelo molhado.
- Nada como um bom banho, para dormir melhor! - ele comentou com Ray e Winston, que estavam sentados em suas respectivas camas.
- Você saiu de novo, Pete? - Perguntou Ray.
- Saí.
- Quem foi a garota da vez? - perguntou Winston.
- Bem... Janine.
- Você saiu outra vez com ela? 
- O que tem isso, Ray? Ela até que é uma companhia divertida.
- Então vocês estão namorando?
- Claro que não Winston! Como poderia namorar com aquela chat... Com a Janine? 
- Mas você não tem mais saído com outras garotas há algum tempo. E parece que agora está sempre grudado nela! - Ray observou.
- Vocês estão viajando. Só porque tenho dado uma saídas com Janine e dado um tempo com as garotas, não quer dizer que estejamos namorando. É melhor irmos dormir e esquecer essa história.
Peter se deitou em sua cama, ignorando os rapazes.
Ray sabia que Peter estava mentindo. Algo estava acontecendo entre eles. Ele só esperava que Egon não reagisse mal em relação a isso.
Ele e Winston foram se deitar também, sem imaginar que Egon estava ao lado da porta o tempo todo e ouvira a conversa.
**
- Você devia prestar mais atenção, Peter! Aquele fantasma poderia ter nos atingido.
- Ei, calminha Egon! No final deu tudo certo! 
- Você não leva nada a sério mesmo, não? - Egon estreitou o olhar, enquanto fechava a porta do carro.
- Está bem, tem razão! Tomarei mais cuidado! Certo? 
Janine se aproximou dos rapazes, ao ouvir a discussão.
- Algum problema? 
- Quase  viramos reféns de um fantasma, por causa do Peter! - Egon comentou.
- Hã?!
- Já está tudo bem agora! O importante é que no final deu certo! - Ray tentava acalmar os ânimos.
- É verdade, todos cometemos erros, mas fazemos uma boa equipe! - disse Winston. - Certo, Egon? 
- Claro! - confirmou o cientista, um pouco de má vontade e se retirou.
Janine o observou um tanto preocupada.
- Algo errado com o Egon? 
- Parece que sim! 
- O que houve, Peter? 
- Eu não sei, Janine, mas desconfio.
- Do quê? 
- Deixa para lá. - Peter disse ele e subiu, disposto a falar com o amigo.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:01 pm

IX

Peter encontrou Egon sentado no sofá, com uma expressão pensativa.
- Você ainda está chateado comigo? 
- Eu não estou chateado. Só acho que você deveria ter mais cuidado.
- Egon, você está bravo por causa do fantasma, que quase escapou, ou por eu estar saindo com a Janine? 
- Não sei do que está falando. Isso não tem nenhuma relação com Janine. É uma questão de segurança. Por isso pedi para que você tivesse mais cuidado.
Egon não ia dar o braço a torcer, Peter sabia disso, então ele achou melhor deixar as coisas claras:
- Escute Egon, somos amigos. Sua amizade é importante para mim. Eu prometo tomar mais cuidado, mas espero que você me diga, se eu fizer qualquer outra coisa que chateie você, amigo!  - ele deu um tapinha amigável no ombro de Egon e o deixou sozinho.
"O que está acontecendo com você? Tem que aprender a se controlar!" Pensava Egon.
**
Eram duas horas da manhã. Tudo estava no mais absuloto silêncio na Firehouse.
Todos dormiam profundamente, exceto Peter. Ele estava agitado demais para dormir.
Não conseguia tirar Janine da mente.
Seus olhos, seu sorriso, seus lábios...
De repente ele sentiu sua garganta seca.
Peter pensou em levantar e ir até a cozinha, mas uma voz o deixou imóvel.
- Peter! 
- Ja-Janine? O que faz aqui nessa hora? Aconteceu alguma coisa? - ele cochichou, para não acordar os demais.
- Quero você! 
- O quê?! - ele arregalou os olhos e notou que ela estava de camisola.
Uma camisola muito transparente! 
- Não posso mais resistir, Pete! - ela deitou na beira da cama, de frente para ele e começou a beijar seu pescoço.
- Oh... N-não! Não podemos fazer isso aqui, Janine! - ela começou a arranhar o peito nu dele, com suas unhas. - Ah, os rapazes vão perceber! 
- Eles estão dormindo! - disse ela simplesmente e puxou a calça de moletom dele, para baixo.
- Uhh... Ma-mas... Ahh! - ele gemeu ao sentir a mão dela deslizar para dentro de sua cueca de algodão.
Ela acariou seu membro, até que ele estivesse bastante excitado para ela.
Logo em seguida, puxou sua cueca para baixo, o fez virar de costas na cama e montou em cima dele! 
- Ohhh, Ja...!
- Peter! Ei acorde! 
A voz de Winston fez Peter dar um salto da cama.
- Hã? O quê? Onde? 
- Ei cara, você está bem? Parecia que estava gemendo.
Peter respirou fundo, tentando se acalmar.
Já era de manhã e não havia sinal de Janine.
"Foi só um sonho! " Pensou ele.
- Eu estou bem! Foi só um pesadelo com alguns fantasmas! - mentiu ele. - E onde estão Ray e Egon? 
- Estão tomando o café da manhã! Eu vim aqui te chamar! 
- Eu já vou. Obrigado por me acordar! 
Winston saiu e Peter começou a refletir sobre o seu sonho.
O que estava acontecendo com ele? Essa atração louca e repentina por Janine o deixava confuso.
Ainda muito "estimulado" pelo sonho, ele decidiu ir tomar um banho frio, antes de ir até a cozinha.
"Ainda bem que Wisnton não percebeu nada! " pensou ele.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:04 pm

X

Egon estava entusismado. Sua máquina já estava na fase final de testes.
Ele desceu as escadas, procurando Geleia, para lhe ajudar em mais um teste, quando viu Peter debruçado sobre a mesa de Janine, conversando muito alegre com ela.
O humor de Egon mudou radicalmente. Ele já não se sentia mais tão animado com o desenvolvimento de seu projeto. Na realidade, ele tinha até mesmo se esquecido a razão que o tinha feito sair do laboratório.
Ele ficou algum tempo parado onde estava, com os braços cruzados, observando a cena. 
Seu rosto adquiriu uma expressão ainda mais séria que a habitual, com uma pitada de irritação.
Sem poder se conter mais, ele se aproximou dos dois.
- Janine! 
A voz de Egon fez a distraída secretária ficar em alerta imediatamente.
Ela deu um sorriso e falou: 
- Sim, Egon? 
- Er... Bem... Eu estava pensando: agora que meu projeto está na reta final, talvez possamos sair hoje e...
- Ei, Egon! Não está mais preocupado com a quantidade anormal de fantasmas na cidade? - Peter não resistiu.
Ele não entendia porque justo agora Egon queria sair com ela.
- Nós daremos um jeito nisso, com a nova máquina, Pete! - Egon tentava manter o controle de si 
- Ah, isso é ótimo Egon! Podemos sair assim que terminar meu expediente. - Janine era toda sorrisos, muito animada. 
- Certo, então! Hum... Vocês viram o Geleia? - perguntou ele, lembrando-se subitamente a razão de ter descido e para disfarçar seu embaraço.
- Ele está na cozinha! 
- Humpf, como sempre! - resmungou Peter.
- Vou até lá! - Egon se retirou rapidamente.
- Você deve estar feliz agora, não? - o tom de voz de Peter demostrava seu descontentamento, mas Janine pareceu não notar 
- Sim. Mal posso esperar! 
Peter revirou os olhos incomodado. Depois do sonho que tivera com a ruiva, ele sentia ainda mais vontade de estar perto dela.
Mas pelo visto, seu amigo estava acordando e disposto a se aproximar mais de Janine.
"Hum... Justo agora?" Pensava Peter.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:05 pm

XI

- Oh, Egon, devia ter me dito que iríamos à ópera. Não estou vestida adequadamente. - cochichou Janine para o cientista, enquanto olhava para suas roupas.
Uma simples blusa e uma saia reta, naquele lugar, fazia Janine se sentir como uma garçonete, que fora parar ali por acidente.
Todas as senhoras, que ela tinha observado estavam muito elegantes! 
- Você está bem assim! - disse Egon, sem tirar os olhos do palco. - Veja! Que soprano magnífica! - ele disse com entusiasmo.
- Oh, sim! Incrível! - Janine suspirou e sentiu inveja da mulher gorda e feia, que berrava no palco. Ela sim tinha toda a atenção de Egon.
Janine era curiosa, gostava de aprender e admirava o gosto fino de Egon. Talvez em uma ocasião futura, ela teria gostado ir a esse evento com ele,  mas não naquela noite.
Quando ela tinha sido surpreendida pelo convite de Egon, Janine imaginou que eles fossem para algum lugar mais tranquilo, onde pudessem conversar melhor.
Ela gostava de ouvi-lo, de conhecer cada vez mais sobre seu passado e gostos peculiares.
Queria sentar ao seu lado, encostar a cabeça em seu peito, enquanto ele, com aquela voz grossa e linda, contasse a ela sobre suas experiências, sobre seus planos.
Talvez ela pudesse se aproximar ainda mais do seu tão distante Egon. Talvez ele passasse a gostar cada vez mais de sua companhia. Talvez ele quisesse e desejasse tê-la sempre ao seu lado...
- Esplêndido! - ele falou alto e ela despertou de seus pensamentos.
Ele se ergueu batendo palmas e ela notou que todos passavam a fazer o mesmo.
Então ela também se ergueu, imitando os demais e sorriu, olhando para o seu acompanhante.
Apesar que não ser o programa que ela esperava, Janine não podia deixar de sentir alegre, ao ver o entusiasmo de Egon.
Além disso, ele a tinha levado para acompanhá-lo em um dos programas que ele mais gostava. Talvez isso significasse alguma coisa.
**
- Não foi maravilhoso? 
Eles estavam descendo as escadas do teatro, Janine segurando no braço dele.
- Sim, Egon! - disse ela simplesmente. - A noite está linda hoje, não? 
- É verdade! Apesar da chuva que provavelmente cairá daqui a uma hora, se meus cálculos estiverem corretos!
- Mas o céu está limpo!
- Isso é passageiro, logo virão as nuvens e...
- Hum, que pena! - ela o cortou.
- Talvez seja melhor levá-la logo até o seu apartamento.
- Está bem! - disse ela um pouco desapontada.
*
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:14 pm

XII

- Obrigado por ter ido comigo, Janine! - ele disse de modo formal.
- Eu que agradeço por ter me convidado, Egon! 
Antes que ele pudesse perceber, Janine já tinha colocado os braços ao redor de seu pescoço e lhe dado um beijo rápido na boca.
- Boa noite, Egon! 
- Bo-boa noite, Janine! -  ele saiu em seguida, o rosto vermelho e envergonhado.
Ela entrou em seu apartamento sorrindo.
Janine se sentou por algum tempo no sofá e ao notar um barulho, olhou pela janela.
Estava chovendo! 
"Oh, Egon, você é sempre tão esperto, tão inteligente! " Ela pensou sorrindo.
***
- Que bela hora de chegar, senhorita Melnitz! 
- Doutor Venkman, só me atrasei por cinco minutos! E por causa dessa chuva que não passa! - disse a secretária, colocando seu guarda-chuva num canto e se aproximando de sua mesa, onde estava Peter sentado.
- Oh, sim! E por que não saiu mais cedo de casa? Será que dormiu demais? A noite foi tão boa ontem? 
- Em primeiro lugar, eu saí mais cedo sim, de casa. Não dormi demais! E em segundo, sim, ontem tive uma noite maravilhosa! 
- E claro, se esqueceu do seu trabalho!
- Você está mais chato do que de costume, doutor Venkman! Por acaso alguém já ligou? 
- Eu não sei, quem tem que saber isso é você! Esse é o seu trabalho! 
- Então me deixe trabalhar! Saia de cima da minha mesa!
Ela colocou a mão nas costas dele, para fazê-lo se erguer, mas Peter agarrou seu pulso e a puxou para perto de si.
Ele se levantou, olhando-a fixamente nos olhos.
- Não posso mais me controlar! 
- O quê? 
- É loucura, mas eu sempre fui louco mesmo! - ele a beijou bruscamente.
Janine, mesmo tomada de surpresa, tentou se afastar dele, mas Peter a segurava apertado.
Ele aproveitou que ela ainda estava confusa e aprofundou o beijo, colocando a lingua dentro da boca dela.
Janine, não resistiu e passou a corresponder. 
Peter a colocou sentada na mesa, do mesmo jeito que estava há instantes antes e se colocou entre as pernas dela.
Ele não parava de beijar Janine, enquanto sua mão esquerda passou a acariciar a coxa dela.
A mão estava subindo mais, quando de repente Janine despertou do desejo repentino.
Ela interrompeu o beijo o empurrou.
- Ei, pare com isso agora! 
- Hã? - ele tentou se aproximar dela de novo, mas ela o esbofeteou.
- Eu disse pare! 
- Ai, isso já está virando um hábito! - ele reclamou, alisando o rosto dolorido e vermelho.
- Como se atreve a me agarrar assim, doutor Venkman? Ainda mais no meu local de trabalho! 
- Bem, eu não sei! Talvez eu tenha passado um pouco dos limites! 
- Um pouco? 
- Tá certo, muito! Eu prometo que não farei de novo! 
- Está bem, vamos esquecer isso, ok! 
- Continuamos amigos?
- Se você deixar de ser insuportável!
- Isso é um sim? Nesse caso, amiguinhos! - ele deu um sorriso zombeteiro. - Acho melhor aproveitar a manhã de folga e ir lavar roupa. Com licença! 
Ele saiu sorrindo e Janine sentou em sua cadeira, sentindo as pernas tremerem.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:16 pm

XIII

Ela se perguntava o que teria acontecido, se não tivesse parado Peter a tempo.
Ela não podia mentir para si mesma. Estava atraída por Peter. Mesmo tendo o afastado depois, ela correspondeu de bom grado o beijo e as carícias dele.
"Aiai, o que vou fazer? Isso não pode continuar! " Pensava ela, encostando a cabeça em sua mesa.
- Ei, Janine! - a voz de Peter a assustou e ela se ergueu rapidamente.
- Aconteceu alguma coisa? 
- Hum... Vim perguntar se fizeram alguma ligação! 
- Não. E não tem nem cinco minutos que você saiu daqui! 
- Ah, mas alguém poderia ter ligado! 
- Não, Peter! 
- Bem, já que tudo anda calmo, que tal se sairmos de novo pra almoçar, mais tarde? Prometo que dessa vez levarei o cartão! 
- Eu sinto muito, mas hoje não posso sair para almoçar! Tenho que dar baixa em todas essas contas. Além disso, podem precisar de você aqui, não? 
- Bem e que tal jantar? Preciso me redimir com você!  
Egon, que descia as escadas com Ray, ouviu a conversa e se aproximou dos dois.
- Eu sinto muito, Pete, mas Janine e eu já tínhamos combinado de ir jantar! 
- Tínhamos? - a secretária o olhou surpreendida.
- Não se lembra? É natural! Às vezes nosso cérebro pode criar certos lapsos de memória.
- Oh, sim, claro! - Peter revirou os olhos.  - E o meu cérebro me diz, que você fez isso de propósito! - resmungou ele, em voz baixa.
- Como? 
- Não foi nada! Acho que vou subir e ver se Doris está disponível para sair comigo essa noite! Ela jamais deixaria Peter Venkman na mão! - ele deu um olhar meio orgulhoso, meio afetado para Janine e Egon e subiu as escadas.
- Vejo que vocês três andam saindo bastante ultimamente! - Ray comentou sorrindente.
Janine olhou para Egon, ainda sem acreditar.
Ele tinha mesmo feito aquilo de propósito? Não queria que ela saísse com o Peter? Pensava ela.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:20 pm

XIV

O jantar tinha sido maravilhoso, simplesmente porque ele estava ao seu lado.
Egon era um ser muito singular. Qualquer outro numa situação assim, estaria a paquerando e dizendo frases feitas. Ou ainda, como Peter, comendo tudo o que via pela frente.  Entretanto Egon, analisava a comida, fazia observações peculiares e se concentrava naquilo que ninguém se importava.
Sua inteligência e seriedade sempre atraíram-na. Até mesmo porque ela via mais além. Atrás da aparência fria e séria, ela sabia que ele era um homem gentil, sensível e um pouco tímido.
Ela sorria interessada, ouvindo-o falar sobre sua nova máquina, enquanto eles caminhavam na rua escura, depois que saíram do restaurante.
Janine, no entanto, parou andar e se surpreendeu, quando ele perguntou de repente: 
- Janine, você e Peter estão... Hum... Com algum compromisso?
Ela ficou muda por alguns intantes, sem saber o que dizer.
- Bem, Egon, não! - sua voz se desprendeu com dificuldade. - Nós saímos algumas vezes, como você sabe, mas não temos nada. 
Assim que terminou de falar, a secretária refletiu o quanto tinha sido sincera a sua resposta. 
Havia algo acontecendo entre eles sim, mas ela não sabia ao certo o quê e estava confusa.
Como se adivinhasse seus pensamentos, Egon comentou:
- Vocês parecem muito juntos ultimamente! 
Ela deu um sorrisinho malicioso e não resistiu em perguntar:
- Egon... Por acaso você está com ciúmes? 
- Ci-ciúmes?! - ele ficou vermelho e virou o rosto. - Claro que não! Desconheço esse tipo de emoção. É  absolutamente tolice! Coisa de pessoas inseguras!
- Hum... Claro! - ela começou a andar na frente dele, um pouco decepcionada e ele a alcançou.
- Ei, Janine! 
Ela se voltou para olhar para ele. Mas no movimento brusco, seu sapato de salto entortou e ela virou o pé.
- Ai! Droga! 
Egon a amparou rapidamente, antes que ela caísse.
- Você está bem? 
- Estou sim, obrigada! 
Egon a manteve em seus braços olhando fixamente para Janine. Seus lábios se aproximavam bastante, mas nesse momento ambos ouviram uma voz: 
- Vou destruir vocês! 
Um mostro com aspecto de um medonho gato gigante, sobrevoava os dois.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:23 pm

XV

- Oh, que bela hora para aparecer um fantasma! 
- Temos que voltar para casa! Você consegue correr, Janine? 
- Sim, meu pé está bem, não foi nada! 
- Ótimo, então vamos depressa! - ele a puxou pelo braço e os dois correram alguns quarteirões até chegar a Firehouse.
- Ei, por que estão correndo assim? - perguntou Winston.
- Um fantasma está atrás de nós! Depressa, precisamos das pistolas de prótons! - Egon subiu as escadas rapidamente. Lá do alto ele disse:  - Esconda- se atrás da mesa, Janine! Não vamos demorar! 
- Está certo! - Janine fez o que ele havia dito, no instante em que o fantasma entrava no lugar.
Ele, furioso, destruía tudo o que via pela frente e Janine torcia para que os rapazes não demorassem lá em cima.
Peter, que acabava de voltar da rua, ignorando que havia um fantasma, entrava tranquilamente na Firehouse, quando se deparou com o ser sobrenatural.
- Ei, o que está acontecen...?
O fantasma se dando conta da presença dele, ia acertar Peter com sua calda, mas Jeannie correu de seu esconderijo e se jogou em cima do rapaz, empurrando-o para longe do perigo.
Ray, Winston e Egon chegaram nesse momento e lançaram rapidamente os raois contra o fantasma, acertando-o em cheio.
- A armadilha, Ray! - gritou Egon, que apesar de estar concentrado no fantasma, tinha notado como Janine protegera Peter.
- Certo! - gritou Ray, jogando a armadilha e acionando o botão.
O fantasma foi preso e tudo estava acabado.
- Você está bem Peter? - perguntou Janine, saindo de cima dele.
- Sim, obrigado, Janine! 
- Você tinha que ter tomando cuidado, Peter! Poderia ter posto Janine em risco! - falou Egon claramente incomodado em ver os dois juntos.
Peter suspirou, mas disse: 
- Sim, você tem razão! Sinto muito, Janine! 
- Tudo bem, por sorte tudo acabou! - disse ela, sorrindo para Peter.
Egon virou o rosto contrariado e saiu, sem nada dizer.
- Parece que alguém está com ciúmes! - cochichou Winston para Ray.
- Sim, é o que parece! - disse Ray .- Bem, acho melhor eu  levar esse fantasminha  logo para a  unidade de contenção! Com licença pessoal! - Ray se retirou.
Janine olhou para a bagunça que estava o lugar e deu um suspiro. Eles que arrumassem tudo, não era hora de expediente dela.
- Agora que está tudo bem, vou para meu apartamento! - disse ela. - Até amanhã, garotos! 
- Espere, Janine! - Egon surpreendeu a todos reaparecendo. - Vou levá-la para casa! 
- Oh, Egon, muito obrigada! - ela o olhou afetuosamente e Peter fez uma careta.
***
- É tão amável de sua parte me trazer até aqui, Egon! 
- Não foi nada Janine! - ele ficou meio sem jeito, mas disse:  - Então... Será que... Podemos sair de novo? Um outro dia? 
- Oh, sim, isso seria ótimo! Que tal amanhã? - ela disse empolgada.
- É... Bem, pode ser! 
- Obrigada mais uma vez, Egon! - ela o abraçou e entrou em seu apartamento.
Egon ficou algum tempo parado ali, com um sorriso alegre.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:29 pm

XVI

A temperatura estava amena, naquela noite agradável de primavera.
Egon e Janine caminhavam lentamente. Janine falava o tempo todo sobre banalidades. Ele a ouvia e apenas dizia curtas frases. Janine não se importava. Sabia que fazia parte da natureza dele.
- Ah, eu gosto muito de andar nesse parque! É tão calmo! - ela comentou. 
- É, parece mesmo ser... Tranquilo! 
Ela o notou mais sério de repente e perguntou: 
- Algum problema, Egon? 
- Eu estava pensando naquele fantasma que apareceu. E também em todos os outros. Esse volume excessivo só pode significar que há algum portal aberto.
- É, acho que você tem razão! O gato sinistro nos deu um terrível susto. E quase pegou o Peter. Aquele distraído, bobo...
Egon olhou para Janine. Estava se sentido incomodado.  
- Parece que você anda pensando muito no Pete, ultimamente! - ele parou de andar, cruzando os braços e virando o rosto contrariado.
- Eu só estava lembrando do que tinha acontecido, Egon. - ela colocou as mãos em seu peito. - Na verdade, eu só penso em você, o tempo inteiro.
O rosto dele ficou vermelho.
- Hum... Er... - ele tentou dizer algo lógico para disfarçar seu contentamento com as palavras dela, mas dessa vez não conseguiu.
Egon emudeceu diante daquele olhar penetrante e como se estivesse atraído por uma força magnética, seus lábios se aproximaram e encontraram os dela.
Janine ficou surpresa, mas feliz com o gesto. Ela o abraçou, aprofundando o afeto.
Ele a envolveu em seus braços, rendendo-se a ela.
Eles ficaram por alguns intantes assim, até que Egon interrompeu o beijo.
Seu rosto estava muito corado e sua respiração levemente acelerada.
- Hum... Bem, acho melhor irmos, não? - disse ele soltando-a  e ajeitando o colarinho, em um gesto de embaraço.
- Como quiser, Egon! - ela sorriu segurando seu braço.
**
Assim que chegaram ao apartamento dela, ele se despediu: 
- Até logo, Janine! 
- Você não quer entrar? 
- En-entrar? 
- Sim. Para tomar um café, conversarmos mais um pouco e...
- E-eu sinto muito, Janine, mas tenho que ir!
- Entendo.... Mas será que podemos sair de novo? 
- Eu não sei... - Egon começou a se esquivar. - Depois vemos. Até mais! 
Ele saiu quase correndo e Janine suspirou.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:34 pm

XVII

A secretária entrou em seu apartamento desanimada. 
Estava tão contente quando Egon a beijou, que imaginava que ele passaria a se interessar mais por ela.
Por isso não resistiu a vontade de chamar o cientista para entrar em seu apartamento. Mas ele fugira e não parecia interessado em sair novamente com ela.
"Talvez ele só tenha me beijado por pena! " ela pensou de repente.
Refletindo sobre a situação dos dois, ela percebeu que Egon nunca demonstrou realmente algum interesse nela.
Talvez agora, depois de seu estranho envolvimento com Peter, ela estava podendo ver a situação de forma mais clara.
Janine podia notar em Peter, seu desejo por ela e de certa forma, aquilo a lisonjeava. Podia ser superficial, mas ele a queria, ele a notava.
Egon era sempre tão distante. Talvez porque ele só se importasse com seu trabalho, ou talvez ela não fosse boa o bastante, para despertar o interesse dele.
No máximo ele gostava dela com uma amiga e por isso suportava fazer alguns passeios com ela.
"Talvez fosse melhor deixá-lo em paz! Acho que as coisas sempre serão assim! " ela pensou triste.
**
- Oh, não, esse fio não é aqui! - Egon suspirou, jogando o alicate em um canto da mesa.
Ele detestava não conseguir se concentrar. E isso havia se tornado frequente nos últimos tempos!
Tinha deitado pensando nela, sonhado com ela e acordado no meio da noite, com ela na cabeça. 
Uma parte de sua mente tinha se arrependido, de não ter aceitado o convite de Janine, de entrar em seu apartamento. E por ter se esquivado dela, quando ela pediu para sairem de novo.
Depois daquele beijo, ele queria estar com ela, ter um contato mais próximo e isso de certa forma o assustara.
Seu corpo reagia quase que  violentamente ao toque dela. A aproximação de Janine fazia seu instinto falar mais alto que a razão, que a lógica. E ele não sabia como lidar com isso! 
Ele balaçou a cabeça e se ergueu de sua cadeira. Tinha que ser racional e se concentrar em coisas importantes.
Por hora, ele iria até a cozinha, beberia um pouco de leite, ou qualquer coisa reconfortante que o ajudasse a dormir novamente. No dia seguinte seguiria com o seu trabalho. E se possível, evitaria pensar nela.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:38 pm

XVIII

- Bom dia, Janine! Alguém ligou? - perguntou Peter, naquela manhã.
- Sim, eu já ia tocar o alarme! - ela entregou um papel com um endereço. - Parece que há alguns fantasmas nessa fábrica. 
- Bem, vamos ao trabalho! 
Ela tocou o alarme para chamar os outros, enquanto  Peter  disse: 
- Você parece desanimada! Não teve um bom passeio com Egon? 
- Ah, é melhor não falarmos disso! 
- Tão ruim assim? 
- Não é bem isso... Mas não importa! Acho melhor deixar o Egon com o seu trabalho! 
- Então você não gostaria de sair novamente comigo? 
- Sair? - ele balançou afirmativamente a cabeça e ela decidiu: - Quer saber? Eu quero sim! 
Peter sorriu animado, no instante em que Winston, Ray e Egon desciam.
Egon se aproximou de Janine, o olhar fixo nela.
- Bom dia, Janine! 
- Ah, oi Egon! - ela virou o rosto, sem lhe dar muita atenção.
Egon se surpreendeu ao notar Janine um pouco fria. Ele ia dizer algo, mas os rapazes o chamaram. Estava na hora de ir.
**
- Ei, onde está o Pete? - perguntou Ray, entrando no quarto.
- Pete saiu com Janine! - falou Geleia.
- Ora, esse Peter! Nem levou o lixo para fora! - Ray balançou a cabeça. - Quem de vocês poderia me ajudar com isso? 
Egon ficou calado e Winston suspirou: 
- Ah, está bem, vamos lá, Ray! Mas Peter nos deve uma!
- Venha nos ajudar também, Geleia! - disse Ray.
- Ah, está bem! Mas antes vou fazer um lanchinho! 
Eles saíram e Egon se ergueu da cama, passando a andar de um lado para o outro.
Peter e Janine tinham saído juntos novamente! Ele estava com ela!
Egon, conhecendo Peter, sabia que ele estava realmente interessado em Janine. E que provavelmente já havia algo acontecendo entre eles.
Janine tinha sido fria e indiferente com ele, o dia todo. Ele tentou por três vezes falar com ela, mas ela mal lhe respondia.
"Vou acabar perdendo Janine! " pensou ele angustiado e resolveu sair.
**
- Foi bem divertido! - disse Janine para Peter.
- Sim, foi mesmo! Eu não vou ao circo há séculos! 
- Eu acho que você deveria trabalhar em um? 
- Já pensei nisso! Imagina: O grande Venkman, o maior mágico de todos os tempos! Ou um corajoso domador de feras ou ainda...
- Doutor V., o palhaço convencido! 
- Ora, Janine, sua...
- Hahaha! - ela deu risada e beijou seu rosto. - Obrigada pelo passeio, Peter! 
Ele olhou profundamente para ela e disse: 
- Janine, eu gostaria que fosssemos mais que amigos. Eu não paro de pensar em você. E quando estamos juntos fico com vontade de te beijar e... - ele ia beijando a secretária, mas ela o parou.
- Não, Peter, não faça isso! 
- Mas ...
- Eu pensei muito sobre nós dois. O que está acontecendo tem que parar.
- Mas ainda não aconteceu nada! 
- Aconteceu sim. E foi loucura! Essas nossas saídas, os beijos. Foi uma atração, ou carência nossa, não sei. Mas é só isso! Eu amo você, Peter, mas como meu amigo.
- Ouça Janine, podemos nos dar bem juntos! Eu acho que não precisamos pensar no que está acontecendo, apenas viver! 
Ele a beijou de surpresa e ela permitiu.
Assim que interromperam o gesto, ela comentou: 
- Perdoe-me Peter, mas eu gosto do Egon! Não posso continuar com isso com você! 
- Está bem, Janine, não vou insistir! - ele virou o rosto, o orgulho um pouco ferido.
- Até logo, Peter! - ela o deixou, seguindo rumo ao seu apartamento.
No caminho, a ruiva refletiu que talvez tivesse sido precipitada.
"Talvez eu devesse voltar e pedir desculpas para o Peter. Não quero que ele se magoe! "
Ela correu, voltando para o lugar onde o havia deixado e o encontrou com uma loira curvilínea, conversando bem animado.
- Você poderia me dar seu telefone? - ela o escutou dizer.
Janine revirou os olhos e voltou para casa.
"Eu devia imaginar! " pensou ela.
Ao chegar na porta de casa, ela deu um passo para trás, surpresa: 
- Boa noite, Janine! 
- Egon?!
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:42 pm

XIX

- Não esperava me ver aqui, não? 
- Na verdade, não! Aconteceu alguma coisa? 
- Eu preciso falar com você! - disse ele, ajeitando os óculos no rosto.
- Hã? Claro! 
Ela abriu a porta e o mandou entrar e sentar.
Depois da recusa dele, quando ela lhe ofereceu algo para beber, ela se sentou ao lado dele no sofá e esperou que ele falasse.
Ele ficou alguns minutos em silêncio, escolhendo as palavras, até que por fim começou: 
- Eu gostaria de me desculpar, por não ter aceito seu convite para entrar aqui, da última vez e ter ido embora, de forma... Hum... Um pouco brusca!
- Não se preocupe, Egon! - ela abaixou o olhar, triste. - Eu sei que você não gosta de mim! 
- Por que você diz isso? 
- Você parece sempre tão incomodado, quando eu estou por perto! Quase sempre recusa, quando eu o chamo para sair. Eu sei que você só quer a minha amizade, ou talvez nem isso. - ela abaixou a voz. - Nem sei porque você me beijou. Talvez por pena! 
- Não! Você está errada! Nada disso é correto! 
- Então...
- Eu... Eu gosto de você, Janine! - ele queria confessar o quanto se incomoadava por vê-la com Peter, mas se conteve.
Já era difícil o bastante confessar sua afeição por ela.
- Tem certeza? 
- Afirmativo! 
- Egon! - ela ficou mais próxima dele e perguntou atrevida: - Você também gosta dos meus beijos? 
Ele ficou vermelho e tentou se erguer do sofá, mas ela não permitiu.
A ruiva olhou em seus olhos e esperou uma resposta.
Acuado, ele confessou: 
- Er... Bem... Digamos que meu corpo tem estado propenso a certas reações e....
- Sim ou não, Egon? - ela o cortou, sem paciência. 
Pela primeira vez na vida, não estava com humor para ser complacente com ele.  
- Sim! Muito! - ele deixou escapar o "muito", mas foi o que Janine precisava ouvir.
Ela o puxou pelo colarinho e beijou apaixonadamente.
*
Egon parou o beijo, arfando, mas Janine não o deixou escapar.
Ela não iria perder aquela oportunidade!
A moça passou a beijar o pescoço de Egon, que começou a ficar arrepiado.
- Ja-Janine... O que está fazendo?
- Hum... Considere isso como uma experiência! - ela sorriu e continuou o seu trabalho.
Egon tentava se conter, mas não estava resistindo mais. Suas mãos iam lentamente tocando o corpo dela.
Quando ele a sentiu começar a lamber seu pescoço, ele não se conteve. Puxou a ruiva para si e a beijou com desejo.
Janine se extasiou, feliz, por ter vencido a batalha. 
Sem cerimônia, ela sentou em seu colo, os braços ao redor do pescoço dele.
Egon chamava para si a razão, mas o seu corpo agora parecia ter vida própria. Não obedecia mais sua mente, mas seus próprios instintos.
Poderia ser loucura, mas depois de algumas tentativas inúteis de manter a compostura, ele desistiu.
Talvez fosse pela primeira vez na vida, mas ele não queria pensar.
Estando já casa dos trinta, ele não era mais um garoto inocente, nem inexperiente. Mas de fato, nenhuma outra mulher no passado, tinha despertado nele esse sentimento irracional e avassalor que ele sentia no momento.
Suas mãos formigavam, doidas para explorar todo aquele corpo curvilíneo de sua secretária.
Egon mantinha seus lábios nos dela, em um beijo exigente, quando começou a deslizar as mãos por uma de suas coxas.
Ah, aquelas pernas, que tantas vezes e quase inconscientemente, ele observava, quando ela estava trabalhando. Agora ele não precisava conter o desejo de tocá-las, acariciá-las.
Janine deu um suspiro, ao sentir a mão dele ali, em seu corpo.
Ela interrompeu o beijo e começou a abrir os botões da camisa dele.
- Janine, eu... Talvez fosse a hora de parar... - ele começou, a lógica tentando controlá-lo outra vez.
- Por favor, não me deixe agora! - ela pediu, sussurrando em seu ouvido.
Isso foi o bastante para que ele se rendesse novamente e passasse a beijar seu pescoço.
Enquanto isso, ela terminou de abrir sua roupa e puxando os suspensórios para baixo, retirou a camisa, passando a acariciar seu peito.
*
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:50 pm

XX

Ele sentiu seu corpo todo se arrepiar, quando ela o arranhou levemente com suas unhas compridas.
Janine deu alguns beijinhos em seu peito e falou: 
- Vamos para meu quarto, sim? 
Ele enrubesceu por um instante, mas tomando uma decisão, concordou com a cabeça.
A ruiva se deliciou, quando ele a segurou em seus braços e a levou para o quarto dela.
Ele a colocou na cama e Janine o puxou para cima dela, com os braços firmes ao redor de seu pescoço.
Eles continuaram os beijos, mas Egon queria mais. Ele queria observar cada pedaço daquele corpo, ver como ela reagia a cada toque dele, dar-lhe prazer...
Ele interrompeu o beijo e segurou a ponta da blusa que ela usava e olhou para Janine, esperando sua aprovação. 
Ela lhe deu sorriso e o ajudou a tirar a peça. 
Ele tocou delicadamente em sua barriga, deslizando a ponta dos dedos, até chegar na base de seus seios.
Janine sentiu seu coração acelerar, ao ver aqueles lindos olhos azuis se escurecerem e a olharem com desejo.
Sem poder se conter, ela mesma abriu o gancho do sutiã e o retirou.
Egon arfou ao ver aquele corpo seminu. Ela era ainda mais bela do que ele imaginava. Tinha formas harmoniosas. 
Ele passou as mãos pelos seios dela, massageando-os e a fazendo dar um leve gemido.
Doido para sentir seu gosto, ele passou a beijar aquela região e lamber seus mamilos.
- Oh, Egon! 
Ouvi-la gemer seu nome o incitou mais e ele abriu sua saia e a tirou dela.
Egon desceu seus beijos, para baixo e retirando a última peça de roupa dela, começou a fazer-lhe carícias íntimas.
Janine gemia alto agora, completamente cativa de seus toques, seus beijos, suas lambidas.
- Hum .... - ele usava sua língua sem nenhum pudor, enquanto acariciava com as mãos suas coxas.
Janine mal podia acreditar.
Aquele era mesmo Egon frio e um pouco tímido que ela conhecia? Que sempre fica vermelho quando ela o agarrava? 
Ela nunca poderia imaginar que esse mesmo Egon era um homem experiente e habilidoso, que estava levando-a ao paraíso em questão de segundos.
- Ahh... - ela não conteve o grito, quando ele a levou ao clímax.
*
Ela fechou os olhos, aproveitando ao máximo a sensação de prazer que ele lhe proporcionou.
Quando voltou seu olhar para Egon, ele estava de pé, desfazendo-se de suas calças e suas boxers preta.
Janine contemplou o homem nu ao seu lado.
Ele parecia ainda mais alto assim. Egon era magro, mas totalmente proporcional. Ela olhou para seu peito, desceu mais o olhar e sem vergonha, olhou para seu membro.
Ele não era muito grosso, mas excitantemente longo.  Ela sentia seu corpo queimar, só de olhar para ele.
Sob o olhar atento dela, ele desviou o olhar para um canto. O Egon meio tímido se apossando dele novamente.
Porém, ele se deitou ao lado dela, abraçando-a e beijando seu pescoço.
- Egon, eu quero você! 
- E-eu também, mas... - começou ele, se lembrando de algo. - Eu não tenho nenhuma proteção aqui e... Hum...
- Não se preocupe com isso. - ela falou, sem rodeios. - Eu tomo contraceptivos.
Ela então deitou de costas e o puxou para cima dela.
Janine podia sentir o membro dele, tocando levemente em suas partes íntimas.
Ela lhe deu um sorriso encorajador e ele a penetrou lentamente.
- Ohh... - ele gemeu, ao se sentir dentro dela.
Ele ia lento de início, mas depois acelerou.
Ele já estava totalmente tomado pelo desejo e prazer e já não conseguia se conter mais.
Janine gemia muito, sentindo que estava se aproximando do seu segundo orgasmo da noite.
Não demorou até que ela gritou o nome dele. 
Ele gemeu alto, liberando seu próprio prazer.
Egon tomou fôlego e saiu de cima dela. Janine se aninhou em seus braços.
- Obrigado, Janine! - ele disse por fim.
- Eu amo você Egon! - ela se declarou, satisfeita.
Ele nada disse. Somente sorriu e deu-lhe um beijo no topo da cabeça.
Janine levantou a cabeça para olha-lo e percebeu que ele já estava dormindo.
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 10:58 pm

XXI

Janine se remexeu na cama, quando ouviu seu telefone tocar.
Ela abriu os olhos e sorriu ao ver Egon dormindo profundamente ao seu lado.
A ruiva esticou o braço e atendeu ao telefone insistente.
- Hum... Alô? 
- Janine? Aqui é o Peter! Será que desistiu de trabalhar hoje? 
Assim que ele disse isso, a secretária olhou para o relógio e pulou da cama.
- Oh, nove horas! Não pode ser! - ela gritou, fazendo Egon começar a acordar.
- Se decidir vir trabalhar hoje, eu agradeceria muito. - disse Peter com ironia. - Estamos com sérios problemas! 
- O que aconteceu? 
- Ray descobriu um portal de onde todos esses fantasmas estão saindo. Temos que ir para lá! 
- Eu perdi a hora, mas estou indo! - ela falou apressada.
- Ótimo! Ah, faça-me um favor: localize o Egon! Ele não dormiu aqui na noite passada. Acredito que você saiba dele.
- Bem, eu...
- Até logo! - Peter desligou na cara dela, antes que ela pudesse dizer qualquer coisa.
Janine olhou para sua cama e viu que Egon já tinha levantado e começado a se vestir.
- Era Pete, ao telefone? - ele perguntou.
- Sim, parece que Ray encontrou o portal de onde estão vindo os fantasmas.
- Oh, tenho que voltar imediatamente! Eu dormi demais! - disse ele. 
- Eu vou com você! Só preciso tomar um banho e...
- Desculpe Janine, mas não posso esperar! Preciso ajudar-los! Esse portal representa um perigo muito grande! 
- Eu entendo... - ela abaixou a cabeça. - Mas será que podemos nos ver novamente aqui! 
- Bem, acho sim! - ele foi evasivo. - Desculpe, mas tenho que me concentrar nesse problema! - Egon calçou seus sapatos e se retirou apressadamente, sem ao menos dar-lhe adeus.
Janine sentou na cama, incrédula. Ele tinha voltado a ser o Egon distante e focado em seu trabalho que ela conhecia.
Parecia até que eles não tinham passado a noite juntos! 
Suspirando, ela foi tomar seu banho. Tinha que ir trabalhar! 
**
Passaram- se três horas desde que Janine tinha chegado à Firehouse para trabalhar e não havia sinal dos rapazes.
Ela torcia para que tudo acabasse bem, quando eles apareceram, com o Ecto 1, todo amassado.
- Oh, pensei que não sairia vivo dessa!  - exclamou Winston, assim que terminou de manobrar o carro.
Os quatro saíram do veículo e Janine correu ao encontro deles.
- Vocês estão bem? - ela perguntou abraçando Egon.
- Tivemos contratempos, mas enfim o portal foi fechado! - disse Egon.
- Contratempos? Quase viramos pastel, nas mãos daqueles fantasmas! - disse Peter, cansaso e irritado.
- Mas tudo acabou bem! - disse Ray. - E provavelmente teremos uma folguinha por alguns tempos.
- Espero que não seja suficiente para arruinar nosso negócio! - disse Winston.
- Creio que não! Fechamos o portal, mas não capturamos todos os fantasmas que saíram dele. Ainda teremos muito trabalho pela frente! - disse Egon, enquanto se afastava de Janine, um pouco vermelho. - Com licença, vou para o laboratório! 
Ele se retirou e Janine deu um suspiro.
A ruiva deixou os outros três rapazes conversando e foi até sua mesa, trabalhar.
Porém, não parava de refletir sobre Egon. "Eu devia imaginar..." Ela disse suspirando.
- Resolveu trabalhar, senhorita Melnitz? 
Janine quase pulou da cadeira ao ouvir a voz de Peter. 
- Sinto muito pelo atraso, perdi a hora! 
- A noite deve ter sido muito boa, não? 
- Não tão boa quanto a sua deve ter sido, com aquela loira! 
- Você me viu com Kelly? - ele perguntou surpreso.
- Sim. Voltei para falar com você, mas você já estava ocupado! 
- Bem, não esperava que eu fosse chorar, porque você me deu um fora, não é?  
- Ora, não foi assim, não foi um fora, doutor Venkman! Só quis ser honesta com você! 
- É uma pena... - ele falou, depois de alguns intantes calado.
- O quê? 
- Nós iríamos nos divertir juntos! - ele se aproximou dela e lhe roubou um beijo.
Janine lhe deu um tapa na cara, mas ele riu, indo embora.
Ela balançou a cabeça, tocando em seus próprios lábios.
"Ah, se o Egon fosse decidido assim...". Ela balançou a cabeça, afastando o pensamento. "O que estou pensando? Egon pode ser sério, mas não é um cretino como Peter! E ele é tão lindo! Tão inteligente..."
- Ah, Egon! 
**
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

avatar

Mensagens : 645
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   Sab Out 07, 2017 11:00 pm

XXII

Janine voltou para casa desanimada. Egon tinha ficado o dia todo no laboratório e não viera falar com ela.
A secretária começou a pensar que ele devia estar arrependido de ter passado a noite ao seu lado.
"Ele não deve me achar interessante o bastante!" Pensou ela, enquanto entrava em casa.
** 
Janine tinha acabado de sair do banho, quando ouviu a campainha tocar.
Ela imaginou ser o síndico, ou algum vizinho chato, que queria algo emprestado.
Sem se importar, ela se enrolou em uma toalha e abriu parcialmente a porta. 
Janine se surpreendeu ao ver Egon.
- Você? 
- Olá, Janine! Será que eu posso entrar?
- Claro!  
Ela abriu a porta e ele entrou em seguida. Egon ficou vermelho e com a garganta seca, ao ver Janine só de toalha.
Ele tentou manter a calma, enquanto lhe entregava um vaso de flores.
- Eu acho que lhe devia isso, depois do que aconteceu com os gerânios! 
- Oh, Egon, elas são lindas! - ela sorriu para ele e Egon retribuiu, com seu sorriso meio tímido.
- Eu já usei o medidor nelas! Não há nenhum sinal de energia ectoplásmica.
Ela sorriu, colocou o vaso na mesinha e se voltou para ele.
- Achei que você não fosse mais voltar aqui! 
- É que... Bem... Eu sinto muito por ter saído de forma um pouco brusca, mas... Er... Você sabe, eu tinha que ir e... - ele estava vermelho e olhava para todos os cantos, menos para ela.
Ela sorriu e se jogou nos braços dele, pegando-o de surpresa.
- Estou tão feliz que tenha vindo, Egon! - ela o beijou apaixonadamente.
Egon não resistiu. Seus braços rodearam seu corpo, enquanto puxavam a toalha dela e sem perceber, ele já estava levando Janine nua para o quarto...
**
- Oh, Egon! -  a ruiva gemeu seu nome, enquanto subia e descia em cima do corpo dele.
- Janine! - ela amou ouvir aquela voz forte e grossa gemer seu nome.
Ela então olhou para ele. Egon tinha o rosto corado de prazer, a boca semiaberta, tanto ofegante e olhar cheio de desejo.
Janine pensou que não havia nada melhor do que aquele momento. Seu amado e sempre frio Egon estava ali, unido a ela, naquele ato tão íntimo e apaixonado. O tempo poderia parar naquele mesmo instante.
Mas não parou e logo ela chegou ao clímax, desabando saciada sobre o corpo dele.
- Oh, Egon, você foi maravilhoso! 
- Você também! - ele disse.
- Eu amo você! 
Janine amava o sorriso discreto e feliz que ele dava, quando ela dizia isso. Mesmo que ele tentasse disfarçar depois, ela sabia que ele gostava de ouvi-la.
Talvez um dia, ela pudesse ouvir dele também! Pensava esperançosa.
Ela lhe deu leve beijo na boca e ele a ajeitou junto ao seu corpo, abraçando-a.
- Hum... Talvez eu devesse ir embora e deixar você descansar! - disse ele.
- Não! Eu quero que você durma aqui comigo! Por favor! 
- Como quiser! - disse ele com um sorriso, que não pode disfarçar.
Ele não queria mesmo ter que partir! 
**
- Bom dia! 
- Ah, apareceu, Egon? Já é quarta vez nessa semana! Estávamos aqui pensando se algum fantasma não tinha se apossado de você! - brincou Peter.
Egon ficou sem graça.
- Er... Bem eu estava meio sem sono ultimamente e achei melhor dar umas voltas por aí...
- No apartamento da nossa secretária! - disse Winston com um sorriso.
- Er... Bem! Acho melhor ir ao laboratório e... Com licença! - ele saiu quase correndo do quarto.
Peter balançou a cabeça. Ele sempre soube que Janine amava Egon e mesmo um pouco desapontado, torcia para que aqueles dois dessem certo. Acima de tudo, Egon era seu amigo! E desejava o melhor para Janine também! 
**
- Bom dia, Ray! - Egon o cumprimentou assim que entrou no laboratório.
- Ah, oi Egon! E como está Janine? 
- Er... Bem, ela está lá embaixo! 
Ray deu um sorriso divertido, ao ver o amigo sem graça.
- Acho melhor começar a trabalhar, certo? - disse Egon, com medo que Ray fizesse perguntas pessoais.
- Certo! - Ray deu de ombros e voltou para sua tarefa.
Egon sabia que todos eles estavam cientes do seu novo relacionamento com Janine, mas não estava à vontade para falar disso por enquanto.
Ele pensou nela e na última noite que tiveram. Ele não podia negar que estava feliz e satisfeito.
- Janine... - ele disse baixinho, mas Ray ouviu.
"Ah, esse Egon! " Ray disfarçou uma risadinha.

Fim
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: "Egoninter"   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
"Egoninter"
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Os Caça-fantasmas :: The real Ghostbusters-
Ir para: