Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)   Sex Set 22, 2017 10:47 pm

Título: Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)
Autor: strawberriesapples
Shipper: Peter/Janine
Gênero: Romance
Censura/Classificação: R
Capítulos:  11
Resumo ou uma promo: Peter & Janine e sua amizade um tanto colorida...


 
Ela ficou horrorizada quando ouviu a notícia. Peter era alérgico a fantasmas! Ele teria que parar de caçar fantasmas e sair da firehouse. Era uma notícia terrível! Eles conseguiram persuadi-la a deixá-lo ficar em seu apartamento depois de muitos minutos. Peter, no seu apartamento! Uma pequena amostra do inferno na Terra! Era o que ela pensava. Mas Peter a surpreendeu. Ele estava em seu melhor comportamento e ele parecia um menininho deitado em seu sofá. Poucas horas depois, os rapazes vieram visitá-lo e ele parecia quase normal.
- Como é que está?
- Ele está quase, se me atrevo a dizer, normal.
- Como se sente, Peter? - perguntou Winston.
- Nada mal, se não me comparar com alguém vivo.
- Aquele médico parecia um pouco estranho, mas essa ele matou em cima!
- Talvez... Mas eu ainda não confio nele. - Como sempre, Egon desconfiava do médico estranho.


***
- Quer saber o que eu acho, Peter? - Janine perguntou uma noite enquanto ela estava preparando um pouco de sopa para Peter.
Janine viu-se praticamente como uma mãe para ele. Ela até lhe emprestou as pantufas de coelho!
- Mmm? - respondeu ele distraído, lendo um livro.
- Eu acho que você não é alérgico a fantasmas. Digo, pense só: já faz anos que você vive caçando fantasmas! Centenas de fantasmas, milhares de fantasmas!
Enquanto isso, Peter estava passando pelo inferno. Parecia que seu corpo estava se esticando e se contraindo à velocidade da luz! Ele estava com muita dor!
- Sua vida inteira tem sido com fantasmas, fantasmas, fantasmas!... Oh! O que? Ohh!
Janine ficou assustada com o cobertor pousando em sua cabeça e os chinelos caindo dentro da panela! O que estava acontecendo?
- Ohhh! Oh! Ohh...
Peter caiu de costas no sofá, sua dor indo embora tão de repente como veio. Era estranho mesmo.
A campainha tocou e os outros Caça-Fantasmas entraram, parecendo terríveis também. Eles descobriram que o médico estranho era um fantasma que os queria fora do caminho e que ele causou as alergias.
Pegaram o fusca de Janine (eles eram alérgicos até ao Ecto 1!) e foram atrás do maldito fantasma.
Depois de muito trabalho (e com a ajuda de Janine, Louis e Geleia), eles finalmente pegaram McCatheter e ficaram curados da alergia.
No final daquele longo dia, Janine pensou em Peter e no quanto ele tinha sido... fofo.

*********
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)   Sex Set 22, 2017 10:47 pm

2



Ela ficou aterrorizada quando ouviu a notícia. Peter estava doente de novo! Mas desta vez não era uma alergia qualquer. Bem, mais ou menos. Ele não podia ficar nem perto de fantasmas novamente. E desta vez, os sintomas eram ainda mais estranhos. Ele desmaiou e tinha convulsões sempre que estava em algum lugar psicocinético. Ele teve que deixar a firehouse novamente.
Oh Deus. Peter em seu apartamento novamente. Com um problema muito pior desta vez. Ah bem. Ela cuidaria dele de novo. Ela tinha feito isso uma vez, não haveria nenhum problema qualquer desta vez.
Peter se comportou ainda melhor. Ele não parecia apenas um garotinho. Ele se comportava como um.
Janine ofereceu a Peter um espaço no armário. Ele agradeceu e ela sorriu.
- Eu prometo que não vou perturbar você.
Ela sorriu mais.
- Se estou te incomodando, me diga.
- Digo... Peter, eu vou tomar um banho. Você vai ficar bem?
- Vou. Pode ir.
- Tem certeza?
- Claro! Vai!
Ele era gentil com ela. Era estranho mesmo. Ela achava que poderia ser porque ele estava doente...
Numa daquelas noites agradáveis, depois decair no sono no ombro de Janine, Peter decidiu tomar um banho. Ele tinha esquecido sua toalha em casa, então ele pediu uma a sua anfitriã.
- Janine! Hã... me empresta uma toalha? Eu esqueci a minha em casa...
Ele estava só com a calça do pijama e Janine ficou muito surpresa. Peter era sexy! Ombros largos, um peitoral e um abdome definidos e braços enormes... De onde saiu esse... homem??? 
- Ah... Tem toalhas no armário do banheiro...
- Ok! Obrigado!
- De nada...
Ele virou-se em direção ao banheiro e ela se jogou no encosto do sofá, soltando um suspiro.
“É Peter Venkman, Janine, lembre-se disso! O sarcástico, metido e arrogante Peter Venkman! O fofo, vulnerável e charmoso Peter Venkman... ai, meus sais!” pensou ela.
Sério, de onde tinha vindo esse *homem* todo? Onde estava o menino que ela estava acostumada? E ele era um homem muito atraente, ainda por cima. Ok, tudo bem, ela sempre o achou bonito, mas sua arrogância não o atraía tanto a ela. Mas agora... Ele era sexy e ela se pegou quase obcecada com esse fato. Oh, céus...

***

Janine voltou do supermercado e encontrou Peter no chão, inconsciente. Ela estava apavorada e tentou acordá-lo. Depois de alguns minutos de frustração e choro, ela sentiu sua mão segurando seu braço. E ele estava bem, graças a Deus!
De repente, ele sentiu-se muito quente e tirou a camisa. Ela o tocou e ela sentiu eletricidade por todo o corpo. Ele a beijou e ela beijou de volta, profundamente.
Peter tinha uma necessidade intensa dela e ele estava desesperado. O jeito que ele a beijava, a forma como ele a tocava... só a inflamava mais.
Ela teve que admitir que estava muito atraída por Peter. Sim, ele era bonito, ele era engraçado e ele era charmoso. E muito sedutor.
Eles foram para o quarto e, ansiosamente, tiraram a roupa. Peter era muito atencioso e dedicado. Ele a explorou com a boca, beijando-a por todo o corpo, dando mais atenção aos seios; com os dedos, sua umidade encharcando-os; e sua língua... a sensação de sua carne e seus gemidos altos o incentivando mais. Era surreal demais e delicioso demais ao mesmo tempo...
Ele finalmente a penetrou e soltou um grunhido de alívio. Ele a atingia em lugares que a deixavam louca de desejo, fazendo-a chegar ao clímax rapidamente. Mas... ele não mostrava sinais de cansaço. Ele continuou metendo nela, sua respiração pesada, abraçando-a apertado. Janine enlouqueceu e teve outro orgasmo intenso, junto com ele.
Ela acordou no meio da noite e olhou para ele. Ele estava adoravelmente sexy. Ela não pôde evitar e começou a acariciá-lo e mexer com seu cabelo. Ele logo acordou e sorriu para ela, aproximando-se e beijando-a.
Não demorou muito para que eles apaixonadamente fizessem amor novamente.
Janine começou a olhar para Peter com olhos diferentes. Ele ainda era bem arrogante e sarcástico sempre que podia. Mas ele sorria maliciosamente para ela quando estavam sozinhos. Ele beijava sua bochecha quando estava animado. Ele elogiava o jeito dela se vestir às vezes.
Ele tinha mudado mesmo. E ele parecia absolutamente irresistível e delicioso quando estava vulnerável.
Janine estava com sérios problemas.


**********

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)   Sex Set 22, 2017 10:48 pm

3



Ela ficou assustada quando ela abriu a porta do seu apartamento uma noite.
- Meu Deus, Peter!
- Oi. Posso entrar?
- Claro! Oh, Céus! Você está bem?
Peter estava em um estado lamentável. Seu cabelo estava bagunçado, suas roupas estavam um pouco rasgadas e ele tinha um corte considerável em sua bochecha esquerda.
- Sim, agora estou!
- O que aconteceu?
- Eu quase fui assaltado.
- Meu Deus!
- Eles tentaram pegar minha carteira, mas eles não sabiam que estavam lidando com Peter Venkman! Eu tou nesse estado, mas eles estão muito piores! E... O micropróton do Egon funciona!
Ele mostrou a ela um objeto que parecia uma pistola. O último projeto de Egon: uma versão pequena do feixe de prótons. Projetado para capturar fantasmas menores.
- O que você fez com eles?
- Eu... atirei neles na canela.
Janine deu uma risada. Era a cara do Peter fazer isso!
- Enfim, eu fugi e vim pra aqui. Ainda bem que o Joe me conhece!
Joe era o porteiro. Ele era um fã dos Caça-Fantasmas.
- Graças a Deus que está tudo bem! Agora vamos limpar esse corte horrível!
Janine arrastou Peter para o banheiro.
Ele sentou-se na tampa do vaso e ela abriu seu armário e pegou um vidro de água oxigenada e uma bola de algodão de um frasco em outro armário.
Encharcando a bola de algodão com o líquido grosso, ela tocou cautelosamente o rosto de Peter com ele. Ele estremeceu.
- Tá ardendo!
- Calma!
Ela esfregou um pouco o algodão encharcado no corte.
- Ai!
- Peter!
Janine olhou para Peter por um segundo. Sua bochecha esquerda estava vermelha, seus olhos estavam apertados e ele tinha um beicinho. Ele parecia um menino... oh, Deus... ela estava começando a se sentir excitada.
Enquanto ela limpava o corte, ela percebeu que algo estava caindo do cabelo dele.
- Peter, tem terra no seu cabelo.
- Eca!
Ele balançou a cabeça, esfregando os dedos no couro cabeludo, para tirar a terra dele.
- Acho que você deveria tomar um banho!
- Mas eu vou para casa logo e...
- Ahh, não, não, não! Se você acha que eu vou deixar você ir para casa agora, você está muito enganado, moço!
- Janine...
- Espere, eu volto já!
Peter suspirou. Janine voltou um minuto depois, segurando uma camiseta e uma cueca samba-canção.
- Aqui! O camisão - ela entregou a ele - e...
- Ei, o que é isso? Onde você conseguiu? - ele deu-lhe um sorriso maroto.
- Cala a boca, era do meu pai! É muito confortável pra dormir!
Ela deu-lhe o par de boxers e saiu do banheiro, indo para a cozinha.
Ela pegou uma garrafa de vinho da geladeira e serviu-a em um copo. Ela realmente precisava de uma bebida...
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)   Sex Set 22, 2017 10:49 pm

4



Poucos minutos depois, Peter saiu do banheiro, com as próprias roupas na mão. Mesmo usando essas roupas velhas, ele ficava bonito.
- Quer que eu lave pra você?
- Não, não, obrigado. - ele disse, colocando-as em uma cadeira.
- Está com fome?
- Um pouco.
Ela sorriu e fez um sanduíche de manteiga de amendoim e geleia e um pouco de chocolate quente. A pedido dele.
Eles conversaram um pouco sobre o que havia acontecido de novo e estavam distraidamente assistindo a um filme na TV quando Janine disse de repente:
- Peter! A gente devia ligar para a sede, eles provavelmente estão preocupados com você!
- Não, eu disse pra eles não esperarem acordados...
- Ah!... - ela sorriu sardonicamente.
- Obrigado por cuidar de mim, Janine. - Peter disse, olhando para ela, um doce olhar em seus olhos.
- De nada, Peter...
Ele acariciou sua bochecha e beijou-a, suavemente. Ela devolveu o beijo. Ele a beijou novamente, mais profundamente. Ela o beijou de volta, sentando em seu colo. Ele segurou-a apertada e aprofundou o beijo ainda mais.
Com a boca ainda colada à dele, ela tirou seu robe.
Oh, Deus, lá estava ela, se entregando à tentação de Peter mais uma vez... Mas ela não podia evitar. Ele estava lá, ele era sexy e ela estava extremamente necessitada. E um pouco frustrada. Sexualmente. Peter aparecendo em sua porta - e necessitando sua ajuda - era como... um presente de Afrodite!
Peter passou as mãos por todo o corpo dela, acariciando-a, apertando-lhe as coxas, a cintura. Suas mãos estavam quentes e ela ficou ainda mais excitada por seu toque.
Ele saiu do sofá de repente e colocou-a em seu ombro, indo para o quarto.
- Eu sempre quis fazer isso...
- Ahhh! Peter! Não! - riu ela.
No quarto, ele jogou-a na cama, jogando-se também. Ele deu-lhe um sorriso muito travesso e disse:
- Isso é muito melhor do que o estúpido encontro pro qual eu ia...
- Peter, você não vale um centavo! - ela riu.
Ele riu e atacou seu pescoço, beijando, lambendo. Enquanto isso, suas mãos percorriam a parte superior do corpo dela sob sua camisola até encontrar seus seios. Ele apertou-os suavemente, puxando sua camisola para cima e levando sua boca a eles.
- Oh...
Janine tirou a camisola e ficou deliciada com Peter beijando e lambendo habilmente em seus seios.
- Mmm... oh, sim... - ele gemeu, tirando sua calcinha e beijando suas coxas.
Sua respiração era pesada enquanto ela ansiosamente antecipava a sensação de sua língua em suas partes sensíveis.
- Oh, Deus!
Ele finalmente levou a boca a elas, lambendo, chupando...
- Ohhh...
Ele tinha encontrado seu botão sensível e sugava até deixá-la louca...
- Oh, Peter!
Dando-lhe um sorriso safado, ele a beijou mais uma vez, puxando a cueca para baixo e penetrando-a imediatamente. Ela gemeu através do beijo.
- Oh... mmm, isso!
- Ahh...
Ele metia nela a uma velocidade moderada; não muito rápido, nem muito lento... Ela estava ficando cada vez mais insana com cada uma de suas estocadas...
- Ohhh! OH!
- Oh, porra, Janine!
Ela sentiu a familiar onda de prazer cada vez mais perto. Ela estava perto do clímax e, aparentemente, ele também estava.
- Ahh...
- Nnngh...
- PETER!!!
- Ahhh!
Eles atingiram o clímax juntos, ambos exaustos de suas atividades. Peter a beijou suavemente e saiu de cima dela, exalando alto. A camiseta estava encharcada de suor.
Janine tinha que admitir que estar com Peter intimamente era muito prazeroso. O homem sabia como tratar uma mulher na cama. Ela sabia agora por que algumas de suas ex-namoradas às vezes voltavam rastejando para ele.


**********

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)   Sex Set 22, 2017 10:50 pm

5



Ela ficou horrorizada quando viu o Ecto-1 entrar de repente pelas portas do quartel-general e perturbados Caça-Fantasmas saindo do veículo.
- Olá, Janine.
- Oh, céus! O que aconteceu?
- Bem...
- Cadê o Egon?! - ela estava alarmada.
- Estou aqui.
Ray saiu, Winston saiu, Egon saiu; o único que faltava era...
- Peter!
Peter Venkman, parecendo bem triste, saiu e acenou para ela com a mão direita. Sua mão esquerda estava coberta de ataduras.
- Senhor! O que aconteceu?
- Um fantasma passou pelo Peter e o fez cair no chão e destroncar o dedo.
- Ah, não!! Como se sente, Peter?
- Mais ou menos... sem dor, pelo menos. Eiii, rimou! Hahaha!
Janine ergueu a sobrancelha esquerda. Peter parecia... estranho.
- Ele está chapado de analgésicos. - Ray disse.
- Ah!
- Tou com dodói, Janine... - ele disse, fazendo beicinho. “Peter, por favor, pare com isso”, ela pensou.
- Aww, pobre Pete! - disse Geleia.
- Peter, isso não é um dodói, é um dedo destroncado. Você não tem três anos de idade.
Peter mostrou a língua para Egon. Janine riu. Esses dois pareciam pai e filho.
TRIMMM!
Janine voltou para sua mesa e atendeu o telefone.
- Caça-fantasmas! Sim, eles trabalham... Sim! Oh! Sério? Sim, ok! Eles estarão aí o mais rápido possível!
- O que foi, Janine?
- Bem, parece ser um ‘classe quatro’ em... Hartford!
- O que?
- Isso é loooonge...
- Vamos!
- Janine, você pode guardar isso? - perguntou Egon, entregando-lhe algumas armadilhas.
- Sim!
- ÊÊÊ! Vamos lááá! - Peter estava animado.
- Oh... não, não.
- Quee?
- Peter, você não pode ir.
- Por que não?
- Porque você tá com um dodói! Você tem que ficar em casa! - Ray disse. Egon revirou os olhos.
Peter fez beicinho. Ele realmente queria ir!
- Agora, vá lá para cima, tome um bom banho e obedeça a Janine. - Ray disse, suas mãos nos ombros de Peter.
- Hã?
- Por favor...
- Meu expediente acaba em meia hora...
- Pagamos mais!
- Nã-an!
Janine teria que ficar sozinha com Peter na firehouse e ele estava doente e ele ia agir como um garotinho - ele já estava fazendo isso - e ela não queria saber das consequências...
- Vamos te dar mais 200 dólares para cuidar do Peter esta noite.
Janine ficou sem palavras. 200 pratas era praticamente o que ela ganhava em uma semana! Era muito tentador...
Ela olhou para Peter e ele estava apoiado em sua mesa, segurando seu braço ruim e aborrecido.
- Combinado!
Os outros três Caça-fantasmas sorriram.
- Obrigado, Janine!
- Você não vai se arrepender!
“Estou começando a ter minhas dúvidas...” ela pensou.
- Talvez tenhamos que passar a noite lá, então não se preocupe com a gente!
- E, por favor, sinta-se em casa.
- Pode dormir na minha cama se quiser!
- Tchau, tchau!
- Peter, seja gentil!
- Comporte-se!
Eles entraram no Ecto-1 e saíram correndo do quartel general, com a sirene disparando.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)   Sex Set 22, 2017 10:58 pm

6



- Peter... hã... você quer alguma coisa?
- Você pode me ajudar na cozinha? - ele perguntou, seu tom de voz triste. Os efeitos das pílulas estavam começando a passar.
- Claro... deixa eu só guardar isso.
- Tá... eu vou subindo.
- Ok!
Ela o ajudou a fazer um sanduíche e pegou um pouco de refrigerante da geladeira. Ele parecia realmente chateado. Ela sentiu pena dele.
- Se houver algo mais que eu possa fazer...
- Você já está fazendo muito, Janine...
- Não... Eu vou ser paga.
- Mesmo assim... - ele sorriu fracamente.
Janine olhou para o zíper do macacão de Peter e teve um forte desejo de puxá-lo para baixo. “Pare com isso, Janine!” ela pensou.
- Eu vou tomar um banho. Todo esse ectoplasma não vai me fazer bem.
- Sim.
Peter desamarrou suas botas e as tirou. E ele puxou o zíper do macacão para baixo. Janine teve que se conter para não gemer.
Ele tirou-o e foi para o banheiro. Ela se sentou em uma cadeira e suspirou, se abanando. Peter estava tão fora de si que se esqueceu de que estava usando só uma camisa e a cueca por baixo de seu uniforme. Ele parecia delicioso.
Ela estava lavando a louça quando ouviu:
- JANINEEEE!
Ela enxugou as mãos e foi para o quarto.
- Sim, Peter?
- Você pode me ajudar aqui?
Ele estava tentando arrumar sua cama, mas era quase impossível fazê-lo com apenas uma mão.
Ela arrumou a cama para ele, ele se deitou e ela o cobriu. Ele finalmente sorriu. Um sorriso genuíno e sóbrio.
- Obrigado, Janine.
- De nada. Como você está se sentindo?
- Ainda dói um pouco, mas...
Ela pegou um travesseiro de uma cama próxima e colocou-o debaixo de seu braço esquerdo.
- Obrigado.
- Sem problemas, Peter.
Ele estava deitado na cama, estava meio indefeso e estava muito cheiroso. Tão gostoso!
Janine sentou-se na cama e passou os dedos pelos cabelos dele. Ela ouviu um suave gemido. Oh Deus. Ela queria atacá-lo ali mesmo.
Ela acariciou seu rosto e ele agarrou sua mão, levando-a a sua boca e beijando-a. Ela se inclinou em seu rosto e o beijou.
Ela não aguentava mais. Peter vulnerável e parecendo um menininho mexia com seus hormônios. Muita coisa.
Ele agarrou a parte de trás de sua cabeça com sua mão boa e aprofundou o beijo.
Janine ficou em cima dele e foi para seu pescoço, beijando-o suavemente.
- Mm...
Ela rapidamente desabotoou seu paletó do pijama e começou a beijar seu peito. Peter respirou fundo. Ela beijou seus lábios novamente e ele tirou os óculos dela, dando-lhe um sorriso malicioso. Ela sorriu de volta e desceu pelo corpo dele novamente, parando na área sob seu umbigo, com as mãos no cós de sua calça do pijama. Ela mordeu o lábio inferior e a puxou para baixo. Peter ofegou.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)   Sex Set 22, 2017 10:59 pm

7



Janine encontrou uma enorme protuberância sob aquela cueca azul marinho... Ela já se sentia úmida. Sentindo-se muito audaz, ela começou a beijar a protuberância.
- Ohh... - ela ouviu.
Esse gemido lembrou-a da primeira vez que dormiram juntos. Peter estava meio desesperado e gemia o tempo todo. Ela se sentiu ainda mais excitada.
- Mm... oh... - ela gemia também.
Respirando pesadamente, ela puxou a cueca para baixo. Olhou para o membro dele com interesse - ela nunca tinha reparado nele antes - e logo depois seu rosto e viu um olhar de puro desejo. Ohh, Deus... ela teria que dar-lhe uma...
- Ahhh! PORRA! - ela ouviu assim que colocou o membro dele na boca, sua língua girando ao redor dele.
- Mm... - ela gemeu.
Janine não era uma garota do tipo... *oral*. Claro, ela adorava quando ele lambia suas partes íntimas até ela perder a cabeça, mas o contrário era muito... bagunçado. Ela o tinha feito uma vez e descobriu que o cara não valia mesmo a pena.
Na verdade, ela meio que o guardava para um Caça-fantasmas charmoso, brilhante, alto, loiro e de óculos...
Mas Peter parecia pecado naquela cama e ela sentia-se meio depravada.
- Ohhh... isso... - ele gemeu novamente. Ohh, música para os ouvidos dela!
Ela o chupava com força, os dentes dela ocasionalmente arranhando seu comprimento. Ele era bastante grande, mas aparentemente ela estava tendo sucesso, porque parecia que ele iria chegar ao clímax em breve.
- Nngh... porra... JANINE!
Dito e feito. Ele teve um orgasmo espetacular, molhando o paletó do pijama.
- Ohhh... uh... hehe. - ele deu uma risadinha.
Ela mordeu o lábio inferior, ficou em cima dele e rapidamente tirou suas roupas. Sorte dela que estava usando um vestido!
Beijando-o loucamente, ela se encaixou em seu membro, interrompendo o beijo e gemendo alto.
- Ohhh...
- Ahh...
Aquela noite ia ser toda pra ele... O homem estava triste e com dor, era seu dever... animá-lo...
Ela agora estava se movendo rápido, para frente e para trás, seu orgasmo muito, muito perto...
- Oh, meu Deeeeus!
- Nngh...
- AHHH!
- Ohhh...
- PETER!
- JANINE!
Eles tiveram um orgasmo mútuo, o prazer passando por eles como um maremoto.
- Oh, meu Deus!... - ela desabou no peito dele.
- Aaai!...
Janine ofegou. Ela o machucou?
- O que aconteceu? Eu machuquei você?
- Não... Eu meio que... puxei minha mão esquerda pra trás e...
- Ohh, Peter... Sinto muito...
- Não sinta. Valeu a pena... - disse ele, beijando-a.
Janine saiu de cima dele, endireitou-se e levou os lençóis de Peter para a lavanderia. Sim, valeu a pena mesmo...

**********

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)   Sex Set 22, 2017 11:01 pm

8




- Lá está ele!
- Não deixem ele fugir!
- Você vai sentir a ira do meu feixe de prótons, seu lençol fedido!
O fantasma voou ao redor da firehouse gargalhando. Era um poltergeist classe três. Já tinha feito uma bagunça na recepção. Isso deixou Janine zangada e ela pegou um feixe de prótons também. Ela iria pegar esse maldito! Ele veio direto em direção a ela. Mas ela estava distraída e demorou a ligar o feixe de prótons. Ela tropeçou e caiu, em cima de sua perna.
- Aaaaai!
- JANINE! - Os Caça-fantasmas gritaram em uníssono e aproximaram-se dela.
- Você está bem?
- Mais ou menos.
Enquanto isso, o fantasma voou pela janela.
- Vão atrás dele!
- Não podemos deixá-la aqui!
- Eu fico!
- Peter?
- Você cuidou de mim tantas vezes, é justo...
Janine sorriu um sorriso irônico. Era verdade, ela cuidou dele algumas vezes... Mas sempre acabava sendo mais prazeroso do que obrigatório.
- Ok, tudo bem.
- Você vai ficar boa logo, Janine!
- Cuide bem dela, Peter!
- Não se preocupe, Egon... eu vou cuidar... - ele lhe deu aquele sorriso enigmático.
Peter soltou seu feixe de prótons e o deixou cair no chão.
- Vamos - disse ele, pegando Janine em seus braços.
- Peter... não-
- Ei! Você não consegue andar, né?
- Não...
- Então fique quieta!
O Ecto 1 saiu correndo da casa de bombeiros, a sirene disparando, como de costume. Peter colocou Janine em sua cama e correu para a cozinha para pegar um pouco de gelo.
- Está inchado. Acho que você torceu o tornozelo. - disse ele, colocando o gelo em cima do pé dela.
- Dói... - ela disse, com lágrimas rolando pelo rosto. Peter sentiu pena.
- Talvez tenhamos que levá-la a um hospital.
- Ohh... não ... Eu não acho que é... ai!
- Janine, não é a hora de bancar a “menininha corajosa”! Você está com dor! Tudo bem!
Janine lhe deu um tímido meio sorriso.
- Só um minuto. Eu volto já!
Ele desceu as escadas e chamou um táxi.
- Janine! - ele disse, entrando no quarto - Um táxi estará aqui pra buscar a gente em alguns minutos. Você quer ir ao banheiro ou qualquer coisa antes de a gente ir?
- Onde nós vamos?
- Ao hospital!
- Ohhh...
- Sério, temos que ver o seu pé!
Ela olhou para ele com lágrimas nos olhos. Ele sentou-se na cama e abraçou-a.
- Não chore. Eles vão te dar um remédio e a dor vai passar.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)   Sex Set 22, 2017 11:02 pm

9



Eles chegaram ao hospital e as pessoas na sala de espera estavam todas olhando para o Caça-fantasmas carregando uma moça ruiva em seus braços. Um homem com um pequeno curativo nos dedos deu-lhes o seu assento.
- Obrigado - Peter disse ao homem - Agora, com cuidado... - ele se virou para Janine, gentilmente colocando-a na cadeira - isso...
Uma enfermeira reconheceu Peter - ele era a estrela dos Caça-Fantasmas, afinal - e veio ajudar.
- Com licença... posso ajudá-lo?
- Sim, obrigado. Tem...
- Você é Peter Venkman?
- Sim, sou eu. Como vai? Escute, esta é a nossa secretária. Ela teve um acidente e machucou seu tornozelo. Ela está com muita dor...
- Ohh... Deixe-me ver o que posso fazer.
Meia hora depois, Janine estava na sala de curativos, com o pé enfaixado. Ela realmente tinha torcido o tornozelo.
- Isso é horrível! Não combina com a minha roupa mesmo! Olha!! - Peter estava lá com ela.
- Fica bem pra você, Janine. - ele sorriu.
- Awww, Peterrr... você é tão legal... você é legal quando não está sendo um pé no saco...
Peter deu uma risadinha. Janine estava tão fora de si por causa dos analgésicos! Ele ficou pensando se ele próprio ficou assim quando destroncou o dedo.
- E você fica gostosinho quando tá dodói... - ela sorriu tolamente. Ele deu a ela um sorriso sardônico.
- Pronto, moça. Só não pode pisar no chão. - disse o enfermeiro.
- Obrigada...
- Vamos lá... - disse Peter, pegando-a.
Ela sorriu para ele e o beijou.
- Mmpf... ok... hehe...
Ela pôs a cabeça no ombro dele e ronronou:
- Peter... você vai cuidar bem de miiiim?
- Claro que eu vou!
- Mmm... Mal posso esperar...
Peter chamou um táxi e levou Janine para casa. Levou-a para o quarto e colocou-a na cama, colocando um travesseiro sob o pé.
- Posso fazer algo por você?
- Sim... minha camisola.
- Sim?
Ela apenas olhou para ele. Ela ainda estava um pouco chapada.
- Janine... onde está?
- Oh! Certo! Na segunda gaveta da minha cômoda.
Peter abriu a gaveta da cômoda e viu um monte de camisolas lá. Ele a imaginou usando algumas delas e ficou um pouco excitado. “Não vai pensar nisso, Venkman...” ele pensou.
- Essa serve? - ele tirou uma de algodão da gaveta e mostrou-lhe.
- Sim! Obrigada.
Ele sorriu e saiu do quarto, exalando alto,
- Peter!!! - ouviu um minuto depois.
- Sim?
- Me ajuda a tirar a minha saia? - ela tinha um certo olhar no rosto.
- Claro...
Ele puxou a saia e viu a roupa de baixo de renda... provocando-o.
- Obrigada...
Ele sorriu. Ela fez um gesto para que ele se aproximasse. Ele se aproximou e ela o beijou, profundamente.
- Mmm!
Ele interrompeu o beijo e ela sorriu. O que ela estava querendo? Ele sorriu de volta e disse:
Janine, descansa um pouco. Eu vou estar na sala se você precisar de mim.
- Você não vai ficar aqui comigo?
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)   Sex Set 22, 2017 11:03 pm

10



- Ahn... tá bom. - ele respondeu, sentando na cama, ao lado dela.
De repente, o telefone tocou. Peter atendeu.
- Alô?
- Pete?
- Ei, Ray!
- Como tá indo? Como está a Janine?
- Ela não está sentindo nenhuma dor agora... - ele disse, olhando para ela. Ela ainda tinha aquele sorriso bobo em seu rosto.
- O que aconteceu com ela? Ela não quebrou nenhum osso, não é?
- Não, foi só uma entorse.
- Ótimo.
- Vocês pegaram o fantasma?
- Já está na unidade de contenção!
- Excelente!
- Certo. Até daqui a pouco.
- Ahn... até amanhã...
- O que?
- Vou passar a noite aqui. Ela ainda não pode pisar, sabe...
- Humm... Entendi. Até amanhã, então.
- Até... Boa noite!
- Boa noite! Hã... Pete!
- O que?
- Comporte-se...
- Heh. Tchau, Ray...
- Tchau! - Peter desligou o telefone - Ray queria saber como você está.
- Estou bem... Melhor com você aqui...
Peter ficou surpreso. Janine era muito... coquete quando estava sob a influência...
- Obrigada por ser tão bom para mim, Peter... - ela tinha a cabeça no ombro.
- Não se acostume, Janine...
Ela olhou para ele e beijou-o profundamente novamente. Peter tinha um problema agora. Ele estava excitado. E ele não podia esconder.
- Janine... - ele começou, interrompendo o beijo - Não podemos...
- O que? Beijar? Claro que podemos! - ela atacou a boca dele novamente.
- Mmpf...
Peter decidiu desistir. Ele se desculparia com Janine pelo resto de sua vida, mas agora, ele a queria, muito, e ele ia tê-la. Ela parecia sentir o mesmo, afinal.
Ele tirou suas botas e subiu na cama. Com cuidado para não esbarrar em seu pé, ele ficou em cima dela, beijando seu pescoço.
- Ohhh...
- Janine... me desculpe...
- Não se desculpe... me beija de novo!
Ele o fez, sua mão indo direto para frente da calcinha dela. Estava encharcada.
- Mmm! - ela gemeu através do beijo.
Ele a puxou para baixo um pouco e inseriu seu dedo indicador e o médio dentro dela.
- Ahhh!
Ele continuou enfiando e retirando os dedos dela, puxando sua camisola para cima e indo para os seios, sugando-os suavemente.
- Mmmm...
Quando ele percebeu que ela estava perto de seu clímax, ele substituiu os dedos por sua língua.
- Ohhh!!!
Ele sugava suavemente em suas dobras, enfiando a língua dentro dela e agitando-a em seu botão sensível.
- Ohhh, Peter! - Não demorou muito até que ela tivesse um clímax satisfatório.
- Deus, Janine... Eu realmente... sinto muito... - ele se desculpou, beijando seu pescoço.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)   Sex Set 22, 2017 11:05 pm

11



Ela apenas gemeu e puxou o zíper de seu macacão para baixo. Ele puxou sua cueca também, colocando a perna machucada em seu ombro.
Ele a penetrou lentamente, com cuidado para não machucá-la.
- Ahhh... - ela gemeu.
- Nnngh...
- Ohh... Nngh...
- Ahhh...
- Oh... me fode, Peter!
Ele ficou surpreso com o que ela disse, mas isso o deixou ainda mais excitado. Ele fez o que lhe foi dito, penetrando-a cada vez mais forte, ainda segurando sua perna machucada.
- Ahhh, sim!
- Ahh!
- ISSO! SIM!
- Ohhh!
- PETERRRR!!!
- AHHHH!
Eles tiveram um orgasmo incrível e Peter colocou cautelosamente o pé dela no travesseiro e se deitou ao seu lado.
- Meu Deus...
Peter olhou para Janine com olhos melancólicos.
- Desculpa, Janine... Eu... não pude...
- Shhh. - ela colocou seu dedo indicador nos lábios dele - Eu também não.
Ela o abraçou e logo adormeceu, junto com ele.
No dia seguinte, Peter acordou sentindo-se um pouco angustiado. Sentiu que tinha se aproveitado de Janine, visto o estado em que ela estava.
Ele vestiu suas roupas e deixou um bilhete, pensando que ele era o maior idiota da Terra.
Ele subiu os degraus da firehouse com a cabeça baixa, se sentindo horrível.
- Peter? O que aconteceu?
- Você está bem?
- Agora não, pessoal. Por favor.
Ele foi para o banheiro e bateu a porta. Seus três amigos compartilharam um olhar preocupado.
 
**********
 
Os Caça-Fantasmas ficaram surpresos ao ver, na manhã seguinte, sua própria secretária, de muletas.
- Janine!!!
- Como você está?
- Deixa a gente te ajudar!
- Obrigada, rapazes!
- Bom dia, Janine...
- Oi, Peter! - Ela sorriu para ele. Ele sorriu de volta.
Janine foi mimada pelos rapazes durante toda a manhã. Eles não tinham fantasmas para pegar, então eles cuidavam de todos os seus caprichos. Na hora do almoço, Peter percebeu que seus amigos estavam ocupados e aproveitou a oportunidade para conversar com a secretária.
 Conversar sério.
- Janine!
- Oi!...
- Podemos conversar?
- Sim...
- Olha, ahn... eu... ok, aqui vai: eu realmente sinto muito por tirar proveito de você.
- O que?
- Ontem! Você estava muito...
- Peter! - ela o interrompeu.
- O que?
- Não se preocupe com isso. Você não fez nada que eu não tenha feito. - ela disse, e beijou sua bochecha.
Dando-lhe um sorriso travesso, voltou para a mesa, ainda sorrindo, deixando Peter perplexo.
 
FIM
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Quatro vezes em que a Janine cuidou muito bem do Peter (e uma vez que não)
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Areas muito ressecadas e partes oleosas. O que fazer?
» Fios com espessura muito grossa e áspera
» Pedimos muito e agradecemos de Menos o nosso Grande Deus.
» Ainda que caia sete vezes o justo levantará
» preciso muito de ajuda

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Os Caça-fantasmas :: The real Ghostbusters-
Ir para: