Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Aquela ânfora

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Aquela ânfora   Sab Mar 01, 2014 4:48 pm

Título: Aquela ânfora
Autor: strawberriesapples
Gênero: Geral
Advertências: não é uma fic narrada e nem tão roteiro... se vcs tiverem dificuldade pra ler, me avisem!
Censura / Classificação: PG
Capítulos: One-shot
Nota: Originalmente postada em 13/10/2013
Resumo ou uma promo: Aquela garrafa... onde ele ia, lá estava ela.


(Weatherford, 1938)

(numa rua residencial)
- Eu tenho que ir, Sra. Johnson! Muito obrigada pelo chá!
- Ora, o que é isso, Sra. Nelson! Venha sempre que quiser!
- Bem-vinda à nossa rua!
- Muito obrigada!
- Anthony, vamos, amor! Anthony?
- Oh, lá está ele!
(ele tem um objeto nas mãos)
- Anthony! Largue isso! Você pode quebrar!
- Garrafa legal!
- Anthony, largue essa garrafa!
- Garrafaaa! (ele está sacudindo-a)
- Me dê isso aqui! (ela pega a garrafa das mãos de seu filho e a devolve à vizinha) Tome, Sra. Johnson. Me desculpe!
- Crianças são assim mesmo, Sra. Nelson!
- Obrigada. Adeus!
- Adeus!

***

(Bridgeport, 1945)

(no mercado)
- Já pegamos tudo, Anthony?
- Acho que sim, pai.
- Cereais, verduras, legumes, carne, leite... é, acho que está tudo aqui.
- A mamãe deveria ter vindo com a gente.
- Sim, mas se a sua mãe tivesse vindo, ela não ia me deixar levar uma coisinha...
- O que?
- Uma boa garrafa de vinho!
(na loja de vinho)
- Aqui está. 20 dólares.
- Papai, olhe! (ele aponta para uma prateleira)
- O que?
- Ali.
- Nossa! Jack, que garrafa é aquela?
- Sinceramente, Phil, eu não sei. Não conseguimos abrir.
- Não conseguem abrir?
- Não. Já tentamos de tudo e não conseguimos.
- Vocês já tentaram... (o menino está com a garrafa na mão, tentando abri-la) Anthony! Coloque isso de volta no lugar!
- Desculpe, pai!

***

(Nova York, 1951)

(num mercado de posto de gasolina)
- Isso não vai dar certo!
- Claro que vai!
- Vão nos pegar!
- Você quer calar a boca, Tony?
- Deixa de ser pessimista!
- Vamos embora, Roger!
- Tony, fica quieto. Bob, eu e o Tony pegamos as bebidas e você mostra a identidade, certo?
- Certo!
- Vamos lá, Tony. Tony? Cadê você?
(ele está no corredor de bebidas, com uma certa garrafa na mão)
- Tony! O que é isso?
- Uma garrafa, ora!
- Não diga?! É uma garrafa de quê?
- Não sei... mas ela não é interessante? (ele está vidrado na garrafa)
- Deixa isso aí e vamos embora! A gente veio comprar cerveja!
- Ok... (ele coloca-a de volta)

***

(Cocoa Beach, 1963)

(num deserto)
- Água! Água! Eu preciso de água...
- ...
- Pelo amor de Deus! Eu vou morrer aqui...
- ...
- AH!!! Uma garrafa!
- ...
- Ei... não é só uma garrafa... é aquela garrafa! Por favor, abra! (ele abre a garrafa)
- ...
- Abriu! Hã? Fumaça??? (Jeannie sai de lá de dentro)
- Seu pedido é uma ordem, Amo. (ela olha para ele envolta em fumaça; ele está deitado no meio do deserto; ele não sabe se ela é uma miragem ou se ela é real)
- Eu... quero... ág... AHHHHHHH!
(ele está em seu quarto, na sua cama, ensopado de suor)
- Que raio de sonho foi esse??? Essa febre tá acabando comigo!

***

(Uma ilha do Pacífico Sul, 1965)

“Caramba... até quando eu vou ficar preso nessa ilha? Relaxa, Nelson, a NASA vai perceber que você não voltou a tempo e vai atrás de você... enquanto isso... termina de fazer a mensagem de socorro...”
- Pronto! Ei! Tá faltando um pedaço do S! Cadê a garraf... A GARRAFA! (ele pega) Meu Deus, é AQUELA garrafa!!! Muito bem... estamos só eu e você agora. Ninguém pode me impedir de abri-la! (ele abre e fumaça sai de lá de dentro; ele a joga no chão e a fumaça se transforma na Jeannie)
- Seu pedido é uma ordem, Amo. (ela olha pra ele; ele esfrega os olhos; ela vai em direção a ele) Ohhh... (ela dá-lhe um beijo; ele está abismado)
- Eu devo ter entrado mais em órbita do que pensei!

***

(Cocoa Beach, 1970)

(Na casa dos Nelson)
- Heh. (ele tem a garrafa em mãos e fica observando-a)
- Amo, você... Amo, o que você está fazendo?
- Recordando.
- O que?
- Vem cá, Jeannie. Senta aqui. (ele bate no sofá, chamando-a para se sentar ali com ele)
- Sim. (ela se senta)
- Me chame de louco. Mas eu conheço você a mais tempo do que você me conhece.
- Hein???
- Bom, você não. A sua garrafa.
- Sério? (ela sorri)
- Eu conheço ela desde pequeno.
- Como?!
- Em todo lugar que eu ia, lá estava ela, meio que me chamando... na casa da vizinha, no museu - que foi destruído por ume enchente - na loja de vinhos, na cartomante, no mercado... onde eu ia, lá estava ela... até que eu comecei a sonhar com ela! No meu último sonho, eu consegui abri-la e eu acho que você saiu de lá de dentro!
- Oh, Amo, te encontrar também foi um sonho pra mim! (abraça-o; ele a abraça de volta)
- Não, eu falo de um sonho, sonho mesmo!
- Oh? (ela sorri novamente)
- E foi bem antes de eu te conhecer... Mas foi confuso, eu estava muito febril... até que naquele dia fatídico na ilha... eu estava sozinho com a garrafa... e consegui abri-la!
- ... (ela sorri de orelha a orelha)
- E foi o dia mais feliz da minha vida até agora.
- Oh, Amo! (ela lhe dá um beijo; ele retribui)
- Uaaah! Vou dormir, querida. Você vem? (ele boceja, saindo para o quarto)
- Num minuto, Amo. (ela fica no sofá, segurando sua garrafa, pensativa)
- Ok! (ele vai para o quarto e ela pensa, em voz alta)
- Amo... sei que certamente você não acredita nisso, mas... nenhuma outra pessoa estava destinada a abrir aquela garrafa a não ser você...

FIM
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
 
Aquela ânfora
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Para que serve aquela tábua atravessando o trilho??
» Couro Cabeludo
» Pizza Sensação (chocolate e morango) como fazer?

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Geral-
Ir para: