Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Num piquenique

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Num piquenique   Seg Ago 01, 2016 9:06 pm

Título: Num piquenique
Autor: strawberriesapples
Shipper: Peter/Valerie Cartwright
Gênero: Romance
Censura/Classificação: R
Capítulos: One-shot
Resumo ou uma promo: Um simples piquenique vira um dia um tanto quanto *quente* para Peter e Valerie...



Era sábado à tarde e Valerie Cartwright estava em pé na frente de um espelho, se preparando. Ela tinha um encontro com Peter e ela queria ficar bonita.

Ela o conheceu quando ela tinha contratado os Monkees para tocar em sua festa. Eles fizeram um teste em sua casa e ela ficou muito impressionada com a banda. Eles eram muito bons!
Ela notou que o baixista não conseguia parar de olhar para ela. Ele era bonito, com aquele cabelo loiro e aquele doce sorriso com covinhas. O amigo irritante de sua família, que estava sempre tentando cortejá-la não chegava aos pés dele. Pelo contrário, ele era chato e pouco atraente. Ele fez de tudo para mostrar a ela que ele era melhor do que Peter, mas ela não iria cair nessa.
Peter ainda era mais doce, mais amável, mais bonito...
E ele tinha os melhores amigos também, que fizeram de tudo para ajudá-lo e fazê-lo parecer legal para ela. Mal sabiam eles que nem precisavam...
Depois que eles se encontraram e se tornaram amigos, ela infelizmente teve de ir para o exterior e eles não se viram por vários meses. Até se reencontrarem em uma festa quando ela voltou.
Depois de um horrível mal-entendido - Ronald Farnsworth tinha colocado um comprimido para dormir na bebida dela e culpou Peter - eles viram um ao outro novamente. Ele lhe fez uma visita.
Nessa época, Valerie já estava incrivelmente atraída por Peter e ela estava animada para vê-lo. Eles conversaram, ela disse que se sentia muito pelo que tinha acontecido e ele disse que estava feliz por ela estar bem.
Uma coisa levou a outra e eles acabaram fazendo amor em sua cama. Um relacionamento nasceu então. E eles tinham um encontro aquele dia.
Peter também estava se olhando no espelho e seus amigos se divertiam com isso.
- Ei, Narciso!
- Pra que você tá se arrumando?
Peter deu-lhes um sorriso.
- Eu tenho um encontro.
- Oooh!
- Pra onde você vai levar ela?
- Pra um piquenique.
- Um piquenique?!
- Sim, por quê?
- Você devia levar ela para um jantar romântico!
- Ou ao cinema!
- Gente, eu não tenho dinheiro pra levar ela a nenhum desses lugares!
- E daí? Ela pode pagar!
- Isso é muito deselegante da sua parte, Micky.
- Não, Davy, é muito pobre da minha parte.
- Vamos, rapazes, deixem ele em paz. Um piquenique é uma coisa doce.
- Obrigado, Mike.
- Não, um piquenique é barato!
- Qualé, Micky!
- Mas eu tou com você, cara, vai nessa.
- Bem, até mais tarde!
- Divirta-se, companheiro!
- Comporte-se!
- Não porte-se!
Peter saiu rindo de seus amigos. Eles implicavam com ele, mas ele sabia que no fundo eles o amavam.
Ele chegou à casa de Valerie, e eles foram para um parque que sabiam ser um pouco longe da cidade. Ele tinha ido com o Monkeemobile. A pedido de seus amigos, mesmo.
- Uau, eu tinha esquecido de como é bonito este lugar! - Valerie disse quando eles chegaram lá.
- Eu venho aqui pelo menos uma vez por mês. É... calmante.
Era o meio da tarde e o sol estava brilhando através das árvores.
Valerie abriu a toalha na grama e tirou os lanches de sua cesta.
- Ohh, pão de canela!
- Você gosta?
- Adoro!
- Haha! Pode comer!
- Obrigado! - Peter lhe deu um beijo na bochecha. Ela sorriu.
Eles comeram, conversaram sobre a semana e, como de costume, eles falaram sobre música. Ele disse a ela que ele era louco por blues e ela ficou impressionada com o seu conhecimento sobre o estilo de cada músico.
Ela lhe disse que costumava cantar no coro da igreja e o rosto dele se iluminou. "Você pode cantar com a gente um dia!" ele disse. "Ohhh, nãooo, desculpe. Eu sou tímida demais para isso! Além disso, eu não canto tão bem." Ele insistiu, mas ela evitou o assunto.
Depois que eles comeram um pouco mais, eles simplesmente pararam para olhar a bela paisagem.
- É tão calmo aqui...
- Sim...
- E te relaxa mesmo, né?
- Hum-hm...
- Obrigada, Peter.
- Oh... por quê?
- Por me trazer aqui.
- Oh... d-desculpe não poder levá-la a um lugar mais chique...
- Oh, Peter... Eu não iria querer. Isso é perfeito.
Ele sorriu (o que a fez derreter) e ela sorriu também. Eles se aproximaram um do outro e se beijaram. Um beijo doce primeiro. Outro. Então os beijos começaram a ficar mais quentes.
Valerie acariciava o rosto de Peter enquanto ele pegava na cintura dela.
Ela interrompeu o beijo e suspirou, deitando-se sobre a grama.
Ele se deitou ao lado dela e acariciou sua bochecha. Depois de um tempo, ela deu-lhe um olhar sério, pegou sua mão e colocou-a sobre um de seus seios. Ele apertou-o suavemente, fazendo-a exalar alto.
Ele a beijou profundamente, novamente, descendo por seu corpo com a mão, levantando a saia de seu vestido e tocando na frente de sua calcinha.
- Oh!
Ele começou a esfregar a área suavemente, beijando todo o seu rosto.
- Mmm...
Ele então puxou sua calcinha para baixo e inseriu um dedo dentro dela.
- Ohh!
- Eu paro se você quiser... - ele sussurrou em seu ouvido com aquela voz grave e rouca dele. Ela gemeu novamente.
- Não... continue...
Ele introduziu um segundo dedo dentro dela e começou a mover mais rápido.
- Ohh! Oh!
O calor dentro dela aumentou quando ele moveu ainda mais rápido, seus gemidos, mais altos.
- Ohhh!!! - Ela finalmente gritou, quando ela chegou ao clímax.
Uau. Ela tinha vindo ao parque para passar um bom sábado à tarde com seu namorado doce e bondoso. Ela não esperava ser estimulada por ele com os dedos.
Ele ficou em cima dela, apoiando-se com as mãos no chão. Valerie ficou de repente muito excitada com aquele homem todo pairando sobre ela. Ela suspirou e piscou os olhos. Ele atacou sua boca, sua língua esfregando a dela, chupando-lhe o lábio inferior.
- Ohh, Deus! - Exclamou ela, exalando.
Ele deu-lhe um olhar e foi descendo por seu corpo, indo direto para seu centro molhado com a língua.
- Meu Deus! - Ela gemeu, jogando a cabeça para trás.
Ele lambeu-a lentamente, ocasionalmente, chupando sua carne.
- Ohhh! Ahh...
Encontrou o botão sensível e chupou-o também.
- Ahh! Peter!
Ela estava perto de outro clímax. A língua de Peter era surreal.
- Ahhhh...!
Quando ela abriu os olhos, descendo das nuvens, ele estava beijando seu pescoço, suavemente sugando sua pele.
- Mmm...
Ele olhou para ela. Em seu rosto, o típico sorriso com covinhas dele, mas muito, muito travesso. Em seus olhos, fogo.
- ...Peter...
Ele a beijou profundamente novamente e ela foi para as calças dele, desfazendo seu cinto e desabotoando e puxando o zíper para baixo. Ele tentou ajudá-la, puxando sua cueca para baixo com uma mão.
Eles conseguiram puxá-la para baixo consideravelmente e ele prontamente a penetrou, gemendo.
- Oh...
- Ahhh...
- Oh, Valerie... - ele expirou.
- Ohh... Peter...
Ele era lento, seus movimentos, sensuais. Ele a beijou no rosto, no pescoço, nos lábios, alternadamente. Valerie ia ficando gradualmente louca.
- Peter...
- Sim?...
- Mm... Por... Oooh...
- Sim...
- Por favor...
Ele sorriu e começou a se mover rápido, praticamente metendo nela.
- Ohhhh!!!
- Ah...
- Sim!!
Ele estava metendo nela agora, seu próprio clímax perto.
- Ohh!
- Peter!!!
Eles chegaram ao clímax juntos, um pouco cansados.
Ele saiu de cima dela e sua respiração voltou ao normal, puxando sua cueca para cima.
- O que acabou de acontecer? - Valerie perguntou, rindo. Peter riu.
- Eu só... - ele olhou para ela - seus beijos me excitaram.
- Haha! Oh, Peter... - ela olhou para ele; ele estava sorrindo, o que a fez querer mordê-lo todo.
Levantaram-se, endireitaram-se de novo, pegaram as coisas e foram em direção ao carro. Ele a levou para casa.
Entrando na casa pela cozinha, eles colocaram os pratos e os talheres na pia e a toalha na máquina de lavar.
- Obrigada por este dia deliciosamente surpreendente. - Ela disse para ele.
- De nada... - Disse ele, sorrindo. Ele a beijou.
E os beijos ficaram mais quentes novamente. Ele a abraçou com força e ela correu os dedos pelo cabelo dele.
Valerie estava definitivamente surpresa com Peter. Ele ainda era doce e sensível, mas ele tinha um lado sexy e sedutor que ela poderia apostar que poucas meninas conheciam.
Ele era tímido e desajeitado quando ela o conheceu, mas uma vez que ficou íntima dele... O homem era sensual e apaixonado.
Seus beijos conseguiam deixá-la molhada. Sua língua a deixava louca. E ele sabia exatamente como mover-se quando ele fazia amor com ela. Seus orgasmos eram como o alto mar, uma onda atrás da outra.
Ela pegou sua mão e puxou-o para as escadas, rapidamente. Eles entraram em seu quarto e bateram a porta, beijando-se apaixonadamente.
Peter rapidamente tirou o vestido de Valerie e ela foi direto para a calça dele, abrindo-a novamente. Enquanto isso, ele tirou a camisa.
Eles se jogaram na cama, ainda colados um ao outro. Peter tirou dela o sutiã e passou a língua em seus seios, mordiscando seus mamilos.
- Uhhh! - Ela gemeu.
Ela começou a tirar dele a cueca novamente. Ela estava doendo por ele. Ela precisava que ele a preenchesse e a matasse de prazer.
Ele saiu de cima dela e da cama para terminar de despir-se. Ela ficou impressionada. Ele era mesmo tão bem dotado como ela... sentia.
Dando-lhe um sorriso muito travesso, ele ficou em cima dela de novo, puxando para baixo e tirando a calcinha, pairando acima dela como uma hora antes. Valerie riu excitadamente.
Beijando-a profundamente, mas lentamente, ele penetrou-a novamente, seu ritmo lento. Valerie tinha as mãos nas costas dele, arranhando-o suavemente.
- Mmm... - ele gemeu, através do beijo e, em seguida, interrompeu-o - Isso é tão gostoso...
- Ahh...
Lá estava ele, lentamente deixando-a louca de desejo, aquela sensação por todo o corpo se aproximando...
Ele estava respirando pesadamente, penetrando-a mais rápido agora, morrendo de vontade de ter o seu próprio alívio...
- Ohh! - Ele gemeu quando sentiu as paredes internas dela contraírem-se em torno de seu membro...
Ele agora estava metendo nela, ofegante, gotas de suor descendo pelos lados de seu rosto, seus olhos fechados. Valerie pensou que nunca tinha visto algo tão sexy em toda a sua vida.
- Ahhh! - Ele gritou, aliviando-se dentro dela.
- Deus! Peter!!! - Ela gritou, a onda de prazer batendo nela.
- Uou... - ele exalou em seu ouvido, fazendo-a rir.
- Ohhh...
Ele se apoiou, beijou-a com ternura e saiu de cima dela.
- É... Esse foi um dia interessante, não? - ele disse.
- Eu que o diga!
- Valerie...
- Sim?
- Posso dizer uma coisa?
- Claro!
Ele olhou nos seus olhos dela, aqueles olhos castanhos chocolate dele brilhando.
- Eu adoro fazer amor com você.
Ela derreteu novamente. Só Peter poderia e iria dizer algo assim. Só Peter diria algo tão sério e sensível soando extremamente sexy.
- Oh, Peter... eu também.
Ele sorriu (e ela gritou por dentro!), acariciou o rosto dela algumas vezes e levantou-se, procurando por suas roupas. Ele vestiu-se, ela vestiu um roupão e desceu. Ele teve que ir, havia um ensaio marcado para as sete da noite (Era o ensaio final para o show que teria no dia seguinte).
- Eu te ligo amanhã.
- OK...
Ele a beijou, profundamente, mas com ternura e partiu, sorrindo.
Ela suspirou e fechou a porta, deixando escapar um gritinho, pensando no quanto seu dia tinha sido extraordinariamente excitante.

FIM
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 461
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Re: Num piquenique   Sex Out 14, 2016 12:08 am

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
 
Num piquenique
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: The Monkees-
Ir para: