Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Nunca experimente o ódio de um gênio – cena estendida

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 468
Data de inscrição : 28/02/2014

MensagemAssunto: Nunca experimente o ódio de um gênio – cena estendida   Sab Mar 01, 2014 4:04 pm

Título: Nunca experimente o ódio de um gênio – cena estendida
Autor: strawberriesapples
Shipper: Major Nelson/Jeannie Segunda
Gênero: Romance
Advertências: Tem um pedacinho da música Sour cherry no começo porque eu me inspirei muito nela pra escrever...
Censura/Classificação: R
Partes: 1
Resumo ou uma promo: As consequências do "pretty please" mais sexy do mundo...


Shout when you wanna get off the ride
’Cause you crossed my mind
Crossed my mind
Make my blood thump 7-8-9
make my heart beat double time
Now I’m the only sour cherry on your fruit stand, right?
Am I the only sour cherry on your fruit stand?
(The Kills – Sour cherry)


Jeannie Segunda estava determinada. O Major Anthony Nelson iria ser dela, não importava como! Agora que sua tola irmã estava fora do caminho, era mais fácil.
Quando ela apareceu em seu quarto, ele estava de cama, com um resfriado. Ai, assim não ia dar. Ela o fez ficar bem novamente e piscou algumas roupas bacanas nele. Nossa, ele ficava sexy naquelas apertadas calças vermelhas! Ela explicou seu plano a ele, mas ele estava relutante! Por que ele tinha que ser tão teimoso? Mas ela teria paciência. Não muito, mas ela teria. Afinal... o homem era sexo ambulante! Ela seria paciente. E estava funcionando! Ele já achava que ela era mais inteligente do que sua irmã ingênua!
- Eu vou fazer com que você nunca precise dormir... eu quero que você passe 24 horas por dia imaginando modos de me agradar!... – ela sorriu de orelha a orelha só de pensar nisso!
- Eu pensei que você fosse a gênia e eu, o amo.
- Oh, mas é claro, amor! Mas eu sou muito exigente! Você vai ver, vai ver...
- Espero que não se importe, eu vou até o escritório acertar umas coisas antes de pedir demissão.
O-oh. Ele estava tentando escapar! Mas ele não estava lidando com sua irmã, oh, não. Ele não sabia com quem estava lidando!
- Eu não sei pra que vai se incomodar com essas coisinhas, mas...
peça por favorzinho... – quem disse que ela não poderia dar uma risada enquanto isso?
- Por favorzinho.
Ai, droga. Esse foi o “por favorzinho” mais sensual que ela já tinha ouvido. Aquela voz grave a deixava fraca. E imediatamente úmida.
- Ohhhhhh! – ela gemeu alto – Isso vai ser bárbaro! Muito bem, vá indo, mas volte aqui até as seis horas e não se atrase, porque se eu ficar brava, você vai se odiar muito!
- Eu voltarei.
- Sim, eu sei que sim, amor... Espere um minuto. – hum, não tão rápido, Majorzinho.
- O quê?
Ela teve uma ideia. Ela piscou e uma pequena garrafa apareceu na palma da sua mão.
- O que é isso?
- Perfume!
Ela borrifou um pouco em si mesma e um pouco nele. Esta era uma mistura bem mais poderosa do que a que ela tinha dado a sua irmã...
- Atchim!
- Saúde, querido!
Ele lançou-lhe um olhar. Oh, ele já estava mudando! “Querida, você é brilhante!”, ela pensou consigo mesma.
- Mmm... Você está tão cheirosa...
- Estou, é?
- Sim...
Ele falou naquele tom de voz e começou a beijar sua bochecha, várias vezes. Funcionou. Ele era dela. Seu aroma amadeirado misturado com o perfume subiu pelas narinas dela. Ela estava ofegante de tão excitada.
“Ah, agora eu entendo porque a minha irmã não quer dividi-lo com ninguém... Por Alá!”, pensou ela.
- Jeannie me odeia agora e... um cara tem que se divertir...
- Sim, Majorzinho!
- Eu sei que você está atraída por mim...
Ele ainda estava falando com aquela voz grave em seu ouvido; ela estava ficando arrepiada.
- Quem não está, querido?... “Desculpe, querida irmã, mas uma garota tem que se divertir também!”
- Acho você fascinante...
- Você quer saber o quanto eu posso ser fascinante...? – ela ronronou.
- Mmm, sim...
Ele a beijou, avidamente. Suas línguas estavam se chocando, eles sugavam os lábios um do outro. Ele tirou dela o véu e os colares e foi para seu pescoço, chupando, mordendo. Ela estava ofegante, era tão excitante! As mãos dele foram para seu traseiro, apertando-o; ela riu. Ele era ousado! Ela adorava!
Ele puxou-a para a cama, sentando-se nela. Ela sentou no colo dele, de frente para ele. Aqueles inchados lábios carnudos eram tão convidativos... ela o beijou desta vez, apreciando o sabor de xarope para tosse em sua boca! Enquanto isso, ele tirou o colete e segurou-a firmemente. Ele começou a beijar e morder seus ombros, fazendo-a gemer. Ele desceu para seu decote, lambendo, beijando.
- Ohhh, sim...
Ela começou a mexer o quadril no colo dele, sentindo seu membro ereto através da fina camada de sua roupa de baixo. Ela mal podia esperar para senti-lo dentro dela! Ele começou a respirar pesadamente também.
De repente, ela o empurrou, fazendo-o cair na cama. Ele a puxou para mais perto dele e a beijou novamente. Minutos depois, ela interrompeu o beijo e levantou-se, desabotoando sua camisa, arranhando o peito dele com força. Ele puxou a respiração por entre os dentes; ah, era tão sensual. Ela tirou dele o cinto e apertou a frente de suas calças, rindo maliciosamente; ele gemeu. Ele se levantou de repente e agarrou-a, fazendo-a dar um gritinho. Ele a beijou novamente, desenganchando seu sutiã, tirando-o e jogando-o de lado. Ele apertou seus seios, mordendo seu pescoço.
- Ohhh, Major N... nngh!
Ele desceu e começou a chupá-los, mordiscando seus mamilos. Extasiada, ela arrebentou o colar de contas em volta do pescoço dele, gemendo. Ele a jogou na cama e ficou de joelhos, entre as pernas dela; ele rasgou sua saia e arrancou-a dela, sorrindo maliciosamente. Ela levantou-se, ficando de joelhos sobre a cama também. Indo direto para sua calça, ela a desabotoou e puxou-a para baixo. Ela olhou para baixo e sorriu, levantando a sobrancelha esquerda; ele estava usando uma cueca azul-clara que mal continha o que havia dentro. Ela piscou e as calças sumiram. Ela sorriu sensualmente para ele e ele devolveu-lhe o sorriso. Ela começou a apertar o equipamento dele novamente, beijando e lambendo seu peito. Ofegante, ele agarrou seu longo cabelo castanho com as duas mãos (ela havia piscado para soltá-lo) e puxou sua cabeça para trás, fazendo-a grunhir. Beijando-a avidamente mais uma vez, rasgou sua calcinha e enfiou três dedos entre suas pernas. Ela gemeu e apertou-o com mais força, fazendo-o gemer também. De repente, ele a jogou na cama novamente, mas desta vez, ela o puxou com ela, fazendo-o cair em cima dela. Ele começou a beijá-la mais uma vez, segurando seus cabelos; ela enfiou as mãos dentro de sua cueca e puxou seu equipamento para cima com uma mão, brincando com seus testículos com a outra. Ele gritou.
- Aaah! Chega de ser o Sr Astronauta Bonzinho! – ele disse, sem fôlego.
- Hm-hm-hm! – riu ela.
Ela piscou para tirar a cueca dele e ele de repente agarrou seus braços e a prendeu ao colchão, olhando para ela com olhos escuros e predatórios. Os dela estavam escuros também, e ela estava sorrindo um sorriso cínico. Ele começou a penetrá-la, duro, com ela ainda presa ao colchão. Ela gemeu e piscou, e as mãos dele estavam no colchão, enquanto as dela estavam nas costas dele, arranhando-o violentamente.
- Mais forte! – exigiu ela.
Ele obedeceu, fazendo-a bater com a cabeça na cabeceira da cama. Ela sentia o atrito de seu membro intumescente contra suas paredes internas e isso a estava deixando louca. Ela entrelaçou as pernas dela com as dele, fazendo-o ir mais rápido e com mais força. Ela gemia, gritava e ria, com prazer. Era o melhor sexo que ela já tinha feito. O homem sabia o que estava fazendo. Ele já havia notado o jeito dela e era violento, como ela gostava. Ambos chegaram a um orgasmo barulhento, respirando com dificuldade.
- Ohhh, querido Major Nelson...
- O quê?
- Você com certeza sabe como entreter uma mulher...
- Entreter? Haha...
- Tenho que te dizer, queridinho, eu...
- Eu estou apenas começando! – ele ficou em cima dela, imobilizando os braços dela de novo.
- Você consegue chegar até o fim? – ela estava olhando profundamente naqueles maravilhosos olhos verdes-mar.
- Me observe!
Lá estava ele, falando com aquela voz grave e estupidamente sexy de novo! Aaah! Ela não podia resistir!
Ele a beijou ferozmente mais uma vez, agarrando-a e fazendo-a ficar em cima dele. Ela assim o fez, bufando. O que ele achava que ele estava fazendo com ela? Ela era a única com poderes ali! Rangendo os dentes, ela levantou lentamente, arranhando o tronco dele novamente, sentando-se em seu estômago. Ele exalou em voz alta. A tensão começou a subir mais uma vez. O homem tinha resistência! Vamos ver o quanto!
Ele levou a mão dela à boca e começou a chupar dois de seus dedos. Ela gemeu, mas tirou a mão dali rapidamente e colocou-a atrás dela no colchão, como apoio e se encaixou nele.
- Ohhh...
Ele puxou o ar por entre os dentes novamente e fechou os olhos, apreciando a sensação. Ele estava delicioso. Ela começou a mover os quadris para trás e para a frente, com a mão agora em seu peito. As dele estavam em seu traseiro, ajudando-a com seus movimentos. Puxa, ele era enorme! O Major Hot era realmente apenas um homem humano? Ele era inteligente, bem sucedido, lindo, sexy e um animal na cama! Sua irmã tola tinha toda a sorte do mundo! Ela era a corajosa que recusou a se casar com o Blue Djinn (aquele idiota!), a menininha do Papai, a melhor amiga da Mamãe, a preferida de Haji e oh, ela TINHA que ter este magnífico exemplar do macho humano como seu amo! Oh, mas ele não era mais só dela... e não havia nada que ela pudesse fazer!
- OH, SIM!
- Aah...
Ela agora estava subindo e descendo rapidamente em torno dele, todo o seu corpo trêmulo, chegando perto de outro orgasmo maravilhoso. Agora ele ia ficar realmente cansado e desistir! Você podia ser o amo, Major, mas era ela a poderosa!
- AAAAAH!
Ela caiu em cima dele, sentindo-se completamente satisfeita. Céus, quem era aquele homem?!
- Ainda “entretida” ? – disse ele, acariciando sua cabeça.
- Queriiiido... Estou exausta!
- Sério?
- Sim... Você me fez suar!
- Azar...
- Por quê? – ela apoiou-se com as mãos na cama, olhando para ele.
- Porque... eu não acabei com você ainda!
- Ah, é?! Você vai acabar quando eu disser...
- Isso é o que você pensa!
Ele agarrou seu cabelo (ele tinha uma obsessão com o cabelo dela?) e levantou-se, sentando na cama. Ela também sentou-se, com as pernas em torno da cintura dele. Beijando e chupando seu pescoço, ele a abraçou com força, uma mão ainda em seu cabelo. Ela sentiu o rígido equipamento dele roçar sua área íntima. Isso não era possível. Ele tinha uma potência perene, e ela não tinha certeza se poderia acompanhá-lo.
Ele a puxou para mais perto, seu equipamento invadindo sua área privada novamente. Ela não podia deixar de gemer. Sua libido sempre falou mais alto do que ela permitia. Ele a jogou na cama novamente, empurrando as pernas dela para cima para ganhar mais acesso. Ela gritou. De cansaço, dor e... tesão. Ela não gostava de sexo selvagem? Do que ela estava reclamando? O Major Hot era um expert!
Ele a penetrava com força, gemendo e bufando, olhando profundamente em seus olhos. Os olhos dele ainda estavam cheios de desejo. Parecia que ele poderia continuar por horas!
- Ohhhh... OHHH!
- Ahh...
E quanto mais ela gemia, mais ele parecia gostar! Céus! Ele iria matá-la!
Ele estava penetrando-a com velocidade, ofegante, o suor escorrendo pelas têmporas. Ela rasgou os lençóis, se debatendo na cama. Ela estava ficando louca de êxtase.
- OHHHHHHHHHHHHHHH!
Depois do que pareceram horas, eles chegaram ao clímax, balançando na cama. Era isso. Ela estava exausta. Ela mal conseguia se mover. Ela tinha certeza que iria sentir dor no dia seguinte. Por todo o corpo. Ela havia fantasiado sobre ele, mas as fantasias não chegavam nem perto de como ele era na verdade. Quem diria, por trás daquele exterior quieto, íntegro e correto, havia um vulcão, pronto para entrar em erupção a qualquer momento e fazer a terra tremer...
- Oh, por Alá!
- Hehehe...
- Quem raios é você?! – ela se virou para o lado e olhou para ele.
- O amo de sua irmã... – disse ele, cinicamente.
Sua declaração estúpida só serviu para lembrá-la de que ele nunca iria ser realmente dela. O idiota – não importava o quanto ele era sexy e potente – aparentemente amava sua irmã. E, para seu maldito azar, não havia loção, perfume ou poção que pudesse mudar isso. Ela tinha que conviver com isso para o resto de sua vida. Mas não sem... consertar as coisas primeiro...
Ela piscou e ele apagou. Ela piscou mais uma vez e estava completamente vestida novamente. Olhando para ele com um misto de desprezo e excitação, ela concentrou-se, cruzou os braços e piscou novamente. Ele apenas virou-se para o outro lado. Sorrindo maliciosamente, ela piscou os olhos mais uma vez e foi embora.
***
Jeannie mal podia esperar que seu amo se levantasse para que ela pudesse pedir desculpas por tudo que ela tinha feito a ele no dia anterior. Foi tudo um dos planos de sua irmã para tentar pegá-lo novamente. Oh, lá estava ele, saindo de seu quarto! Ele parecia tão bonito!
- Bom dia, Amo!
- Bom dia, Jeannie! Heh, ontem foi incrível!... – ele tinha um sorriso bobo nos lábios.
- Incrível?!
- É...
- Mas...
- A melhor transa que eu já tive! – ele sussurrou em seu ouvido.
Jeannie arregalou os olhos. Estava estupefata. O que aconteceu ontem?
- Amo... nós não fizemos nada disso ontem!
- Ora, Jeannie!
Ela estava sem palavras. Por que seu amo pensava que eles haviam...
- Se não foi com você, então com quem... não!...
Ao longe, eles ouviram uma risada perversa.

FIM
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://jfics.forumeiros.com
 
Nunca experimente o ódio de um gênio – cena estendida
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» HERK INTERESTING -Detalhes Interessantes sobre Hércules...

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Romance - M-
Ir para: