Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe
 

 O dia que desisti de você

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

O dia que desisti de você Empty
MensagemAssunto: O dia que desisti de você   O dia que desisti de você EmptyQua Jul 09, 2014 12:00 am

Título: O dia que desisti de você
Autor: bajumoon
Gênero: romance/drama
Censura/Classificação: M
Capítulos: 10
Advertências: Fic com conteúdo adulto, imprópria para menores.
Resumo ou uma promo: Sentindo que jamais alcançará o coração de Tony, Jeannie decide desistir de seu amo.

I

O Major Nelson entrou em sua casa, preocupado. Tinha um pouco de medo que Jeannie descobrisse a verdade!
Ele tinha sido designado pelo general Schaeffer, para sair durante uma semana, com a filha do general Andrews, já que ele era solteiro e conhecia como ninguém a Praia dos Cocos.
Stella, a filha do general, era uma mulher muito bonita, com seus longos cabelos castanhos, olhos verdes e corpo esguio. Tinha um sorriso simpático e sedutor. Jeannie, sem dúvida, a detestaria.
Tony sabia que a gênia não entenderia que ele tinha que fazer isso por obrigação.
Ainda mais agora que o relacionamento dele com sua gênia mudara e, transformara-se em algo não-platônico.
O Major Nelson resistiu o máximo que pode a Jeannie, mas as coisas chegaram ao um ponto que não dava mais para aguentar.
Estava cada vez mais apaixonado por ela e eles estavam sempre juntos! Até que um dia, tomando vinho com ela, dentro da garrafa e que era previsto aconteceu.
A partir daquela noite, eles já eram realmente um casal.
Tony então deixou que suas barreiras caíssem e se entregou a paixão insana que sentia.
Mesmo assim, ele sempre fugia do assunto casamento.
Pra ele, as coisas estavam muito boas do jeito que estavam e ele não queria que mudassem.
Não que ele não amasse Jeannie, a ponto que fazê-la sua esposa, mas ele jamais se casaria com um gênio.
Não por ele, pois ele a aceitava como era, mas pelo mundo, pelo seu trabalho.
Nunca poderia apresentá-la com sua esposa. Era muito arriscado!
Jeannie estava sempre o metendo em confusão e se soubessem sobre ela, eles estariam ainda mais expostos.
Seria um desastre se descobrissem que ela era um gênio e ele jamais poderia seguir, com a sua carreira.
O ideal era mesmo que todos pensassem que ele era um simples e típico solteirão, que não quisera se casar e continuar mantendo Jeannie em segredo.
“Jeannie?” Ele chamou pela gênia, enquanto colocava sua pasta e seu quepe em uma cadeira.
“Boa noite, amo querido!” Ela correu ao seu encontro, atirou-se em seus braços e lhe deu um beijo apaixonado.
Ele amava quando ela fazia isso! Várias vezes no trabalho, ele ficava ansioso pra voltar pra casa, só para ser recebido assim!
Tony a abraçou e correspondeu de bom grado o beijo dela.
Ao se separarem, ela disse:
“Como foi seu dia?”
“Muito bom, Jeannie, mas precisamos conversar!”
Eles foram até o sofá e sentaram-se.
“O que quer me dizer, amo?”
Tony ficou algum tempo calado, pensando em como começar.
“Jeannie, você se lembra de que eu te convidei para irmos jantar amanhã?”
Os olhos dela brilharam.
“Claro que sim, amo! Eu até já escolhi o vestido que vou usar! Tenho certeza que você vai gostar dele!” Disse entusiasmada.
Ótimo! Agora Tony sentia-se péssimo pelo que teria que dizer.
“Jeannie eu... eu sinto muito! Mas não vou poder sair com você!”
“Como?”
“E-estamos com um novo projeto lá na base e terei que trabalhar até tarde, durante toda a semana. Provavelmente só chegarei por volta da meia-noite!”
Ah, mas por que, amo? Você quase não me leva pra sair e agora vai ter que trabalhar? Não é justo!”
Jeannie se levantou do sofá, muito chateada.
O Major Nelson por um instante pensou no que ela faria se descobrisse a verdade.
Tony se aproximou de Jeannie, abraçando-a.
“Jeannie, você sabe que esse é o meu trabalho. Eu recebo ordens e tenho que cumprir!”
“Mas ainda assim, isso muito chato!”
Ele deu-lhe o seu melhor sorriso e um beijinho.
“Não fique assim! Eu prometo que semana que vem, a levarei para qualquer lugar que você queira ir, não importa onde! Só te peço que tenha um pouquinho de paciência, hum?”
“Você promete mesmo?”
“Já disse que sim!”
“Então está bem!”
“Ah, essa é a minha garota!” Ele a beijou com vontade.
Eles voltaram para o sofá e ficaram lá por um bom tempo...
***
Com a desculpa que os mandaria para lavanderia, Tony conseguiu sair de casa, levando dois smokings e mais algumas roupas apropriadas para sair com a filha do general, sem que Jeannie desconfiasse. Ele deixou tudo no apartamento do seu amigo Roger e iria trocar de roupa por lá.
Desta vez, tudo aconteceu conforme ele tinha planejado.
Ele saiu quatro noites com Stella e Jeannie acreditara que ele estava mesmo no escritório.
No fundo, Tony sentia um pouco de culpa, mas tinha que confessar que estava sendo muito divertido sair com a filha do general.
Ela era extrovertida e inteligente e o Major Nelson sentia-se muito à vontade com ela.
Tanto que ele chegou a imaginar com seria dividir a vida com uma mulher assim. Poder namorar tranquilamente, noivar, casar e ter uma família, sem se preocupar a todo o momento em ser expulso do programa espacial.
Stella Andrews parecia muito interessada nele, mas Tony achava melhor esquivar-se das suas investidas.
Mesmo gostando da moça, sentia culpado, ao lembrar-se Jeannie. Ainda que não pudesse se casar com sua gênia, ele sabia que não era um homem livre.
“Às vezes a vida se torna complicada demais!” Pensava ele.

***
No fim da penúltima noite, Tony levou a moça até a sua casa e ao se despedir, ela o beijou de surpresa.
Ele deixou ser beijado, mas não correspondeu.
“Estou apaixonada por você, Tony!” Ela se declarou, entrando em seguida dentro de casa.
O Major Nelson ficou um momento estático, sentindo-se balançado pelas palavras dela.

***
Tony voltou pra casa, pensativo.
Acendeu a luz da sala e encontrou Jeannie dormindo no sofá.
A gênia acordou lentamente com a claridade da luz e assim que viu Tony, deu um salto e correu para abraçá-lo.
“Ah, boa noite, amo! Estava te esperando! Vou agora mesmo esquentar seu jantar!”
“Não, Jeannie, não precisa!” Ele se afastou dela. “Já comi algo na base. Tudo o que eu quero é dormir agora!”
“Oh, pobre amo! Você trabalhou muito hoje, não foi? Mas não se preocupe, vou lhe fazer uma massagem, para você dormir melhor!” Disse ela, se aproximando outra vez dele e dando-lhe beijinhos no rosto.
“Não! É melhor que vá pra sua garrafa dormir! Até amanhã!” Disse, com seriedade.
Ele foi para o seu quarto e Jeannie o olhou, com o cenho franzido.
Algo estava errado, ela sabia.
*************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

O dia que desisti de você Empty
MensagemAssunto: Re: O dia que desisti de você   O dia que desisti de você EmptyQua Jul 09, 2014 12:02 am

II

Jeannie não conseguiu dormir naquela noite. Durante toda a semana seu amo estava muito estranho.
Era como se ele estivesse lhe escondendo algo.
De repente algo passou pela cabeça da gênia.
“Será que ele está saindo com outra garota? Não! Não é possível! Não depois de tudo o que houve entre nós!”
Ele tinha prometido pra ela não sair com mais ninguém. Mas por outro lado, quantas vezes no passado ele não tinha feito a mesma promessa e quebrado depois?
Ela precisava investigar e descobrir o que estava acontecendo.
***
Pela manhã, Tony tomava seu café, calado e pensativo, aumentando ainda mais as suspeitas de Jeannie.
Ele se despediu e foi para o escritório.
A gênia já estava decidida. Ela iria tirar essa história limpo, naquele dia mesmo!
***
Jeannie passou o dia todo escondida no escritório de seu amo.
Ainda não tinha notado nada estranho, até que o Major Healey apareceu por lá.
“Você queria falar comigo, Tony?” Disse o Major Healey ao amigo.
“Sim, Roge. Não sei o que fazer!”
“Qual é o problema? Não me diga que Jeannie descobriu sobre suas saídas com a filha do general Andrews?!”
Jeannie, que estava escondida em cima do arquivo, sem ser notada pelos dois amigos, arregalou os olhos.
“Não! Ela nem desconfia! Pensa que eu estou trabalhando até tarde!”
“Então o que foi? Tenho certeza que está se divertindo com a moça! Ah, sinto até inveja de você! Ela é linda demais!”
Jeannie fechou as mãos em punho. Nervosa e chateada ao mesmo tempo, enquanto eles continuavam a conversa.
 “Esse é o problema!” Disse Tony. “Eu estou gostando muito de estar com Stella, ela é uma companhia agradável e eu me sinto bem com ela! Mas ontem, ela me beijou e disse que estava apaixonada!”
“Uau, puxa! E o que você fez?”
“Nada! Deixei que me beijasse! Logo depois, ela entrou na casa dela. Talvez tenha ficado envergonhada!”
“Mas você gostou, não?”
“Sim. Acho que sim! Mas não pude deixar de sentir culpa! Por causa de Jeannie.”
“Você não devia sentir culpa! Jeannie não é uma mulher de verdade, você sabe! Jamais terá um futuro com ela!”
Ao ouvir as palavras do Major Healey, toda a raiva da gênia transformou-se em tristeza.
“Eu sei, Roge!” Disse Tony. “Mas o que eu posso fazer? Com Jeannie na minha vida, não há lugar para outras mulheres, você sabe! Também não consigo me livrar dela!”
Assim que disse isso, o Major Nelson intimamente se arrependeu. Não era como parecia, ele não estava querendo tirar Jeannie da sua vida, ele precisava dela! Mas deixou isso pra lá. Roger provavelmente entendera o que ele quis dizer.
“Sua situação é mesmo complicada, amigo!” Roger concordou, sem saber aconselhar Tony.
Jeannie, que até a pouco, pensou em aparecer para brigar com Tony, decidiu ficar ali quieta.
Ela pensou que não adiantava brigar, se ele não a queria em sua vida.
A gênia se piscou de volta pra casa. Ela ficou por lá, até mais ou menos o fim do expediente de Tony.
Mesmo sem vontade, decidiu voltar, ela precisava ver a tal moça!
Jeannie seguiu Tony, sem que ele notasse, até o momento que ele fora na casa da outra.
Ela era mesmo muito bonita e Tony estava muito contente de estar com ela. Jeannie sentiu-se muito triste, principalmente ao vê-los se beijando. Aquilo era demais!
Ela decidiu ir embora, antes que acabasse vendo algo ainda pior e mais doloroso.
A gênia se piscou para a praia e lá ficou sentada, pensando no que ia fazer.
***
“Diga-me que nos veremos de novo!” Pediu Stella a Tony.
“Claro que sim!”
“Não quero ir embora! Pedirei a papai para ficar aqui!”
“Não acho que ele vá concordar! Ele a quer por perto e ele tem muito trabalho na base na qual está!”
“Não importa! Mesmo que demore um pouco, vou convencê-lo! Não quero ficar longe de você! Você me esperaria?”
“Stella, você é uma pessoa muito especial, mas acho que será melhor pra nós dois, seguirmos nossos caminhos! Logo você se esquecerá de mim e vai encontrar alguém melhor!”
“Nunca vou me esquecer de você Tony! Já disse que o amo!”
Por alguma razão, Tony se incomodou com o que ela disse.
“Façamos o seguinte: vamos deixar as coisas como estão! Você vai voltar pra sua casa e continuar com sua vida, assim como eu com a minha. Se um dia voltarmos a nos encontrar e estivermos livres, talvez possamos voltar a sair! Combinado?”
Ela deu um sorriso desanimado e sem humor.
“Bem, acho que não tenho outra escolha! Está bem! Mas fique sabendo, você não vai se livrar fácil de mim! Eu vou voltar!” Ela sorriu pra ele.
“Tudo bem!” Ela lhe deu um último beijo e dessa vez ele a correspondeu. De certa forma, aliviado por ela estar indo embora.
***
Já passava da uma da manhã, quando Tony entrou em sua casa. Ele estava cansado, mas tranquilo. Passou-se uma semana e Jeannie não tinha descoberto que ele tinha mentido.
Ele olhou para o sofá esperando encontrar sua gênia o aguardando, mas ela não estava ali. Ele deu uma olhada na garrafa, para ver se ela já estava dormindo, mas também não a viu por lá.
Ele começava a procurar pela casa, quando ela apareceu na sala.
“Jeannie? Onde estava há essa hora?”
“Fui dar uma volta na praia.” Disse ela, com o olhar distante.
“Não é bom que saia sozinha tão tarde da noite! Mesmo sendo uma gênia, é perigoso!”
“Não se preocupe, estou bem! Boa noite!” Ela falou, mal olhando pra ele e indo para sua garrafa.
O Major Nelson a olhou preocupado. Será que tinha acontecido alguma coisa? 
***
Aproveitando que o dia seguinte era sábado, Tony dormiu até tarde.
Assim que acordou, ele planejava tomar tranquilamente o seu café da manhã e passar o dia todo com Jeannie.
Sentia falta de estar bem junto dela, namorá-la, passar horas agradáveis e felizes ao seu lado.
Ele passou a semana toda sem lhe dar atenção e agora ele precisava compensá-la.
Ele vestiu seu roupão, ansioso para dar um bom beijo de bom dia na sua gênia.
Tony saiu do quarto sorrindo e chamando por ela.
Mas Jeannie não respondeu.
Ele foi até a mesa e encontrou seu café da manhã pronto, mas nem sinal de Jeannie.
“Onde será que ela foi?” Pensava, sentindo-se frustrado.
***
“O que quer de mim, Jeannie?” Perguntava Haji, assim que a gênia entrou na sala dele.
“Obrigada por me receber, grande Haji! Vim aqui porque só o senhor pode me ajudar!”
“Diga-me de uma vez o que posso fazer por você!”
“Quero me separar do meu amo!”
************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

O dia que desisti de você Empty
MensagemAssunto: Re: O dia que desisti de você   O dia que desisti de você EmptyQua Jul 09, 2014 12:04 am

III

“O que está dizendo?”
“Isso mesmo Haji, não quero mais servir ao meu amo!”
“Você sabe que isso não é permitido! A não ser que você tenha um motivo muito grave, como maus-tratos, por exemplo.”
“Não, ele nunca me maltratou, muito pelo contrário!”
“Então por que quer se separar dele?”
Ela abaixou a cabeça.
“Meu amo não precisa de mim. Ele não me quer, nunca me quis, agora tenho absoluta certeza disso. Quando nos conhecemos na praia, ele quis se livrar de mim. Com o tempo, pensei que ele tinha começado a gostar de mim, mas me enganei! Eu só atrapalho a vida dele!”
“Mesmo assim, você não pode se afastar dele. Ele ainda possui o controle da sua garrafa. Você sabe o que diz a lei. Ele é legalmente seu amo!”
“Mas o desejo dele não conta?”
“O que quer dizer?”
“Quando nos conhecemos, ele me libertou. Disse que eu era livre para ir onde quisesse!”
Haji refletiu por um momento.
“Bom, se ele não a quer e disse que você era livre, as coisas mudam!”
“Então tenho permissão para deixá-lo?”
“Não.”
“Não?”
“Não ainda! Percebo que tomou essa decisão movida por um impulso. Está apaixonada por ele, não está?”
“Isso não tem importância. Ele não gosta de mim, mesmo!” Disse ela, chateada.
Haji meneou a cabeça.
“Como eu pensei. Não deveria ter se apaixonado por seu amo! De qualquer forma, você irá voltar pra ele!”
“Por favor, Haji, eu não posso...”
“Eu não terminei de falar!” Cortou-lhe ele, severo. “Você voltará para seu amo e ficará com ele por mais um mês. Se passado esse tempo, continuar com mesma opinião, quero que volte aqui e conversaremos de novo. Está claro?”
“Mas eu não posso voltar!”
“Já disse o tem que fazer. Agora saia e volte para o seu amo!” Ordenou Haji.
A gênia, resignada, fez o que lhe foi dito.
Porém, antes de voltar pra casa, ela resolveu dar umas voltas por Bagdá, para pensar um pouco.
Não se sentia preparada para voltar, mas tinha que fazê-lo.
Ela sabia que as coisas seriam muito difíceis agora.
Jeannie não podia evitar sentir raiva do seu amo. Depois de tudo o que passaram juntos, depois de todos aqueles anos, ele não perdeu tempo e se envolveu com outra garota.
Além disso, ele nem a considerava uma mulher de verdade. Talvez pra ele, ela era apenas uma coisa, sem importância.
Mas aquilo tinha acabado. Quando voltasse o trataria com sempre deveria tê-lo tratado. Simplesmente como uma gênia, cumprindo as ordens de seu amo. E se ele não a quisesse por perto, ficaria em sua garrafa, até que prazo dado por Haji tenha se esgotado e ela pudesse finalmente ir embora.
“Provavelmente esse será o dia mais feliz da vida dele!” Pensava ela, amargurada.

***

O Major Nelson andava de um lado para o outro, inquieto.
Jeannie sumira e ele não fazia ideia onde ela estava.
Ela nem sequer deixara um bilhete!
Esse comportamento de Jeannie era muito estranho, ela não costumava agir assim!
Tony pensava no que fazer, quando a gênia apareceu.
Ele correu para abraçá-la.
“Jeannie! Onde você foi? Eu estava muito preocupado! Você sempre avisa quando vai sair! Pensei que pudesse ter acontecido algo!”
Jeannie se desvencilhou dos braços dele e disse com seriedade.
“Sinto muito amo! Isso não irá acontecer de novo! Tive que sair, pois precisava falar com Haji!”
Ele achou esquisito a jeito dela falar, porém sorriu:
“Tudo bem! Mas aconteceu algo pra você precisar falar com ele?”
A gênia desviou o olhar.
“Não. Nada muito importante, apenas uma dúvida que eu tinha sobre as leis dos gênios!”
“Ah, sim! Que bom que está de volta!” Ele se aproximou dela, alegre. “Hoje pretendo passar o sábado todo com você! Nós perdemos a manhã, mas ainda temos o resto do dia para aproveitar...” Ele a abraçou por trás e beijou o seu pescoço, falando agora com a voz mais baixa, próximo ao ouvido dela: “O que quer fazer?”
Jeannie se empertigou toda e tirou os braços dele de cima dela.
“O que eu quero?” Ela pensou por um instante. “Você não ia sair com o Major Healey hoje?”
“Hoje? Não! Vou jogar golfe com Roger só amanhã! E só pela manhã. Passarei o resto do domingo em casa, com você!”
“Bem, talvez tenha outro compromisso hoje e não se lembra!”
Tony a olhou, confuso.
“Não. Eu não tenho nada pra fazer hoje! Eu sei que estive ocupado durante toda a semana, mas agora vou lhe recompensar, como eu tinha prometido. Podemos fazer o que você quiser!”
Ele voltou a sorrir, esperando que sua gênia ficasse contente com a notícia. Mas ela continuava séria.
“Não precisa pensar em me recompensar, amo! Eu entendo que teve que trabalhar muito durante a semana. Deve aproveitar esse tempo para descansar, ou fazer as tarefas domésticas que tanto gosta!” O Major Nelson franziu a testa e Jeannie completou. “Vou para cozinha, preparar o almoço!”
Ela saiu e Tony sentou-se em sua cadeira azul, perdido.
Será que Jeannie estava brava com ele por não ter recebido atenção nesses últimos dias? Ou pior! Talvez ela soubesse sobre Stella!
O Major Nelson descartou a última possibilidade. Se Jeannie soubesse, a filha do general já estaria num circo trabalhando como foca amestrada e ele, na jaula dos leões.
Ela deveria estar somente chateada mesmo. Mas Tony daria um jeito para que ela esquecesse tudo isso e voltasse tudo a ser como antes.
Ele precisava tanto dela!
***********
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

O dia que desisti de você Empty
MensagemAssunto: Re: O dia que desisti de você   O dia que desisti de você EmptyQua Jul 09, 2014 12:06 am

IV

Jeannie ainda estava na cozinha, preparando o almoço, quando Tony apareceu-lhe trazendo uma flor, que colheu no jardim.
“Isso é para a gênia mais linda e fantástica do mundo!” Disse apaixonado.
“Obrigada amo!”
Ela pegou a flor, colocando-a displicentemente no balcão, voltando aos seus afazeres.
O Major Nelson resolveu ignorar o gesto frio dela e falou com entusiasmo.
“Jeannie eu estava vendo a programação da TV e vai passar aquele filme de faroeste que você tanto gosta! Podemos fazer uma pipoca e ficar assistindo a tarde toda!”
Tony amava ver filmes com Jeannie. Na metade do filme, eles já nem estavam mais prestando atenção na TV. Tinham coisas interessantes pra fazer.
“É, pode ser...” Disse ela, meio evasiva.
Não entendia o porquê de ele estar com tanta vontade de estar perto dela, se passara a semana toda se divertindo, depois de mentir que estava trabalhando. Além disso, tudo o que ele queria era se livrar dela!
Vendo que ela ainda estava distante, ele sugeriu:
“Depois do filme, podemos jantar fora! Onde você quiser! Até em Paris!”
“Depois vemos isso, amo! Vou colocar a mesa!”
Ela deixou Tony sozinho na cozinha.
***
A Jeannie piscava os pratos na mesa, pensativa.
Ela não ia cair no jogo dele dessa vez! Ela entendia que tinha que servi-lo como gênia, mas não deixaria isso ser levado para o lado pessoal.
Não iria se envolver com ele nunca mais! Não deixaria que ele destruísse ainda mais seu coração.
Ele nunca a levara a sério, somente tirou proveito de uma situação ruim.
Tinha que ficar com ela, porque era obrigado, então resolvera ter bons momentos com sua gênia.
Mas ele não a amava, nem sequer gostava dela, ela só atrapalha sua vida e a chance que tinha de ter uma família e ser feliz.
Mas ela o deixaria em paz! Deixaria que ele seguisse sua vida e ele a esqueceria para sempre.
Por mais que isso fosse muito difícil, não o deixaria se aproximar de novo dela, nem de seu coração.
***
Tony sentou-se sua cama, muito frustrado, preocupado e confuso.
Ele não entendia o que estava acontecendo com Jeannie. Durante toda a tarde, ele tentou se aproximar, ser mais carinhoso, mas ela sempre se esquivava dele.
Nem sequer quis sair com ele pra jantar. Inventou uma desculpa qualquer e se isolou em sua garrafa.
Jeannie nunca se comportou assim. Ela nunca o rejeitou, ou teve uma atitude fria, nem mesmo quando estava brava.
Tony precisava descobrir o que estava acontecendo.
De manhã, antes de sair pra jogar golfe com Roger, ele conversaria com Jeannie e ela teria que dizer o que estava errado!
***
Como no dia anterior, Jeannie servia o café da manhã para o seu amo, muito rígida e séria.
Tony respirou fundo e disse:
“Jeannie, por favor, sente-se aqui!” Ele apontou para a cadeira ao lado dele. “Quero conversar com você!”
Ela o obedeceu, sem nada dizer.
“Jeannie, o que está havendo? Você está brava comigo? Não gosto de te ver assim!”
“Não há nada de errado, amo!”
“Claro que há! Você passa o tempo todo me evitando, nem sequer olha nos meus olhos, está tão fria e séria comigo! Você está chateada porque eu não pude sair com você, na semana passada?”
“Não, amo! Você tem que fazer o que é melhor para você! E eu só estou aqui para servi-lo!”
Ela se levantou e foi para a cozinha.
Tony apoiou a cabeça nas mãos, tentando entender o que ocorria. Ele ia atrás de Jeannie, para lhe pedir mais explicações, mas Roger chegou nesse momento.
“Como vai amigão? Está pronto para a partida?”
Tony se levantou cumprimentando o amigo.
Por um momento ele pensou em desistir do jogo, mas mudou de ideia. Talvez fosse melhor dar um pouco de espaço para Jeannie. Talvez mais tarde ela quisesse dizer o que estava errado.
“Sim Roge, vou pegar os meus tacos!” Disse Tony. Assim que estavam saindo, Tony falou alto: “Até logo, Jeannie!” Mas ela não respondeu.
Tony balançou a cabeça e foi para o seu jogo.
***
Depois do jogo, Tony e Roger sentaram para tomar um suco e Roger falou:
“O que há de errado com você Tony? Você nunca foi um grande jogador, mas hoje conseguiu se superar! Estava péssimo!”
“Sinto muito Roger, não estava conseguindo me concentrar!”
“E por que não? Já está sentindo saudades da filha do general?”
“Claro que não. Nem me lembrava dela! Quem me preocupa é Jeannie!”
“Aconteceu alguma coisa com ela?”
“Desde ontem ela tem me evitado! Mal fala comigo, quando tento me aproximar ela se afasta, é fria, indiferente! Ela nunca agiu assim comigo!”
“Mas vocês brigaram?”
“Não! Acredito que não! Eu até perguntei se ela tinha ficado chateada pela semana que fiquei mais afastado dela!”
“E foi por isso?”
“Ela só me disse que devo fazer o que é melhor pra mim e que ela só está ali para me servir! Não entendo! É como se minha presença a incomodasse, como se ela estivesse ali só por obrigação!”
“Será que ela não descobriu algo sobre a filha do general?”
“Eu pensei nisso, mas acho impossível! Se ela soubesse não agiria assim! Ficaria furiosa e se vingaria. Pelo menos é sempre assim que ela agiu todas as vezes que me encontrou com outra!”
“Tem razão! Bem, se ela não sabe sobre seus encontros e não está brava com você, só tem uma razão para ela ter se afastado!”
“Qual Roge?”
“Ela deve ter se apaixonado por outro!”
“O quê?!”
**************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

O dia que desisti de você Empty
MensagemAssunto: Re: O dia que desisti de você   O dia que desisti de você EmptyQua Jul 09, 2014 12:06 am

V

O Major Nelson não podia acreditar nisso! Sua Jeannie apaixonada outro? Não era possível!
“Você está delirando, Roger! Jeannie jamais se interessaria por outro homem!”
“E por que não? Você nem sempre dá atenção que ela merece e Jeannie é muito bonita! Pode ter se interessado por outro, assim como você se interessou pela filha do general!”
Tony refletiu por um momento. Talvez Roger tivesse razão! Isso explicaria as duas estranhas saídas dela e o fato dela estar sempre o evitando.
Talvez até mesmo quando ele estava com Stella, ela poderia ter aproveitado e saído com outro. Era difícil de acreditar, mas tudo se encaixava.
“Se isso for verdade Roge, o que vou fazer? Não posso perder Jeannie para outro!”
“Talvez seja melhor, Tony! Você não disse que a filha do general queria voltar? E ainda que ela não volte mais, se Jeannie sair da sua vida, você vai poder ter uma vida normal, sem problemas e poder sair com a garota que quiser! Pense como será bom!”
“Não acredito que está me dizendo isso Roger! Acha que eu posso simplesmente deixá-la ir embora assim? E eu pensei que considerasse Jeannie sua amiga!”
“Não se ofenda Tony! É você mesmo que diz que não aguenta mais as confusões de Jeannie! Talvez isso seja mesmo o melhor para os dois!”
Tony levantou-se, sério.
“Eu tenho que ir Roger! Falamos-nos amanhã na base, até mais!” O Major Nelson saiu rapidamente.
O Major Healey apenas balançou a cabeça. Para o seu amigo não havia mais remédio. Tony amava um gênio e jamais iria esquecê-la, ou deixá-la ir!
***
 “Jeannie? Estou em casa!” Ele chamou pela gênia, enquanto colocava seus tacos de golfe de volta no armário.
Seja quem fosse esse homem, não iria tirar Jeannie dele!
“Jeannie!” Ele chamou de novo, sem resposta.
Ele foi até a garrafa dela, olhou lá dentro, mas ela não estava. Assim como não estava em nenhuma parte de casa também.
Tony ficou inquieto pensando:
“Ela deve estar com ele. Jeannie aproveitou que eu não estava em casa para sair com esse tal homem!”
O Major Nelson sentou-se no sofá tentando controlar a angustia e os ciúmes.
***
Jeannie aproveitara a saída de Tony para ir visitar sua mãe. Sentia saudades dela e também, ela precisava se distrair.
Não sabia ainda o que ia fazer depois que deixasse o seu amo. Sua vida não teria sentido, ela sabia, mas era o melhor a ser feito.
Já estava entardecendo quando ela resolveu volta pra casa.
Ela se piscou para a sala de estar e encontrou Tony, com uma expressão muito séria.
Ele se aproximou de Jeannie e disse:
“Onde você esteve?”
“Fui visitar minha mãe. Achei que ficaria até mais tarde com o Major Healey!”
“A sua mãe? Tem certeza?” Ele olhou pra ela, desconfiado.
“Sim. Por quê?”
Ele desviou o olhar.
“Você anda saindo muito ultimamente! Será fez um novo amigo?”
O Major Nelson falava de um jeito estranho e Jeannie não entendia o que estava acontecendo.
“Não. Sinto muito se lhe incomoda minhas saídas, amo!”
“Bem, eu planejava passar mais tempo com você! Mas parece que minha presença a perturba!”
“De forma alguma! Com licença, vou começar a fazer o jantar!” Ela saiu dali, fugindo outra vez dele.
Ah, mas dessa fez ele não deixaria as coisas assim!
************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

O dia que desisti de você Empty
MensagemAssunto: Re: O dia que desisti de você   O dia que desisti de você EmptyQua Jul 09, 2014 12:08 am

VI

O Major Nelson a seguiu até a cozinha, a segurou pelos ombros a olhando com firmeza.
“Diga quem é ele!”
“Ele quem?”
“O homem por quem se apaixonou!”
“Do que está falando?”
“Você sabe! É por isso que você tem me evitado! Por isso não quer mais saber de mim! Você se apaixonou por outro, não é? Diga-me a verdade!”
Jeannie o olhou com raiva. Como ele podia se atrever a acusá-la assim, se era ele quem saia com outras?
Ela se afastou dele e disse, tentando manter a calma:
“Não, amo!”
“Eu não acredito!”
Jeannie não conseguiu mais se conter.
“O problema é seu!”
Ela ia sair da cozinha, mas Tony a agarrou e a beijou à força.
A gênia começou a se debater nos braços dele e disse:
“Solte-me!”
“Não!” Ele beijava seu pescoço agora.
Jeannie ia piscar para se afastar dele, mas Tony voltou a beijar a boca dela com agressividade.
Faminta da boca dele há dias, ela não resistiu e deixou que ele a beijasse.
O Major Nelson a segurava firme em seus braços.
“Ninguém vai tirá-la de mim!” Disse ele ofegante, quando separou seus lábios dos dela.
Jeannie não disse nada. Nem mesmo quando ele a pegou no colo e a levou para o seu quarto, fechando a porta com um chute.
***
 Meia hora depois, Jeannie virava-se para um lado, deitada na cama de Tony, coberta apenas por um lençol.
O Major Nelson se aproximou dela, abraçando-a por trás. Ele afastou os cabeços soltos dela, para beijar seu pescoço.
“Ah, como é bom ficar com você assim!” Ele murmurou, com a voz rouca.
“Eu preciso levantar. Preciso fazer o jantar!”
A gênia ia se levantando, mas o Major Nelson a segurou firme.
“Não. Esqueça o jantar! Eu só quero ficar aqui com você!”
“Mas...”
“Por favor, querida!”
Jeannie estava com raiva de si mesma! Não devia ter ficado outra vez com ele. Aquilo tinha que ter um fim.
“Se não está com fome, é melhor eu ir pra minha garrafa!” Disse ela.
“Durma aqui comigo!” Ele pediu.
“Acho melhor, não! Nunca se sabe se alguém pode aparecer de surpresa. Além disso, você mesmo nunca gostou que eu dormisse aqui!”
Jeannie piscou, ficando de pé e vestindo seu pijama rosa.
Ela ia saindo quando ele se ergueu, agarrou o braço da gênia, enquanto segurava com a outra mão o lençol que cobria a nudez dele.
“Eu não consigo entender! Por que está assim comigo? Diga-me o que foi eu fiz, Jeannie! Não me castigue assim!” Ela ficou calada e ele prosseguiu: “Será que você deixou mesmo de gostar mim? Será que há mesmo outra pessoa que você ama? Fale se é verdade!”
A gênia ia responder, quando o telefone tocou. O Major Nelson deixou-o tocando, enquanto o olhava pra Jeannie, esperando uma resposta.
“É melhor atender ao telefone, amo! Deve ser importante!” Disse ela enquanto soltava seu braço da mão dele e saia do quarto.
Tony praguejou e decidiu atender ao telefone.
“Alô?”
“Como vai querido?”
“Stella?”
“Desculpe te ligar a essa hora Tony, mas não aguentei! Estou morrendo de saudades suas! Você também sentiu minha falta?”
“Sim!” Mentiu Tony. Ela tinha que ligar justo naquela hora?
“Ah, que ótimo! Eu tenho uma novidade! Amanhã mesmo eu vou voltar para a Praia dos Cocos!”
“O quê?!”
“Isso mesmo! Meu pai me designou para resolver alguns assuntos dele por aí e eu poderei ficar por um bom tempo! E claro, passarei com você!”
“Ah, ma-mas Stella, eu não sei se poderemos sair juntos. Eu ando muito ocupado e...”
“Ah, eu não aceito não como resposta! Veremos-nos amanhã querido! Até mais!”
“Stella? Stella!”
Ela desligou o telefone, antes que o Major Nelson pudesse persuadi-la a não vir.
Agora ele estava mesmo perdido! Como iria esconder Stella de Jeannie? Ainda mais agora que ela estava distante e estranha?
Ele não sabia o que fazer.
***
Jeannie, na sala, colocava cuidadosamente o telefone de volta no gancho.
Ela sentou no sofá, chateada.
“Então ela vai voltar! E eles vão continuar saindo juntos!” Ela repetia pra si mesma.
Não havia mesmo esperanças para ela e seu amo. Ela tinha tomado a decisão certa ao se afastar dele!
Mas ainda assim, ela não podia deixar de sentir-se arrasada com isso!
***********
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

O dia que desisti de você Empty
MensagemAssunto: Re: O dia que desisti de você   O dia que desisti de você EmptyQua Jul 09, 2014 12:09 am

VII
Na manhã seguinte, o Major Nelson saia de seu quarto já vestido para ir trabalhar.
Mal dormira na noite passada, pensando no que ia fazer.
Ele decidiu que daria um jeito de se livrar de Stella e reconquistar a sua gênia. Faria tudo o que fosse necessário para que ela voltasse a ser como antes, seja qual for o problema ou alguém que a fizera ficar daquele jeito.
“Bom dia, Jeannie!” Ele a cumprimentou, dando-lhe um beijo no rosto.
“Bom dia!” Ela disse simplesmente, terminado de preparar a mesa do café.
Tony se sentou e pediu que ela se sentasse também.
“Jeannie, nós não terminamos a nossa conversa de ontem! Mesmo depois de estarmos juntos, você continua distante de mim!”
“Não deveríamos ter... ter ficado juntos outra vez!”
“Por que não? Você sempre gostou de estar comigo e eu também! O que mudou agora?”
“Nós nunca deveríamos ter deixado de ter um relacionamento, como você diz, ’platônico’, deveríamos ser apenas amo e gênia, nada mais!”
“Mas era você mesma que queria algo mais! E eu também não pude mais resistir!” Tony segurou a mão de Jeannie dando-lhe um beijo, mas a gênia afastou a mão.
“Esqueça tudo isso, amo!” Ela se levantou, virando de costas pra ele. “Estou aqui unicamente para servi-lo! Esqueça-se de mim, viva a sua vida, saia com outras garotas. Eu não vou atrapalhá-lo mais!”
O Major Nelson também se levantou e virou a gênia, obrigando-a a olhar-lhe nos olhos.
“Você tem mesmo outro! Por isso se afasta de mim! Não é?”
A gênia ia negar, mas mudou de ideia. Talvez fosse melhor que ele pensasse isso mesmo e a deixasse em paz.
“Sim!” Ela respondeu com firmeza. Enquanto cruzava discretamente os dedos pela mentira.
“Então é verdade! E quem é ele?”
“Um gênio, como eu!”
“Não! Você não pode estar apaixonada por ele!”
O Major Nelson a abraçou com força, enquanto dizia:
“Você gosta mais dele do que de mim? Ele é mais importante do que eu pra você? Diga!”
Jeannie se assustou com atitude e o olhar dele. Parecia tão desesperado, que por um momento ela pensou em dizer a verdade, que ninguém no mundo era mais importante pra ela do que ele. Mas Jeannie se lembrou da mulher com quem ele havia saído e se encheu de raiva.
“Eu sinto muito amo! Mas ele é muito importante pra mim. Mais do que você!”
“Não é verdade!” Ele falou com a voz elevada ia dar um beijo na gênia, quando a campanhia tocou. “Droga! Deve ser o Roger!” Grunhiu ele.
“Eu vou atender!” A gênia piscou em si um vestido verde curto e foi até a porta.
Ela sabia que não era o Major Healey.
“Olá, será que eu posso falar com o Major Nelson?”
“Claro que sim! E quem é você?” Perguntou Jeannie, mesmo sabendo.
“Sou Stella Andrews!” A moça olhou Jeannie de cima a baixo. “E você quem é?”
Nesse momento o Major Nelson apareceu na porta, olhando assustado para as duas.
“Ah, o-oi Stella, que surpresa!” Disse Tony apreensivo.
Stella se aproximou do Major Nelson o abraçando e dando um beijinho em sua boca!
“Ah, que saudade, querido!”
Tony olhou pra Jeannie com medo, mas a gênia mantinha um olhar sereno.
“Eu não esperava que aparecesse aqui!” Tony deu uma risadinha nervosa.
“Ah, mas eu avisei que viria te ver!” Stella de repente, se lembrou de Jeannie e disse: “Você ainda não me disse quem é, nem o que faz aqui garota!”
“Hehe, ela é...” Começou Tony, mas Jeannie o cortou.
“Eu sou Jeannie, a empregada do Major Nelson!”
“Ah, sim! Nesse caso, poderia me trazer um café, por favor?”
“Claro que sim, senhorita!”
“Não precisa se incomodar Jeannie! Eu mesmo posso pegar!” Disse Tony, visivelmente nervoso.
“Deixe que ela vá, querido! É o trabalho dela! E eu quero ficar a sós com você!” 
“Stella eu acho melhor...”
“Não se preocupe Major Nelson! Eu vou pegar o café!” Jeannie foi rapidamente para a cozinha.
“Jeannie...” 
“Não ligue pra isso, querido! Vamos falar de nós dois!” Stella colocou os braços ao redor do Major Nelson.
“Stella, eu estou ocupado com um novo projeto e tenho muito trabalho pra fazer na base! Eu sinto muito, mas não posso lhe dar atenção agora! Depois nos vemos pra conversar!”
“Mas querido...”
“Por favor!”
“Está bem! Eu estou na mesma casa que papai tinha alugado quando viemos pra cá! Espero que venha me ver à noite!” Ela deu um beijo em Tony e saiu.
O Major Nelson voltou a sentar-se no sofá, respirando fundo.
Ele precisava acabar tudo com Stella o quanto antes, mas não com Jeannie por perto.
Já daria muito trabalho explicar pra sua gênia a vinda dessa garota ali.
Alguns instantes depois, Jeannie apareceu com a bandeja com o café.
“Ué? Ela já foi?” Ela colocou a bandeja na mesinha de centro.
“Sim.” Tony olhou fixamente para Jeannie. “Jeannie, eu tenho que lhe dar uma explicação!”
“Explicação? Sobre o quê?”
“Sobre Stella, ou melhor, sobre a senhorita Andrews!”
“Não tem que me explicar nada, amo. A sua vida particular não é da minha conta!”
“Como é?! Mas...”
“Eu já disse que estou aqui apenas para servi-lo! Tem direito de fazer o que quiser com a sua vida!” Ela falou com firmeza, mas desviou o olhar.
“Quer dizer que você não se importa com que eu faço?” Tony se levantou irritado, se aproximando de Jeannie. “Já está tão apaixonada por esse tal gênio, que não liga mais pra mim?”
“Sim. Estou! Assim como você deve estar por essa moça!” Ela elevou um pouco a voz. “Espero que seja muito feliz com ela!”
“Então você quer mesmo se livrar de mim!” Disse ele, ignorando os últimos comentários dela. “Mas quer saber?”
“O quê?”
“Não vai conseguir!” Ele a beijou de surpresa.
************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

O dia que desisti de você Empty
MensagemAssunto: Re: O dia que desisti de você   O dia que desisti de você EmptyQua Jul 09, 2014 12:11 am

VIII

“Já chega!” Disse ela, se piscando pra longe dele. “Desta vez não vai ter o que quer!”
“Jeannie, você não pode gostar mais dele do que de mim!”
“Por que finge se importar tanto? Isso era tudo o que você sempre quis, me ver longe da sua vida! Não precisa se preocupar, logo irei embora!”
“Não! Eu preciso de você!” O Major Nelson voltou a se aproximar dela. “Não posso viver sem você! Não a deixarei partir!”
Ele voltou a beijá-la e desta vez a gênia não resistiu. Nunca conseguia resistir a ele.
O beijo era apaixonado e ao mesmo tempo, terno. Eles se afastaram, depois de algum tempo e ele lhe disse:
“Ah, como eu quero, como preciso de você!” Ele começou a beijar o pescoço dela, enquanto lhe abria o vestido.
“Vo-você precisa ir trabalhar!”
“O trabalho pode esperar, isso é mais importante!”
“Eu não quero!” Disse ela tentando se afastar sem o uso da sua magia, mas ele a segurava firme.
“Mentira! Eu sei que você também me quer!”
“Por que não procura aquela moça? Tenho certeza que ela ficaria feliz em estar nos seus braços!”
“Não quero saber dela! A única que me interessa é você!”
“Quem está mentindo agora?”
“Vou lhe mostrar o quanto a quero!”
“Não!” Ele a beijou de forma selvagem, a pressionando contra o seu corpo.
Jeannie tentou lutar com ele, mas não conseguiu. Como da outra vez, ela o queria e não podia recusá-lo.
Tony percebeu a mudança de atitude de Jeannie e sorriu entre o beijo. Ela ainda o desejava!
“Vou fazê-la esquecer-se completamente do outro!” Pensou ele, aprofundando ainda mais o beijo.
Eles se afastaram por um momento e Tony voltou a beijar o pescoço de Jeannie, a levando para o sofá. Ele começou a puxar o vestido da gênia, para tirá-lo, quando a campanhia tocou.
“Tem alguém na porta!” Falou a gênia, com a respiração entrecortada.
“Não me importa!” Ele voltou a beijá-la na boca, enquanto continuavam a tocar.
Jeannie se afastou dos lábios dele.
“Pode ser algo importante!”
“Já disse que você é mais importante que tudo, deixe tocar!” Falou ele voltando a encostar seus lábios no dela, abraçando-a com força.
“Major Nelson? Você está aí? Atenda! Preciso falar com você! É urgente!” Falou o Dr. Bellows do lado de fora.
“Mas que droga!” Grunhiu Tony, irritado.
“Vá atender amo! Eu vou pra cozinha!” Jeannie se ajeitou rapidamente e se retirou.
O Major Nelson deu um suspiro irritado e frustrado, indo atender a porta.
O Dr. Bellows tinha vindo lhe trazer alguns relatórios, que precisavam da assinatura dele.
Tony pensou que ele bem que poderia ter feito isso na base, mas o Dr. Bellows sempre dava um jeito de aparecer em sua casa, procurando por algo estranho.
Se não fosse seu superior, o Major Nelson teria perdido a paciência. Ele tinha que interromper naquele momento?
Assim que terminou com o Dr. Bellows, Tony pegou seu quepe e foi pra base. Não ia adiantar falar com Jeannie agora, ele daria um jeito de escapar dele. Ele teria que esperar mais um tempo pra resolver tudo.
***

Horas depois, Tony apertava a campanhia da casa de Stella Andrews. Iria resolver tudo com ela.
A moça atendeu alegremente.
“Ah, Tony! Que bom ver você! Entre, por favor!”
O Major Nelson entrou, sentando-se próximo a ela no sofá.
“Stella, preciso falar seriamente com você!”
“O que quer me dizer?”
“Eu lamento, mas tenho que ser direto. Eu... não quero que tenha esperanças comigo!”
“Do que está falando?”
“Você é uma garota muito especial e qualquer homem ficaria feliz de estar com você, mas eu não posso! Eu não sou a pessoa certa pra você!”
Stella olhou pra ele, muito decepcionada.
“Por que está me dizendo isso? Por acaso existe outra garota de quem você gosta?”
“Isso não importa! O fato é que nós nunca daríamos certo juntos, você merece alguém muito melhor do eu e não tenho dúvidas que vai encontrar!”
“Mas eu não quero outro, eu quero você!” Stella o abraçou.
O Major Nelson se afastou dela, levantando-se do sofá.
“Por favor, entenda!”
“Eu não consigo entender. A única razão justificável para o seu comportamento, é que você está apaixonado por alguém. Quem é ela?”
“Stella, eu peço que aceite isso! Sinto muito se a iludi, mas não pode ser! Espero que você seja muito feliz e siga com a sua vida! Adeus!”
Tony pegou seu quepe e foi embora.
“Tony! Tony!” Ela gritou, mas ele já tinha ido. “Estúpido!” Ela jogou um vaso na parede, com raiva.
Tudo o que ela queria naquele momento, era ir embora daquela cidade detestável.
***
Jeannie terminava de fazer o jantar, quando Tony chegou.
Ele entrou em casa e foi logo ao encontro da gênia.
“Jeannie, temos que conversar, seriamente!”
“Não temos nada pra falar, amo!”
“Temos, sim! Está na hora de esclarecermos as coisas de uma vez por todas!”
“Esclarecer o quê?”
“Você sabe, a forma que você agindo comigo, Stella Andrews e... esse tal gênio por quem você diz estar apaixonada!”
“Eu estou apaixonada por ele!”
“Será que está mesmo?”
O Major Nelson se colocou atrás da gênia e começou a massagear-lhe as costas.
“Sim...”
Tony deu um leve beijo no pescoço da gênia, passando a língua naquela região.
Jeannie se arrepiou dos pés a cabeça.
“Eu não acredito!” Disse ele abraçando-a por trás.
“É verdade!” A gênia sentia que ia derreter nos braços dele.
“Vamos ver!” Tony a virou, beijando-lhe a boca.
************************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

O dia que desisti de você Empty
MensagemAssunto: Re: O dia que desisti de você   O dia que desisti de você EmptyQua Jul 09, 2014 12:12 am

IX

Jeannie correspondeu o afeto, não se importando com mais nada.
Tony, sentindo a entrega dela, beijou-a com mais intensidade.
Ele interrompeu o beijo, para beijar seu pescoço.
“Não! Não devemos fazer isso!” Falou a gênia, respirando com dificuldade.
“Claro que devemos! Venha!”
“Pra onde?”
“Pro meu quarto!”
“Não, amo! Está errado!”
“Não está! Não podemos ficar separados um do outro, você sabe disso!”
“Mas...”
“Shhh!” Ele a beijou de novo, pegando-a no colo, antes que ela começasse a discutir com ele e levou para seu quarto.
Ele depositou Jeannie em sua cama, deitando-se por cima de Jeannie.
Tony colocou as mãos atrás dela, abrindo o zíper de seu vestido e a gênia disse:
“Eu... eu tenho que terminar o jantar!”
“Desta vez você não vai fugir de mim!” Falou Tony, puxando pra baixo o vestido dela e beijando seus ombros.
Sem poder aguentar mais, Jeannie piscou, deixando-o, só de cueca. Tony deu uma risadinha.
“Tire suas roupas também!” Pediu ele e ela o fez, ficando completamente nua.
O Major Nelson passou a beijar todo o corpo da gênia com volúpia e não resistindo mais ela puxou a cueca dele pra baixo.
“Por favor, agora!”
Tony deu mais um sorriso, sem entender a pressa dela, já que há pouco ela se esquivava. Mas como ele também precisava dela, penetrou-a fundo e se movimentava rapidamente.
Jeannie gemia de prazer, tentando esquecer-se de tudo naquele momento, só para ter de novo a felicidade de estar com ele mais uma vez.
Logo ambos chegaram ao clímax, respirando apressadamente.
Tony se deitou de costas ao lado da gênia, tentando recuperar o fôlego.
“Isso foi incrível!” Ele virou o rosto de lado, pra olhar pra ela. “Sempre é incrível com você!” Falou ele, com olhos brilhando de paixão.
O Major Nelson ia puxar Jeannie para junto de si e aconchegá-la em seu peito, mas ela sentou-se na cama, virada de costas pra Tony.
“Jeannie? O que está fazendo? Aonde vai?”
“E-eu tenho que ir!” Falou ela, tentando conter as lágrimas.
“Está preocupada com o jantar? Esqueça isso, eu só quero ficar aqui com você!”
“E a senhorita Andrews? Você não está saindo com ela?”
“Não, eu não estou saindo com ela, ela não me interessa!”
“Mentiroso!”
“É verdade, Jeannie!”
A gênia não aguentou mais e explodiu, erguendo-se da cama, com um lençol enrolado no corpo:
“Por que faz isso comigo? Eu sei que não interesso pra você, que só atrapalho sua vida! Você mente pra mim, sai com outras garotas e depois vem me procurar! Por que, amo?”
“Jeannie eu...”
“Eu sei que você saiu com ela e mentiu, dizendo que ia trabalhar até tarde. Sei que você gostaria de se livrar de mim, mas nunca conseguiu, eu o ouvi falando com o Major Healey! Mas não se preocupe mais, logo eu sairei da vida!”
Ela piscou desaparecendo.
“Jeannie! Jeannie volte aqui! As coisas não são assim!”
Atordoado, Tony se ergueu rapidamente, vestindo seu robe.
Ele saiu do quarto, procurando a gênia por toda a casa, mas ela não estava.
Tony sentou-se em sua cadeira azul, passando as mãos no cabelo, angustiado.
Pra onde ela teria ido?
“Agora as coisas começam a fazer sentido!” Pensava Tony.
Por isso, Jeannie o tratava daquele jeito indiferente. Por isso, não queria mais saber dele, ela estava muito decepcionada!
Ele agira como um bobo e agora poderia perder Jeannie. Como ele viveria sem ela? Tony não queria nem pensar nisso!
***
Descumprindo as ordens de Haji, a gênia decidiu passar as últimas semanas do prazo dado pelo mestre dos gênios na casa de sua mãe.
Jeannie soube que Haji andava ocupado em reuniões importantes com outros gênios e não lembrar-se dela.
E sabendo que sua filha desejava se separar do imprestável de seu amo, a Mama Jeannie ficou contente em acobertar a filha, até o término prazo.
Jeannie sabia que no último dia teria que voltar para a casa de seu amo, dar-lhe adeus definitivo e pegar a sua garrafa.
Seria muito difícil, mas ela tinha fazê-lo.
Por hora, ela não queria ter que pensar nisso, juntaria forças, para quando chegasse a hora de dizer adeus para sempre.
***
O Major Nelson estava desesperado! Não sabia mais o que fazer nem onde procurar Jeannie.
Passaram semanas desde que ela tinha sumido e ele não fazia ideia de onde ela estava.
Durante esse tempo, ele pensou em todas as formas de recuperá-la, mas ele chegou à conclusão de que, se um gênio queira sumir, não havia nada que ele pudesse fazer.
Tudo o que lhe restava era chamá-la com seu coração.
Ele entrou em casa, depois de mais um dia exaustivo e deprimente de trabalho, sentou-se em sua cadeira e disse:
“Jeannie, por favor, volte! Eu sei que fui um tolo, que a fiz sofrer, mas já paguei por isso. Você não tem ideia o quanto me dói tê-la longe de mim. Minha vida simplesmente deixou de ter sentido. Eu a amo tanto! Preciso de você! Por favor, volte!”
Ele pronunciou essas palavras, com a voz embargada. Tentava conter as lágrimas, mas estava difícil e algumas delas escaparam de seus olhos.
Tony estava com a cabeça baixa, quando sentiu a presença de alguém.
Ele ergueu o rosto e não pode acreditar no que seus olhos viam: Jeannie!
“Jeannie!” Ele gritou, cheio de alegria.
“Amo?” Ela o olhou surpresa. Ele estava chorando?!
Tony correu para abraça-la.
“Jeannie querida, nem posso acreditar que você está aqui! Deve ser um sonho, como todos os outros que tenho tido ultimamente!”
“Não está sonhado! Eu estou mesmo aqui! E vim para dizer-lhe adeus!”
“Não! Por favor, não!” Ele abraçou ainda mais forte. “Eu faço o que você quiser! Podemos até nos casarmos amanhã mesmo, mas, por favor, não me deixe de novo! Eu morreria!”
Jeannie ficou momentaneamente sem palavras. Ele estava mesmo falando sério?
“Mas... mas você não me quer na sua vida! Eu só atrapalho!”
“Não é verdade! Eu sei que disse isso, mas não estava sendo sincero. Não fui sincero nem comigo mesmo! Eu a amo, querida! Mais do que tudo!”
Ela se afastou dele, para olhar-lhe em seus olhos.
“Está mesmo falando a verdade?”
“Por tudo que é mais sagrado, estou!”
Ela o abraçou dessa vez.
“Eu não quero ficar longe de você amo!”
“Então não fique longe! Permaneça ao meu lado. Para sempre!”
“Mas eu vou continuar lhe envolvendo em encrencas, mesmo sem querer!”
“Não importa! Sempre daremos um jeito! Mesmo com você sendo minha esposa!”
Jeannie o olhou nos olhos.
“Você se casaria comigo?”
“Sim!”
Ela sorriu.
Jeannie sabia que seu amo ainda não estava pronto pra se casar com ela, mas ele a queria tanto ao seu lado, que faria qualquer coisa para mantê-la por perto. Ele não estava mentindo. Ele realmente a amava!
“Você não precisa se casar comigo, amo. Só quero que me prometa uma coisa!”
“O que você quiser!”
“Prometa que não vai mais sair com outras garotas!”
“Eu prometo!”
Jeannie alisou o rosto de seu amo e o beijou.
O Major Nelson sentia que estava flutuando! De agora em diante ele faria tudo para mostrar-lhe o quanto a amava.
Eles continuaram com os beijos e carinhos, quando Jeannie decidiu piscá-los para dentro da garrafa.
Tony sorriu, pensando que não poderia existir melhor lugar para uma reconciliação.
***********************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

O dia que desisti de você Empty
MensagemAssunto: Re: O dia que desisti de você   O dia que desisti de você EmptyQua Jul 09, 2014 12:14 am

X

Depois de um bom tempo, Jeannie e Tony estavam abraçados, aconchegados no sofá roxo, dentro da garrafa, felizes.
“Eu nem acredito que você está aqui de volta! É como um sonho!”
“Eu quase fui embora mesmo, amo! Tinha pedido pra Haji, para me separar de você!”
“A culpa disso tudo é minha! Eu não deveria ter enganado você!”
“Está tudo bem agora, amo!”
“Não. Eu preciso te contar como as coisas aconteceram. Preciso esclarecer de vez isso! Peço que me escute: Eu fui designado pelo general Schaeffer, pra sair com a filha do com a filha do general Andrews. Eu temia sua reação e não lhe disse nada, Jeannie. Eu sei que o que eu fiz foi errado e me arrependo por isso. Durante nossas saídas, ela me disse que estava apaixonada. Eu confesso que fiquei confuso!”
“Você ficou assim, porque estava gostando dela?”
“Não. No momento eu até pensei que sim. Ela era uma garota comum, com uma vida comum!”
“E com ela você não precisava se preocupar com problemas, como acontecia comigo, não é?”
“Eu confesso que pensei isso mesmo! Mas, por outro lado, me incomodava saber que ela gostava de mim. Logo eu percebi que não gostava realmente dela. E depois que você me disse que estava gostando de outro, que não ligava mais pra mim, eu não quis mais saber de nada! Só precisava tê-la volta!”
“Amo...”
“Eu terminei de vez com ela, Jeannie. Disse para Stella seguir o seu caminho e ser feliz com outra pessoa. Não importa se terei problemas ou não, não importa se minha vida nunca será normal. Eu só preciso estar com você! Acredita em mim?”
“Acredito.” Ela disse.
Ele sorriu e a beijou.
“Então eu posso te pedir uma coisa?”
“Sim, amo!”
“Prometa que não vai me deixar nunca!”
“Eu prometo!”
“Nem mesmo por esse tal gênio que você estava gostando?”
Jeannie riu.
“Ah, amo, eu também preciso esclarecer uma coisa: esse tal gênio nunca existiu!”
“Como?”
“Bem, você afirmava com tanta certeza que eu tinha outro, que achei melhor que confirmar, para que você se esquecesse de mim, de uma vez!”
“Então ele não existiu!” Tony sorria de orelha a orelha.
“Não!”
“Ah, mais uma vez a culpa foi minha, por ficar dando ouvidos ao Roger! Eu deveria imaginar!”
“Está bravo comigo pela mentira?”
“Bravo? Eu estou muito feliz! Você é só minha!”
“Sim!” Disse ela, admirando esse lado possessivo dele.
Ele a beijou com paixão pronto para tê-la de novo.
Jeannie estava feliz. Ela nunca mais voltaria a separar dele!

Fim
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




O dia que desisti de você Empty
MensagemAssunto: Re: O dia que desisti de você   O dia que desisti de você Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O dia que desisti de você
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Drama-
Ir para: