Bem-vindo!
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe
 

 "Traições"

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:04 am

Título: "Traições"
Autor: bajumoon
Gênero: romance/drama
Censura/Classificação: PG-13
Capítulos: 14
Advertências: Partes impróprias para menores
Resumo ou uma promo: Um novo coronel aparece na base e se interessa por Jeannie, querendo tê-la custe o custasse.

I

“Senhores, quero lhes apresentar o Coronel Robert Davis! Ele trabalhará conosco a partir de hoje!” Disse o general Schaeffer, durante uma reunião na base.
Todos os oficiais presentes o cumprimentaram, inclusive o Major Nelson, que lhe deu as boas vindas.
No mesmo dia, durante mais uma reunião da Associação das esposas dos oficiais, a esposa do coronel Davis foi apresentada às outras mulheres.
A Sra. Davis sentou-se ao lado de Jeannie.
“Seja muito bem-vinda, Sra. Davis!” Falou a gênia, em voz baixa, enquanto a esposa do general Schaeffer discutia os assuntos em pauta da reunião.
“Obrigada. Mas não precisa tratar-me com tanta formalidade. Chame-me apenas por Kate.”
“Ah, como quiser, Kate!”
“E você? Qual o seu nome? Desculpe-me, eu sei que já disseram, mas vai demorar um pouco até que eu me lembre do nome de todas.”
“Eu sou Jeannie Nelson. Você também pode me tratar só por Jeannie!” Falou a gênia sorrindo.
“Ah, que bom! Tenho certeza de que seremos boas amigas!” Falou Kate.
Jeannie ficou contente. Ela tinha gostado muito daquela mulher! E gostou mais ainda da ideia de ser amiga dela!
No fim da reunião, Kate e Jeannie saíram juntas da sala. Elas andavam pelos corredores, quando a Sra. Davis avistou seu marido:
“Oh, querido, eu já estava indo até a sua sala!”
“Agora não tenho tempo pra falar com você, Katherine, estou ocupado” Ele olhou pra Jeannie e disse para Kate: “Oh, não vai me apresentar sua nova amiga?”
“Ah, sim. Desculpe. Robert essa é a Jeannie Nelson. Jeannie, esse é meu marido o coronel Robert Davis!”
“Por acaso você é a esposa do Major Nelson?” Perguntou Davis.
“Sou, sim! É um prazer conhecê-lo, coronel!”
“O prazer é todo meu!” Disse ele olhando-a de cima a baixo e deixando a gênia sem graça.
“Bem, eu preciso ir!” Disse Jeannie.
Kate se despediu da gênia e falou:
“Vá a minha casa, amanhã à tarde, para tomarmos um café. Será um prazer conhecê-la melhor!”
“Ah, eu irei, sim! Vai ser muito bom!” Falou a gênia. Ela olhou para Davis e também se despediu: “Até logo!”
“Até logo, Sra. Nelson!”
Jeannie se foi e Robert Davis a observou partir.
“Que mulher espetacular!” Pensava ele.
***
No dia seguinte, à tarde, Jeannie foi até a casa de Kate.
A mulher a recebeu afetuosamente. Porém, enquanto conversavam, Jeannie percebeu que Kate parecia triste.
“Sinto muito por perguntar, Kate, mas você parece chateada. Está com algum problema?”
“Ah, Jeannie! Eu a conheço há tão pouco tempo, mas sinto que posso confiar em você! Eu... eu estou com problemas em meu casamento!”
“Problemas?”
“Sim. Meu marido e eu brigamos muito, Jeannie! Eu sempre tento agradá-lo, mas ele nunca parece satisfeito!”
“Oh, eu sinto muito Kate!”
“Diga-me, você se dá bem com o seu marido?”
“Ah, sim! Anthony é maravilhoso! Um marido perfeito!” Falou a gênia com entusiasmo!”
“Eu fico feliz por você! Gostaria que Robert também fosse assim! Estou tão cansada das brigas!”
“Mas por que vocês brigam?”
“Ah, por tudo! Como eu disse, ele nunca está satisfeito com nada que eu faço! Critica o jantar, diz que eu gasto muito dinheiro, entre outras coisas. E fica muito nervoso quando eu pergunto por que ele chega tão tarde em casa!”
“Ah, mas que horrível!”
“E o pior é que ele sai algumas vezes e não diz aonde vai! Ele... ele já dormiu fora de casa algumas vezes!”
“Oh, Kate!” A gênia ficou penalizada pela amiga.
“Desculpe-me por desabafar com você, Jeannie, mas eu ainda não conheço ninguém nessa cidade, você é a única amiga que fiz por aqui!”
“Não se preocupe com isso! Pode me contar o que quiser e se tiver algo que eu possa fazer por você é só pedir!”
“Obrigada, Jeannie! Não sabe o quanto eu fico feliz em saber que posso contar com você!” Jeannie sorriu. “Sabe, acabo de ter uma ideia! Se o seu marido é tão bom com você, talvez ele possa dar alguns conselhos para Robert. O que você acha?”
“Bem, eu tenho certeza de que Anthony ficará feliz em ajudar, mas será que seu marido vai ouvi-lo? Talvez ele não goste que Anthony interfira na vida dele.”
“Não se preocupe! Eu conheço Robert, ele não vai ficar nervoso com o Major Nelson. Mas para que se algo mais casual, seu marido pode ir jogar golfe com Robert. Aí, eles podem conversar relaxadamente enquanto jogam!”
“Nesse caso, acho que não tem problema!” Falou Jeannie.
“Que bom! Muito obrigada, Jeannie!” A Sra. Davis agradeceu.
***
Jeannie contou ao marido sobre a conversa que tivera com Kate e pediu a ajuda dele.
Tony relutou um pouco, mas acabou concordando. Ele convidou Davis para irem jogar golfe, no sábado de manhã.
Na manhã de sábado, o Major Nelson estava na sala de sua casa, já pronto, esperando o coronel aparecer, quando o telefone tocou.
Era o Dr. Bellows, pedindo que ele lhe entregasse alguns relatórios que estavam em seu poder.
“Eu não vou demorar, Jeannie!” Disse Tony. “Quando Davis parecer, peça-o, por favor, que me espere!”
“Sim querido! Não se preocupe!”
“Até mais!” Falou Tony, dando um beijinho na esposa e saindo.
Algum tempo depois, a campanhia tocou.
“Deve ser o coronel!” Pensou Jeannie.
Ela abriu a porta e Davis a olhou fixamente. Jeannie abaixou o olhar, um pouco incomodada. Não gostava do jeito que ele olhava pra ela.
“Bom dia Sra. Nelson! Como vai?”
“Eu estou bem coronel e o senhor?” Ela estendeu sua mão, num gesto educado. Ele pegou na mão dela e a beijou.
“Estou muito melhor agora, ao vê-la!” Disse ele. “E onde está o seu marido?”
Davis continuava segurando a mão dela e Jeannie puxou com rapidez.
“Ah, ele teve que sair por um momento, mas pediu que, por favor, o senhor o esperasse. Ele não vai demorar. Queira entrar, por favor!”
“Obrigado! Será um prazer esperá-lo, na sua companhia, Sra. Nelson!”
Ele lançou outro olhar profundo pra ela e Jeannie falou:
“E-eu vou trazer um café!” E correu para a cozinha.
Pouco depois, Jeannie trouxe uma bandeja e ofereceu café ao coronel.
“Obrigado, Sra. Nelson!” Disse ele, pegando a xícara.
Eles ficaram algum tempo em silêncio, enquanto Davis não tirava os olhos dela, como se estivesse a avaliando.
Ela olhou pra ele, muito incomodada e falou:
“Anthony está demorando, não está?”
“Um pouco, mas não importa. Eu estou muito bem aqui com a senhora!”
“Obrigada!” Disse ela, sem graça.
Para quebrar o clima tenso que se propagava no ar, Jeannie comentou:
“Sua esposa e eu nos tornamos boas amigas, mesmo em tão pouco tempo, coronel! Ela é uma mulher admirável! O senhor tem sorte por tê-la com esposa!”
“Você acha isso mesmo?”
“Claro que sim! Ela me disse que o ama muito e está triste com as brigas de vocês. Espero que possam se entender!”
A gênia não se sentia bem por estar se envolvendo nesse assunto, mas queria que Kate ficasse feliz. E como eles estavam sozinhos ali, ela resolveu aproveitar a oportunidade.
“Eu agradeço sua preocupação com meu casamento, mas não quero falar sobre isso! Acho melhor falarmos de você!”
“De mim?”
“Sim, de você! Nelson é que tem sorte por ter uma mulher linda como você ao lado dele!”
Ela agradeceu, levantando-se rapidamente do sofá e se afastando dele.
Robert também se levantou aproximando-se novamente dela.
“Eu não sou um homem de rodeios Sra. Nelson! Portanto, vou ser direto. Desde que coloquei os olhos em você, eu a quis pra mim!”
“O quê?!” Jeannie deu alguns passos pra trás, completamente chocada e assustada.
Ele a agarrou, dizendo próximo ao ouvido dela:
“Eu a quero demais!”
“Solte-me!” Falou ela.
Nesse momento o Major Nelson abriu a porta e os encontrou abraçados.
“O que está acontecendo aqui?” Disse ele.
************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:11 am

II

Davis soltou Jeannie, que rapidamente se aproximou do marido.
“Ah, Anthony! Que bom que você chegou! Ele estava...”
“Agradecendo à sua esposa, Major!” Completou Davis.
“Como?” O Major Nelson o olhou com desconfiança.
“Eu fiquei muito comovido com o nobre gesto dela, de querer ajudar a salvar meu casamento!” Jeannie olhou pra Davis, atônita e ele prosseguiu: “Espero que desculpe meu gesto espontâneo de abraça-la, mas não pude me conter ao ver tanta bondade e sabedoria em seus conselhos!”
Ele falou com tanta convicção e emoção, que o Major Nelson acreditou. Mesmo assim, ele olhou pra Jeannie, esperando a reação dela.
“Foi um prazer ajudá-lo, coronel!” Disse ela, com a voz trêmula.
Davis deu um largo sorriso e disse:
“Obrigado mais um a vez por tudo, Sra. Nelson. Prometo que vou pensar no que me disse!” E olhando para Tony, falou: “Sua esposa é uma mulher admirável, Major!”
“Obrigado senhor! Sei disso!” Disse Tony sorrindo.
A gênia olhou para o marido e percebeu que ele realmente havia acredito nas palavras de Davis. E ela não sabia se ficava aliviada ou apavorada com isso!
“Eu sinto muito por ter demorado, senhor! Tive que entregar alguns relatórios ao Dr. Bellows!”
“Não tem importância, Major! Bom, acho melhor irmos jogar!”
“Ah, claro! Vou pegar meus tacos! Só um instante!”
O Major Nelson pegou os tacos e se despediu da esposa:
“Até mais tarde querida!” Disse ele e saiu com Davis.
Jeannie encostou a porta e deixou-se cair no sofá. Sua respiração ainda estava acelerada.
“Esse homem é um... safado! O que vou fazer?” Pensava ela.
***
O Major Nelson voltou mais tarde pra casa, depois de jogar golfe com o coronel.
Ele disse para Jeannie que gostou muito de Davis!
O coronel foi muito amável com ele e mesmo reservado com o assunto do seu casamento, não se aborreceu com os conselhos de Tony.
Enquanto o Major Nelson falava com entusiasmo sobre Davis, Jeannie o olhava com preocupação.
Ela pensou em contar a verdade para seu marido, mas tinha medo das consequências disso.
E se Anthony ficasse bravo e fosse tirar satisfações com o coronel?
Ele era seu superior e isso poderia causar problemas na sua carreira.
Tony não era o tipo de homem que perdia a cabeça, ele sempre era muito pacífico e racional.
 Mas se tratando de um caso assim, ela não podia prever sua reação.
Além disso, tinha Kate. Ela era uma boa mulher e Jeannie não queria que ela sofresse, descobrindo que o marido dela não prestava.
“Talvez eu mesma possa resolver isso, sem que ninguém descubra!” Pensava ela.
***
Na manhã de segunda-feira, Tony se despedia da esposa para ir trabalhar.
“Até mais tarde, querida!”
“Até logo, Anthony!” Ela lhe deu um beijo e o Major Nelson foi para a base.
Minutos depois a campanhia tocou.
“Quem será?” Pensou a gênia, enquanto ia atender.
“Bom dia, querida!” Disse o coronel Davis.
“O-o que faz aqui?” Perguntou Jeannie.
“Vim fazer-lhe uma visita!” Disse ele sorrindo e entregando um buquê de rosas vermelhas, que trouxe consigo.
“Eu não posso aceitá-las!” Falou a gênia, recusando as flores.
“Por que não? Não há nada de mais em aceitá-las. É apenas um ato de gentileza. Vamos, peque!” Ele insistiu.
Mesmo a contragosto ela as pegou. Assim que ele fosse embora, ela se livraria daquelas flores.
“Obrigada!” Jeannie agradeceu.
“De nada! Não vai me convidar pra entrar?”
“Não acho certo! Meu marido não está!”
“Ora, mas eu já entrei aqui antes, quando ele não estava! Acaso está com medo de mim?”
Ela não respondeu e ele falou:
“Isso não é jeito de tratar o superior do seu marido!”
“Ah, está bem! Entre!”
Ele entrou e Jeannie encostou a porta. A gênia colocou as flores em cima da cadeira, que ficava perto da porta.
Ela se virou para Robert e disse, sem paciência:
“Diga de uma vez o que o senhor deseja!”
“Você sabe o que eu desejo!” Ele se aproximou de Jeannie e ia beijá-la, mas ela se esquivou.
Tinha vontade de mandá-lo para o deserto, ou transformá-lo em um mosquito, mas sabia que não era certo fazer isso! Ah, mas estava tão difícil se controlar!
“Pare com isso, por favor! O senhor é um homem casado!”
“Sim, eu sei! Mas minha mulher não chega aos seus pés!”
“Como pode dizer uma coisa dessas? Kate é uma mulher muito especial!”
“Eu só disse a verdade, Jeannie! Não sabe o quanto eu desejo você!”
“Eu sou uma mulher casada!” Gritou ela. “Tenha mais respeito!”
Ele a abraçou com força e disse:
“Você pode brigar e reclamar, mas eu sei que você também gostou de mim! Só precisa deixar de ser teimosa e me dar uma chance!”
Jeannie não aguentava mais! Tentava se soltar, mas ele a mantinha firmemente presa em seus braços.
Quando finalmente a gênia decidiu piscar, para transformá-lo em algum animal, a campanhia tocou.
“Quem será justo agora?” Falou Davis, com raiva.
“Vou atender!” Jeannie se soltou dos braços dele e se afastou rapidamente.
Ela abriu a porta. Era Kate.
“Ah, Jeannie! Resolvi te visitar e conhecer a sua casa!” A mulher já foi entrando e se deparou com seu marido.
“Robert?! O que está fazendo aqui?”
Jeannie olhou para Davis, apreensiva e ele falou:
“Vim procurar o Major Nelson, antes que ele saísse para trabalhar. Precisava com urgência de um papel que está com ele. Mas a Sra. Nelson já me informou que ele já foi pra base! Então vou atrás dele! Até logo!”
Ele deu um rápido beijo na face da esposa e se despediu de Jeannie com leve aceno de cabeça, saindo em seguida.
A gênia ainda estava um pouco consternada e Kate sorriu.
“Ah, esse Robert! Nunca pensei que o encontraria aqui! Ele saiu bem cedo de casa hoje!”
Jeannie continuou calada e Kate deu uma volta pela casa, bem à vontade.
“Sua casa é muito bonita e aconchegante!”
“Obrigada!” Falou a gênia.
Kate se voltou para ela e disse:
“Você está tão séria! Algum problema?”
“Ah, não, nenhum!” Jeannie deu um sorriso forçado. “Sente-se Kate! Não quer tomar um café?”
“Não, Jeannie, obrigada! Eu vim aqui mesmo, porque precisa falar com você!”
“Claro! Sobre o que quer falar?”
“Você sabe! Sobre Robert. Eu gostaria de te agradecer por ter falado com ele!”
“Por eu ter falado?”
“Sim. Ele me contou tudo! Disse que seu marido também lhe deu uns conselhos, mas ele ficou mesmo muito impressionado com você!”
“Impressionado comigo? Co-como assim?”
O que o coronel teria dito pra Kate? Cogitava Jeannie assustada.
“Ele me disse que você foi muito gentil com ele!” Falou a Sra. Davis.
“Disse?”
“Ele está falando tanto de você, que eu já estou começando a ficar com ciúmes!” Jeannie ficou calada, olhando para Kate com pavor e ela riu. “Hahaha, estou brincando com você, Jeannie! Não precisa ficar assustada!”
“Haha, claro!” A gênia deu uma risadinha nervosa.
“Robert está tão calmo e tranquilo! É incrível e eu devo isso a você. Muito abrigada!”
Jeannie deu um meio sorriso. Ela sentia-se péssima por dentro!
***************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:12 am

III

Kate Davis continuava contando animadamente as novidades para a gênia.
Jeannie sorria e fingia estar prestando atenção, mas sua mente estava bem distante dali.
O que ela faria? E se o coronel continuasse dando em cima dela? E se Kate descobrisse? E pior ainda: e se Anthony descobrisse?
Essas questões ecoavam na mente de Jeannie, que se sentia perdida.
Ela queria poder se aconselhar com alguém, mas não havia ninguém que ela confiasse o bastante pra contar seu segredo.
A pessoa que ela mais confiava no mundo, seu marido, não poderia saber. O que ela faria então?
Talvez ela devesse falar com Davis e convencê-lo a parar com isso.
Sim. Se ela conseguisse fazê-lo entender que devia cuidar do seu casamento e deixá-la em paz!
Era isso! Talvez ela pudesse dar um empurrãozinho, usando algum feitiço de amor, para fazê-lo se apaixonar pela esposa.
Jeannie tinha prometido a Tony que não usaria seus poderes em outras pessoas, mas era um caso fora de controle.
Ela já tinha decidido. No dia seguinte falaria com ele.
“Jeannie? Jeannie você está me ouvindo?” A voz da Sra. Davis tirou Jeannie de seus pensamentos.
“Oh, desculpe-me Kate!”
“O que está acontecendo com você?”
“Não é nada! Ouça: o que acha de sairmos pra fazer compras?” Falou a gênia, mais animada.
“Claro! Será um prazer!”
“Ótimo. Vou pegar a minha bolsa!” Falou a gênia, indo até o quarto.
“Tudo bem! Te espero na porta!” Falou Kate.
A Sra. Davis se aproximou da porta e olhou para algo que ela não tinha notado quando entrou.
“Oh, que flores lindas!”
Kate pegou o buquê de rosas vermelhas, que Jeannie tinha jogado na cadeira e começou a cheirar as flores sorrindo.
Nesse momento Jeannie retornou e arregalou os olhos ao ver as flores que Kate tinha nas mãos.
A Sra. Davis olhou para a gênia e falou:
“São tão bonitas, Jeannie! Foi seu marido quem as deu pra você?”
“B-bem, Fo-foi, sim!” Mentiu a gênia gaguejando.
“Ah, como ele é romântico! Robert raramente me traz flores!”
Jeannie desviou o olhar.
“Acho que é melhor nós irmos, não é?” A gênia disse, rápido.
“Sim, vamos!”
Kate colocou o buquê na cadeira e as duas saíram.
***
O coronel Davis trabalhava em seu escritório, revisando alguns projetos.
Mas seus pensamentos estavam sempre em Jeannie Nelson.
Que mulher fantástica! Tinha um corpo divino, capaz de enlouquecer um homem!
Na noite passada, ele acordou ofegante e suado, com o sonho que tivera com ela.
Ele estava ficando louco! Nunca sentira um desejo tão intenso e repentino por uma mulher!
Ele precisava o quanto antes, tê-la em sua cama!
Mas para o seu azar, ela relutava.
Robert Davis nunca foi um homem que tivesse problemas com as mulheres. Mesmo estando já mais velho, ele ainda era muito atraente e charmoso e todas as mulheres sempre caíam aos seus pés!
Porém Jeannie estava resistindo. E se tornara um desafio pra ele.
Ela relutava provavelmente por causa do marido dela! Jeannie deveria gostar muito dele e não queria traí-lo.
Mas se os dois se separassem, Davis tinha certeza de que ela não resistiria a ele.
Davis estava decidido a acabar com esse casamento!
***
Jeannie acordou bem cedo no dia seguinte. Iria à base para mais uma reunião da Associação das Esposas dos Oficiais e aproveitaria pra conversar com o coronel.
Assim que chegou à NASA, a gênia se despediu do marido e olhou para o relógio. Ainda faltava meia hora para o início da reunião. Ela resolveu, então, ir rapidamente à sala de Davis.
Ela não o encontrou, mas sua secretária lhe disse que não ia demorar. Jeannie disse à moça que voltaria dentro de uma hora e foi para a reunião da Associação.
Pouco depois, o coronel apareceu e sua secretária informou que a senhora Nelson o havia procurado.
“Ela disse que voltaria dentro de uma hora, senhor!”
“Uma hora?”
“Isso mesmo!”
“Hum, é mais ou menos a hora que Nelson me disse que virá aqui, mostrar-me os cálculos do projeto!”
“Devo dizer para a Sra. Nelson voltar outra hora, então?”
“Não Alice! Assim que ela chegar peça para entrar!” 
“Tudo bem!”
“Com um pouco de sorte, ela chegará primeiro que o Major!” Pensou ele.
Davis refletiu um pouco e disse para a sua secretária.
“Alice, quero que me faça um favor!”
“Pois não?”
“Não importa qual dos dois vier primeiro, faça-os entrar sem bater, certo? Mesmo que eu já esteja com um deles lá dentro!”
A secretária franziu o cenho.
“Mas por quê?”
“Não pergunte, apenas faça o que eu estou pedindo! Ah, e eu não estou pra mais ninguém além deles, entendeu?”
“Como quiser senhor!”
“Ótimo!” Disse ele entrando na sala.
Robert sentou-se na sua cadeira, pensando:
“Jeannie tem que chegar primeiro! Assim será mais fácil executar o meu plano! Mas mesmo que não dê certo, não desistirei. Vou colocar um ponto final nesse casamento! E ela será minha!” Ele sorriu.
****************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:13 am

IV

Jeannie saiu rapidamente da sala de reuniões da AEO, sem se despedir das mulheres.
Tinha que falar o quanto antes com o coronel Davis.
Ela chegou até a sala dele e a sua secretária falou:
“Ah, o coronel está esperando pela senhora! Pode entrar sem bater!”
“Obrigada!”
Jeannie entrou na sala dele e Robert a recebeu com um grande sorriso:
“É um grande prazer recebê-la, Jeannie!” Ele se levantou da cadeira, se aproximando dela. “Ela chegou antes! Que maravilha! Vou poder executar meu plano perfeitamente!” Pensava ele.
“Eu só vim aqui, porque precisamos conversar!”
“E o que quer me dizer?” Ele se aproximou ainda mais dela.
“Quero que me deixe em paz!”
“Não minta, você não quer realmente isso!” Disse Davis, acariciando o rosto dela.
“Pare com isso!” Ela falou, virando o rosto.
 A gênia decidiu: estava na hora de piscar e resolver tudo!
***
O Major Nelson chegou ao escritório de Davis, com vários papéis na mão.
“Bom dia, o coronel deve estar me esperando.” Disse ele para secretária.
“Ah, sim! Pode entrar sem bater!”
“Certo, obrigado!”
Tony começou a abrir a porta. Davis que estava o tempo todo em alerta, percebeu o movimento e pensou: “É agora!”. Sem perder tempo ele agarrou e beijou Jeannie.
A gênia foi pega de surpresa antes de conseguir piscar, ficando atordoada com o gesto repentino dele.
Por sua vez, o Major Nelson entrou na sala e viu os dois juntos.
“Jeannie? Coronel? O que significa isso?”
O coronel Davis, num gesto rápido, afastou Jeannie dele e disse, depressa:
“Eu já disse que sou um homem casado, Sra. Nelson! E amo a minha esposa!”
“O quê?!” Jeannie estava completamente aturdida.
“Podem me dizer o que está acontecendo aqui?” Exigiu Tony, nervoso.
“Ela me agarrou, antes que eu pudesse evitar!” Falou Davis, com falsa indignação. “Sua esposa veio aqui me procurar. Acho que ela confundiu meu gesto de atenção com outra coisa e me beijou, mas isso já é demais! Não posso permitir!”
O Major Nelson olhou pra sua esposa.
“Isso é verdade, Jeannie?”
“As co-coisas não são assim, e-eu...” A gênia gaguejava, sem conseguir falar direito. O olhar de Tony a deixava assustada e a reação de Davis, confusa.
“Não se preocupe, Nelson!” Falou o coronel. “Ela só agiu assim, por um impulso, não a culpe! Creio que isso não acontecerá de novo! Vamos esquecer tudo!”
“Esquecer?” Pensava Tony. O que ele queria mesmo era bater no seu superior. Mas e se as coisas foram mesmo como ele disse?
O Major Nelson fechou as mãos em punho, derrubando os papeis que trazia consigo no chão. Mas muito esforço se controlou.
Ele saiu rapidamente da sala, sem dizer mais nada.
Jeannie balançou a cabeça, tentando clarear os pensamentos e mesmo com o corpo tremulo, saiu correndo atrás do marido.
Davis sentou-se na sua cadeira, dando uma risada maldosa.
“Agora falta muito pouco. Logo a terei pra mim, Jeannie!”
***
Jeannie correu pelos corredores e ao chegar ao estacionamento, viu Tony sair rapidamente de carro. A gênia se piscou pra casa, pois sabia que seu marido iria pra lá.
Jeannie apareceu na sala de estar e esperou o marido chegar.
O Major Nelson entrou em casa, algum tempo depois.
Jeannie correu ao encontro dele.
“Anthony, eu preciso que você me escute!”
“Agora não, Jeannie! Eu preciso ficar sozinho por um tempo, tenho que pensar um pouco. Só vim aqui, porque não sei se me controlaria se ficasse por lá, perto dele!”
O Major Nelson subiu para o quarto de hóspedes, fechando a porta. Mas Jeannie se piscou pra dentro.
“O que quer Jeannie? Já falei que quero ficar só!”
“Não posso deixá-lo pensando mal de mim, amo! As coisas não são como você está imaginando!”
“Ah, é? E como são as coisas, então? Porque Davis disse que você o agarrou e você não contestou o que ele disse!”
“E-eu não esperava que ele fosse fazer aquilo, nem que você fosse aparecer!”
“Você não esperava que eu fosse aparecer? Quer dizer que estava mesmo com ele?”
“Não! Não é isso! Por favor, entenda! Era ele que estava me agarrando, dando em cima de mim. E não foi a primeira vez!”
“O quê?! Se isso é verdade, por que não me contou antes?”
“Eu fiquei com medo da sua reação. Achei que poderia cuidar disso sozinha!”
“Isso está estranho, Jeannie! Se ele estava dando em cima de você, então por que você não se afastou? Por que foi até a sala dele?”
“Eu fiz isso por Kate! Queria pedir pra que ele respeitasse a esposa dele e também me deixasse em paz!”
Tony nada disse e ficou com o olhar distante, como se estivesse refletindo sobre o que Jeannie lhe falou.
A gênia se aproximou do marido e pediu:
“Por favor, acredite em mim! Eu nunca me interessaria por outro, eu amo você!”
Eles ficaram algum tempo em silêncio, quando o Major Nelson finalmente disse:
“No outro dia, encontrei vocês dois abraçados e ele me disse que só estava te agradecendo. Como você explica isso?”
“Naquele dia, ele também me agarrou, Anthony! Eu ia me afastar, quando você apareceu!”
“Mas você confirmou a história dele!”
“Foi como eu disse antes, achei que pudesse resolver isso sozinha. Além disso, tive medo do que você pudesse fazer e também, não queria que Kate sofresse!”
“Está bem! Por favor, me deixe só agora!”
“Não! Não vou deixá-lo até que você acredite em mim!”
Tony respirou fundo e saiu do quarto. Jeannie viu quando ele saiu rapidamente de carro.
Ela levou a mão ao rosto, angustiada.
O que iria acontecer agora?
****************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:14 am

V

Eram somente duas horas da tarde e o Major Nelson percorria as ruas da Praia dos Cocos, em seu carro.
Àquela hora, ele devia estar trabalhando. O Dr. Bellows não ia gostar disso, quando percebesse sua ausência, mas Tony preferia pensar nisso depois.
Não tinha forças pra voltar à base e encontrar outra vez aquele homem!
Ele queria ficar sozinho, mas não sabia pra onde ir!
A única pessoa com quem ele gostaria de conversar era seu amigo Roger. Mas ele estava trabalhando naquele momento.
Por fim, Tony resolveu estacionar seu carro, próximo à praia e andar um pouco na areia.
Finalmente ele deixou seus pensamentos fluírem e começou a pensar sobre o que aconteceu.
Tudo era muito confuso ainda! Foi uma dor terrível a que sentiu, quando viu sua esposa beijando o coronel.
E depois, quando Davis disse que fora ela que deu em cima dele, muito pior!
O Major Nelson não queria acreditar nisso, mas atitude de sua esposa foi muito estranha. Ela não se defendeu no princípio, deixando Davis falar mal dela. Bem, talvez ela estivesse mesmo assustada, mas ainda assim, era estranho!
Como se não bastasse, aquela cena dos dois abraçados na sala de sua casa, não lhe saia da cabeça.
“Talvez eles já estivessem juntos, desde aquele dia! Mas quando os flagrei na sala dele,Davis mentiu, dizendo que a culpa era só dela!” O Major Nelson sacudiu rapidamente a cabeça, tentando afastar os maus pensamentos. “Não, não! Jeannie não faria isso comigo! Ela me ama de verdade!”
Mesmo assim, o Major Nelson não conseguia deixar de sentir essa dúvida, que o atormentava.
***
Já passava das nove da noite, quando o Major Nelson finalmente pareceu em casa.
Jeannie correu para recebê-lo.
“Oh, Anthony! Eu estava tão preocupada com você! O Dr. Bellows ligou, querendo saber o motivo por você não estar na base. Eu disse que você não estava se sentindo bem. Por onde andou?”
“Por aí!” Disse ele, somente.
“Você não quer jantar?”
“Não, obrigado. Comi alguma coisa na rua! Vou apenas tomar um banho e dormir cedo hoje!”
“Anthony, nós temos que resolver de uma vez esse assunto! Não podemos continuar assim!”
“Jeannie, eu não quero discutir sobre isso agora! Por favor!”
Tony foi ao banheiro, tomou um banho e vestiu seu pijama.
Saindo do quarto ele começou a subir as escadas e Jeannie perguntou:
“Aonde vai?”
“Vou dormir no quarto de hóspedes hoje. Boa noite!”
Ele subiu e Jeannie sentou-se no sofá da sala, com uma expressão de choro.
***
Na manhã seguinte, durante o café, Jeannie e o Major Nelson mal conversaram.
O clima de frieza entre eles era grande.
A gênia resolveu nada mais dizer. Ela chegou à conclusão, que seu marido precisava de tempo, para assimilar tudo.
Tony, por sua vez não estava disposto a falar com Jeannie. Não queria discutir outra vez com ela.
Ele terminou seu café e somente deu um rápido “Até logo!”, sem deixar que ela lhe desse o costumeiro beijo de despedida.
***
Pouco depois que o Major Nelson entrou em sua sala, Roger Healey apareceu por lá.
“Ei, Tony! O que houve com você ontem? Você desapareceu de repente! O Dr. Bellows me disse que ligou para a sua casa e Jeannie lhe falou que você não se sentia bem. Mas isso na é verdade, não é?”
O Major Nelson respirou fundo e falou:
“Roge, ontem eu vi Jeannie o coronel Davis se beijando, na sala dele!”
“O quê?” O Major Healey pôs a mão na cabeça e resolveu sentar-se.
“Isso mesmo que você ouviu!”
“Mas isso não é possível! Jeannie é doida por você! Tem certeza que era ela? Talvez a irmã dela esteja aprontando de novo!”
“Não, Roge! Era ela! Quando entrei lá, eles se afastaram e Jeannie ficou olhando pra mim, com uma cara assustada!”
“Rapaz! E o que houve depois?”
“Davis disse que Jeannie o agarrou, que ela estava dando em cima dele!”
“E ela? O que disse?”
“A princípio não disse quase nada! Depois, quando eu saí e a encontrei em casa, ela me disse que era ele quem estava dando em cima dela, há algum tempo. E não tinha me contado antes, porque tinha medo da minha reação e pena da esposa dele!”
“E você? O que acha disso tudo?”
“Eu não sei, Roger! Não sei o que pensar! Eu queria acreditar em Jeannie, mas essa história é tão confusa! Principalmente porque antes disso, eu já os tinha encontrado abraçados na sala de casa!”
“O quê? Abraçados?”
“Sim. Naquela ocasião Davis me disse que só estava agradecendo Jeannie, por uns conselhos que supostamente ela deu e Jeannie confirmou o que ele falou. Mas agora ela diz que desde aquele dia, ela estava dando em cima dela! Não é esquisito tudo isso?”
“Sim, realmente! Mas acho Jeannie está falando a verdade!”
Tony ia responder, quando o coronel Davis entrou na sala.
“Bom dia majores!”
************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:15 am

VI

O Major Nelson e o Major Healey se levantaram, porém Tony não olhou para o seu superior.
“Major Nelson, preciso dos relatórios do projeto. Você já os terminou?”
“Ainda não! Mas vou terminá-los logo!” Disse Tony, ríspido.
“Eu os esperava na minha sala desde ontem! Faça o favor de terminá-los até o meio dia! Entendeu?”
Tony, tentando manter a calma respondeu:
“Sim, senhor!”
“Ótimo!” Davis saiu da sala.
Tony arremessou o lápis que estava em sua mão contra a parede.
Roger se assustou com a atitude do seu amigo.
“Ei, calma amigão!”
“Não vai dar certo, Roge! Eu não vou suportar continuar trabalhando com ele!”
“Não tem outro jeito, Tony! Ele é nosso superior!”
“Ele é um cretino, que está dando em cima da minha mulher! Eu não tenho certeza se Jeannie está ou não correspondendo. E eu sei que é horrível pensar assim, mas não posso evitar. Mas de qualquer forma, tenho certeza que ele tem culpa!”
“Eu sinto muito, Tony! O que pretende fazer, então?”
“Não sei, Roge! Acho que não posso continuar aqui!”
“O quê?! O que está me dizendo? Vai abandonar sua carreira?”
“Ah, eu não posso continuar trabalhando com esse sujeito Roger! Se eu não consegui me transferir daqui, vou ter que largar tudo!” Roger o olhou, com os olhos arregalados e Tony prosseguiu: “Talvez seja melhor desistir de tudo e ir com Jeannie, começar a vida em outro lugar, bem longe desse sujeito!”
“Tony, se acalme! Não faça nada precipitado! Você está nervoso agora, mas logo as coisas vão se esclarecer! Talvez tudo seja um mal entendido!”
“Mal entendido? Não Roger! Eu sei o que eu vi!”
“Está certo! De qualquer forma, não faça nada drástico! Por que não conversa com Jeannie mais uma vez? Mas agora com calma!”
“Está certo, Roger! Vou seguir seu conselho! Quando for pra casa, falarei com ela!”
“É assim que se fala amigão!”
***
Jeannie terminava limpar a casa, com desânimo. Estava muito triste com os últimos acontecimentos.
A campanhia tocou e ela foi atender. A última pessoa que ela queria ver naquele momento era Kate. Não tinha disposição pra falar com ela.
A Sra. Davis a olhou, com uma expressão furiosa:
“Quero falar com você, sua traidora!” Disse ela. “Que história é essa de ficar dando em cima do meu marido?”
Jeannie arregalou os olhos e ela continuou:
“Vai deixar-me entrar, ou quer que os vizinhos todos saibam que tipo de mulher é você?”
Jeannie pôs-se de lado, dando passagem para a mulher, que foi entrando.
A gênia fechou a porta e falou:
“Kate, não sei o que te disseram, mas não é o que você está pensando!”
“O que eu estou pensando? Será que não é verdade que você é uma sem-vergonha, que se aproveitou de minha amizade, para dar em cima do meu marido?”
“Não!” Jeannie gritou.
“Ora, não minta! Pensou que eu não ia descobrir? Aposto que você imaginava que eu era tão idiota a ponto que você pudesse me enganar o tempo todo!”
“Kate me escute! As coisas não aconteceram desse jeito! Eu não dei em cima dele!”
“Não seja cínica! Meu marido me contou tudo! Ele me disse que você estava o tempo todo tentando se aproximar dele! E até foi atrás dele, na sua sala, na base!”
“Não é verdade! Era ele que vinha me procurar, que tentou me agarrar. E-eu só não te contei antes, porque não queria que sofresse, Kate! Acredite em mim!”
“Não acredito que estou ouvindo isso! Oh, como você é boazinha!” A Sra. Davis a olhou com desprezo. “Eu conheço muito bem mulheres como você! Não perdem a oportunidade de dar em cima de um homem casado!”
“Por favor, não diga isso!” Lágrimas começaram a escorrer do rosto da gênia. Ela não estava mais suportando toda aquela situação.
“Acha que suas falsas lágrimas vão me comover?” Disse Kate. “O único de quem tenho pena é do seu marido!”
“Já chega!”
Jeannie precisava sair dali, ela não aguentava mais as ofensas! Sem pensar mais, ela piscou, desaparecendo da sala, sem se importar com o que Kate pensaria.
A Sra. Davis olhou para todos os lados, se perguntando pra onde Jeannie estaria.
Por fim, balançou a cabeça e pensou:
“Pouco importa! Já disse tudo o que eu queria!”
E saiu, batendo a porta.
***************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:18 am

VII

Quando a gênia voltou pra casa, o Major Nelson já havia chegado.
“Estava te esperando. Por onde andou?” Perguntou ele.
“Eu fui visitar mamãe.” Disse a gênia, séria. “Sinto muito! Achei que voltaria antes você! Mas não se preocupe, vou cuidar do seu jantar!” Ela piscou e o jantar já estava pronto, em cima da mesa.
 “Tudo bem. O jantar podia esperar um pouco.” Ele olhou fundo nos olhos dela. “Jeannie, nós precisamos conversar!”
“Se vai me ofender, é melhor nem começar! Eu já ouvi demais da esposa do coronel Davis por hoje!”
“Ela esteve aqui? E o que disse pra você?”
“Kate me ofendeu. Disse coisas horríveis! Falou q-que e-eu não presto, que sou uma traido-ra!” Jeannie parou de falar, pra conter o choro.
Tony se compadeceu da esposa.
“Ela não tem o direito de vir aqui e ofender você!” Falou ele, indignado. “O marido dela não é nenhum santo!”
Jeannie olhou para o seu marido. Os olhos estavam marejados de lágrimas, mas cheios de esperança.
“Quer dizer que você acredita em mim? Você acredita que eu não tive culpa?”
O Major Nelson colocou as mãos nos braços dela e disse:
“Olhe Jeannie, o que acha de esquecermos o que aconteceu naquele dia? Eu pensei sobre isso e talvez eu também tenha sido o culpado!”
“Hã? Como assim?”
“Eu tenho trabalhado muito e às vezes fico muito tempo longe, por causa das missões e do treinamento. Você deve estar se sentindo solitária e carente e... bem...”
Ele não terminou a frase, mas Jeannie a entendeu muito bem. Ela se afastou dele, olhando-o com raiva.
“O que está dizendo? Eu não fiz nada! Se você não acredita em mim, é melhor ficar bem longe!”
“Jeannie, eu...”
Antes que o Major Nelson pudesse falar, a gênia correu para o quarto, fechando a porta.
Quando Tony se dirigiu para o quarto, para tentar se explicar, a gênia piscou um portão de ferro na entrada da suíte.
O Major Nelson percebeu que teria que dormir outra vez no quarto de hóspedes.
Ele passou a mão pelos cabelos, tentando se acalmar e resolveu subir.
Não iria jantar. Tinha perdido a fome.
***
O Major Nelson não conseguia dormir. Não parava de pensar nas palavras de Jeannie.
Seu coração acreditava nela. Aquele miserável deve ter mesmo dado em cima dela.
Mas sua mente ainda duvidava. Os patos pareciam condená-la.
Na manhã seguinte, o Major Nelson tratou a esposa com mais carinho, mas agora ela que estava distante.
Jeannie estava muito magoada com o seu amo, por ele não acreditar nela.
“Jeannie, o que acha de irmos jantar fora essa noite?” Sugeriu ele, tentando amenizar as coisas.
“Não acho uma boa ideia! E eu vou sair agora, só chegarei bem mais tarde!”
“Ei, aonde vai?”
“Vou visitar alguns parentes em Bagdá! Até logo!”
Ela se foi e Tony ficou pensativo.
Se as coisas continuassem assim, o que seria do casamento deles?
***
Jeannie dava algumas voltas por Bagdá, para tentar relaxar um pouco, quando se lembrou de algo importante.
Tinha prometido ajudar na organização do leilão beneficente, para arrecadar fundos para o hospital infantil da base.
A reunião de hoje da AEO definiria todos os detalhes ela tinha dado a sua palavra que  compareceria por lá.
Mesmo chateada, Jeannie achou que seria melhor ir, ainda que corresse o risco de Kate fazer um escândalo por lá.
Vendo que já estava um pouco atrasada, ela se piscou diretamente para a base e foi direto para a sala de reuniões da associação.
Ao entrar, ela cumprimentou as mulheres e pediu desculpas pelo seu atraso.
Ela olhou para um lado e viu Kate. A Sra. Davis olhava para a gênia, com uma expressão muito séria.
Jeannie desviou o olhar, se perguntando se Kate a ofenderia de novo ali, na frente de todas.
Ela sentou-se ao lado de Kate, se preparando para uma possível reação dela.
Mas, para sua surpresa, a Sra. Davis nada disse, apesar de não lhe dirigir a palavra também.
A reunião transcorreu tranquilamente, porém a Sra. Bellows percebeu que algo errado estava acontecendo entre Kate e Jeannie.
Sobretudo ao ver a Sra. Davis se despedir de todas, no fim da reunião, menos de Jeannie e sair com rapidez dali.
Amanda Bellows se aproximou de Jeannie e perguntou:
“Jeannie, há algo errado entre você e a Sra. Davis? Ela parece estar brava com você!”
“Não, Sra. Bellows! Não há nada errado! Bem, com licença! Preciso ir!”
Jeannie saiu depressa, aumentando as suspeitas de Amanda Bellows.
“Algo aconteceu entre elas. Elas eram tão amigas e de repente estão assim, sem se falar! Preciso descobrir o que houve! Acho que vou falar com Alfred, para ver se ele sabe de alguma coisa!” Pensava ela.
***
Jeannie andava pela base, quando o coronel Davis a avistou e foi ao seu encontro:
“Jeannie!”
“Afaste-se de mim, ou eu não respondo pelas consequências!” Falou ela, nervosa.
Ele riu.
“E o que pretende fazer pra me impedir?”
“Não me provoque!” Ela avisou.
“Está bem! Não quero discutir com você! Mas peço que venha comigo até a minha sala!”
“Nunca! Já não basta tudo o que você fez? Você é tão covarde que até envenenou sua esposa contra mim!”
“Não tive outra escolha! Ela estava desconfiada!”
“Você não presta! Eu devia...”.
“Escute!” Cortou-lhe ele. “Vamos deixar de as ofensas pra depois. Vamos logo até a minha sala! É importante!”
“Eu já disse que não irei!”
“Ah, não? Lembre-se que eu sou o superior do seu marido! Posso prejudicá-lo, se quiser.” Jeannie o olhou com raiva e ele completou: “E então? Vamos?”.
Ela virou o rosto e passou a andar rapidamente, a caminho da sala dele. Sem dizer mais nada, Davis a alcançou.
O Major Healey, que tinha acabado de sair da sala de testes, viu Jeannie e Davis juntos.
“Essa não! Preciso avisar Tony!”
***********
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:19 am

VIII

“Ela está com ele?!” Gritou o Major Nelson, dando um pulo de sua cadeira e encarando Roger.
“Sim, Tony. Eu os vi juntos! Parecia que eles estavam indo pra sala dele!”
“Isso não é possível! Jeannie me garantiu que eles não estavam juntos, que era ele que estava dando em cima dela! Então por que ela iria pra sala de Davis?”
“Eu não sei, Tony!”
“Vou agora mesmo resolver isso!”
O Major Nelson ia saindo, quando Roger segurou seu braço.
“Espere Tony! Não perca a cabeça! Deve haver alguma explicação!”
“Não há explicação! A não ser que ele está com minha esposa agora!”
“Você não deve fazer nada impensado! Está muito nervoso!”
“Solte-me, Roger! Já disse que eu vou resolver isso!”
“Está bem! Mas eu irei com você!”
Os dois seguiram rapidamente para a sala do coronel.
Assim que chegaram, perceberam que a secretária do coronel não estava lá e Tony correu para abrir a porta e surpreendê-los. Mas Roger o impediu dizendo:
“Espere Tony!”
“Esperar o quê? Vou entrar de uma vez!”
O Major Healey olhou espantado para o amigo. Quase não o reconhecia. Jamais viu Tony ficar desse jeito antes. Mas também não poderia culpá-lo.
Ele disse a Tony:
“Tenha calma! Não sabemos o que está acontecendo lá dentro. Vamos espiar primeiro. Aí você entra depois, se quiser.”
O Major Nelson pensou por um momento e mesmo com relutância, aceitou a sugestão de Roger.
“Está bem! Talvez seja melhor mesmo!”
“Ótimo!”
O Major Healey abriu cuidadosamente a porta, olhando lá dentro com Tony, por uma pequena fresta.
Foi nesse momento que ouviram Jeannie dizer a Davis.
“Quero que deixe meu marido em paz!”
“Eu não sei se devo! Ele é um obstáculo em meu caminho!”
“Já não basta tudo o que fez? Ele desconfia de mim, graças às suas mentiras e sua esposa me detesta!”
“Eu não me importo com isso! Eu sempre consegui tudo o que eu queria! E eu quero você, Jeannie!”
Tony sentiu seu sangue ferver e a raiva subir para sua cabeça. Ele ia se precipitar, mas Roger o segurou, pedindo com um gesto, que esperasse mais um pouco!
“Nunca terei nada com você, entendeu?” Falou a gênia para o coronel. “O único homem que eu amo e que me interessa, é o meu marido! Você é desprezível! Já disse para nos deixar em paz!”
Ele a olhou e sorrindo, fez uma proposta:
“Eu deixarei seu marido em paz, não o prejudicarei. Mas só com uma condição!”
“Qual?” Disse ela, nervosa.
“Eu quero pelo menos passar uma noite, com você na minha cama!”
Antes que Jeannie pudesse dizer alguma coisa, um transtornado Major Nelson entrou na sala. Ele segurou no colarinho de Robert Davis e falou:
“Repita o que disse! Quero ver se você tem coragem de fazer essa proposta infame na minha frente!”
“Anthony!” Jeannie gritou surpresa.
“Oh, Tony! Não perca a cabeça!” Disse o Major Healey, colocando a mão na cabeça, preocupado.
“Vamos, repita o que disse!” Falou o Major Nelson para Davis, ignorando o comentário de Roger.
Robert Davis deu uma gargalhada.
“Por que quer que eu repita? Você já ouviu! Quero uma noite com a sua esposa!” O rosto de Tony se contraiu em cólera e Davis prosseguiu: “Tenho certeza de que ela não irá se negar, para ajudar você! E você deveria aceitar tranquilamente. Afinal, é pelo bem se sua carreira!”
O Major Nelson não pode mais se conter e deu um soco na cara do coronel.
Sua raiva era tanta, que ele bateria muito mais, se Roger não o tivesse segurado.
Davis não revidou, mas olhou para Tony com ódio.
“Você vai me pagar muito caro por isso, Nelson! Não ficarei satisfeito até destruí-lo!”
“Eu não tenho medo de você! Faça o que quiser! Mas se voltar a se aproximar de minha esposa, sou eu que acabarei com você!”
Robert Davis o olhou cinicamente.
“Sua esposa ainda será minha!”
Tony  tentou mais uma vez bater no coronel, mas o Major Healey continuava o segurando.
“Solte-me, Roger!” Exigiu o Major Nelson.
“Não até sairmos daqui!”
Com muito esforço, o Major Healey puxou Tony para fora da sala e fez um sinal para Jeannie o acompanhar.
A gênia obedeceu e assim que saíram Roger falou:
“Jeannie, depressa! Pisque-nos pra casa!”
“Eu não quero ir pra casa!” Reclamou Tony.
“Rápido!” Gritou Roger para a gênia, já não conseguindo mais controlar Tony.
A gênia cruzou os braços e os três sumiram dali.
****************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:20 am

IX

“Alfred, há algo errado com Jeannie!” Disse Amanda Bellows ao marido.
“O que há de incomum nisso? Tudo e todos que estão relacionados ao Major Nelson, são estranhos.”
“Pode ser! Mas tenho motivos pra achar que aconteceu algo grave entre Jeannie e a Sra. Davis!”
“A esposa do coronel Davis?” Falou o Dr. Bellows surpreso.
“Isso mesmo! Elas não se falaram durante a reunião da associação, e a Sra. Davis olhava para a Jeannie com raiva. E reparei também que no final, elas não despediram como de costume. Quando perguntei à Jeannie o que estava acontecendo, ela desconversou!”
“Amanda isso deve ser apenas impressão sua! De qualquer modo, isso não é da nossa conta!”
“Como pode dizer isso? Jeannie é minha amiga e o Major Nelson, um dos seus melhores oficiais! Precisamos saber o que está acontecendo!”
“E o que quer que eu faça, Amanda?” Falou o Dr. Bellows impaciente.
“Você pode sondar o Major Nelson, pra ver se ele diz alguma coisa, querido! E quanto a mim, ficarei de olho em Jeannie!”
“Está bem Amanda, está bem!” Disse ele.
“Obrigada, querido!” Amanda se despediu e foi pra casa.
O Dr. Bellows sentou-se em sua cadeira pensativo.
“Sra. Davis... Esposa do coronel Davis! Acho que é nesse coronel que eu tenho que ficar de olho. Há algo nesse homem que me incomoda! Preciso investigar!
***
Jeannie, Tony e Roger apareceram na sala de estar da casa dos Nelson.
“Ah, ufa! Obrigado Jeannie, por nos trazer pra cá! Estava difícil segurar Tony!” Disse Roger.
Jeannie balançou a cabeça, com um fraco sorriso e disse:
“Tudo bem!” A gênia sentia-se desanimada e precisava ficar sozinha. “Com licença!” Ela saiu, se dirigindo à cozinha.
Tony sentou-se no sofá e falou:
“Você não devia ter me segurado, Roger! Eu queria quebrar a cara daquele sujeito!”
“Rapaz, calma! Você não é assim, Tony!”
“Ora Roger! Como me pede calma? Você viu o que aquele sujeito disse? Você viu o cinismo dele? Não vou permitir que ele desrespeite minha mulher e ainda a ameace!”
 “Está bem! Você está certo em se indignar! Mas não vai resolver nada bater nele! Se ele te denunciar você está perdido! Mesmo que conte sobre o que houve, será sua palavra contra a dele. E ele é um coronel e você um major!”
“Eu não me importo, Roger! Posso até ser preso, mas ele teve o que merecia. E ai dele se voltar a se aproximar de novo de Jeannie. Eu não responderei por mim!”
“Ah, Tony! Sua situação está muito complicada! Talvez devêssemos pedir pra Jeannie dar um sumiço nele.” Falou Roger sorrindo.
“Não diga bobagens Roger! Ele bem que merecia, mas jamais recorreria a isso! Eu mesmo vou enfrentá-lo e me preparar pra tudo!”
“Bom, pense pelo lado positivo. Pelo menos Jeannie era inocente!”
“Sim, Roge! E eu me sinto um canalha por ter duvidado dela! Acha que ela vai me perdoar?”
“Espero que sim, Tony! Você já tem problemas demais, pra ter que encarar mais esse! Em todo caso, saiba que eu estou ao seu lado, companheiro!”
“Obrigado, Roge!” Disse Tony, dando uns tapinhas nas costas do amigo.
Assim que o Major Healey foi embora, o Major Nelson foi até a cozinha falar com sua esposa.
Ele a encontrou sentada, com o olhar perdido.
“Jeannie?”
“O que foi Anthony?”
“Precisamos conversar!”
Ela nada disse e Tony sentou-se ao lado dela.
“Jeannie eu... eu sinto muito por ter duvidado de você! Eu me deixei levar pelo ciúme e não pensei direito. Fui um tolo por me deixar enganar por aquele homem! Espero que você possa me perdoar!”
A gênia continuou calada e depois de algum tempo, o Major Nelson falou:
“Por favor, Jeannie! Diga alguma coisa! Desculpe-me pela minha atitude! Eu nunca mais duvidarei de você, eu prometo!”
Jeannie olhou pra ele e falou:
“Você me magoou muito com a sua desconfiança! Desde que o conheci, e até muito antes disso, jamais olhei para outro homem! Você é único pra mim e me doeu a maneira como me tratou!”
Ele pegou nas mãos dela e falou:
“Querida, eu nem sei o que dizer! Minha atitude foi mesmo imperdoável e não sabe o quanto estou arrependido! Mas eu não posso suportar que você fique com raiva de mim, eu a amo muito Jeannie!”
Jeannie ficou algum tempo o fitando e por fim, afastou sua mão da dele, se levantando.
“Eu não sei se posso esquecer tudo e te perdoar!” Disse ela.
“Jeannie...” Tony começou a dizer.
Mas ela saiu da cozinha e foi para a sua garrafa. Tony foi atrás dela, pediu para entrar lá, mas ela disse para deixa-la em paz.
Tony fez a vontade dela, mas não ia desistir. Faria o possível para que ela lhe perdoasse.
O Major Nelson aceitava perder tudo na vida, seu posto, seu emprego, sua casa e até mesmo os seus sonhos. Mas jamais poderia viver sem Jeannie.
Ele a amava demais e a teria de volta! Custe o que custasse.
*********
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:21 am

X

Já estava anoitecendo, quando Jeannie resolveu sair e preparar o jantar.
Ela deu uma olhada pela sala e não viu o marido, mas logo se deu conta do barulho no chuveiro. Ele estava tomando banho.
A gênia seguiu para a cozinha e começou a preparar o jantar.
Durante o tempo que esteve na garrafa, ela refletiu muito sobre o que houve.
Mesmo magoada com Tony, ela conseguia deixar de se preocupar com o que poderia acontecer com ele.
Anthony batera no coronel e ela sabia que Davis não deixaria isso barato.
Ele daria um jeito de acabar com a carreira do seu marido, ou até mesmo fazer algo pior!
Jeannie estava arrependida de não ter sido esperta o bastante e não ter usado seus poderes quando deveria.
Agora as coisas já estavam complicadas demais e ela não sabia mais o que poderia fazer pra contornar a situação.
Além disso, o seu casamento já estava abalado. A dor que sentia em seu peito era grande.
Distraída com seus pensamentos, a gênia nem percebeu quando Tony entrou na cozinha.
Ele se aproximou dela, abraçando-a por trás.
“Boa noite querida! Estou feliz por você ter decidido sair de sua garrafa!”
Voltando a si, ela se assustou com a presença e o abraço dele, dando um pulo, enquanto se afastava rapidamente de Tony.
Ele a olhou com os olhos interrogativos e ela disse:
“Você me assustou!”
“Oh, me desculpe! Não foi minha intenção!” Ele voltou a se aproximar dela, sorrindo. “Mas eu não resisti a vontade de estar juntinho de você!” Falou ele, com a voz baixa e rouca.
Recuperada do susto, Jeannie finalmente olhou pra ele direito. Ele usava seu roupão vermelho, que estava entreaberto revelando uma parte da sua cueca branca. A gênia ergueu o rosto e viu que o cabelo dele estava molhado e algumas gotas d’água escorriam pelo pescoço dele. Ah, ele estava mais lindo do que de costume!
“Tudo bem!” Disse ela depois de um tempo. “Você deve estar com fome! O jantar não vai demorar a ficar pronto! Você pode ir até a mesa. Eu já o trarei!”
Falou ela, tentando se livrar dele.
O Major Nelson sorriu ao vê-la desviar os olhos dele. Ele já a conhecia muito bem! Tinha percebido o desejo de sua esposa, quando ela olhara pra ele. Jeannie podia estar chateada ainda, mas ela o queria!
Sabendo disso, ele a abraçou e disse próximo ao seu ouvido:
“Podemos deixar o jantar pra depois. O que acha de irmos para o quarto agora?”
Jeannie arfou. Aquela voz provocante a estava deixando atordoada. Como se não bastasse o perfume dele adentrava em suas narinas e ela não conseguia pensar direito.
Queria esquecer tudo e aceitar a proposta dele. Mas o afastou.
“Acha que tudo se resolve simplesmente assim? Está enganado!”
“Querida, eu só quero estar com você, fazê-la me perdoar!”
“Acho melhor você sair daqui e esperar à mesa pelo jantar! Não vou demorar!”
“Mas querida...”
“Por favor?”
Tony saiu da cozinha frustrado. Seu plano de reconquistá-la não tinha dado certo.
Tinha que pensar alguma outra coisa, pois corria o risco de perdê-la pra sempre.
Durante o jantar, o Major Nelson tentava o tempo puxar conversa com Jeannie, mas ela se mantinha séria.
Por fim, ela se levantou e foi para a cozinha, a pretexto de lavar a louça.
Ele se ofereceu para ajudá-la, mas ela lhe disse que cuidaria de tudo sozinha.
O Major Nelson estava na sala, pensativo, quando Jeannie apareceu.
“Boa noite, Anthony!”
Ela se dirigiu para a garrafa e ele falou:
“Você... vai passar a noite aí?”
“Sim, é o melhor!”
“Jeannie, por favor! Não podemos continuar assim! Eu faço tudo o que você me pedir, até te imploro perdão de joelhos, se for preciso! Mas não posso ficar afastado de você! Já passamos muitas noites dormindo sozinhos!”
“Amanhã cedo conversaremos, Anthony! Tudo o que eu quero é dormir agora!”
Ele a olhou com tristeza, mas concordou:
“Está bem, vou deixá-la sozinha!”
Ela se piscou para a garrafa e ele foi para o quarto. Tony sabia que passaria uma noite insone.
***
No dia seguinte, Tony saiu do quarto, já vestido com o seu uniforme para ir trabalhar.
Jeannie o esperava à mesa, com o café da manhã já pronto.
“Bom dia!” Disse ele se aproximando e sentando-se ao lado dela.
“Bom dia!” Respondeu ela fracamente.
Ele a olhou e percebeu que ela tivera uma noite tão ruim quanto à dele.
Tony resolveu ir direto ao assunto.
“Você disse que conversaríamos hoje pela manhã!”
“Acha que é uma boa hora agora? Você logo terá que sair pra ir à base!” Falou ela, tentando fugir.
“Eu ainda tenho algum tempo e já está na hora de resolvermos de uma vez nossa situação!”
“É, você está certo!”
“Escute Jeannie, eu entendo toda a sua raiva de mim. Você tem razão de se sentir assim. Como eu disse antes, fui um tolo! Mas tudo isso se deve as armadilhas de Davis. Ele quer nos ver separados e tentou me jogar contra você!”
“E ele conseguiu! Você acreditou mesmo que nós tínhamos um caso! Se não tivesse ouvido aquela conversa, jamais teria acreditado em mim!”
“Jeannie eu...” O Major Nelson começou a se desesperar.
“Não diga mais nada! Apenas me ouça: Eu pensei muito sobre nós dois essa noite e tomei uma decisão.”
“Qual?”
“Eu acho melhor ficarmos afastados por algum tempo!”
**************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:22 am

XI

 “O que está me dizendo?” Tony não conseguia acreditar.
“Isso mesmo que você ouviu. Eu preciso ficar algum tempo longe de tudo isso!”
“Não Jeannie, você não pode fazer isso!”
“Vai ser melhor assim, acredite. Ficarei algum tempo com minha mãe, até as coisas se acalmarem um pouco!”
“Jeannie, eu preciso de você aqui ao meu lado!”
“Você não entende! Não é só por mim! É por você também! Se eu ficar aqui você poderá ter ainda mais problemas com o coronel Davis. Talvez se eu me afastar, ele vai esquecer esse capricho e deixará você em paz!”
“Querida, em primeiro lugar, não acredito que ele se esqueça dessa história, ele estava furioso comigo e sei que ele irá se vingar! Mas isso não importa, eu não estou com medo! A única coisa que me apavora é perder você!”
“Anthony...” Apesar do ressentimento, Jeannie ficou tocada com as palavras dele.
“Você pode continuar brava comigo e até não me dirigir a palavra, se quiser. Mas não vá embora! Não me deixe sozinho. Jamais poderia seguir sem você!”
Ela olhou nos olhos dele e viu toda a sinceridade do mundo neles.
“Está bem! Eu não irei embora! E estarei com você aconteça o que acontecer!”
Ele sorriu comovido, beijando a mão dela. Talvez levasse um tempo, mas agora ele sabia que as coisas ficariam bem entre eles.
***
Depois da conversa que tivera com Jeannie, o Major Nelson foi para a base. Tinha se preparado para o pior, mas tudo estava tranquilo por lá.
Ele havia se encontrado com general pela manhã e este falou normalmente com ele, sem mencionar qualquer espécie de desagrado com Tony.
Tony continuou trabalhando em sua sala, quando o Dr. Bellows apareceu por lá:
“Olá Major! Preciso falar com você!”
O Major Nelson já começou a ficar em alerta.
“Sim, doutor, como quiser!”
“Eu tenho reparado que seu comportamento anda muito estranho ultimamente!”
“Meu comportamento senhor?”
“Sim. Você por duas vezes saiu cedo do escritório, sem me avisar. A primeira vez, Jeannie me disse que você não estava se sentindo bem, mas não me explicou direito o que você tinha. E ontem você voltou a desaparecer, sem dar explicação! O que tem a dizer sobre isso, Major?”
“Eu sinto muito senhor! Peço que me desculpe. Acho que peguei algum vírus. Tenho tido muitas dores de cabeça ultimamente. Eram tão fortes que resolvi ir direto pra casa.” Mentiu ele.
“E como se sente agora?”
“Já estou bem, senhor!”
“Depois o examinaremos, Major! Mas saiba que eu já imagino o motivo das suas dores de cabeça.”
“É mesmo senhor?” Falou Tony, hesitante.
“Sim. E elas têm um nome: Coronel Robert Davis!”
O Major Nelson deu uma risada nervosa:
“Não compreendo o que quer dizer, doutor!”
“Você compreende, sim! Não é de hoje que tenho notado o clima de animosidade entre você e Davis. Eu também soube de fonte segura, que Jeannie e a Sra. Davis estão brigadas. E por fim, ontem enquanto eu conversava com um oficial, vi Davis andando pelos corredores com Jeannie. Ela parecia muito aborrecida.”
“Se-senhor, tudo isso deve ser só impressão sua!” Falou o Major Nelson, bem nervoso, aumentando ainda mais a certeza do psiquiatra.
“Você pode me contar tudo Major! Sei que algo muito sério aconteceu! Mas só poderei ajudá-lo se confiar em mim!”
“Eu agradeço Dr. Bellows. Mas realmente não há nada errado. Não precisa se preocupar. Eu peço mais uma vez desculpas pelo meu atraso, isso não voltará a acontecer. Contudo, o coronel Davis não tem nada a ver com isso!”
“Está bem, Major! Eu entendo que não queira me contar o que houve. Mas mesmo assim, vou lhe dar um aviso; tenha muito cuidado com Davis!”
O Major Nelson o olhou, se perguntando o que ele queria dizer com isso e o Dr. Bellows saiu da sala dele.
Algum tempo depois, o Major Healey pareceu:
“E então? Como estão as coisas?”
“Por enquanto normais! A não ser pelo Dr. Bellows, que parece estar desconfiado!”
“Desconfiado? Ele suspeita do que aconteceu entre você e Davis?”
“Na verdade, acho ele tem quase certeza. Queria que eu contasse tudo, mas por fim desistiu de me pressionar!”
“Rapaz! Você está mesmo encrencado! Como se não bastasse Davis, agora o Dr. Bellows também?”
“Está tudo muito estranho, Roger! Primeiro porque o Dr. Bellows não parecia me acusar, ele estava até me oferecendo ajuda, como se soubesse que Davis não presta. E depois tem Davis, que até agora não parece ter feito nada. O que ele pode estar tramando?”
“Não faço ideia, Tony! Vai saber o que se passa na mente do Bellows. E quanto a Davis, não acredito que ele tenha desistido.”
“Ah, Roge! Tudo o que quero é que isso acabe logo de uma vez!”
**************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:25 am

XII

Três dias se passaram, sem nada acontecesse. Durante esse tempo, o Major Nelson não voltou a se encontrar com Davis. Sempre que ele tinha algo a dizer para Tony, mandava outra pessoa.
Tony tinha esperança que Davis estivesse deixado toda àquela história de lado e deixasse Jeannie e ele em paz.
Aos poucos, ele estava reconquistando a sua esposa. Ela ainda estava distante, mas já se mostrava mais carinhosa com ele.
O Major Nelson ainda tinha muita raiva de Robert Davis, mas se fosse para acabar de uma vez com essa história, ele se esqueceria de tudo e seguiria em frente, tratando seu superior com respeito.
***
O Major Nelson tinha acabado de sair da sala de exames, quando o general foi ao seu encontro.
“Nelson vamos à sala de reuniões! Tenho um assunto muito grave para discutir com você!”
Tony percebeu a seriedade na voz do general Schaeffer e ficou preocupado. Será que Davis não tinha mesmo se esquecido e finalmente se vingaria dele?
Ao entrarem na sala, o Major Nelson encontrou o Dr. Bellows e Davis já sentados, com uma expressão séria. Também estava lá um homem que Tony não conhecia.
O general tomou o seu lugar à mesa e vendo que o Major Nelson ficara parado, junto à porta, ele disse:
“Vamos Tony, sente-se. Isso irá demorar algum tempo!”
O Major Nelson, que estava perdido em pensamentos voltou a si e se aproximou da mesa.
Ele de repente sentiu-se tenso, ao passar próximo do coronel Davis.
As lembranças da última vez que o vira surgiu em sua mente e ele sentiu raiva.
Tentando manter a calma, Tony escolheu uma cadeira ao lado do Dr. Bellows.
Assim que o Major Nelson sentou-se, o general começou a dizer:
“Vamos direto ao assunto, Tony! A Operação Galáxia estava sendo feita no mais absoluto sigilo. Pouquíssimas pessoas sabiam sobre esse projeto. Você é era uma delas, certo?”
“Sim, general! Já tem dois meses que venho trabalhando nisso!”
“Pois bem, Nelson! Ontem soube que os russos descobriram sobre esse projeto!”
“Os russos?”
“Fizemos investigações e descobrimos que uma pessoa daqui, por alguma razão ainda desconhecida, passou as informações para eles!”
“Isso é terrível general!” Exclamou Tony, enquanto os presentes mantinham calados. “Vocês já tem ideia de quem seria essa pessoa?”
“Sim, nós temos!”
“E quem é?” Perguntou o Major Nelson.
“Você!” Disse o general.
“Eu, senhor? Como pode pensar isso?” Falou Tony, indignado.
“Eu não queria acreditar nisso Tony, mas todos os indícios levam até você!”
“Isso não é possível. Eu jamais faria isso!”
“General, eu conheço o Major Nelson! Sei que ele seria a última pessoa que faria algo assim!” Acudiu o Dr. Bellows. “E o que ele ganharia com isso?”
“Eu não sei, doutor. Provavelmente foi por dinheiro! Mas isso, nós iremos descobrir!”
“Mas vocês disseram que tinham indícios que era eu o responsável! Quais índicos são estes?” Falou Tony.
O general Schaeffer olhou para o homem desconhecido, que estava sentado ao seu lado e falou:
“Senhores, esse é o detetive Smith, ele é um agente da polícia e está investigando o caso!”
“Agente da polícia?” Disse Tony, surpreso.
“Sim, Major! Isso é um caso muito grave! Eles precisam se envolver nisso!”
Falou o general. E voltando-se para o Smith falou: “Por favor, mostre ao Major Nelson os papeis!”
Smith abriu uma pasta e falou.
“Estamos fazendo investigações e esses papéis, caíram em nosso poder! Veja você mesmo, Major!”
Tony pegou os papéis pra olhar. Nele continham informações importantes sobre o novo projeto e no fim da última folha, sua assinatura.
“Mas isso, não é possível!”
“Você talvez por descuido, esquecera-se desse detalhe na última folha, que acabou o incriminando!”
“Isso não possível! Alguém deve ter falsificado a minha assinatura!”
“Deve ter sido isso mesmo general!” Falou o Dr. Bellows. “Temos que dar um voto de confiança para o Major!”
“O problema Dr. Bellows, é que isso não é tudo que o incrimina!” Disse o general. “Diga-nos outra vez o que sabe, coronel Davis.”
Davis, que até aquele momento tinha se mantido calado, falou:
“Bem, eu não queria ter que incriminar o Major Nelson, que sempre considerei uma pessoa correta, mas tenho que falar a verdade. Alguns dias atrás, eu ouvi acidentalmente uma conversa muito estranha dele ao telefone. Ele disse que passaria os dados do projeto, em troca de uma quantia em dinheiro. Na hora, pensei que ele estivesse brincando com algum outro oficial, mas agora percebo que era sério!”
“Isso é mentira!” Gritou Tony, se levando. “Ele está tentando me prejudicar!”
********************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:26 am

XIII

“Sente agora mesmo Major Nelson e se acalme!” Ordenou o general Schaeffer. “Não complique ainda mais a sua situação!”
O Major Nelson tentou manter a calma e voltou a sentar-se.
“Isso não faz sentido!” Falou o Dr. Bellows. “E porque não falou sobre isso antes, coronel?”
“Como eu disse, pensei se tratar de uma brincadeira! Mesmo porque, não ouvi o Major falando o nome do projeto, achei que pudesse ser outro assunto. Mas depois de saber desses papéis, tudo faz sentido agora!” Disse Davis.
“Mas se ele vendeu as informações, onde estaria o dinheiro?” Insistiu Bellows.
O detetive Smith deu um sorriso irônico e ele mesmo respondeu:
“Talvez ele tenha guardado em algum lugar seguro, pra não despertar suspeitas. Tenho certeza de que ele seria bem esperto pra fazer isso!”
“Já basta! Não podem me acusar assim!” Falou Tony. “Será que vocês não se dão conta? Ele armou contra mim!” O Major Nelson apontou pra Davis. “Ele está tentando destruir minha carreira, assim como quase fez com o meu casamento!”
“Eu exijo mais respeito, Major!” Disse Davis. “Entendo que esteja nervoso, mas isso não é razão para me acusar. Só cumpri com o meu dever falando tudo o que eu sabia!” Ele fez uma pausa e acrescentou: “Ao invés de se zangar, é melhor facilitar as investigações e confessar que vendeu as informações do projeto aos russos!”
“Seu canalha!” O Major Nelson se levantou e ergueu Davis, pelo paletó.
Vendo que o Major Nelson bateria nele, o agente Smith levantou-se depressa, afastando Tony do coronel.
“É melhor controlar-se Major! Senão terei que prendê-lo!” Disse ele.
Nesse instante, o general Schaeffer, gritou furioso:
“Já chega, Nelson! Depois de sua atitude e das suspeitas que recaem sobre você, não me resta outra escolha a não ser expulsá-lo do programa espacial e talvez até mesmo da carreira militar!”
“Mas senhor, precisa acreditar em mim! Eu sou um astronauta, essa é minha vida! Eu lutei a vida toda por isso! Esse homem é quem está mentindo!”
“Saia daqui Nelson! E agradeça por não mandá-lo prender imediatamente. Mas será submetido a uma corte marcial!” Disse o general bravo.
O Dr. Bellows se aproximou de Tony e falou em voz baixa:
“Vá Major! Não se preocupe! Eu o ajudarei!”
O Major Nelson balançou a cabeça e saiu da sala.
Ele andava pelos corredores, completamente destroçado por dentro! Roger o avistou e se aproximou dele:
“Ei Tony! O que houve? Soube que o chamaram para uma reunião!”
“Ele conseguiu, Roger! Destruiu minha carreira e eu posso ser preso!”
“Do que está falando, Tony?”
“Davis. Criou uma armadilha pra mim. Estão me acusando de vender informações do novo projeto aos russos. Ele forjou as provas e tudo parece me condenar!”
“Ah, aquele crápula! Vou agora mesmo falar com o general Schaeffer em sua defesa, Tony!”
“Não Roger! Não faça isso! Você é meu amigo, ninguém vai acreditar em você! Só irá se prejudicar!”
“Mas o que você vai fazer Tony?”
“Eu ainda não sei, Roge! Por enquanto, tudo o que preciso é ir pra casa. Depois nos falamos!”
“Está bem, Tony! Mas eu vou ajudá-lo no que precisar, pode ter certeza disso!”
“Obrigado Roge!”
O Major Nelson se foi e Roger sentiu-se triste pelo amigo.
***
Jeannie estava lendo uma revista na sala, quando o Major Nelson apareceu.
A gênia estranhou a presença dele naquela hora e foi ao seu encontro.
Ao se aproximar, ela se assustou ao ver a expressão derrotada de seu marido.
“Anthony? O que houve?”
“Fui expulso do programa espacial, Jeannie! E talvez seja preso!”
“O quê?!”
“Fui acusado de vender informações do novo projeto aos russos!”
“Mas isso é um absurdo! Você jamais faria isso!” Falou Jeannie, indignada.
“Davis inventou isso pra me prejudicar! Ele fez tudo com perfeição e ninguém acreditou na minha inocência.”
“Ah, eu vou agora mesmo dar um sumiço nele. Eu já devia ter feito isso há mais tempo!” Falou a gênia nervosa e cruzando os braços.
“Não!” Disse Tony, segurando os braços dela.
“Como não, Anthony? Não vou permitir que ele prejudique você!”
“Eu vou cuidar disso pessoalmente, Jeannie. Você já foi envolvida demais nessa história!”
“Mas Anthony! Deixe-me ajudá-lo a resolver!”
“Já disse que não! Não quero que use seus truques. Vou provar minha inocência do modo comum!”
“Isso é loucura! Você está sendo irracional!”
“Entenda Jeannie! Isso é uma coisa que eu tenho que resolver! Prometa que não fará nada, por favor!”
“Eu não sei se posso prometer isso! Você pode sofrer muito, pode ser preso!”
“Por favor, estou te pedindo!”
“Está bem! Será como você quiser!”
“Obrigado! Se não se importa, eu vou para o quarto agora, descansar um pouco!”
Ele se dirigiu ao quarto e Jeannie ficou algum tempo sala, pensativa.
Por fim, ela foi atrás dele.
A gênia o encontrou deitado de costas na cama, com o braço direito por cima dos olhos.
Tinha tirado o paletó, a gravata e os sapatos.
Jeannie se aproximou, sentando-se na beirada da cama.
“Anthony?” Ela o chamou suavemente.
Ele tirou o braço dos olhos e os abriu.
“O que foi Jeannie?”
“Estou com medo!” Falou ela, com o olhar assustado.
“Medo?” Ele se ergueu, sentando-se na cama. “Medo do quê?”
“Medo do que possa acontecer com você! Eu não quero que perca sua carreira, que sofra! E eu também não quero perder você!” Ela se jogou nos braços dele, o agarrando forte pelo pescoço.
O Major Nelson a envolveu em seus braços.
“Não vou permitir que ele me destrua querida! Irei resolver tudo, não se preocupe!”
“Mas Anthony...” Ela começou a falar, olhando nos olhos dele.
Ele não a deixou continuar, beijando-a profundamente.
**************
Voltar ao Topo Ir em baixo
bajumoon

bajumoon

Mensagens : 681
Data de inscrição : 04/03/2014
Idade : 32
Localização : São Paulo - SP

"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" EmptyTer Jul 08, 2014 10:29 am

XIV


Faminta da boca dele há dias, ela aceitou de bom grado o afeto, correspondendo com paixão.
Rapidamente os beijos tornaram mais intensos e ele a virou, deitando-se por cima dela.
O Major Nelson desceu os beijos por todo o corpo da gênia, enquanto lhe tirava as roupas.
Ah, como ele sentira saudades de estar com ela assim, de senti-la, de amá-la.
Ele beijou todo o corpo de sua esposa, agora nu, e voltou-se para a boca dela, enquanto a gênia lhe desabotoava a camisa e tirava a calça dele.
Por fim, ele retirou sua cueca e olhou pra ela, buscando consentimento. Ela sorriu e ele adentrou no corpo dela.
Ambos estavam mais uma vez unidos, nesse amor profundo que eles sentiam.
Os dois chegaram ao máximo prazer e depois ficaram abraçados em silencio.
Não havia necessidade de palavras, pensou Jeannie. Ela sabia agora que tudo ficaria bem, pois acontecesse o que acontecesse, eles sempre estariam juntos.

***
No dia seguinte, o Major Nelson se preparou para ir à base.
Tinhas recebido um telefone do Dr. Bellows pedindo que fosse imediatamente pra lá.
Antes de ele sair, Jeannie lhe disse que confiava nele e sabia que tudo daria certo.
O casal tinha passado o dia anterior todo se reconciliando e fortalecendo os laços que os uniam.
Mas agora estava na hora de Tony enfrentar a situação.

***
Ao chegar à base, o Dr. Bellows o recebeu, fazendo para irem até a sala do general.
O Major Nelson estava preparado pra tudo, até mesmo para ser preso naquele momento, mas ao entrar na sala só encontrou o próprio general o esperando, que o olhava com um sorriso amistoso.
“Ah, Tony! Que bom que você está aqui! Não sou bom em admitir meus erros, mas preciso lhe pedir desculpas!”
“Desculpas?” Falou Tony surpreendido.
“Sim. Graças ao Dr. Bellows, descobrimos a verdade. Davis já foi preso!”
“P-preso?”
“Isso mesmo, Major!” Falou o psiquiatra. “Eu estava desconfiado do coronel há algum tempo e resolvi fazer uma investigação particular. Pouco depois de você ser acusado, o detetive que contratei, descobriu diversas fraudes que ele tem feito na NASA, angariando dinheiro do governo para sua conta particular, além de outros crimes cometidos nos outros lugares em que ele esteve. E graças a isso, conseguimos encontrar pistas e depois documentos concretos de que foi ele quem vendeu as informações aos russos.”
“Não sei como ele conseguiu enganar a todos por tanto tempo, mas agora que foi descoberto, será condenado pelos seus crimes!” Falou o general, com firmeza.
O Major Nelson mal podia acreditar! As coisas tinham se resolvido, sem que ele precisasse fazer coisa alguma.
“Então estou livre? Não serei preso, nem expulso do programa espacial?”
“Claro que não, Tony! Você foi uma vítima dele! Como lhe disse, sou eu quem lhe devo desculpas por tê-lo tratado mal!”
“Obrigado general!” Disse Tony, com um amplo sorriso.
O Major Nelson voltou-se para o psiquiatra, o olhando com profunda gratidão.
“Muito obrigado Dr. Bellows. Graças ao senhor, estou livre!”
“Não me agradeça, Major! Foi apenas uma questão de justiça!” Disse o psiquiatra sorrindo.
Tony sorriu de volta, feliz!
O Major Nelson estava tão contente que tinha vontade de sair pulando da sala do general Schaeffer.
Ele contou a novidade a Roger, que ficou muito alegre pelo amigo.
“Ah, Tony, isso é maravilhoso! Temos que comemorar! O que acha de irmos a algum lugar?”
“Obrigado Roge. Mas vamos deixar isso pra outra hora! Agora preciso fazer algo importante.”
Tony pegou seu carro e foi direto pra casa. Assim que chegou, ele foi correndo abraçar sua esposa.
“Anthony?” Jeannie estava surpresa.
“Está tudo acabado, querida! Eu não serei preso, nem perderei meu emprego!”
Ela deu um largo sorriso e ele a beijou, sentando-se com ela no sofá.
Assim que afastaram, o Major Nelson disse:
“E tem mais: Davis nunca mais nos incomodará, ele já foi preso por todas as coisas terríveis que ele fez!”
“Eu já sabia disso!”
“Você sabia? Mas como?”
“Kate veio aqui, agora há pouco!”
“Ela veio aqui? Não me diga que ela te ofendeu outra vez?!”
“Não, querido! Pelo contrário, ela veio se desculpar por ter me tratado mal!”
“Se desculpar?”
“Sim. E se despedir também! Pobrezinha! Encontrou Davis na cama com outra mulher!”
“Ah, aquele miserável!” Exclamou Tony.
“Ela então percebeu aquilo que ela não queria enxergar e decidiu se divorciar dele. Enquanto ela e Davis estavam discutindo na casa deles, a polícia chegou o prendendo!”
“Uau, que história!”
“Kate ainda não pode sair da cidade, porque a polícia ainda vai investigá-la também, mas assim que tudo estiver esclarecido ela irá embora! Tomara que ela fique bem!”
“Tenho certeza de que Davis fez tudo sozinho, sem o envolvimento dela. Ela ficará bem, quando tudo isso acabar!”
“Espero que você esteja certo! Não gostaria que ela sofresse!”
O Major Nelson olhou pra esposa com amor. Jeannie tinha um coração enorme! Mesmo depois de tudo o que passou ainda se preocupava com Kate.
“Você é maravilhosa, sabia?” Disse ele, beijando-a. “Mas vamos deixar toda essa história pra trás! O general me deu o dia de folga, podemos sair pra comemorar, o que acha?”
“Ah, isso é ótimo!” Falou a gênia contente.
“Então? Aonde quer ir?” Perguntou Tony.
“Só há um lugar onde quero ir com você agora!” Falou Jeannie sorrindo.
“Onde?”
Jeannie piscou, levando os dois pra dentro da garrafa.


Fim
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




"Traições" Empty
MensagemAssunto: Re: "Traições"   "Traições" Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
"Traições"
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
J-fics :: Drama-
Ir para: